O Amor nos Tempos do Cólera

O Amor nos Tempos do Cólera Gabriel García Márquez




PDF - O Amor nos Tempos do Cólera


Ainda muito jovem, o telegrafista, violinista e poeta Gabriel Elígio Garciá se apaixonou por Luiza Márquez, mas o romance enfrentou a oposição do pai da moça, coronel Nicolas, que tentou impedir o casamento enviando a filha ao interior numa viagem de um ano. Para manter seu amor, Gabriel montou, com a ajuda de amigos telegrafistas, uma rede de comunicação que alcançava Luiza onde ela estivesse. Essa é a história real dos pais de Gabriel García Márquez e foi ponto de partida de 'O amor nos tempos do cólera', que acompanha a paixão do telegrafista, violinista e poeta Florentino Ariza por Fermina Daza.

Nesta fábula de realismo-fantástico, Gabriel García Márquez mostra que a paixão não tem idade.





O Amor nos Tempos do Cólera

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Vídeos O Amor nos Tempos do Cólera (12)

ver mais
O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA - Gabriel Garcia Marquez

O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA - Gabriel Garcia Marqu

O amor nos tempos do cólera - Gabriel Garcia Marquez

O amor nos tempos do cólera - Gabriel Garcia Marqu

O amor nos tempos do cólera | #223 Li e curti

O amor nos tempos do cólera | #223 Li e curti

O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA, de Gabriel García Márquez | Nuvem Literária

O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA, de Gabriel García Már


Resenhas para O Amor nos Tempos do Cólera (210)

ver mais
Quem merece amor


A minha crença pessoal e ferrenha de que a arte literária, por ter uma relação estreitíssima com a subjetividade tanto do artista quanto do leitor, somente consegue firmar a ponte do entendimento no momento certo para que ambos os pólos dessa relação miraculosa possam compreendê-la. Ou, colocando as coisas de outro modo, tudo — mas principalmente a arte — tem seu momento certo e preciso para operar magia. Quando comecei a ler "Cem Anos de Solidão" pela primeira vez (há mais de t...