O Peso Do Silêncio

O Peso Do Silêncio Heather Gudenkauf




Resenhas - O Peso do Silêncio


54 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4


May 14/04/2021

O peso do silêncio
Sabe aquele livro que você ver na estante de alguém, tipo a tua mãe e você acha que não vai ser grande coisa, mas arrisca mesmo assim? Pois é, esse é um destes, mas apesar de todo o pré-conceito que você trás esse livro consegue te surpreender e te prender. A história é de linguagem bastante simples e compreensível e o enredo se desenvolve ao redor de duas garotinhas que desaparecem misteriosamente de suas casas e todo mundo começa a buscar por elas. O texto é estruturado na minha forma favorita de leitura,de modo que cada personagem conta uma parte da história,sua versão dos fatos, nisso, a história de cada um vai se amarrando e dando a nós leitores as respostas dos vários porquês de cada acontecimento, sem contar que o suspense é levado até às últimas paginas do livro mas sem deixar o leitor(a) frustrado, sempre revelando cada misterio no seu tempo e deixando o gostinho do " e agora?"
comentários(0)comente



Manuela do Prado 21/02/2021

Leitura nostálgica.
Nas primeiras horas da manhã de um dia comum, duas famílias acordam e descobrem que suas filhas, ambas com sete anos de idade, ambas amigas, desapareceram. Petra Gregory é uma garota alegre, doce, que tem um lar equilibrado e repleto de afeto; Calli Clarck é gentil e carinhosa, porém é muda desde os três anos em decorrência de um (dos muitos) traumas causados pelo estado adoecedor em que vive sua família.

A história, que se passa em uma pequena cidade, traz um conjunto de personagens muito próximos, com vínculos de longo prazo, uma série de dividas afetivas e, inclusive, alguns desafetos. Enquanto os pais de Petra culpam a família de Calli pelo desaparecimento de sua filha, Antônia, mãe da criança sem voz no mundo, sente grande culpa e remorso perante a situação, já que seu marido, Griff, que tem um histórico de violência e alcoolismo, também está desaparecido e representa, portanto, o principal suspeito.

O livro tem seus episódios contados a partir da perspectiva de cada personagem- ninguém é de todo bom, ninguém é de todo ruim. Como o desaparecimento das crianças ocorre já no primeiro terço da história, a tensão criada pela curiosidade e expectativa do que aconteceu de fato, toma conta do nosso estado de leitura. A autora não deixa pontas soltas e os detalhes da maioria dos elementos que compõem a narrativa são bem trabalhados, embora o desfecho seja bem previsível.

Esse livro tem um um grande toque de drama familiar e suspense, assim, os "porquês" nos vão sendo fornecidos em doses homeopáticas durante a leitura. É um texto bom, de leitura fácil, rápida, com muitas reflexões sobre a força da culpa que vem com o arrependimento, sobretudo quando não agimos em conformidade com o que sentimos que seria o correto, em nossas vidas.

site: @viveprale
comentários(0)comente



Mel 16/09/2020

Peguei esse livro muito aleatoriamente, a sinopse era boa, mas não esperava muita coisa. Me surpreendi DEMAIS!! Não conseguia desgrudar dele, queria ler e saber o final logo. A história sendo contada pela visão de vários personagens só deixou o enredo ainda mais instigante. Sou apaixonada por livros assim. Com certeza virou um favorito e já quero ler mais obras da autora.
comentários(0)comente



Cris 18/07/2020

Um suspense mantido até o fim, sem ser cansativo e com a narrativa que consegue surpreender o leitor de uma forma incrível
comentários(0)comente



Mara 26/06/2020

Como eu já tinha lido um livro da mesma autora e que inclusive é um dos meus favoritos fui com uma expectativa mto alta. O livro não é ruim, tem um bom suspense me prendeu mas do meio pro fim eu senti que teve mto detalhes. A "paixão" da Antônia pelo marido me irritava profundamente. Não conseguia entender o porquê dela suportar ele, achei que tinha alguma coisa por trás mas não tinha. Enfim é um livro bom, mas não superou as expectativas.
comentários(0)comente



Junior 06/04/2020

Profundo.
Quando terminei de ler as páginas deste livro eu parei por um momento e fiquei pensando: como é imprescindível sempre termos cuidado com nossas ações e escolhas, o quão é importante nunca deixarmos de lado as pessoas que amamos e queremos bem, e que sempre temos que ficar alertas e tomar as decisões necessárias quando algo, que pode vir a ser um gatilho para coisas piores no futuro, acontece na nossa vida e na de entes queridos.
A obra aborda um tema que infelizmente ainda é uma realidade, o desaparecimento de crianças. Como a própria sinopse nos aponta, aqui acompanharmos o desaparecimento de duas garotinhas de sete anos cada, Calli Ckark e Petra Gregory.
Durante o desenrolar dos acontecimentos a autora vai nos apresentando à história dessas duas famílias que estão passando por essa triste situação. Como cada família se comporta com o desaparecimento de sua respectiva filha e como cada um deles se sente em relação ao o que poderiam ter feito para terem evitado o ocorrido.
Cada personagem aqui na obra é bem trabalhado e a autora nos mostra a personalidade de cada um dos personagens que fazem parte da narrativa, sempre de maneira muito fluida, cada capítulo do livro nos traz um dos personagens tendo que suportar a situação em que se encontram, lidando ainda com seus próprios sentimentos que os fazem lembrar de suas vidas em outrora e de como suas ações e escolhas possam, de alguma maneira, estar fazendo com que eles estejam enfrentando essa realidade.
Sem ser nem um pouco prolixa, Heather Gudenkauf traz à tona essas lembras na cabeça de cada personagem e o nos apresenta suas memórias, seus arrependimentos e suas escolhas e como cada um se sente em relação a tudo que está acontecendo.
De maneira geral, a história aqui é bem trabalhada é muito contatada, cada detalhe inserido na trama dos personagens pela autora nos faz entender mais sobre as pessoas dessa narrativa e enriquece ainda mais obra. Quem gosta de narrativas emocionantes, sensíveis, que aborda a família e as situações peças quais passam, que ainda traz um suspense e drama bem escrito, esse livro é uma bela pedida.
comentários(0)comente



Jon O'Brien 13/03/2020

O suspense mais diferente que já li
Eu adoro conhecer novos autores, e recentemente li O Peso do Silêncio, da Heather Gudenkauf, uma autora cujos livros eu já tinha interesse em ler mas só há pouco tempo surgiu a oportunidade. E que oportunidade! Eu me apaixonei pela obra à primeira vista, e a leitura fluiu de maneira muito satisfatória. Confira aqui minhas impressões sobre!

Na humilde opinião deste poeta que vos fala, tenho que admitir que O Peso do Silêncio é uma obra banhada pela poesia, e começamos a perceber isso pela capa, que é bastante enigmática e suscita muita curiosidade. Apesar de a edição não ser das melhores (folhas brancas, estou falando contigo!), a diagramação é agradável e o conteúdo, que é o mais importante, uma das coisas mais interessantes que li nos últimos tempos.

O livro fala sobre o desaparecimento de duas meninas de 7 anos, Calli e Petra. Calli é filha dos Clark e, depois de um trauma ocorrido três anos atrás, adquiriu mudez seletiva, parando de falar completamente. Petra é sua melhor amiga e sua porta-voz; a garota conhece as necessidades de Calli e fala por ela.

O Peso do Silêncio brinca com perspectivas de membros de três famílias. Há a narração em primeira pessoa de Antonia, mãe de Calli; narração em segunda pessoa de Ben, irmão de Calli; narração em primeira pessoa de Martin, pai de Petra; narração em primeira pessoa de Petra, uma das meninas que desaparecem; narração em primeira pessoa de Louis, o assistente de xerife que investiga os desaparecimentos; e a narração em terceira pessoa de Calli.

As narrações são repletas de divagações, mas não de um maneira chata. O que quero dizer é que, apesar de as narrações no presente serem quase completamente cortadas por pensamentos e lembranças passados, O Peso do Silêncio foca muito na construção dos personagens, em todos os personagens principais. Logo, não é “encheção de linguiça”, mas sim uma forma diferente de mostrar o passado dos personagens.

O mistério da história não inicia logo no início do livro; na verdade, no começo parece que todas as pistas estão sendo dadas, que o final é até óbvio, mas a história é muito maior do que parece ser no início. Ainda assim, embora tenha havido uma cena bem chocante no meio do livro, consegui advinhar parte do quebra-cabeça que a talentosa Heather Gudenkauf conseguiu construir.

O que mais me impressionou em todo o livro não foi a história em si, mas a maneira como ela é contada. É uma tapeçaria completa que remenda medos, desejos e angústias dos personagens, é um trabalho psicológico muito bem-construído e narrado sob perspectivas poéticas. Algo que não vi em nenhum livro de suspense que já tenha lido.

É uma obra tão bem-escrita que até não é para menos que tenha entrado para a minha lista de favoritos. Até o momento, é o livro que mais gostei de ler neste ano, e suponho que para isso ser superado a outra obra terá que trabalhar duro.

O Peso do Silêncio é um suspense com uma excelente carga dramática, portanto, tenho certeza de que os leitores de drama, assim como os de suspense, não ficarão insatisfeitos com o conteúdo. A autora retém alguns segredos até o momento ideal de contá-los, o que aguça nossa curiosidade. No início, podemos me perguntar se o livro terá um de seus mistérios principais explicados, mas somos saudados com o último capítulo, que nos mostra o motivo de Calli não falar, um motivo que não é surpreendente, mas que achei satisfatório.

Torço para que O Peso do Silêncio ganhe uma adaptação em filme ou série, porque a autora merece, mas não me importo em esperar 20, 30 anos, ou ainda mais do que isso, contanto que a adaptação chegue ao menos aos pés do que Heather Gudenkauf construiu.

site: https://redipeblog.wordpress.com/2020/03/13/resenha-o-peso-do-silencio-heather-gudenkauf/
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 13/03/2020

A autora guia com talento ao contar uma história com o dom de um poeta enquanto contrói um romance em que são contrapostos sentimentos de culpa e desejo, devoção e honestidade, situações que permeiam sonhos, escolhas e experiências durante o curso de nossas vidas.

Empreste esse livro na biblioteca pública.

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. Basta reservar! De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788576872795
comentários(0)comente



Bruna 14/05/2018

Muito bem elaborado!
Sabe aquela receita perfeita? que não precisa de nada a mais? Esse livro tem essa receita! É simplesmente maravilhoso! Instigante, sedutor, violento, dramático e misterioso, Ele prende e cria mistérios na medida certa, e quando está perto do final? ele vai ficando intenso e revelador duma maneira leve e fascinante que você só percebe que terminou... quando chega ao epílogo! Amei demais, foi impossível não ler compulsivamente até o final.
Favoritado com 5 estrelas só porque não há mais estrelas pra dar, pois se houvesse essa opção eu as daria!
Meg 18/05/2018minha estante
Deu uma vontade de ler esse!




Meninas que Leem 24/12/2016

Blog As meninas que leem livros
Esse livro estava na minha pilha para ser lido há muitos meses e sempre deixava para ler depois. A sinopse não me agradou muito, mas li algumas resenhas positivas, por isso decidi tirar da pilha e descobrir de uma vez por todas o mistério presente entre essas páginas......

site: http://www.asmeninasqueleemlivros.com/2011/02/o-peso-do-silencio-heather-gudenkauf.html
comentários(0)comente



Sarah 05/05/2014

Resenha no blog Sincerando.com, escrita por Sarah Sindorf
Calli é uma menina de sete anos que não fala. Ela não é muda, mas parou de falar depois de um momento trágico na família, ao quatro anos. Em uma noite ela e sua melhor amiga, Petra, desaparecem. A partir daí uma busca é organizada e a família das crianças mais o assistente de xerife Louis começam a refletir sobre o passado e o que poderia ter acontecido.

Calli é uma menina doce e inteligente que perde a voz e a reencontra em Petra, que consegue entender o que ela quer e precisa e repassa para os que estão a sua volta. Tem um pai alcóolatra e violento, uma mãe trabalhadora e humilde e um irmão mais velho que tenta protege-la. Petra é filha única de um casal mais velho, que demorou a conseguir ter um filho.

O suspense é forte, mas temos a visão de Calli no livro, e com isso sabemos o que aconteceu com ela. Além de Calli outros personagens como sua mãe, o pai de Petra, seu irmão. Esses pontos de vista vão contando não só a história das meninas como dos outros personagens envolvidos, e enriquecem a história.

O livro traz várias reviravoltas e eu só consegui realmente descobrir o que aconteceu quando estava na metade da leitura. Mesmo assim, o final estava indefinido para mim. O enredo trabalha muito o lado psicológico dos personagens. A família de Calli sofreu vários baques e tem vários problemas, enquanto outros personagens, como Louis, também estão atormentados por questões do passado.

Fiquei extremamente envolvida com a história e torci para que tudo acabasse bem. Me senti extremamente sensibilizada com a situação de Calli e curiosa para saber o que teria acontecido para que ela parasse de falar. Para os que se preocupam com finais indefinidos, não se preocupem: tudo é esclarecido. Recomendo para quem goste de suspenses e histórias psicológicas. Já comprei outro livro da autora e pretendo continuar lendo seu trabalho.


site: http://www.sincerando.com/2014/02/o-peso-do-silencio.html
comentários(0)comente



Anne Mortensen 08/03/2014

Uma certa força
De início a história se atenta demais no passado dos principais envolvidos na trama, já que uma criança desaparece e as buscas começam. O prólogo é uma pista de que Calli, criança que não fala por causa de um trauma, será encontrada e todo o desenrolar avança para a ação de cada envolvido para encontrá-la a partir do primeiro capítulo.

Com o sumiço da menina, percebe-se que Petra, melhor amiga dela, desapareceu também. As buscas pelas duas traz à tona as falhas, os medos, a ansiedade, as inseguranças de cada um em relação ao que fizeram para chegar até ali e ao mesmo tempo, o que tirariam de lição dessa história.

As reflexões que os personagens levantam são muito importantes para poder entendê-los em sua totalidade. Por isso quando Ben, o irmão de Calli chegou a ser acusado de ter machucado Petra, pois foi o primeiro a encontrá-la na floresta, sua mãe Antônia e o assistente de xerife Louis recusam a ideia facilmente. Ben foi um irmão cuidadoso e atencioso com Calli e a ligação deles sempre reconhecida entre eles. Da mesma forma, quando Griff, o pai de Calli foi acusado, o medo de confirmar essa hipótese esteve evidente na relutância de Antonia em não perguntar para os filhos, no hospital, quem os havia machucado.

Então, as longas descrições e a constante recordação dos personagens em capítulos recorrentes foi de grande importância para entender porque apesar da vida que tinha ao lado do marido, Antonia permanecia com ele; por que o próprio Griff era tão inconstante e fora de si, trocando a família que amava pela bebida; por que a menina que era tão ligada ao pai, de repente passou a temer a sua presença; por que o xerife Louis viu a esposa ir embora com o filho e mesmo se perguntando se devia ter ído atrás dela, não o fez; por que o Sr. Wilson pareceu culpado e logo foi reconhecido como inocente no caso, por que a amizade das duas meninas era tão importante que Petra sabia o que Calli queria sem ouvir a sua voz; por que o acusado do crime esteve livre de suspeitas durante o início das investigações até ser pego.

Narrativa
Com o ponto da longa descrição do passado dos personagens e a importância para o desenrolar dos casos esclarecido, outro ponto em relação a estrutura narrativa deve ser observada.

Talvez quem já leu o livro tenha notado isso rapidamente, mas não eu. Isso porque todos os personagens que contam o seu ponto de vista dos acontecimentos, tem a narrativa em primeira pessoa e Calli, a única que não falava há quatro anos, tinha sua parte da história narrada em terceira pessoa, como se alguém estivesse lendo seus lábios, observando de fora as suas reações a tudo.

E me irritei por não ter me dado conta dessa genial ideia da autora em mostrar, que como Calli ainda não havia encontrado a voz, ela não poderia contar com as próprias palavras o que aconteceu naquele terrível dia na floresta, então só se nota a mudança de narrativa no último capítulo, no epílogo, quando a menina tímida conta usando a voz perdida (em primeira pessoa), o que a fez perder a fala em primeiro lugar, o trauma de infância, o dia na floresta, o resgate de Petra, a morte de seu pai e o que aconteceu seis anos depois.

Conclusão
É sim emocionante pensar que nossas vidas, ligadas a outras tão próximas, podem mudar em algum ponto no passado para sempre. Os fracassos, os medos, as tentativas, até mesmo as oportunidades que batem em nossa porta, os traumas, a inocência corrompida em algum momento da infância, os adultos que ainda não tem a resposta, o "peso do silêncio" que causa ao longo do tempo, a ocultação de uma verdade ou a sua revelação. Assim, não foi só a voz de Calli que foi encontrada, mas uma certa força para continuar, já que a seu modo, cada personagem tinha o seu próprio mundo para habitar.

NOTE-SE:
Autor: Heather Gutenkauf
Editora: Harlequin Books
Literatura Norte-Americana

Sinopse: Aconteceu numa quieta manhã de agosto, duas famílias acordam para um pesadelo. Suas filhas sumiram na noite. Calli, com sete anos, é doce, meiga e muda. Petra, sua melhor amiga, sua alma gêmea e sua voz. Agora, estas famílias estão unidas pelo mistério do que aconteceu a suas filhas. E a solução está oculta no silêncio de seus próprios segredos.



bjs, Anne

site: http://croniannecas.blogspot.com.br/2014/03/para-dar-inicio-nova-versao-do-croni.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



iana c. 22/02/2013

Narrativa muito arrastada, creio que isso se deva ao fato de a história ser contada por meio dos pontos de vista dos personagens principais, e a autora explorar as mesmas situações e reflexões nos personagens. O final é previsível e ainda ficam em aberto questões que simplesmente não são respondidas.
Na primeira vez em que tentei ler esse livro, eu desisti. Concluí agora, lendo-o pela segunda vez, e me esforçando bastante para não abandonar a leitura novamente... E me desapontei.
Thamyres Andrade 01/06/2016minha estante
Nossa! em meio a tantas opiniões positivas sobre esse livro, já tava me sentindo uma alien por não estar gostando tanto assim. Peguei pra ler há uns dias, já deixei de lado várias vezes e pensei em abandonar. Só não o fiz, porque tô curiosa com o desfecho, mas vontade não falta. Ainda não terminei.
Arrastado demais, peloamor!




cheledrum 20/01/2013

uma delicia
Recebi este livro pelo correio hoje, as 23hs decidi ler algumas páginas antes de dormir, mas só consegui parar agora, as 5h da manhã, ou seja, n pegue para ler se tiver que acordar cedo no dia seguinte rs...
Achei uma historia muito envolvente, apesar de achar que eu ia chorar mais.
comentários(0)comente



54 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4