O Caso dos Dez Negrinhos

O Caso dos Dez Negrinhos Agatha Christie...



PDF - O Caso Dos Dez Negrinhos


Dez pessoas são convidadas pelo misterioso U.N. Owen para passar alguns dias numa ilha perto de uma aldeia pouco movimentada. Os convidados aceitam o convite e de igual maneira embarcam num barco local para a ilha. Na primeira noite, quando todos já se conheciam razoavelmente bem e conviviam animadamente na sala, ouve-se uma voz vinda das paredes da sala, acusando cada um dos dez presentes de ter cometido um crime, crime esse que apesar de ser despropositado ou inevitavél, levou à morte de outras pessoas. O pânico instala-se e mortes inexplicáveis se sucedem, tendo por única pista uma trova infantil.





O Caso dos Dez Negrinhos

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Vídeos O Caso dos Dez Negrinhos (6)

ver mais
Livro de Cabeceira #03: Raphael Montes

Livro de Cabeceira #03: Raphael Montes

RESENHA DE LIVRO: E NÃO SOBROU NENHUM

RESENHA DE LIVRO: E NÃO SOBROU NENHUM

E Não Sobrou Nenhum - Agatha Christie | Episódio 06 | Especial Assassinos e Assassinatos

E Não Sobrou Nenhum - Agatha Christie | Episódio 0

Mundo Literário - RESENHA O Caso dos Dez Negrinhos

Mundo Literário - RESENHA O Caso dos Dez Negrinhos


Resenhas para O Caso dos Dez Negrinhos (445)

ver mais
O Caso dos Dez Negrinhos


Este com certeza é um livro que dispensa comentários. Durante pouco mais de duzentas páginas, Agatha Christie é capaz de surpreender o leitor da primeira à última, a começar pela história incomum - ou quase, nos dias de hoje: dez pessoas que nunca se encontraram são confinadas numa mansão em uma ilha deserta. Depois, aos poucos, vão surgindo conexões entre elas, culminando com a descoberta de que todos de alguma forma estiveram envolvidos com crimes no passado. Até aí, nada de extraor...