Ensaio Sobre a Cegueira

Ensaio Sobre a Cegueira José Saramago




Resenhas - Ensaio Sobre a Cegueira


1028 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Flá 25/09/2020

Incrível
Ter já visto o filme com certeza afeta um pouco no impacto da história, mas o livro é incrível. Ele é profundo e tocante, faz muito refletir sobre a natureza humana, além de ser bastante imersivo, você consegue imaginar perfeitamente as ambientações e se imaginar no local.
A escrita é aquilo que já sabemos, sem marcação de falas e sem pontuações para além de vírgulas e pontos. No entanto, a estranheza é vencida após um curto período de adaptação.
O livro já me pegou desde o primeiro capítulo. Recomendo muito.
comentários(0)comente



Mandy 25/09/2020

Um estudo pela psique humana?
O objetivo do livro nunca foi justificar o porquê da cegueira repentina, mas sim, mostrar o comportamento das pessoas. Psicológico, comportamental. Eu diria que foi um estudo de caso que o Saramago tramou aqui. Trama original e de tirar o fôlego. Algo realmente fascinante, vale muito a pena a leitura!
comentários(0)comente



Analice 24/09/2020

Impressionante
Impressionante como se pode fazer um paralelo da estória com a vida real. Embora a situação de uma pandemia de cegueira de uma cidade inteira seja muito pouco provável, José Saramago faz com que o leitor reflita sobre muitas questões como, o que é ser humano, o que realmente vemos, como podemos nos transformar em situações extremas. Um livro que merece ser lindo e relido.
comentários(0)comente



Otávio 24/09/2020

“O medo cega (...) já éramos cegos no momento que cegamos, o medo nos cegou, o medo nos fará continuar cegos.”

É difícil saber por onde começar a falar sobre Ensaio sobre a cegueira do português José Saramago. Foi difícil escolher um trecho do livro para abrir esse texto. Ensaio sobre a cegueira é o tipo de livro que deixa a gente com aquela ressaca boa, de querer voltar para o livro, de sentir falta da atmosfera. Apesar de ser um livro duro, pesado, profundo e que exige do leitor, muitas vezes, estômago.

De repente, o mundo começou a cegar. Aos poucos, as pessoas foram perdendo a visão e entrando em uma cegueira na qual tudo que se via era o branco completo “como que mergulhados em leite”. Todos foram banhados pela cegueira branca. Todos, menos uma mulher. Em um cenário quase que distópico, Saramago nos apresenta uma humanidade em ruínas, se agarrando aos poucos fios de sanidade e equilíbrio social que ainda restam. Um cenário assustadoramente possível quando olhamos a pandemia que hoje estamos vivendo.

Um livro com personagens sem nomes, já que “cegos não precisam de nomes”, mas que consegue passar com total louvor a profundidade dos seres humanos. Todos se acham em um mundo de incertezas, de dor e de morte, sem água, sem banho e por muitas vezes sem comida. Ensaio sobre a cegueira tem cenas pesadíssimas, dessas que fazem a gente fechar o livro por um tempo até conseguir retornar. Mas é incrível como isso só engrandece a obra.

Em um mundo como o nosso, a cegueira toma diversas formas. Cegos para a realidade e para o outro. A cegueira que nos consome hoje é desesperadora na sua forma de ser. E, como bem dito no livro, é uma grande responsabilidade enxergar quando os outros não veem. E esse peso muitas vezes pode parecer, dentro de sua própria contrariedade, difícil de carregar.

Saramago tem particularidades na escrita que podem assustar leitores de primeira viagem. Ainda assim, depois que conseguimos mergulhar nos seus livros, sua forma de escrita se torna fácil e fluída. Vale o esforço da persistência. Ensaio sobre a cegueira é o tipo de livro que nos transforma e, na cegueira que nos encontramos nesses dias, é uma lição necessária.

site: https://www.instagram.com/p/CDw59tsnk6e/
comentários(0)comente



Jazz 24/09/2020

Ensaio sobre a cegueira
Ensaio sobre a cegueira
Livro de José Saramago publicado em 1995.
Apesar de possuir em torno de 300 páginas e ter um jeito curioso de pontuação onde não há indicações de fala, ou parágrafos, é um livro impressionantemente agradável aos olhos.
O livro que é narrado em 3° pessoa, apresenta um tipo diferente de cegueira, diferentemente da que já se conhece está é branca; o livro mostra como essa doença contagiosa denominada ''Mal Branco'' se alastra por uma cidade, fazendo com que a população fosse condicionada a viver totalmente fora do que já estavam acostumados.
O livro gira em torno de alguns personagens principais, que são levados para um manicômio, onde ficam presos junto de outros cegos e de suspeitos de contágio, que ficam em uma ala separada; com o desenrolar da trama, tem-se que as pessoas são privadas de suas necessidades básicas, tais como alimentação, higiene, etc. A falta desses recursos acabam levando-as a tomarem atitudes surpreendentes . O autor mostra com detalhes todas as atrocidades as quais o ser humano se submete para sobreviver.
A obra mostra que somente uma situação extrema como essa é que uma pessoa mostra sua real essência, como egoísmo, ganância e uma capacidade cruel de utilizar da fragilidade do outro para se beneficiar.
Saramago apresenta valores sociais, nos mostra que aquilo que mais prezamos, como bens materiais, se tornam irrelevantes quando a necessidade de sobrevivência se faz presente. Mostra o que um ser humano é capaz de fazer para se manter vivo, no fim, é como se acabassem se tornando animais novamente.
comentários(0)comente



Elaine 22/09/2020

História densa e por vezes complexa.
Não consegui me apegar tanto aos acontecimentos e acabei demorando muito pra terminar.
comentários(0)comente



Carla 21/09/2020

Nossa... Que história! Em alguns momentos tive que parar e voltar a ler 2 ou 3 dias depois do tanto que me deixou pensativa sobre nós, seres humanos, do que somos capazes? Em todos os sentidos... Recomendo! Muito bom mesmo!
comentários(0)comente



highbythem00n 20/09/2020

Bom mas demora pra pegar o ritmo
GATILHO: estupro
A escrita é chatíssima mas a história é ótima e totalmente atual! Deixa bem claro (risos) as partes boas e ruins do ser humano. Você se apega aos personagens e agora só consigo querer que tudo fique bem com eles kk
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Tom 18/09/2020

Tenso
Ótimo livro
comentários(0)comente



Felipe.Protti 17/09/2020

Um livro expendido, faz você refletir sobre a vida em cada página, embora tenha um momento muito chocante o livro é excelente.
comentários(0)comente



djani 17/09/2020

O conforto da cegueira
Além de ser um livro difícil de ser lido pela escrita de Saramago (sem pontuação, a exemplo de travessões nos diálogos), o livro tem passagens fortes e desagradáveis sobre as relações sociais em que predominam o egocentrismo e individualismo, sendo uma forte crítica social. Apesar de todos os abusos e atrocidades, o livro permanece com a marca de Saramago na valorização às mulheres, fazendo com que mesmo em um cenário caótico ainda existam sentimentos bons de solidariedade e esperança, podendo ser uma âncora para quem abriu os olhos e livrou-se da cegueira moral relatada na história.

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara".
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Kelly Martinez 16/09/2020

Estamos todos cegos!
Ensaio sobre a Cegueira

Acabei. Respiro diante de toda angústia que vivi nessa leitura. Tento colocar aqui, em palavras, tudo o que sinto nesse momento mas sou incapaz. É um misto de sentimentos dentro de mim; quero acreditar na porção boa da humanidade e ao mesmo tempo me vejo totalmente descrente.

Temos aqui uma distopia ( na minha opinião) que não dá nome aos bois... não sabemos onde acontece e não temos sequer o conhecimento do nome dos personagens.. sim... isso porque pode estar acontecendo na sua vila, na sua cidade, com você e seus amigos nesse exato momento. Lembre-se: estamos cegos!

Diante de todo o horror da cegueira causada por essa peste desconhecida, revela-se a humanidade. Com sua bondade, com suas mazelas e maldades com toda a sua plenitude e vilania. Nesse caos instalado, revela-se o egoísmo tão latente em cada um.

Para sobreviver deve-se ignorar o medo que paralisa a grande maioria, deve-se confiar sem enxergar, tateando no espaço, deve-se manter a dignidade para não sucumbir.
Isso é possível?
Tem que ser... senão acabaremos como animais irracionais.

Diante do inusitado funesto, revelar-se bom ou mau é indiferente. Permanecer humano conservando sua humanidade é o que te moverá.

Repito: Estamos cegos! Uma cegueira atroz que impede de estender a mão ao próximo, de olhar com os olhos do outro e se solidarizar.

Uma leitura bem impactante. Imperiosa. Angustiante.

Um livro para ser lido ao longo da vida.
comentários(0)comente



Fabio De Paula 16/09/2020

Simplesmente facinane esse livro,pude sentir que diante de situações o que é raccional se torna irracional, vi também a fragilidade do ser humano,a falta de amor, e o desrespeito com as mulheres.
comentários(0)comente



1028 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |