Poemas de Alvaro de Campos

Poemas de Alvaro de Campos Fernando Pessoa




PDF - Poemas de Alvaro de Campos


"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim
todos os sonhos do mundo."



Álvaro de Campos foi o heterônimo mais produtivo da obra conhecida de Pessoa. Ao que parece, o poeta muitas vezes o utilizou como um alter ego, além de mero heterônimo. Disto resultou uma obra muito extensa em que se entrecruzam temas e estilos de escrita por vezes dissonantes entre si, próprios da mente de um poeta que se dividiu em muitas personalidades distintas.



Esta edição não trará **todos** os poemas de Álvaro de Campos, dentre outras razões pelo fato de que há muitos que simplesmente são dissonantes demais dos outros para que coubessem numa mesma linha poética. O que tentei fazer aqui, então, foi uma seleção dos melhores poemas de Álvaro. Para tal, procurei privilegiar sua fase final, onde se aproximou quase que definitivamente do próprio Pessoa, enquanto ignorei boa parte de sua fase inicial, principalmente os poemas demasiadamente longos.



Aos que se preocupam se alguns poemas clássicos foram deixados de fora, quero lembrar que "Tabacaria", "A partida", "Poema em linha reta", "Lisbon revisited" e todos os demais que seguem este mesmo estilo se encontram todos aqui.



Na medida do possível, procurei ordenar os poemas selecionados por ordem cronológica. No entanto, sabemos que o próprio Pessoa costumava assinar alguns poemas com datas fictícias, então não há como se ter certeza absoluta de que todos foram efetivamente escritos nesta ordem.



Espero que minha seleção lhe agrade...



O editor.



[eBook disponível para Kindle e Kobo]





Poemas de Alvaro de Campos

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Resenhas para Poemas de Alvaro de Campos (13)

ver mais
"Tenho febre e escrevo"


Álvaro de Campos é tudo aquilo que Fernando Pessoa não tinha coragem de ser, não por medo simplesmente por ele ser simples, culto e educado. As poesias do seu maior heterônimo eram escritos ao vômito, a febre, eram versos escritos de uma só vez, sem revisão ou reflexão. Era desabafo, tédio, era punk no sentido anarquista da palavra. É muito comum lermos sobre a influencia Walt Whitman com escritos longos e "barulhentos", ela existe, mas acredito que Álvaro de Campos era mais realista e...