Chame Como Quiser

Chame Como Quiser Anderson Henrique


Compartilhe


Chame Como Quiser





Livro surpreende leitor com contos fantásticos

Histórias com enredos fantásticos, ironia e um pouco de acidez, é o que promete o livro Chame Como Quiser, de Anderson Henrique. Publicado pela editora Penalux, a obra reúne 13 contos que recorrem ao niilismo e ao sarcasmo para dissecar o cotidiano e questionar as relações humanas.

É comum classificar os livros e seus autores em correntes, escolas ou times. Chame Como Quiser é um caso à parte. Não há uniformidade nos temas ou na estética dos contos que compõem a coletânea. O conto “Invisível”, por exemplo, examina a dinâmica dos núcleos familiares através da rotina de um adolescente que tem a convicção de estar desaparecendo. É um texto que se aproxima do fantástico para indagar a fragilidade dos elos sociais. Já em “O jantar”, a inclinação para o absurdo é clara: um funcionário de escritório é convidado para um jantar misterioso em que é tomado por uma celebridade de renome internacional. Vemos a ascensão do personagem à condição de divindade e seu inevitável regresso ao mundo dos mortais.

A diversidade narrativa parece definir o livro desde a escolha do título: recortes urbanos quase jornalísticos se misturam a narrativas que apostam em tradições regionalistas; contos que remetem ao realismo mágico como “Multiplicai” figuram ao lado de textos mais pueris como “Belinha”.

O livro sai com a chancela de Marcelino Freire, autor de “Contos Negreiros” e premiado com o Jabuti de 2006. E para que não se pense que a literatura aqui é levada ao extremo da seriedade, sisuda e tradicional, uma subscrição na capa indica que este é o segundo volume de uma série de um livro só. Anderson extrapola o jogo no conteúdo, em sua biografia e nos elementos gráficos que compõem a obra.

“Este autor não é confiável. Usa máscaras, tem duplos. Inúmeros irmãos imaginários. É imaginação de sobra. E a gente que leia nas entrelinhas. Que chame como quiser o que ele faz. Na sombra, no disfarce. Nas manobras. Dobras e desdobramentos. Cuidado. Anderson Henrique é o nome desde contista. Dos bons. E você, leitor(a), a vítima. Que sorte!” -- Marcelino Freire

Contos

Edições (1)

ver mais
Chame Como Quiser

Similares


Resenhas para Chame Como Quiser (1)

ver mais
ENTRE O FANTÁSTICO E O MARAVILHOSO: CHAME COMO QUISER
on 26/7/17


Nos estudos atuais sobre literatura fantástica, alguns especialistas, teóricos e mesmo a crítica, vêm dividindo opiniões em função do enquadramento teórico-crítico dessa literatura como gênero literário ou como modo literário. Uma questão bastante difusa. Decorre ainda que há quem coloque no mesmo rol narrativas fantásticas, estranhas, reais-maravilhosas, de ficção científica e de horror. Tzvetan Todorov é indubitavelmente o teórico balizador desta tendência classificatória e isso s... leia mais

Vídeos Chame Como Quiser (1)

ver mais
Chame como quiser, de Anderson Henrique (resenha)

Chame como quiser, de Anderson Henrique (rese


Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 4.7 / 3
5
ranking 67
67%
4
ranking 33
33%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

60%

40%

Anderson Henrique
cadastrou em:
05/07/2017 13:53:10