Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler

Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler Phillip Hoose




Resenhas - Os garotos dinamarqueses que desafiaram Hitler


18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


DI @poesiadoslivros 14/06/2020

Os jovens podem salvar o mundo
Sou fascinada por história em geral, especialmente pelas histórias da segunda guerra mundial. Neste livro maravilhoso conheci a parte da história que ninguém conta nas aulas, adolescentes dinamarqueses foram os responsáveis pelo inicio da resistência da Dinamarca contra o exército Alemão e possivelmente se eles não tivessem feito tudo o que fizeram o país continuaria sendo dominado pela Alemanha Nazista e sofrendo as cruéis consequências. Estes jovens mostraram o real papel da juventude no mundo, apesar do perigo e das terríveis consequências, seus atos foram de patriotismo, coragem, determinação e acima de tudo foram atos de inconformismo com a rendição do pais sem ao menos tentar lutar, atitudes de adultos que custaram muitas vidas. Um livro incrível que o autor teve o privilégio de contar com depoimentos de um dos integrantes do clube, ou seja, uma experiência fantástica.
comentários(0)comente



Daff 07/06/2020

Adorei conhecer esses garotos.
Uma experiência literária de esperança e gratidão. Jovens foram a resistência em época de guerra. Jovens não se conformaram com nazismo e o abuso que os alemães exerciam sobre o país. Eles serviram de exemplo e de orgulho para muita gente.
⠀⠀
O livro é contado pelas palavras do Knud, junto da pesquisa excelente do autor que se preocupa em recolher dados e imagens pra acrescentar a leitura. Uma escrita cheia de paixão, respeito e orgulho por conversar com um representante desse clube que lutou pelo país.🌏

site: https://www.instagram.com/p/B99ulnqjGAi/
comentários(0)comente



Barbarella 22/05/2020

O clube Churchill
O livro é de leitura rápida e bem interessante. É incrível ter uma noção de como era a vida naquela época em meio à guerra. O mais impressionante é que eram jovens que se negavam a aceitar o destino que os alemães estavam impondo a eles, enquanto que as autoridades dinamarquesas estavam se rendendo e não resistindo. Os rumos que a vida desses jovens tomaram foram bem desafiantes e as sequelas são percebidas ao se ler sobre o desfecho da vida deles. Foi um feito impressionante e que marcou muito a história do país.
comentários(0)comente



@jeanflamel 01/04/2020

Perfeito e triste.
Um história incrível onde mostra um grupo de jovens dinamarqueses arriscando as próprias vidas para defenderem seu país , onde os lideres desse país não fizeram praticamente nada. Um livro que mostra força e resistência desses jovens, e como é triste ver o quanto morreram por causa de um homem só. E as marcas de guerras que deixaram nesses jovens que são irreparáveis.
comentários(0)comente



PoliAna | @poliana.e.seus.livros 31/03/2020

Simples e envolvente
De uma forma simples e envolvente, o livro nos coloca em uma Dinamarca ocupada pelos nazistas.

As sabotagens realizadas pelos meninos do Clube Churcill são descritas pelo autor e intercaladas pelas memórias de Knud. Adicionados aos textos temos imagens dos acontecimentos, o que nos ajuda a visualizar, de forma mais realista, como tudo ocorreu.

Não será um dos meus livros preferidos, porém gostei demais da forma despretenciosa e leve com que o narrador nos coloca em meio à guerra.
comentários(0)comente



Rafaela (@exlibris_sc) 30/03/2020

Um sopro de coragem e esperança no meio da guerra.
Tudo começou no dia 9 de abril de 1940 em Odense, Dinamarca. Sirenes penetrando as casas, aviões conspurcando os céus, papéis chovendo pelas ruas... os alemães tinham chegado. Nesse dia por toda a Dinamarca as tropas nazistas invadiram e ocuparam o país, alegando estarem ?protegendo-os? da Inglaterra e França, tornando assim o país escandinavo um ?protetorado? do Reich alemão.

Ao contrário da Noruega que resistiu a ocupação por algum tempo, a Dinamarca ?acolheu de braços abertos? a Wehrmacht - infantaria alemã - que logo iniciou pequenas mas contundentes mudanças por todo o país.

Citando Tolkien: ?Mesmo a menor pessoa pode mudar o curso da história?; e foi exatamente isso que aconteceu na história dinamarquesa durante a ocupação nazista. A faísca da resistência teve início em jovens, adolescentes, que ousaram pensar por si mesmos e, ao executarem pequenos atos de sabotagem na máquina de guerra alemã, acordaram uma nação para a mais difícil tarefa naquela época: desafiar Hitler.

A leitura mescla os relatos de um dos fundadores de dois dos clubes da resistência dinamarquesa, Knud Pedersen - inicialmente a RAF, em homenagem ao esquadrão aéreo britânico e depois o Clube Churchill, em homenagem ao primeiro ministro britânico - com informações extraídas dos registros históricos muito bem pesquisados por Phillip Hoose.

As histórias das grandes guerras sempre me foram fascinantes. É preciso lembrar para jamais esquecer, para que os mesmos erros nunca sejam repetidos, para que monstros não voltem a assombrar os dias e as noites dos justos.

Nesse livro, o leitor irá vislumbrar um capítulo importantíssimo nessa luta contra a tirania. Como a chama da esperança, mesmo durante a maior tempestade já vista, não ousou findar porque foi alimentada por pessoas justas que colocaram o bem comum acima do próprio.

?Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler? entrou para o hall de livros favoritos do ano sendo uma obra curta e de leitura extremamente fluida e educativa que merece e deve ser apreciada e estudada por todos. No final, os garotos do Clube Churchill mostraram e ainda mostram ao mundo que basta termos uma causa justa, coragem e persistência que qualquer mal pode ser erradicado.

site: https://www.instagram.com/p/B-XHU0xDHG2/
comentários(0)comente



Naty 30/03/2020

Impactante
O que mais gosto da Vestígio é o fato de publicarem histórias sobre a Segunda Guerra Mundial, o que sou apaixonada. Quando faço a solicitação dos livros, eu nem me preocupo se vou gostar ou não, pois sei que eles arrasam nesse gênero. Neste aqui, temos uma história pequena, mas que transmite uma lição profunda, com ensinamentos que levamos para a vida toda.

O que você faria se visse o seu país ser invadido? Talvez não fizéssemos nada, mas o país vizinho se fecha para a invasão dessa nação estrangeira… E o seu país libera tudo, pode tudo e qualquer semelhança com o nosso caso pode ser considerado mera coincidência.

Inconformado com a situação e envergonhado com os líderes de seu país, que se renderam sem resistência aos ocupantes alemães na Segunda Guerra Mundial, o jovem dinamarquês Knud Pedersen, de 15 anos, junto com seu irmão mais velho, Jens, fundou o Clube Churchill. Esse grupo é composto por adolescentes e tem como objetivo praticar atos de sabotagem, despertando a fúria dos alemães, que acabaram identificando e prendendo os garotos.

Tudo o que o Clube realizou não foi em vão, pois acabou ocasionando uma resistência generalizada na Dinamarca. Esses garotos fizeram o que adultos não tiveram a coragem de fazer, afinal, alguém precisava lutar para não abrir mão da liberdade, para evitar perdas e maiores sofrimentos. Esse grupo se tornou um exemplo, foi um grito dinamarquês da não aceitação das tropas alemãs comandadas por Hitler, um grito de indignação e esperança.

Coragem, ousadia, resiliência… São diversas emoções, sensações e lições de vida que essa história apresenta. É um excelente livro para ser lido nesse período que estamos passando, um período que precisamos fazer a nossa parte, nos preocuparmos com o próximo e refletirmos nossas ações, um tempo que estamos em guerra, mas não uma guerra física e sim com algo que não podemos ver, não podemos tocar. Uma guerra contra um vírus e contra nós mesmos, afinal, precisamos ter consciência. Recuar é a melhor forma de atacar, de nos proteger. Essa história nos faz pensar tantas coisas e percebemos o poder de uma união.

É um livro que merece ser lido por qualquer pessoa, qualquer idade, com uma temática forte, não é uma leitura cansativa. Indico a obra, aproveitem e comprem o e-book para lerem nesse período.

Um detalhe interessante é que no início o autor procurou Knud para escrever a sua história e ele disse que uma pessoa já escreveria. E assim passou-se um tempo… Hoose decidiu entrar em contato e ver como estava o andamento do livro e não tinha dado certo. Knud e Hoose se encontraram e então ele começou a escrever a sua obra. Porém, Knud já estava numa idade delicada e enfim, ao finalizar o livro, Knud recebeu seu exemplar, distribuiu aos parentes e disse adeus a esse mundo, mas as suas atitudes ficarão para sempre em nosso coração. Knud será sempre um exemplo de homem para todos nós!


site: http://www.revelandosentimentos.com.br/2020/03/resenha-os-garotos-dinamarqueses-que.html
Angela Gabriel 02/04/2020minha estante
Sempre digo que tudo que for escrito ou feito em matéria de filmes ou séries, nunca será suficiente para mostrar a nós um pouco do que foi este período turvo da nossa história.
Eu amo o gênero e já coloquei o livro na estante de desejados.
Creio que será uma leitura ímpar!
Beijo


SrtaVenceslau 27/04/2020minha estante
Sempre curti livros que se passam durante a segunda guerra. Principalmente quando tem foco no holocausto. Acho que esse livro daria um bom filme tipo Bastardos inglorios, talvez um pouco menos violento.


ingriD 08/05/2020minha estante
Acho curioso como, não importa quantos livros lancem, quantos anos tenham se passado, sempre surge algum fato histórico novo. O que essas crianças não devem ter enfrentado? Me lembrou um pouco o livro Maus, talvez por se tratar de uma história alternando entre duas pessoas.
Definitivamente entrou na minha lista de desejados.


Michelle 08/06/2020minha estante
Eu não curto muito livros e filmes com essa temática. Mas a premissa é muito interessante.


Amanda 12/06/2020minha estante
Não é meu tipo preferido de livro, apesar de achar incrível o tanto de lições que esses livros geralmente trazem. Que legal a história de como ele foi feito! Talvez se tivesse sido escrito pelo outro autor, não seria tão bem feito e passaria as mesmas emoções com tanta intensidade.
Beijos,
Amanda Almeida




Carol 29/03/2020

É um bom livro, fala abertamente da segunda guerra mundial através dos olhos de resistentes.
comentários(0)comente



Fabio Pedreira 28/03/2020

Não tem idade para a liberdade
Imagine você presenciar seu país ser invadido por uma nação estrangeira e não poder fazer nada quanto a isso? Pior ainda quando você vê que enquanto o país vizinho resiste e luta contra a invasão, o seu abre as portas para o inimigo e o toma como aliado por medo do que pode acontecer.
.
Isso foi o que ocorreu com o jovem Knud Pedersen e seus amigos ao verem a Dinamarca ser invadida pelos alemães no dia 9 de Abril de 1940.
.
Mas o que os alemães não esperavam era que iriam encontrar resistência onde menos esperavam, com jovens de 13 a 16 anos. Movidos por raiva e patriotismo, esses garotos primeiro criaram o clube RAF onde faziam pequenos atos de sabotagem com os alemães para mostrar que a presença deles ali não seria tolerada por todos e para mostrar aos cidadãos dinamarqueses que eles poderiam lutar em vez de abrir mão de sua liberdade.
.
Mas com a mudança de cidade de Knud e do seu irmão, outro clube foi formado, o Clube Churchill de resistência. Vários atos corajosos e ao mesmo tempo irresponsáveis - já que não tinham treinamento - foram cometidos durante um tempo. Incêndios, roubos de armas e outros pequenos atos.
.
Esses jovens nunca imaginaram é que isso criaria uma revolução no seu país futuramente. Os jovens dinamarqueses que desafiaram Hitler é mais um excelente livro da Vestígio. Uma história emocionante da segunda guerra, onde é impossível não torcer para os garotos.
.
A edição alterna entre relatos do próprio Knud e do autor, que juntos montaram esse livro. Com informações e imagens da época, esse livro deve ser lido por todos que gostam a temática e por aqueles que acreditam que não existe idade para buscar a liberdade.
Margô 02/08/2020minha estante
Bom relato! Acabei me interessando...valeu Fábio!


Fabio Pedreira 03/08/2020minha estante
Eu que agradeço. Espero que goste ?


Margô 03/08/2020minha estante
???




spoiler visualizar
comentários(0)comente



mans 16/03/2020

Um livro de formato criativo e história emocional
Geralmente, quando falamos sobre Segunda Guerra Mundial, a narrativa é sempre a mesma: fatos históricos em cima de tramas lineares altamente emocionais, com momentos trágicos e contemplativos. Felizmente, o excelente Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler foge dessa fórmula. Afinal, o autor Philipp Hoose incrementa a narrativa com força e originalidade.

Na trama, acompanhamos a história real de um grupo de garotos dinamarqueses que, indignados com a passividade da Dinamarca durante a invasão alemã, decide iniciar uma série de atos de resistência e sabotagem para minar as forças nazistas. Dessa forma, eles criam o Clube Churchill, sendo responsáveis por roubar armas de soldados e explodir espaços aliados.

São jovens, ainda na escola, que decidem desafiar o todo poderoso exército alemão com o que têm em mãos. É uso de inteligência, sagacidade e bicicletas (ágeis!) para agir e sabotar.

Como ressaltado, Hoose não trata essa história de maneira habitual. Não é uma simples narrativa linear, cansativa, que vai contando detalhes sobre a vida desses meninos e do Clube Churchill. O que ele faz é costurar formatos e transformar Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler numa inteligente e poderosa colcha de retalhos com diversos estilos.

Em um único capítulo, o leitor encontra a narrativa tradicional da história, com voz ativa do autor; relatos pessoais do sobrevivente entrevistado por Hoose, Knud Pedersen; breves quadros informativos com fatos históricos e que complementam a narrativa sobre o Clube Churchill; imagens da época da invasão nazista na Dinamarca e do clube; por fim, mapas daquela região.

Dessa forma, o livro se torna uma mistura de sensações. Em uma primeira camada, é um registro empolgante sobre garotos nacionalistas que defendem seu país. É uma trama eletrizante e poderosa, pronta para virar um filme de potencial. Além disso, também traz dados e informações reais sobre o período, incrementando a experiência do leitor além do óbvio.

Indo além, percebe-se a sensibilidade daquela história. O Clube Churchill apresenta uma trama de resistência, amor ao próximo e controle sobre sua história fortíssima. Inspira e emociona. De alguma forma, trava diálogo com outros livros excepcionais sobre a Segunda Guerra Mundial, como As Últimas Testemunhas: Crianças na Segunda Guerra Mundial e A Lista de Schindler.

Em resumo: Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler é um livro que acerta em tudo. É criativo e traz um formato narrativo que sai do óbvio e desperta o interesse do leitor, sem ser pretensioso em seus objetivos. Em camadas mais profundas, por fim, encontramos uma trama delicada, com personagens cativantes, e que inspiram. Tudo que precisamos no mundo de hoje.

site: https://www.esquinadacultura.com.br/
comentários(0)comente



Núbia Esther 16/03/2020

Em breve.

site: http://blablablaaleatorio.com/
comentários(0)comente



Thainá - @osonharliterario 10/03/2020

Uma leitura enriquecedora e cheia de aprendizados
Durante o ano de 1940, com a Segunda Guerra Mundial já dominando diversos países, o rei da Dinamarca findou um acordo com Hitler que colocou o país nas mãos dos alemãs nazistas, deixando assim que o exercito alemão ocupasse a Dinamarca. É claro que nenhum cidadão se opôs a tal decisão, talvez por medo ou até mesmo por simpatizar com o lado nazista da guerra. Mas, contrapondo-se a isso, um grupo composto por adolescentes decidiu lutar pela libertação da passiva Dinamarca.

Foi assim que Knud Pedersen, junto com seu irmão mais velho Jens, fundou o Clube Churchill, um grupo composto por garotos jovens que tinham como objetivo sabotar as tropas alemãs que haviam se apossado da Dinamarca. O Clube Churchill inspirava-se nas forças britânicas, na resistência da Noruega perante à invasão alemã e na vontade de se impor contra uma guerra cheia de sofrimentos e perdas.

Sendo assim, o Clube Churchill foi o primeiro passo de imposição contra a ocupação nazista. Enquanto todos os adultos ficavam parados e deixavam ser conduzidos pela força alemã, o grupo sentiu a necessidade de tomar decisões revolucionárias que, futuramente, inspirariam o seu país.

O livro Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler é uma excelente demonstração de resiliência e coragem, demonstrando como os jovens podem mudar o mundo e inspirar todos ao seu redor. O autor Phillip Hoose entrevistou pessoalmente Knud Pedersen, um dos criadores do Clube Churchill, e expôs com detalhes na obra como cada acontecimento e decisão foram decisivos para o futuro de cada membro e também para o futuro da Dinamarca.

É incrível como garotos menores de idade conseguiram iniciar uma revolução na Dinamarca e acordar a população para o que estava realmente acontecendo. Chega a ser inspirador em como esses jovens mudaram o rumo do seu país e como não pararam de lutar pelo o que acreditavam, independente das consequências. Eles sabiam que o que faziam era arriscado demais e que se fossem pegos a punição poderia chegar à morte, mas, mesmo assim, isso não os impediu de lutar e desejar pela liberdade.

Por isso acredito que a leitura torna-se obrigatória para todos que gostam de livros não-ficção e que também apreciam aprender mais sobre as histórias do nosso mundo. É ótimo para termos contato com uma nova visão da Segunda Guerra Mundial e conhecermos mais uma história inspiradora.

Resenha completa no blog Sonhando Através de Palavras.

site: https://www.skoob.com.br/os-garotos-dinamarqueses-que-desafiaram-hitler-1007879ed1009758.html
comentários(0)comente



Luiza.Glaciete 27/02/2020

Os garotos Dinamarqueses que desafiaram Hitler
Muito bom. Narrativa simples e envolvente. Recomendo a leitura.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2