Cadafalso

Cadafalso Roberto Elisabetsky




Resenhas - Cadafalso


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Daniel Moraes 16/01/2020

Cadafalso
Cadafalso, é um romance que traz como pano de fundo a Polônia dos anos 1930, país desolado que lentamente tenta se reconstruir após a guerra, de onde Malka e Eva, judias ortodoxas, partem para recomeçar suas vidas no país onde o sol brilha mais alto, nosso Brasil varonil. Em nossas terras, elas chegam em meio ao caos causados pela violenta repressão oficial a cargo de Filinto Müller, chefe da polícia política do presidente ditador, Getúlio Vargas, cuja perseguição implacável sob seus opositores, em especial – com uma obsessão incomum, como se verá nesta história – os comunistas Luís Carlos Prestes e sua companheira Olga Benario.

Ambas, Malka e Eva desembarcam na cidade do Rio de Janeiro como prisioneiras da Zwi Migdal, organização criminosa ligada à comunidade judaica do Leste Europeu que explorava uma rede internacional de prostituição. E desde então, suas vidas são acometidas de histórias impregnadas de preconceito, violência, perseguição, medo e corrupção, que desemboca no título deste romance: Cadafalso.

Em toda a trajetória, o autor sempre manteve os comunistas Luís Carlos Prestes e sua companheira Olga Benario. em constante perseguição, e mesmo, sendo encurralados pelo chefe da polícia, Filinto, sempre se viu em vantagens pelos companheiros em diversos locais, que o apoiavam em sua militância pelo país.

Nesta obra, a construção do Cadafalso, Elisabetsky, se atentou em descrever as histórias e os nomes dos envolvidos na obra que foram destaque em sua época, tais como a belíssima, porém sofrida, Malka Libowitz, a jovem sobrevivente Eva Blum, o ítalo-brasileiro Vicente Volpato em seus ternos de fino corte, Teobaldo Simões e sua natureza beligerante, o Tonho, da Lapa, do Mangue e da Praça Mauá́, Filinto Müller, chefe da polícia de Getúlio Vargas, Olga Benario e Luís Carlos Prestes, o trompete de Louis Armstrong, fontes de encontros e embates desses tempos em que certezas, crenças e ideologias se encarregam de desvelar aspectos humanos que talvez preferíssemos manter à distância da luz.

Em suma, Cadafalso nos envolve por sua narrativa rebusta e intensa; nela, o escritor, Roberto Elisabetsky, nos mostra com realismo os acontecimentos na vida dos personagens nas mais diversas nuances, e a forma como a ficção se mistura com a dura realidade de quem deixa seu país de origem em plena guerra, e tenta uma vida medíocre em uma nação em outro extremo do globo, provando até onde o ser humano tem capacidade de superar os desafios propostos pela vida. Nem que este desafio seja para desafiar a própria existência.

site: http://bit.ly/Cadafalso
comentários(0)comente



1 encontrados | exibindo 1 a 1