Quincas Borba

Quincas Borba Machado de Assis




Resenhas -


13 encontrados | exibindo 1 a 13


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ize 08/11/2020

Rubião tornou-se enfermeiro e amigo do milionário Quincas Borba. Quando Quincas Borba morre, Rubião herda sua fortuna.
comentários(0)comente



Suzana 13/10/2020

O riso, o choro e o Cruzeiro
Apesar de ter sido uma leitura arrastada, o que eu creio que se deve ao modo como foi originalmente publicado, é simplesmente impossível não se constatar a excelência da escrita do Machado. Quincas Borba é povoado por personagens interessantíssimos e tridimensionais, pontuado do início ao fim por ironias engraçadas ou deprimentes, o que espelha perfeitamente o argumento no qual o livro é construído e do qual também caçoa: a sobrevivência humana é pautada por conflitos inescapáveis, e para que haja um vencedor, é necessário um perdedor, no entanto, isso de nada importa, no fim das contas, a tristeza e o júbilo dos mortais tem semelhante peso no desenrolar do destino, e do alto do Cruzeiro que a bela Sofia se recusou a fitar, riso e choro se confundem.
comentários(0)comente



Mari 12/10/2020

Livro cobrado pelo vestibular
Mais uma vez lendo uma obra literária para a Fuvest.

Eu adorei o livro, apesar de ter pensando que eu iria odiá-lo ou me irritar com a narrativa como em Memórias Póstumas De Brás Cubas.

Eu odiei o Rubião no começo por bater no cachorro, é um cachorro e ama você!! Não o trate assim!! Mas confesso que acabei gostando dele e me irritando com a burrice ou ingenuidade dele. Toda hora queria dar dinheiro para as pessoas, cuidar dos entes e queridos, assinar 173818 revistas que ele nem fazia questão de ler, confiar o seu dinheiro a estranhos e isso não terminar muito bem :/

A personagem que mais me irritou foi a Sofia. Mano, que mulher chata, mentirosa, falsa, interesseira, cozinheira de homem e tudo de ruim!!! Escrota demais!!!

Gosto da crítica traçada por Machado de Assis e nem precisa estudar muito para entendê-la, pessoas que aproximando de outras pelo seu status social e quando você o perde, elas dão as costas para você.

Gostei mesmo!!!
Leiam!!!
comentários(0)comente



Louise 10/10/2020

Ao vencedor, as batatas!
O segundo livro da trilogia realista de Machado de Assis, para mim, não supera o último - Dom Casmurro - escrito em folhetim e só depois reunido para a publicação do livro, a obra não constituí-se apenas de um romance desprezível, o autor também aborda outros temas e histórias que chega a tornar a leitura fatigante. Porém, em relação ao contexto, a sua narração não passa de uma sátira ao positivismo e à teoria de Darwin.

O filósofo Quincas Borba com a sua teoria, "humanita", que também aparece em 'Memórias Póstumas de Brás Cubas', dá a ideia que a sua filosofia se baseia na lei dos mais fortes, como se descrevesse uma guerra em que os mais aptos ganhariam, guerra que seria essa, uma crítica á sociedade, pois no século XIX, (e o que perdura-se até hoje) as pessoas eram movidas por interesse e influências, e suas companhias eram selecionadas de acordo com status e riqueza que tal pessoa possuía. Tanto é, que desde de o início, o autor detalha essa seleção. Rubião escolhendo Quincas Borba para ser seu cunhado, devido à sua riqueza; Palha e Sofia escolhendo Rubião devido à sua herança.

Então nessa escalada ao patamar, Rubião é apresentado e guiado à corte pelo casal interesseiro que alimentam uma falsa amizade para desfrutar de seus bens, e quando se vêm bem financeiramente decidem "naturalmente" cortar a relação com o ex professor, deixando-o sem nada, e culpando o próprio de estar nessa situação por ser gastadeiro.

No leito de sua morte, (e em outras passagens também) o discípulo do filósofo diz: "Ao vencedor, as batatas!" As batatas seriam a fortuna, e os vencedores seria Palha e Sofia. E para que se possa ganhar, alguém tem que perder, esse alguém foi Rubião que perdeu toda a sua riqueza e lucidez. Só não perdeu o fiel Quincas Borba...
comentários(0)comente



Leo 20/09/2020

Fantástico
O que mais impressiona é a genialidade na escrita de Machado, é realmente impressionante. O enredo, para mim, ficou em segundo plano, embora tbm seja espetacular. Uma obra que faz jus a sua fama.
comentários(0)comente



Raphaw 30/08/2020

Acompanha porção extra de batatas?
Eu realmente gostei muito desde livro, adorei as críticas abordadas e o jeito que se é possível envolver com a trama(Algumas risadas e muitos babados hahah), diferente de muitas pessoas gostei do desenvolvimento dos vários personagens secundários, pois sou curiosa em pensar como viviam estes diversos tipos de gente naquela época. Para mim foi uma ótima leitura e recomendo a todos, já que cada vez me apaixono mais pelas obras de Machado!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Talita 22/07/2020

Uma grande obra de Machado de Assis
Esse livro nos apresenta o personagem Rubião, um inocente homem que acaba de receber uma grande herança do filósofo Quincas Borda, aquele humanista já conhecido do livro Memórias Póstumas de Brás Cubas.
Rubião conhece muitas pessoas, entre eles Palha, um homem extremamente vaidoso e que logo se interessa pelo seu dinheiro, por isso acaba sendo um bajulador, também conhece Sofia, esposa de Palha, a qual se mostra ao longo do livro uma pessoa que gosta de ser adorada por todos, inclusive pelo próprio Rubião, que acaba se apaixonando por ela.
Uma história típica de Machado de Assis, marcada por ironias e críticas ao comportamento humano, mostrando o quanto as pessoas podem ser interesseiras e o quanto podem mudar de atitude de acordo com a posição social do indivíduo que estão convivendo. Além disso, mostra que as pessoas esquecem rapidamente o bem que em outros tempos receberam e não se importam em retribuir.
Ademais, outro ponto que me chamou atenção foi o cachorro de Quincas Borda, que tem o mesmo nome do filósofo e foi destinado aos cuidados de Rubião, mostrando o quanto diferentemente dos humanos os animais são companheiros fiéis, independentemente da situação.
Uma obra essencial, que recomendo muito.
breno montserrat 22/07/2020minha estante
ai amiga muito cult amei


Talita 22/07/2020minha estante
Amigo a quarentena me mudou kkkkk




Bárbara 30/06/2020

Criativo
Foi o primeiro livro de Machado de Assis que eu li. O que mais me chamou atenção foi a criatividade do autor ao escrever. A linguagem não é tão rebuscada quanto as obras de José de Alencar nem tão simples quanto livros infantis. É equilibrada confortável para quem já se acostumou a ler livros clássicos da literatura brasileira.
comentários(0)comente



Rafa 30/04/2020

Bom
Foi uma leitura bem difícil para mim, acho que é um livro que precisa ter um certo grau de maturidade lara ler. Mas com certeza é um livro que desperta várias discursões filosóficas .
comentários(0)comente



Gislayllson 24/03/2020

O novo rico
Nesse livro temos a figura de Rubião, um professor que herda a fortuna e um cachorro de seu amigo filósofo Quincas Borba. Machado de Assis, através da narrativa sobre a vida do novo rico e de seus novos "amigos", tece sutis e irônicas críticas a uma sociedade que preza mais pela aparência e pelo dinheiro.
comentários(0)comente



Gabi 22/02/2020

Aos vencedores, as batatas
Gostei bastante da leitura, era de uma fluidez sem igual. Os capítulos eram curtos, o que acho muito interessante. Não foi o melhor do autor que já li, os outros livros foram mais divertidos e provocaram maiores emoções, porém, é um bom livro.
Ao longo do livro torci por um relacionamento extra-conjugal (vergonhoso!!!) que acabou revelando o caráter da moça e do seu marido, que mantinham relações com o apaixonado Rubião apesar de saberem de seus sentimentos apenas pelo dinheiro que o último detinha...
Ótima crítica à sociedade.
p.s.: odiei todos os personagens, completa decepção kk
comentários(0)comente



13 encontrados | exibindo 1 a 13