Vozes de batalha

Vozes de batalha Marina Colasanti




PDF - VOZES DE BATALHA


A história de uma mulher extraordinária e de uma família que se tornaram símbolos do Rio de Janeiro.

Em Vozes de batalha, Marina Colasanti traz um delicioso retrato da sociedade carioca das décadas de 1920-40, tendo como ponto focal a intimidade do casal Henrique Lage e Gabriella Besanzoni. Ele, brasileiro e um dos maiores magnatas de nossa história, grande empreendedor e responsável por avanços significativos na infraestrutura do país em seu tempo. Ela, italiana e cantora lírica, contralto de enorme sucesso na Europa e na América Latina. Juntos, moldaram o círculo social e cultural da então capital do Brasil, vivendo naquele que hoje é um dos cartões postais mais emblemáticos do Rio de Janeiro: o Parque Lage, à época Quinta Gabriella, palacete construído por Henrique para sua amada. Marina, sobrinha-neta de Gabriella, mudou-se para o Brasil – e para o palacete – em 1948. Considera este livro “o cumprimento de uma promessa nunca feita”, seu “testemunho de gratidão” a essa impressionante mulher que foi Gabriella Besanzoni.





Vozes de batalha

O PDF do primeiro capítulo ainda não está disponível

O Skoob é a maior rede social para leitores do Brasil, temos como missão incentivar e compartilhar o hábito da leitura. Fornecemos, em parceira com as maiores editoras do país, os PDFs dos primeiros capítulos dos principais lançamentos editoriais.

Vídeos Vozes de batalha (1)

ver mais
#12LIVROSPARA2022- Maio - Vozes de Batalha

#12LIVROSPARA2022- Maio - Vozes de Batalha


Resenhas para Vozes de batalha (3)

ver mais
Livro interessante


Eu estava muito curiosa para ler este livro, um misto de biografia com memórias da autora, lançado ano passado. Marina nos apresenta Gabriella Besanzoni, famosa cantora lírica italiana, sua tia-avó paterna. Conhecida mundialmente, Gabriella se casa com Henrique Lage, um dos maiores empresários brasileiros e passa a viver no Rio de Janeiro. Marina, seu irmão Arduino, seu pai Manfredo e a mãe Lisetta, chegam ao Brasil, em 1948, para morar na "Chácara", como a família chamava o Parq...
Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR