A Desordem das Coisas Naturais

A Desordem das Coisas Naturais Bioque Mesito


Compartilhe


A Desordem das Coisas Naturais (1 #1)





A poesia de Bioque Mesito é um grito telúrico em nome da sua aldeia (um eu lírico que reage contra a derruição de uma cidade e seus mitos). Neste seu "A desordem das coisas naturais", há uma franca mirada na convergência desses valores, inundados pela vida moderna, que avança sobre a História sem qualquer reverência.
Sua voz poética dialoga, naturalmente, não apenas com isso, mas, também, com seus companheiros de viagem no tortuoso caminho das palavras. Com isso, sua obra se irmana, par e passos, com o que há de melhor na poesia maranhense atual. [Por Salgado Maranhão]

Poemas, poesias

Edições (1)

ver mais
A Desordem das Coisas Naturais

Similares


Estatísticas

Desejam
Informações não disponíveis
Trocam
Informações não disponíveis
Avaliações 0 / 0
5
ranking 0
0%
4
ranking 0
0%
3
ranking 0
0%
2
ranking 0
0%
1
ranking 0
0%

0%

0%

Litteralux
cadastrou em:
11/10/2018 11:11:39
Litteralux
editou em:
18/10/2018 08:57:13

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR