Um Homem de Sorte

Um Homem de Sorte
4.15876 11927




Resenhas - Um Homem de Sorte


464 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Sil 13/01/2017

Diferente
Por incrível que pareça, achei esse livro diferente dos demais do Nicholas. Na minha opinião, é um dos melhores.
comentários(0)comente



Mila 04/01/2017

Por Baú do leitor
Nosso querido Sparks nos presenteia mais uma vez com uma obra maravilhosa, um livro que aborda o tema "destino " de maneira bastante interessante. "Um homem de sorte " possui uma história boníssima e deveras emocionante.

De um lado do Pais, Beth, uma mulher bonita, inteligente e mãe de um garoto maravilhoso, Ben.
Beth fora casada com Clayton, um homem bastante conhecido em sua cidade e, diga-se de passagem, bastante influente também.

Beth sabia que não o amava mais, na verdade ela jamais o amou, fora somente uma fantasia de garota; Seu primeiro namorado e inesperadamente pai de seu filho. Qual o problema de casar com Clayton? Mas o casamento durara tão pouco quanto o sentimento afetuoso que Beth sentira por ele e chegado o tempo ambos se deixaram, mas Cleyton continuara fazendo parte da vida de Ben.

Do outro lado Logan Thibault, um homem bastante intrigante, ex-fuzileiro naval e atualmente disposto a encontrar seu "destino", ainda que para isso fosse preciso atravessar o pais a pé em uma aventura bastante emocionante.

Tudo começa quando o irmão de Beth, Drake, perde uma fotografia da irmã (Drake considerava a fotografia como um amuleto que o mantinha seguro nos campos de guerra) no Iraque e Thibault a encontra...

Após procurar pelo dono da fotografia,sem sucesso, Logan resolve ficar com ela e por algum motivo, a partir de então sua vida não é mais a mesma.

Victor, um amigo de Logan, cansara de lhe dizer o que aquela fotografia representaria para o amigo e o que ele faria algum dia, não dizia isso por dizer, dizia por acreditar que na vida, temos um destino e precisamos vivê-lo; e fora depois da surpreendente Morte do amigo que Thibault começara a acreditar naquelas palavras.De certa forma agora ele acreditava!

Por que alguém perdeu aquela fotografia? por que o dono não se manifestou para recupera-la? por que tudo era diferente quando ele estava com a fotografia? Tudo parecia ridículo, mas não havia outra explicação. Aquela fotografia era seu amuleto e um dia ele encontraria aquela mulher...(Ah, mas encontraria!) E quando a encontrasse acharia uma forma de retribuir sua gratidão.

O que Thibault não sabia era que assim como a foto de Beth lhe servira de amuleto na guerra, Thibault seria o amuleto de Beth em um futuro próximo.

Ao chegar em seu destino,Thibault busca uma maneira de se aproximar de Beth, mas ele sabia que não se tratava de uma obsessão ou coisa do tipo,ele só estava correndo atrás do seu destino, Victor deveria ter razão ao lhe dizer o que ele faria antes de sofrer aquele acidente... O último contato entre ele e Logan.

Para início de tudo, Logan busca se aproximar daquela mulher e para isso aceita um trabalho no canil da avó dela, Nana. O emprego não era o melhor, ele com seu currículo pomposo com certeza conseguiria algo bem melhor, mas aquilo não seria nenhum sacrifico para Thibault, não quando se tem um pastor alemão que o acompanhara em uma viagem como aquela.

Aos poucos Thibault conquista a confiança de Ben e Nana, e, é claro que isso irá gerar um efeito positivo aos olhos que Beth.

Aos poucos Thibault começa a cumprir sua missão e entender o porquê de muita coisa, mas as coisas não são fáceis para ele, não quando se tem como inimigo o ex-marido de Beth, o pai de Ben, um policial e neto do homem mais influente da cidade...

A trama segue de maneira simples e aos poucos o leitor se ver envolvido na história. Sem conseguir parar de ler, o leitor se aprofunda cada vez mais nos próximos acontecimento e vez ou outra é tomado por uma onda de emoção característica da escrita "Sparkeana" e assim segue rumo ao comovente e honroso desfeche.

Boa leitura!

site: www.baudoleitor.com.br
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 26/12/2016

Resenha: Um Homem de Sorte
Nicholas Sparks deve ser o escritor com a maior fonte de romance de todos os tempos, jorrando inúmeros títulos que, apesar de a maioria ser clichê, são muito bem estruturados e com características bem colocadas.

The Lucky One, lançado pela Editora Novo Conceito no Brasil, é um deles. Contando a história de um fuzileiro naval chamado Logan, que foi escalado para ir ao Iraque lutar na guerra, sentimos quase na pele a morte de seus amigos próximos e sempre por um fio, evitando a própria. A parte inicial do enredo gira em torno do motivo pelo qual ele escapa da morte: a fotografia de uma jovem.

"Victor analisou a fotografia antes de devolvê-la: - Você disse que a achou no nascer do dia? Esse é o momento mais poderoso do dia. Isso é um sinal. Ela é seu amuleto da sorte. Olha só a camiseta dela. Você achou essa fotografia por um motivo. Ninguém deu falta dela também por um motivo (...) Ela estava destinada a você."

Para tentar se livrar do estresse do dia a dia de se estar no meio de uma guerra, ele saía para caminhar antes do amanhecer e em uma dessas caminhadas, encontrou na areia a foto de uma mulher jovem, a quem ele não tinha conhecimento algum. Ele acaba pegando a foto para ver se encontra o dono, perguntando a todos, mas ninguém sabe a quem ela pertence. Então ele a pega para si e sem saber o motivo, a guardou e a levou sempre com ele a partir daquele momento.

"Mas não estava em outra época e lugar, e nada daquilo era normal. Trazia a fotografia dela consigo há mais de cinco anos. Atravessou o país por ela."

Um de seus companheiros de pelotão, Victor, dizia que a fotografia lhe trazia sorte e era por isso que ele não morria nas missões e batalhas, porque tinha um amuleto. Assim que foi liberado, e após ver tantas desgraças ocorrerem e nada de ruim lhe acontecer, ele mesmo começou a acreditar na foto como um amuleto. Isso o levou para uma jornada nos Estados Unidos, em busca da mulher desconhecida que o salvou tantas vezes, crendo que tinha uma dívida para com ela.

"- Ele tirou essa foto minha assim que chegamos à feira naquele ano – continuou falando. – (...) Lembro-me de estar sentada com ele perto de um pinheiro gigante e de termos conversado por horas observando a roda-gigante. Era uma das grandes, toda iluminada, e dava para ouvir os gritos das crianças que iam e vinham debaixo de um perfeito céu de verão. Falamos sobre mamãe e papai, e imaginamos como a aparência deles teria se modificado no decorrer dos anos, se teriam ficado em Hampton ou mudado de cidade, lembro-me de ter olhado para o céu. Subitamente, vi uma estrela cadente, e tudo que pude pensar é que eles estavam ouvindo de alguma maneira."

Logan é um personagem muito centrado e inteligente, ás vezes quase com uma calma fria, não se deixando abalar ou irritar por ignorância alheia ou desentendimentos. Muitos protagonistas acabam estressando o leitor justamente por se deixarem levar por qualquer provocação e briguinha, ou por serem inseguros e cheios de dúvidas, mas Logan não é assim.

"Em tudo que fazia, Logan era calmo e decidido, refletiu.
Uma vez, foram em direção à cidade para ver as margens do South River, e sentaram-se debaixo da ponte que passava por cima dele. Ás vezes, falavam sobre amenidades se tinha acontecido algo interessante no trabalho, ou se Logan tinha feito algum progresso na reorganização dos arquivos; outras vezes, ele parecia contente em caminhar ao lado dela sem dizer muito. Como Logan sentia-se muito confortável com o silêncio, surpreendentemente ela também se sentia."

Os outros personagens, como a moça, Beth, possuem as características usuais do Nicholas, bem humanos, com falhas e um passado complicado. Assim como o enredo, com alguns momentos de tensão, até tragédia, mas principalmente o romance do personagem principal e a Beth. A pesquisa do autor também é excelente, os detalhes da guerra e da região onde Beth mora, o canil que ela administra com a mãe e o filho pequeno. Além de informações sobre os animais, incluindo o pastor-alemão adestrado de Logan, Zeus.

"Apesar do pesadelo que haviam vivido, Beth sentia uma espécie de paz pela primeira vez em sua memória recente. (...) Se Logan havia ensinado algo a ela era que só poderia contar com a fé em si mesma e em seus instintos."

Posso dizer que esse livro possui um final que é capaz de agradar e muito os fãs do autor, e considero um dos melhores dele que li. A história é boa e não cansa, tendo reviravoltas e tanto partes excitantes quanto dramáticas. Um Homem de Sorte também é uma ótima escolha para quem está a fim de um livro com um bom romance, sem superficialidades e não focado somente na vida amorosa em questão, mas em tudo o mais que ela envolve: como amizade, confiança e honestidade.

PS: Também vale muito a pena conferir o filme!
comentários(0)comente



Mi 19/12/2016

Resolvi fazer uma maratona de leitura dos livros de Nicholas Sparks que tenho na minha estante e ainda não li. Comecei por este 👇
Um homem de sorte.
Sorte? Destino? Obsessão? Loucura?
Logan Thibault é um fuzileiro naval que esteve no Iraque algumas vezes. E numa destas vezes encontrou uma foto e resolveu deixar no painel informativo do batalhão para caso o dono fosse atrás pudesse encontrar. Entretanto, vários dias se passaram e nada. Pegou a foto pra si. E nunca mais separou dela. Seu amigo Victor sempre dizia que aquela foto servia como um amuleto da sorte. Mas ele não acreditava nessas coisas e não levava a sério. Até que um dia, Victor diz a Logan que este tem uma dívida para com a mulher da foto. É quando ele vai atrás do seu "amuleto da sorte" e conhece Elizabeth.
Elizabeth é divorciada e tem um filho (Ben) de 10 anos, mora com sua avó Nana, que foi quem a criou depois da perca dos seus pais em um acidente.
Nana é dona de um canil e logo contrata Thibault como funcionário.
Todos acabam gostando do ser humano que é ele, atencioso, disposto, trabalhador, responsável, dentre outros adjetivos. Mas existem uma pessoa que se incomoda com ele, Keith Clayton, ex marido de Beth.
Keith não aceita que sua ex mulher se envolva com ninguém e utiliza da sua profissão pra amendontrar todos que se aproximam dela. Mas a entrada de Logan na vida da família foge do controle dele e isso o irrita muito. Ele que sempre pensou ser o dono da situação se ver acuado e aí começam os problemas e os desvendamentos de algumas situações até então inexplicáveis.
Nicholas sempre me faz chorar. Mas...
comentários(0)comente



Coelho 29/11/2016

Um Homem de Sorte
Um Homem de Sorte é um daqueles livros que se começam e a partir desse momento somos incapazes de parar de ler. Extremamente cativante. Sparks conseguiu novamente prender-nos em seu trama.
comentários(0)comente



Eder Ribeiro 24/11/2016

Personagens cativantes
O primeiro livro de Nicholas Sparks que eu li: Meu Querido John, a emoção aflorou e me levou as lágrimas. Desse dia em diante o meu interesse pelos seus livros cresceu a cada romance lido.
Um Homem de Sorte, eu classifico como o mais fraco dos que eu li. O relato descrito pela personagem Logan Thibault, sobre a guerra do Iraque, é enfadonho, até mesmo cansativo de ler. No entanto, Nicholas tem a magia de escrever personagens tão cativantes que consegue prender o leitor durante a sua narrativa, e, com isso, ele atrai o leitor para dentro da sua história, impedindo-o de abandonar o livro. Por isso, recomendo a leitura desse livro.
comentários(0)comente



Monica 09/11/2016

Trechos/Frases de Um homem de sorte
"Mesmo que algumas pessoas sejam deixadas para trás, outras inevitavelmente pegarão seu lugar e que todo lugar tem aspectos positivos - e negativos- a oferecer."

"As pessoas gostam de imaginar que são livres para escolher seus próprios caminhos - ás vezes as escolhas podem ser ilusórias."

"Ás vezes as coisas mais ordinárias podem transformar-se em extraordinárias, simplesmente se realizadas pelas pessoas certas"
comentários(0)comente



Amanda.Signorini 04/10/2016

Gostei
Muito Boa história, gostei bastante, recomendo
comentários(0)comente



Momentos da Fogui 22/09/2016

Momentos da Fogui
Leia a resenha no blog:

http://foguiii.blogspot.com.br/2014/12/um-homem-de-sorte-nicholas-sparks.html

site: http://foguiii.blogspot.com.br/2014/12/um-homem-de-sorte-nicholas-sparks.html
comentários(0)comente



Van der Laan 21/09/2016

Uma filme cheio de clichês.
Um home de sorte, e uma historia seu de clichês, começando pelo personagem principal, um heroi de guerra e cheio de qualidade, a mocinha da historia que é solteira e mãe, que vive uma dilema com seu ex, já o vilão e o oposto do mocinho, que já serve como descrição completa, mas se você gosta de historia romântica com final feliz...
comentários(0)comente



Jhully 18/09/2016

Muito arrastado
Demorei muito pra termina esse livro, não pelo o fato dele ser muito grande e sim por ser muito arrastado, muita coisas ali que nao precisava, detalhado demais.
Ja li outros livros do autor e esse é o pior
comentários(0)comente



Cinthia 05/09/2016

Nicholas Sparks fazendo o que faz de melhor: romances que nos fazem suspirar!
comentários(0)comente



Stephanie.Santos 04/09/2016

Um romance para encantar
Para amantes de romance, esse é o típico livro que vai fazer você suspirar pelos momentos fotos, sofrer nos momentos dramáticos e sorrir nos relatos de diversão. Uma história fascinante, de superação e perseverança.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ana Clara 29/08/2016

Um Homem de Sorte
É o primeiro romance de Sparks que eu leio que não tem uma coisa trágica com os personagens principais como é de praxe do autor, podemos ver que ele até tenta sim colocar alguns elementos que podem causar esta impressão, mas não exatamente tem algo trágico na história. Bom na verdade acontece sim alguma coisa “impactante”, mas não do jeito que esperamos como é típico do autor.

Outra coisa que achei bem legal foi as piadinhas indiretas (ou diretas) que ele foi introduzindo ao longo do livro, isso deixa o livro bem mais descontraído. Ele tem uma narrativa simples e gostosa, mas não é aquele simples ao ponto de nos fazer pensar que foi uma criança que escreveu, não, é um simples gostoso, relaxante. Os flash-becks presentes no livro é uma ótima maneira de introduzir alguma coisa do passado que será importante no futuro. Os capítulos ora narrado por Thibault, ora por Beth e ora por Clayton nos proporcionam uma melhor visão da história e dos sentimentos dos personagens.

Os personagens são bem construídos (às vezes até construídos demais, pois eles descobrem coisas em um segundo que seriam impossíveis). Beth (a mulher da foto) é uma ótima mãe, preocupada com tudo na vida de seu filho e de todos os quais ela ama. Beth ou Elisabeth é bem ingênua e sempre tem um julgamento positivo de todas as pessoas, porém ela é bem madura e não parece ter a pouca idade que tem.
Thibault não me encantou tanto quanto os mocinhos do Sparks normalmente me encantam, eu o achei bem irritante (que fique bem claro que eu Ana Clara é que não gostei do estilo dele). Logan Thibault é muito “certinho” com as coisas (é claro que ele é um bom moço e tal, mas não encantou), ele esta sempre disposto a ajudar, sempre dá o melhor de si para ajudar a todos, é (para Beth) o homem perfeito, só que não foi bem assim que o enxerguei. Pelo que entendi ele ficou com um pouco de “sequelas” do tempo em que era fuzileiro naval, pois ele tem visões e esta sempre muito pensativo, soltando alguns fatos do passado, mas o que mais me irritou nele foi a maneira como ele conversa com as pessoas, tá que ele não gosta de falar, mas ele responde muito vagamente tudo que todos perguntam para ele... ah melhor mudar de personagem.

Keith Clayton é o ex-marido de Beth e também pai de seu filho, primeiramente ele encontra com Logan Thibault na estrada e é ai que já começa a raiva por este estranho que de repente começa a trabalhar no canil da avó de Beth. Clayton é bem “mauricinho” e metido a valentão, ele é muito imaturo e irresponsável, tendo vezes em que o próprio filho de 10 anos chega a ser mais adulto do que ele. Por ser assim tão imaturo ele não aceita muito bem Ben (filho dele) como ele é. Keith esta sempre tentando ser um pai melhor, mas a forma que ele faz não é a melhor, mas podemos perceber nos capítulos dele que ele não faz por mal, mas sim por achar que o que esta fazendo é o melhor. Na verdade gostei mais de Clayton que de Logan.

Nana a avó de Beth e dona do canil, é uma personagem mais secundária, mais sempre é citada no livro, pois ela é parte importante da vida de Beth além dela morar na mesma casa que a avó. É a avó que todos nós gostaríamos de ter, uma ótima observadora e muito divertida com suas várias metáforas.

Bem o filho de Elisabeth e Clayton eu achei bem maduro para ter só 10 anos, mas como eu não sou a melhor pessoa para falar de crianças, pois não tenho muita paciência com elas, então melhor deixar o Bem em aberto.
Eu estava caminhando junto com o livro com uma linha de pensamento e chegando ao final ele me surpreendeu totalmente, voltando a ser o velho e bom Nicholas Sparks (e não falo isso com ironia). Gostei do final, nas últimas páginas do livro eu fui ficando sem folego pensando que ia acontecer uma coisa e de repente acontece outra totalmente inesperada (para mim). Todas as questões que ficam um tempo no ar sempre são solucionadas, só fiquei com uma pulguinha atrás da orelha sobre como a foto foi encontrada por Logan já que ele não teve nenhuma relação com quem a perdeu, se alguém que já leu souber me explicar ficaria muito grata.

Paralelo com o filme: Bom os filmes sempre serão um pouco modificados e às vezes eles vão modificar partes que gostamos, mas o filme ficou muito bom, recomendo que leiam e depois vejam o filme, no final do filme me deu até um nó na garganta, eu não costumo chorar em filmes, e nesse uma lágrima QUASE escapuliu.

Por hoje é só, esta resenha saiu maior do que eu esperava, mas acho que consegui passar para vocês um pouquinho do que eu senti.
comentários(0)comente



464 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |