A Hora Mais Sombria

A Hora Mais Sombria Meg Cabot




Resenhas - A Hora Mais Sombria


111 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Roberta Nunes 05/02/2010

Melhor da série até então...
Realmente não é nada surpreendente falar que mais um livro dessa brilhante série da Meg Cabot é excelente. Mas esse, em especial, superou minhas expectativas.

Com uma história envolvente e viciante, é quase impossível parar de ler. Acho que até aqui é o mais engraçado (a Suze está ainda mais sarcástica e admirável nesse volume), o mais cheio de mistérios (que deixam o leitor louco para entender e desvendar) e ainda possui cenas arrepiantes que talvez faltassem nos volumes anteriores.

O romance é um caso à parte em "A hora mais sombria". Não que faltasse romance nos outros três livros da série, mas nesse DEFINITIVAMENTE há muitoooo mais. Até porque tudo gira em torno do romance, pois nada teria acontecido não fosse a paixão (impossível?) da nossa querida protagonista pelo encantador Jesse.

Há também os novos personagens: o pequeno Jack e o intrigante Paul. Estou surtando para saber mais desse último, pois o final deixou muita coisa pendente nessa área.

E para falar em cenas memoráveis? Eu citaria uma em que a Suze se enfia no quarto do Mestre para passar a noite, tentando evitar a louca da Maria de Silva, com sua faca. É muito divertido ver todas aquelas ferramentas escondidas sob o lençol da Suzannah (machado, martelo, picareta...) e mais ainda quando o Jesse também as vê e começa um ataque de risos. E a ceninha que se segue além de divertida é tão doce. É muito fofo ver a preocupação do Jesse com sua "hermosa". A cena final então, nem se fala. Me deixou com gosto de quero mais.

Resumindo, "A hora mais sombria" tem tudo que um ótimo livro precisa ter. Talvez o que faltasse nele seria só mais páginas, pois quando acaba, o sentimento de frustração por querer continuar sabendo a história é enorme.

Brilhante, brilhante, brilhante! Recomendadíssimo!

comentários(0)comente



Julianna 24/03/2009

Lost in... A Mediadora
A séria A Mediadora para quem não sabe é composta de 6 livros ( sim sim... é isso que vocês estão pensando li 6 livros em 3 dias.. não foi muita coisa afinal.. eu sai, fiz comida, lavei roupa e dormi ... juro pra vocês que dormi)... enfim, são eles ( na ordem):
A Terra das Sombras; O Arcano 9; Reunião; A Hora mais Sombria; Assombrado; Crepúsculo.
E preciso compartilhar ( de novo porque já compartilhei lá na Galera Record ) simplesmente são os melhores livros e a melhor série da Meg Cabot..

Leia o resto desta resenha em :

http://lostinchicklit.blogspot.com/2009/02/lost-in-mediadora.html
Anita 22/01/2014minha estante
meuu deus! vc fez minha alegria agora. eu acabei de ler o livro tres e pensei ai só mais 2 livros rsrs aí li aqui que são 6! (eu comprei todos e pensei que eram só 5 rs), agoraaa to alegre sabendo que tenhoo mais 3 p ler ^^




Sora Seishin 12/07/2010

A hora mais sombria é o quarto volume da série A Mediadora, de Meg Cabot. Para quem ainda não sabe, a série acompanha uma jovem de dezesseis anos chamada Suzannah Simon, que é uma mediadora, isto é, uma pessoa com a habilidade de se comunicar com os mortos. Ela vive na Califórnia com a mãe, o padastro e seus três meio-irmãos, é amiga do Padre Dominic, diretor da escola (ele mesmo um mediador) e de Jesse, um fantasma de 150 anos que vive em seu quarto.

O livro começa com Suze indo trabalhar em um resort como babá, para ganhar um dinheiro extra durante as férias de verão. Mas é claro que isso não poderia dar totalmente certo, ainda mais quando o passado de Jesse volta para assombrá-lo e ela se dá conta que está perdidamente apaixonada por ele...

Eu devorei esse livro, comecei a ler no sábado de manhã e já terminei no domingo à noite, pois foi difícil deixar o livro de lado. Para piorar, ele termina com um mistério, que me deixou morrendo de vontade de ler o próximo volume. Recomendo!!!
comentários(0)comente



mariaelise 28/06/2009

Esse livro me lembrou Lua Nova. Eu chorei, eu ri, e o final foi muito bom. Simplismente, Meg Cabot arrasa!
comentários(0)comente



Edinara 30/10/2012

E o amor venceu
Nossa, esse livro me predeu pra valer. Finalmente o Jesse beijou a Suze.
O AMOR prevaleceu....
Deby 28/01/2013minha estante
Você acabou de fornecer um spoiler do livro...
Quando tem comentários dessa forma o certo é marcar como spoiler pra que as pessoas escolham se querem saber o que vai acontecer antes de terem lido ou não.


Edinara 29/01/2013minha estante
Olá Deby! Com certeza foi lindo!!




Diandra 21/02/2013

Decisões dificeis em a A hora mais sombria

Em A hora mais sombria Suzannah entra finalmente de férias do colégio (bom, só do colégio) porque na sua nova família todos trabalham durante as férias escolares, com a exceção de Mestre (David), pois ainda não tem idade.

Suze começa a trabalhar no mesmo hotel que Soneca como babá de um garotinho assustado chamado Jack, ao se aproximar dele descobre que também é um mediador.

Tudo estaria bem se Jack não tivesse um irmão SUPERGATO e SUPERINSISTENTE, Paul se sente atraído por Suzannah, mais o coração da mediadora é de Jesse fato que a deixa insegura por achar que seu companheiro fantasma de quarto não sente o mesmo. Fica cada vez mais claro os problemas que é namorar alguém que não pode ser apresentado e nem visto pelos amigos e família.

Suze é despertada da pior maneira possível, uma fantasma um tanto conhecida por Jesse a ameaça e diz que a escavação no quintal feita para instalação de uma mini piscina tem que parar. Mesmo assim a obra continua e são descobertas algumas cartas da fantasma para Jesse datadas a mais de 150 anos atrás.

Suzannah sente que pode perder Jesse e fica na duvida: deixar seu amor ir ou lutar para que fique mesmo sabendo que é um relacionamento impossível.

Agora a historia está mais centrada em Suze e Jesse, as duvidas aparecem, a torcida é grande pelo casal, mais nada é fácil para Suzannah e decisões precisam ser tomadas.
comentários(0)comente



Andrade 07/03/2013

A Hora Mais Sombria
AVALIAÇÃO PESSOAL: 5 Estrelas

Tal como era esperada da sequencia de uma série magnifica, cheia de terror, romance e muita, mas muita comédia. A Mediadora é uma das poucas sagas literárias que eu realmente tenho amado sem sombra de dúvidas todos os livros, não sabendo escolher qual seria o melhor. É aquele típico livro, que você pega numa tarde, e devora do dia para o outro, sem nem mesmo notar. A história te suga para o seu universo e logo você está cercado de personagens magníficos que adquirem vida assim, de forma mágica, saltando das páginas como loucos, e misturando-se com a sua realidade.
Nesse 4 volume da série, as coisas tomam rumos sombrios, e a história de Suzanna e Jessie começa a se intensificar. Sentimentos são postos a prova, e quando tantas emoções vem a tona, uma perigosa junção pode acontecer. Maria da Silva, antiga noiva do fantasma Jessie, está na área e promete trazer consigo o doce desejo de vingança, atormentando a vida de Suze mais do que deveria. Além disso, novos personagens entram em cena, como Jack, o pequeno mediador, e seu irmão, Paul, que só Deus sabe o que é. Admito que fiquei chocado com o final. Muitas coisas aconteceram e ficaram diversos mistérios que eu estou morrendo de curiosidade de solucionar, mas é claro, tudo tinha que acabar na melhor parte. Isto é bem clássico, e julgando como Meg elabora seus livros, eu sabia que o fim ia ser marcante, mesmo antes de chegar lá.
Uma das partes que mais amei em A Hora Mais Sombria foi porque Suze, realmente demonstrou seus sentimentos, e aquele lado durão dela desmoronou quando ela se viu prestes a ficar sem seu Jessie, entendendo o quanto ele era essencial para sua vida. Foi legal experimentar essas novas sensações. Geralmente, ela, como protagonista, consegue sem sombra de dúvidas variar bem entre a hora de chorar e a hora de meter a porrada. E é disso que mais gosto! Porque ela não é aquela típicas personagens "garotinhas" que sempre são indefesas e precisam de alguém para protegê-la. Pelo contrário, ela é durona. O embate entre ela e Maria foi tipo, muito irado. Eu fiquei imaginando cada palavra que era descrita na cena. Suze sem sombra de dúvidas detona com meu pobre coração.
O que tenho a salientar é o seguinte... Leiam A Mediadora! Vale muito a pena. Sinceramente, estou tentando encontrar qual o melhor volume até o momento, mas ainda não cheguei a uma conclusão. Quando chegar, aviso. E para os fãs de Suze e Jessie, aviso, cara, vocês vão amar o final!

Veja mais resenhas no meu blog:
http://devidandrade.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Nanawtf 12/12/2011

Ok, quando você olhar minha pontuação, você vai pensar que eu odiei o livro. Isso não é verdade. Eu gostei sim, a história é bem original, e a mais tensa dos quatro livros já lidos até agora. Personagens novos aparecem, e o surgimento de uma reviravolta na história. Sem contar que o Jesse ta mais fofo do que nunca, e finalmente - finalmente! - o relacionamento dos dois começam ~~yay!~~
Mas existe um ponto muito negativo e constante. A Meg enrolou muito! O livro consistiu em 200 paginas de puta lerdeza da Suzie, sempre repetindo o que a gente já sabia, e não apenas uma vez só, até que o livro pega forma e se torna uma aventura de tirar o folego. Isso era realmente necessário? Não! O livro 3 foi bom demais para ter uma continuação como essa, e espero realmente que o 5 seja mais forte.
comentários(0)comente



Gabs 17/07/2010

E é mais um livro da série A Mediadora que eu termino de ler com o coração batendo a mil. Já li vários livros em que a protagonista é tão dramática que chega a ser chata. Mas isso definitivamente não acontece com Suzannah. Ela tem, sim, algumas neuras de adolescente, mas ela não encana completamente com isso, ela segue a vida. Esse livro esclareceu muitas coisas, principalmente a respeito de Jesse, e ainda incluiu dois personagens que aposto que darão um empurrão magnífico na história. A Meg Cabot consegue deixar questões no ar, fazendo o leitor ficar curioso e, consequentemente, ir atrás dos outros volumes da série. Por exemplo, eu estou louca para saber o que vai acontecer com o Jesse e a Suzannah (que afinal, o final foi lindo, vamos concordar), o que o Paul é exatamente, se eles vão voltar para a cidade e como vai acabar toda essa história de mediação. Acho que por enquanto, foi o livro que mais me envolveu. Amei demais.
comentários(0)comente



Isabelle Alfen 30/12/2013

A Mediadora - A Hora Mais Sombria (Vol. 4)
O quarto livro da séria A Mediadora foi o melhor livro que eu li dessa série (lógico ainda falta dois volumes pra terminar mas tudo bem haha) todos eles (os quatro primeiros que eu li) foram ótimos, mas esse foi um pouquinho melhor.

Suzanna imaginava que teria um verão tranquilo, passando o dia todo tomando sol na praia, mas ela estava engana, durante o verão ela teria que ter aulas particulares ou arrumaria um emprego, então, ela optou pelo emprego.
Ela trabalhou como babá em um Hotel, e lá ela encontra um garotinho chamado Jack que depois ela descobre que ele é Mediador.
Suzanna ainda contínua super apaixonada pelo fantasma que vive em seu quarto, o gostoso Jesse, um fantasma de 150 anos.

Esse quarto livro conseguiu ter bastante assunto e isso me deixou bem feliz, teve pouca enrolação e mais ação.
O único motivo por eu ter dado 4 estrelas foi que durante a leitura tive uma pequena ressaca literária, e isso me deixou meio desanimada durante a leitura, mas posso dizer que gostei muito desse livro e super indico essa série.
César 02/03/2014minha estante
ÓTIMO!




JorgeMota 24/07/2010

Realmente a hora mais sombria...
O que fazer quando o seu amor realmente te abandona?

Não que Jesse quisesse isso - e ele realmente não queria - nem que suzanna tivesse feito algo para que ele se fosse, mas em um dado momento dessa narrativa ele simplesmente... Se foi...

Suzanna, agora, terá a missão de traze-lo de volta a qualquer custo.

Mesmo com as cizatrizes dos seus livros anteriores e beirando a descobrir novos temores ela não dá bobeira e embarca no mundo das sombras - um local em que ela seuqer sabia que existia, mas que supunha.

E ela só consegue graças a Jack, um novo mediador de apenas 8 anos de quem Suze está tomando conta como babá.

Com ele, vem seu irmão, Paul, que lança um temido mistério na série...

Ele demonstra ser melhor, mais forte e mais esperiênte Suze que, mesmo com anos de esperiência, fica estupefada com ele.

...

O que é mediador? Quem deu origem a isso? Do que eles são capazes e o que não são?

Suze terá essas e outras dúvidas nesse maravilhoso livro da série.
comentários(0)comente



13/10/2012

Em A Hora Mais Sombria, quarto livro da série A Mediadora, Suzannah sofre com sua paixão por Jesse - o fantasma "muito gato e com abdômen de tanquinho", que "vive" assombrando seu quarto. Desta vez, Suzannah aproveita as férias de verão para incrementar seu guarda-roupa com o dinheiro ganho com um trabalho árduo e muitíssimo trabalhoso. Enquanto passa seus dias como babá, sonhando com aquele novo par de Manolo Blanik ou aquele vestidinho Prada, ainda arruma tempo para orientar um menino de cinco anos que se revela um mediador. Para completar, precisa fugir das cantadas do irmão mais velho do moleque, que guarda um estranho segredo.
Mas esse é o menor de seus problemas: acordar no meio da noite com uma faca na garganta, empunhada pela ex-noiva (morta!) de seu namoradinho fantasma, não pode ser um bom sinal. Ainda mais quando a fantasma exige que a construção de uma piscina nos fundos da casa de Suzannah seja interrompida imediatamente. Nossa mediadora preferida começa a pensar o que a fantasma tem tanto medo que encontrem. A possibilidade de ser o corpo de Jesse não está completamente descartada. E se for isto mesmo? E se, ao solucionarem seu assassinato, o rapaz conseguir, enfim, passar para o outro lado? Como ela vai agüentar de saudades.

Em “A Hora mais Sombria”, Suzannah se vê numa furada. Agora ela tem que trabalhar como babá num hotel para grã finos, o Pebble Beach Hotel and Golf Resort, pois Andy, seu padrasto tem uma norma em sua casa: Nas férias escolares, ou você faz aulas particulares, ou você trabalha!
Então Soneca, seu meio-irmão mais velho, conseguiu para ela este emprego, no mesmo local onde ele trabalha como salva vidas. Enquanto Mestre vai para uma colônia de férias de Informática e Dunga – nas horas de folga de suas aulas particulares – ajuda o pai em sua mais nova empreitada: A construção de uma mini-piscina aquecida. Para isso eles precisam antes de mais nada, cavar um grande buraco para instalar a mini-piscina. E é aí que começam os novos problemas de Suze.
Dunga e Andy encontram uma lata com cartas muito antigas, enquanto cavam o buraco.
Quando Suze chega do trabalho, ela descobre que as tais cartas foram escritas por Maria, para seu então noivo, Jesse. Suze fica chocada com Maria e suas futilidades, imaginando como Jesse poderia se casar com uma pessoa assim. Ela pega a lata com as cartas para levar ao Centro histórico de Carmel.
Mas antes, ela precisa convencer Jack, um menino de 8 anos, filho de um casal de médicos, que está hospedado no Pebble Beach Hotel and Golf Resort, a sair do quarto.
Jack é um menino bom, mas estranho. Ele nunca quer sair do quarto e ele tem um motivo para isso, que eu não vou contar...rs
Enfim, ela o convence a sair e isto muda completamente a vida de Jack. Ele agora é uma nova criança.
Mas, quem surge agora para embalar os sonhos de Suze?
Maria!
Pois é, a própria... a ex-noiva de Jesse resolve voltar do descanso eterno para atormentar o sono da nossa heroína.
Maria quer que Suze faça com que Andy e Dunga parem de cavar. Mas porque será?
Isso vocês vão ter que ler para descobrir. Neste volume, surge um novo personagem apaixonado por Suze, Paul Slater, irmão mais velho de Jack e quer a todo custo sair com ela.
Também temos novas descobertas sobre a morte de Jesse e uma linda demonstração de amor de Suzannah por sua paixão, o “hipermegaultra” gostosão, o fantasma com peitoril de tanquinho, Jesse!
E um final que merece aplausos.
comentários(0)comente



Kath 24/05/2014

Não é sombria por acaso!

A Meg Cabot não estava brincando quando batizou esse livro, acredite em mim! No quarto livro da série A Mediadora, acompanhamos Suzannah Simon em sua mais nova empreitada: O trabalho! Pois é, a nossa garota durona vai entrar na linha dos Ackerman e pegar no batente! E não poderia ser nada mais parecido com ela: Babá (Realmente, a cara dela não acha?). E é nesse trabalho em um luxuoso hotel que Suzannah conhece Jack, um garotinho de oito anos que surpreendentemente também é mediador e, a partir de sua tarefa de cuidar do menino e inicia-lo no mundo dos fantasmas, a garota vai entrar de cabeça em outra missão quase suicida: o passado de Jesse. Após receber uma visita nem um pouco cortês de Maria de Silva, a ex-noiva de Jesse, que lhe dá ordens para que Andy pare de cavar a piscina, Suzannah esta certa de que lá vai encontrar o corpo de Jesse, assim como foram encontrada as cartas de Maria dentro de uma caixa de charutos.
Dividindo seu tempo entre o trabalho de verão e sua investigação particular, Suzannah acaba se envolvendo novamente em uma luta pela sua vida, quando Jesse é exorcizado e Maria se torna uma ameaça para ela e sua família, assim como para o padre Dom, Suze vai se envolver em uma luta perigosa contra o tempo na terra das sombras para tentar encontrar Jesse e trazê-lo de volta para o plano terreno.
Esse livro é a minha definição de INCRÍVEL! Ao contrário da série Os Imortais, a coisa não vai piorando de um livro para outro na Mediadora. O clima constante de tensão e mistério prendem de você de modo que você mal nota quando chega ao último capítulo até ver a palavra fim! Em A Hora Mais Sombria, nós temos revelado o que realmente aconteceu com Jesse e ainda acontece algo que nós esperamos com Suzannah pacientemente nos outros três livros!
comentários(0)comente



Karen 07/12/2013

O melhor livro da série ! :)
Tal como era esperada da sequencia de uma série magnifica, cheia de terror, romance e muita, mas muita comédia. A Mediadora é uma das poucas sagas literárias que eu realmente tenho amado sem sombra de dúvidas todos os livros. É aquele típico livro, que você pega numa tarde, e devora do dia para o outro, sem nem mesmo notar. A história te suga para o seu universo e logo você está cercado de personagens magníficos que adquirem vida assim, de forma mágica, saltando das páginas como loucos, e misturando-se com a sua realidade.

Nesse 4 volume da série, as coisas tomam rumos sombrios, e a história de Suzanna e Jessie começa a se intensificar. Sentimentos são postos a prova, e quando tantas emoções vem a tona, uma perigosa junção pode acontecer. Maria da Silva, antiga noiva do fantasma Jessie, está na área e promete trazer consigo o doce desejo de vingança, atormentando a vida de Suze mais do que deveria. Além disso, novos personagens entram em cena, como Jack, o pequeno mediador, e seu irmão, Paul, que só Deus sabe o que é. Admito que fiquei chocada com o final. Muitas coisas aconteceram e ficaram diversos mistérios que eu estou morrendo de curiosidade de solucionar, mas é claro, tudo tinha que acabar na melhor parte. Isto é bem clássico, e julgando como Meg elabora seus livros, eu sabia que o fim ia ser marcante, mesmo antes de chegar lá.

Uma das partes que mais amei em A Hora Mais Sombria foi porque Suze, realmente demonstrou seus sentimentos, e aquele lado durão dela desmoronou quando ela se viu prestes a ficar sem seu Jessie, entendendo o quanto ele era essencial para sua vida. Foi legal experimentar essas novas sensações. Geralmente, ela, como protagonista, consegue sem sombra de dúvidas variar bem entre a hora de chorar e a hora de meter a porrada. E é disso que mais gosto! Porque ela não é aquela típicas personagens "garotinhas" que sempre são indefesas e precisam de alguém para protegê-la. Pelo contrário, ela é durona.

O que tenho a salientar é o seguinte... Leiam A Mediadora! Vale muito a pena. E para os fãs de Suze e Jessie, aviso, cara, vocês vão amar o final!
comentários(0)comente



Cris Paiva 23/02/2015

O historia faz juz ao título. É de arrepiar!
O padrasto de Suze resolve instalar uma mini-piscina no quintal de casa, durante as férias de verão, e assim que começam a cavar o quintal, Suze recebe a visita de uma fantasma sanguinária, que ja aparece enfiando uma faca em seu pescoço e é bem taxativa: A obra tem de parar! A madame não quer ninguém ninguém cavando o quintal.
A fantasma não é ninguém mais ou menos que a antiga noiva de Jesse, a famosa Maria. Mas porque será que ela não quer a obra? O que tem escondido naquele quintal que deixa um fantasma de 150 anos tão nervoso que o faz sair da tumba e aparecer para uma visitinha? A Suze decide pagar para ver.
E infelizmente as noticias não são das melhores. Logo depois seu padastro desenterra um cadáver, e parece que ela conhece muito bem o dono daquele corpo...
Agora ela tem de lidar com um fantasma enfurecido, um corpo, e para piorar ainda esta servindo de babá para um aprendiz-mirim de mediador, e tem de fugir dos avanços indesejados do irmão mais velho dele.
Não bastasse tudo isso para alegrar o dia, tem um exorcismo também! E uma macumba brasileira, com direito a sangue de galinha. Só faltou a farofa e a pinga, mas acho que isso é difícil achar nos Estados Unidos...
Livrinho arrepiante, mas para mim foi o melhor de todos até agora.
comentários(0)comente



111 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |