Onde as Criaturas Mágicas se Escondem

Onde as Criaturas Mágicas se Escondem Brandon Mull




Resenhas - Onde as Criaturas Mágicas se Escondem


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Núbia Esther 23/04/2011

Criaturas mágicas são reais. E assim como alguns seres reais estão sob risco de extinção em todo o mundo. Reservas foram criadas com o intuito de proteger essas criaturas da ameaça de extinção. O casal Sorenson são zeladores responsáveis por uma reserva deste tipo, eles também são os avós de Kendra e Seth…

Kendra e Seth vão passar férias “forçadas” na casa de seus avós paternos em Connecticut. Para as crianças e para os outros membros da família, os avós são do tipo antissocial e manter contato com os familiares definitivamente não é uma de suas atividades favoritas. Em um primeiro momento tanto as crianças quanto vovô Sorenson, pois é o paradeiro de vovó Sorenson permanece uma incógnita durante boa parte do livro, estão receosos: as crianças porque não querem ser deixadas ali e vovô Sorenson porque tem segredos a manter e responsabilidades para cumprir. Mas, nenhum deles pode evitar a convivência durante esse período e no primeiro dia vovô Sorenson já impõe às crianças inúmeras regras a serem cumpridas e proíbe o acesso ao celeiro e à floresta. Como contrapartida é oferecido às crianças um belo quarto no sótão repleto de brinquedos e distrações e a Kendra em especial vovô Sorenson dá três chaves e a instiga a descobrir o que elas abrem.

Kendra, uma menina responsável e que segue as regras começa a investigar, Seth por outro lado é metido à destemido e aventureiro e não demora muito para que ele quebre às proibições de seu avô e faça uma visitinha à floresta. O menino tem então seu primeiro contato com uma das criaturas que habitam a floresta e consegue convencer a irmã a fazer uma segunda visita com ele. Concomitante a esses acontecimentos, Kendra desvenda o mistério das chaves e isso leva às crianças a experimentarem algo que lhes permitirá ter um maior contato com esse mundo mágico. Ao avô não resta alternativa a não ser fornecer algumas informações:

“- Fablehaven? – repetiu Seth.
- O nome que os fundadores deram a essa reserva séculos atrás. Um refúgio para criaturas místicas, uma intendência passada de zelador a zelador ao longo dos anos.”

A partir desse momento as crianças descobrem o que é Fablehaven e suas criaturas mágicas, mas também passam a ter responsabilidades porque cuidados devem ser tomados. No que diz respeito à Kendra, esses cuidados são seguidos a risca, mas o que dizer sobre o intrépido Seth? Em meio a tantas criaturas mágicas o garoto se mete em encrencas para as quais as soluções nem sempre são as mais recomendáveis. E esses atos algumas vezes trazem conseqüências que de forma alguma são agradáveis.

Depois de um ato impensado, as crianças sem vêm às voltas com um grande problema que precisa ser solucionado o mais rápido possível. Estátuas, desaparecimentos, reaparecimentos, demônios, sociedades… em que elas foram se meter? Leia e descubra. Se encante e desvende as supresas de Fablehaven, uma história deveras divertida e sombria ao mesmo tempo e com algumas criaturas bem interessantes. Mas, não espere nenhuma narrativa épica e repleta de referências mitológicas. A narrativa de Mull é bem concisa, ele não é muito adepto das descrições, o que confesso não gostei muito, com todo um mundo mágico a ser descoberto o autor peca em não explorar mais essa oportunidade. Em contrapartida, a história ganha mais agilidade e com os eventos se sucedendo de forma rápida fica difícil largar a leitura. Só achei meio confusa a sua narrativa em alguns momentos, explico-me, em algumas partes a narrativa está estruturada em primeira pessoa e de repente no próximo parágrafo ele utiliza um narrador onisciente, em alguns momentos essa estratégia ficou estranha. Espero que o autor nos brinde com mais descrições nos próximos livros, pois é me viciei em mais uma série. Ainda bem que tenho amigos que compram os livros e depois me emprestam para ler.

A série conta com cinco livros:
1. Fablehaven
2. Fablehaven: Rise of the Evening Star
3. Fablehaven: Grip of the Shadow Plague
4. Fablehaven: Secret of the Dragon Sanctuary
5. Fablehaven: Keys to the Demon Prison

Mais informações sobre a série: http://brandonmull.com/site/books
Mais informações sobre a série no Brasil: http://www.fablehaven.com.br/

[Blablabla Aleatório]-http://feanari.wordpress.com/2010/09/24/resenha-fablehaven-brandon-mull/
[Meia Palavra]-http://blog.meiapalavra.com.br/2010/11/20/fablehaven-onde-as-criaturas-magicas-se-escondem-brandon-mull/
[Bookaholic World]-http://www.bookaholicworld.com/2011/04/sexta-do-leitor-fablehaven-onde-as.html
comentários(0)comente



Yasmin 12/07/2012

Surpreendente, Criativo e Imperdível

Quando descobri essa série no início do ano fiquei bem animada, parecia o tipo certo de série de fantasia e ao ver que já tinham três livros lançados decidi comprar. Com um pouco de sorte um mês depois encontrei os livros em um preço inacreditável. Só não sei por que demorei tanto para ler, aliás, são tantas opções que fico até perdida. Fablehaven vai além de magia e dois intrépidos heróis. O enredo construído é mais complexo, mais rico e consegue fugir da fórmula comum em séries do gênero. De personagens realistas a um universo mágico fascinante a história de Brandon Mull me conquistou e entrou para minha curta lista de favoritos.

Os pais de Kendra e Seth estão de saída para um cruzeiro na Escandinávia e eles vão passar dezessete dias na propriedade dos avós Sorenson. É uma espécie de sítio, fazenda, cercada por vários quilômetros de floresta. Kendra está desanimada, não tem muito contato com os avós e não pode imaginar passar tantos dias sem fazer nada. O avô deixa claro que eles podem fazer o que quiser no sótão onde vão dormir, podem usar a piscina, mas não devem entrar na floresta e nem no estábulo de jeito nenhum. O avô diz que é por causa de carrapatos. Sob o risco de ficarem todos os dias até a volta dos pais presos no quarto. Kendra está tranquila, o jardim é lindo, a piscina é ótima e pode ler já Seth não consegue parar de pensar em explorar a floresta. Claro que ele desobedece ao avô, enquanto explora a floresta Kendra desvenda o uso das chaves que o avô lhe deu no primeiro dia, descobre um velho diário e começa observar Dale no seu estranho hábito de dar leite às borboletas. Quando Seth decide quebrar mais uma vez a regra de entrar na floresta e Kendra decidi investigar mais de perto a dica do diário que achou com as chaves as coisas começam a mudar. Beba o leite significava muito mais do que Kendra imaginava.

Não vou nem usar o típico "a partir daí" porque o livro não tem isso. É a partir da primeira página mesmo. Com a capa e a sinopse imaginamos encontrar fadas, bruxas, troll e muita magia assim que eles chegam à casa do avô, mas como estava enganada. O autor faz muito melhor do que entregar tudo na bandeja. Ele desenvolve uma história muito gostosa de ler, cercada de detalhes finos e com personagens tão reais em suas características que desde o começo me liguei a eles. Seth e Kendra lembraram-me demais do meu irmão e eu. Quando era mais nova morava em sítio, eu e meu irmão temos a mesma diferença de Seth e Kendra, além disso a capacidade dele irritar é a mesma que Seth tem. E não é algo ruim, ele não é um personagem irritante. Ele me irritou como meu irmão me irritava. Foi uma boa lembrança, uma boa conexão. Achei a relação de Seth e Kendra uma coisa tão real, tão bem descrita. Isso sem falar de Lena, Dale e do avô deles, Stan Sorenson.

A narrativa tem um ritmo próprio, agradável, sem atropelos e principalmente sem cair no estilo “jovens salvando o mundo em uma aventura de pistas, amuletos, etc”. Brandon Mull com esse primeiro livro contou uma história ótima e introduziu um mundo a ser explorado. A série tem cinco livros e com muita destreza o autor preparou um terreno infinito de possibilidades. As criaturas, os seres são fascinantes, imaginativos, inovadores e alguns novos bem criativos. Além de aguçar a curiosidade do leitor com várias coisas contou uma história fechada. Kendra e Seth passaram dezessete dias que invejo. Que bom seria se tivesse vivido em um lugar como Fablehaven. Os detalhes que o autor fornece deixa tudo tão claro que é impossível não ter vontade de morar em um lugar daquele.

Do princípio ao fim do livro são vários sentimentos. No início você pode achar um personagem chato, mas ao final vai adorá-lo. É um juvenil muito bom de ler, surpreende na medida certa e até além da conta em algumas partes. É uma leitura rápida, gostosa, leve e que deixa você muito curioso a seguir em frente o quanto antes. Ao final só consegui pensar no que estar por vir. Kendra e suas novas chances, Seth e sua língua grande.

A edição da Rocco está perfeita, folhas amareladas e fonte agradável, além disso, a capa é a original. Brandon Mull criou algo rico, criativo, diferente e que (...)

Termine de ler em: http://cultivandoaleitura.blogspot.com.br/2012/07/resenha-fablehaven-onde-as-criaturas.html

comentários(0)comente



Humb 24/09/2012

Recomendado para quem gosta de aventuras fantásticas!
Encontrei o livro por acaso na estante da livraria, e a capa chamou muito minha atenção. A sinopse não diz muita coisa... fiquei com um pé atrás, mas decidi levá-lo. E não me arrependo.

O início da história parece um pouco infantil, mas depois começa a ficar interessante e prende a atenção. Os personagens são cativantes, a aventura rende boas risadas, um pouco de apreensão, de medo (a noite do festival) e também de tristeza, no final... mas é justamente isso que torna o livro divertido!

Enfim, não lia um livro assim desde de terminei a série Harry Potter.

Recomendo!
comentários(0)comente



Flávia 26/08/2014

É uma história mágica, sobre seres fantásticos, suas lendas e sobre o relacionamento delas com os mortais. E no meio disso, conhecemos os irmãos Kendra e Seth, que serão nossos olhos em um local lindo chamado Fablehaven. Apaixonei-me por essa série. Não consigo dizer exatamente o motivo, talvez tenha trazido minha infância, minhas experiências, expectativas enquanto ser ingênuo. Mas, acho que vai além. Vi-me envolvida com cada ser mágico que surgia, com suas histórias, as explicações (maravilhosas) sobre cada um, curiosidades. E eu, que não sou fã de fantasia, me rendi a esse mundo.

Nesse volume da série seremos apresentados aos irmãos, mencionados acima, ao Vô Sorenson, seus ajudantes/amigos Dale e Lena, e claro, a Fablehaven, um mundo que não dá pra explicar, melhor ler! Adorei a Kendra, garotinha sensata, cuidadosa e responsável (Freud diria que na verdade me vi nela na minha época de infância) e tive ataques de fúria com o impulsivo e imprudente Seth!! Típico garoto que sempre se mete em encrenca, mesmo que essa passe a quilômetros dele. Mas, alertada por uma amiga enquanto conversava sobre o livro (Lua querida), se não fosse ele, não existiria história. Então, ok, vou diminuir meu nariz torto com o Seth. Além do que, confesso que parece ser impossível manter a curiosidade sob controle em meio a tantas coisas convidativas.

Gostei do modo adulto com que o Vô Sorenson tratou as crianças. Foi realista, sensato e deixou bem claro as regras. Aliás, tive a impressão de que as crianças eram espertas demais. Éramos assim nessa idade? Pena que essa sagacidade vai sendo substituída pela racionalidade e deixamos de perceber o óbvio, de enxergar com mais simplicidade.

Ao longo da história fui convencida de cada coisa fantástica que aparecia. Isso porque tinha uma explicação, mesmo que infringisse as leis da física, química ou outros. Gostei dos seres mágicos não serem necessariamente bons ou ruins. São seres com sua generosidade e mesquinhez em doses diferentes. A bondade é uma perspectiva que depende de um parâmetro e o parâmetro desses seres é bastante diferente do nosso. Aprendi sobre vários seres que não conhecia, como os Brownies. E características peculiares sobre seres já vistos.

Os capítulos são curtos, o que facilita bastante a interrupção quando necessária. Narrada em terceira pessoa. E ainda tem alguns desenhos. Pena que tão poucos.

Em suma, inexplicavelmente adorei! Gosto de livros com muitos personagens, muitos caminhos para seguir, aventuras paralelas. As aventuras da infância serão sempre as melhores da vida!
Michelle Gimene 29/08/2014minha estante
Fiquei curiosa, justamente porque também não sou fã de fantasia. Mas, se consegue nos transportar de volta à infância, deve ser bom. Dica anotada ;)


Flávia 29/08/2014minha estante
Mi, vale muito a pena. Só lendo para entender :)




Rodrigo Rios 14/10/2010

O "sistema" de narração é um pouco "diferente", algums personagens tem nomes como "vovô, vovó, papai, mamãe" oque faz parecer que o narrador é um personagen!
o inicio é tranquilo e pouco interessante, mas... do meio pro fim fica realmente ESPECIAL! *-*
comentários(0)comente



Rafael Andreotti 05/12/2016

Fablehaven @ Operattack
Fablehaven é uma série de livros de fantasia escrita por Brandon Mull. A série é composta por 5 livros e todos já foram publicados no Brasil pela Editora Rocco.

O primeiro livro introduz a história de Kendra e Seth, dois irmãos que são deixados aos cuidados de seu avô, Stan Sorenson, enquanto seus pais saem em um cruzeiro de férias. Certos de que esses serão os 17 dias mais entediantes de suas vidas, as crianças relutantemente se instalam na casa de campo do avô. Stan Sorenson logo estabelece duas regras misteriosas e inegociáveis para os netos: tanto a floresta quanto o estábulo são territórios proibidos para eles. Nem preciso dizer o que acontece quando você proíbe uma criança de fazer alguma coisa, né?

Leia o restante da resenha no link abaixo!

site: http://www.operattack.com.br/2016/02/fablehaven-de-brandon-mull/
comentários(0)comente



tiagoodesouza 12/11/2011

Fablehaven faz bem o estilo de história que eu gosto de ler: um mundo mágico escondido dos olhos mundanos e muitas encrencas para aqueles que não estão acostumados a ele. Fiquei muito feliz quando a Rocco cedeu o exemplar para resenha no blog.

Quando os irmãos Kendra e Seth são levados, pelos pais, para a imensa propriedade dos avôs Sorenson, eles esperavam que aquelas duas semanas fossem bem estranhas. Mas não tanto. Afinal de contas, vovô e vovó Sorenson não costumavam convidar ninguém para passar uns dias com eles. Mas quando eles chegam lá, o vovô já impõe a lei: eles não devem entrar na floresta enorme que cerca a propriedade, pois é muito perigoso. E tmabém não devem se aproximar do celeiro. Embora Kendra seja sensata e prefira obedecer as regras, Seth já é mais traquinas e acaba descobrindo uma estranha choupana no meio da floresta. E, é claro, uma estranha mulher lá dentro, roendo os nós de uma corda suja e ensanguentada.

"Ao contrário de seu irmão menor, Kendra não desobedecia as regras com naturalidade. Ela estava em todas as turmas mais adiantadas da escola, tirava quase sempre as notas máximas, mantinha o quarto arrumado e constantemente se dedicava às aulas de piano. Seth, por outro lado, só tirava notas ruins, deixava de fazer os deveres de casa rotineiramente e com frequência era advertido e colocado de castigo."
Pág. 61.

Enquanto Seth se arrisca a descobrir as coisas na propriedade, Kendra se empenha em resolver um enigma oferecido pelo vovô. Ela tem que descobrir o que três chaves abrem dentro do quarto de jogos em que eles estão. Quando Kendra finalmente consegue resolver o mistério, algo capaz de fazer com que seus olhos se abram ao mundo ao redor lhe é oferecido.

A narrativa do livro é feita em terceira pessoa, mas é contada dando a impressão de que o narrador faz parte da história. Embora alguns personagens tenham seus nomes citados, muitas vezes aparecem como "vovô/vovó". Muitas criaturas mágicas aparecem durante a história, mas as que têm mais destaque são as fadas. O legal é que as criaturas mágicas fogem do que hoje é comum de se ver por aí. Elas são mais fiéis às raízes das mitologias de onde vieram: fadas são vaidosas, bruxas são más.

A história é bem gostosinha de ler. Grande parte do livro se trata de descoberta, dos irmãos conheceram a reserva Fablehaven. A ação está mais focada em dois momentos da história, mas são momentos excelentes. Acho que a única coisa que me incomodou foram alguns diálogos contínuos, sem verbos de ação ou com indicação de qual personagem falava. Mas foram bem poucos.

O livro é bem infantojuvenil mesmo. E quem gosta de aventuras e criaturas mágicas vai gostar bastante dessa série. Sim, Fablehaven - onde as criaturas mágicas se escondem é uma série de, até então, cinco livros lançados nos EUA. No Brasil, atualmente conta com dois. O segundo é "Fablehaven - A Ascensão da Estrela Vespertina", que logo deve ser resenhado aqui!

http://ocapitulodolivro.blogspot.com/
comentários(0)comente



Camila Coutinho 27/01/2013

Fablehaven - Onde as criaturas mágicas se escondem. (Sem Spoiler, podem ler '-')
Eu comprei esse livro, em 2011 em uma livraria em Madureira, no Rio de Janeiro onde moro. A capa me interessou muito, porém eu nunca conseguia ler o primeiro capítulo do livro!!! Passei um ano e pouco com o livro na prateleira, mas enfim... Esse ano resolvi me dedicar a leitura, então comecei por livro que já tinha em casa, e optei por ele. Confesso que o primeiro capítulo, é bem chato e um pouco infantil, porém se vocês tiverem força de vontade, vão conhecer uma história incrível.
A história, de dois irmãos, que vão passar férias obrigatórias, com os avós que eles nem conheciam direito, prometia ser entediante e chata, porém eles não podia adivinhar, que os avós, eram zeladores de uma reserva encantada, com bruxas, fadas, diabretes, sereias e demônios.
Esse livro, tem vários acontecimentos, e os leitores vão fazendo as descobertas junto com os personagens principais.
Detalhe pra história de Lena a caseira. Gostei muito da história dela em particular.
Quem gosta de livro de fantasia, ele é um prato cheio, de uma deliciosa história vasta, e cheia de magia!!! To doida pra ler o segundo da série.
comentários(0)comente



Rapha 02/09/2016

Magico e criativo!
Lembro bem quando lançou o livro, eu não conhecia e comprei por ter achado a capa linda. Pois bem, eu comprei, li e me apaixonei perdidamente. Eu queria deixar claro que sempre fico com pé atrás quando se trata de fantasias, normalmente algumas acabam sendo clichês demais, porém Brandon Mull conseguiu pegar um tema clichê e extremamente usado e escrever uma história de fantasia épica e cheia de reviravoltas.

Kendra e Seth vão, contra sua vontade, passar férias na casa de seus avós que tinham pouco contato. Depois de acontecimentos suspeitos, os irmãos descobrem o motivo de seus avós serem tão reclusos e que qualquer passo errado pode custar a vida deles dentro da reserva de criaturas mágicas Fablehaven.

Sem entregar muito da história, é dessa premissa que parte o livro que nos faz reviver a fantasia uma vez mais, nos lembrando de nossa infância e respeitando ao mesmo tempo a maturidade do leitor. Esse é o início de uma luta épica do bem contra o mal, recheada de criaturas mágicas e aventuras de tirar o folego.
comentários(0)comente



Jean.Kuri 22/03/2016

Enredo magico
Personagens cativantes, criaturas carismáticas e outras nem tanto, FableHaven, é uma obra que deve ser lida para filhos antes de dormir ou ser lhe dado para ler em tempo livres.
Recomendo que leiam e caso veja um anuncio no jornal, tente preencher a vaga, eu estou procurando esse anuncio até hoje.
comentários(0)comente



Geeh 30/10/2015

Excepcional
Maravilhoso é pouco, é o tipo de livro que vai cativando aos poucos até vc não conseguir tirar os olhos das páginas. Facílimo de amar a Lena , com a mesma facilidade detestei o personagem Seth, moleque insuportável e mimado. Não vejo a hora de poder ler o segundo!
comentários(0)comente



@livrosmundofantastico 11/07/2019

Um Mundo Mágico
"Uma lembrança sensata de que neste local nenhum de nós está imune aos perigos, mesmo quando imaginamos que detemos o controle"

Kendra e Seth chegam na casa dos avós paternos para passarem um tempo enquanto seus pais viajam. Eles pouco tem convívio com os avós que durante a estadia só encontram o avô Stan, Dale e Lena quem cuida da casa que na verdade foi uma náiade e o avô já impõe uma regra, nunca entrarem na floresta que fica ao redor da casa.

Mas a curiosidade de Seth de 11 anos é maior e ele acaba quebrando esse regra e na sua primeira excursão acaba conhecendo Muriel, uma bruxa muito poderosa que foi aprisionada na floresta. Mas tudo começa a ser revelado quando Kendra e Seth bebem o leite que fica no jardim.

Esse leite faz com que eles vejam os seres mágicos como as fadas, Stan logo explica que ele é o zelador responsável pela reserva onde as criaturas mágicas se escondem. Na noite do solícito de verão algo acontece e todos da casa acabam sumindo e agora Seth e Kendra tem a responsabilidade de ajudar a quem eles amam.

Como eu gosto de fantasia essa história me fez passear pela floresta e viver as aventuras e perigos que os irmãos passaram. Infelizmente essa série (são 5 livros) é pouco conhecida e difícil de encontrar.
comentários(0)comente



AndyinhA 15/06/2012

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Fablehaven apesar de mágico e ter bons momentos me irritou mais do que me deixou maravilhada. E os responsáveis são dois motivos: crianças que agem como adultos (odeio isso com toda força do meu ser) e a demora para a história emplacar.

Vamos ao motivo 1, temos dois irmãos como personagens principais e assim que eles descobrem sobre a propriedade mágica, não percebemos aquele deslumbramento de outras séries/personagens, eles agem bem normais, como se ver fadas fosse a coisa mais normal do mundo e sem contar que a irmã mais velha querendo dar uma de sabichona e ‘eu-sou-uma-quase-adulta’ me deixava irritada. Aliás as partes dela eram as mais chatas =/

Para saber mais, acesse: http://ow.ly/bBEw5
comentários(0)comente



Tielle | @alivromaniaca 09/08/2010

Uma aventura inesquecível!!
A história tem como protagonistas dois irmãos, Kendra (13 anos) e Seth (11 anos) Sorenson e na mesma quantia que Kendra é obediente, Seth é encrenqueiro, mas os dois não medem esforços para salvar aqueles que amam.

Quando sua avó materna falece deixando como último pedido que todos os filhos fizessem um cruzeiro de dezessete dias na Escandinávia (não incluindo os netos), os irmãos Sorenson tem que ficar com seus avós paternos, Ruth e Stan Sorenson, que nunca demostraram interessem em se socializar com o resto da família, portando não se conheciam muito bem. Mas mesmo assim o avô concordou em cuidar deles durante a viagem dos pais.

Assim Kendra e Seth conhecem a "fazenda" de seus avós, seu avô impõe duas regras importantes para o bem estar das crianças: Nunca entrar no celeiro! e Nunca entrar na Floresta! Kendra não vê motivos para desacatar as ordens do avô, mas Seth que é muito mais curioso (e corajoso) decide explorar a floresta, durante sua expedição ele descobre os primeiros sinais de que aquela não é uma fazenda normal.

Inevitavelmente, os dois acabam descobrindo sobre as criaturas mágicas que habitam a floresta da propriedade e Stan vê-se sem alternativa a não ser explicar (quase) tudo sobre Fablehaven, suas criaturas e as leis predominantes do local, onde a principal delas é: Não incomode as criaturas e elas não o incomodaram, qualquer mal ali seria "pago na mesma moeda".

É no primeiro volume que somos apresentados a Bahumat, um dêmonio que fora aprisionado antes mesmo de Fablehaven ser fundada, e a Sociedade da Estrela Vespertina que tem planos de destruir todas as resevas místicas, prinipalmente Fablehaven e mais quatro reservas que não são mapeadas pois guardam artefatos mágicos.

Fadas, bruxas, gnomos, ogros, sátiros, diabretes, náiades e muitas outras criaturas mágicas esperam aquele que ler esse mágnifico livro criado por Brandon Mull.

Resenha está também no meu blog com informações adicionais: http://livromaniaca.blogspot.com/2010/08/fablehaven-onde-as-criaturas-magicas-se.html#more

Promoção do livro no blog, participe!! É muito fácil concorrer: http://livromaniaca.blogspot.com/2010/08/promocao-fablehaven.html
comentários(0)comente



sol 20/04/2011

Ótimo!!
Eu adorei esse livro, é cheio de magia, fadas, e tudo mais. Quem gosta de literatura fantástica vai adorar. E a capa então? É lindíssíma.
A estoria é sobre dois jovenzinhos que vão passar alguns dias na fazenda de seus avós, só que a fazenda e uma reserva mágica, onde seres fantásticos moram, uma floresta em que não podem entrar, e os jovens logo ficam entediados, imagine as aventuras que acontecem...
Não vou ficar falando para não atrapalhar. Eu recomendo...



comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2