Bem-vindos à Rua Maravilha

Bem-vindos à Rua Maravilha Gabriel Mar




Resenhas - Bem-vindos à Rua Maravilha


105 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Queria Estar Lendo 24/04/2020

Resenha: Bem-vindos à Rua Maravilha
Esta é uma resenha apaixonada, uma carta aberta a Gabriel Mar e uma declaração a vocês. Sentem-se de maneira confortável, peguem uma bebida quente e me deixem contar sobre esse livro. Bem-vindos à Rua Maravilha, por favor, sintam-se em casa!

A história de Igor começa como todas as outras deveriam começar, te pegando pela mão e te fazendo mergulhar naquele universo. É imediato. Uma frase e BUM, eu já estava ganha. Esse é o poder da narrativa do Gabriel.

"Essa é a história, Igor. Essa é a história que você nasceu para viver."

Igor é um jovem adulto, mimado e cheio de inseguranças. Quando escreve sua primeira história, Rua Maravilha, nem imagina o poder de suas palavras. Eis que entra em cena André, um dos nomes mais promissores do teatro atual, e ele está pronto para trazer vida e música ao que antes eram apenas ideias em um papel.

Que comece a ação, Rua Maravilha vai virar um musical! Igor e André resumem suas vidas a fazer com que cada personagem seja digno de sua trajetória, que tenha uma história para cantar. Entra em cena o elenco, um grupo diverso e cheio de diferenças e peculiaridades. Um único objetivo em comum: dar vida à Rua Maravilha.

"Vocês vão viver esses personagens juntos; vão viver esse processo juntos. Hoje, vocês são um elenco. Ao fim desse mês, serão um grupo."

E a vida se mistura ao musical, tudo é uma grande bagunça na qual Igor é o protagonista. Suas amizades são leais, sua paixão é confusa e insegura. Medos e anseios se confundem entre o que é cantado e aquilo que é vivido.

O paralelo entre Igor e Hugo se estabelece. Enquanto você se afoga nos sentimentos e incertezas do primeiro, também é salvo pela força e lutas do segundo. Gabriel Mar sabe te manter preso a cada nova página.

Do roteiro até a estréia um mundo de aventuras aguarda o elenco. E dramas. Muitos dramas. E risos. Todos os risos. Bem-vindos à Rua Maravilha tem esse poder; vai te fazer chorar, vai te fazer sorrir. E, se você for como eu, vai te fazer chorar & sorrir.

O livro não é perfeito, não me entendam mal. Cortaria algumas cenas e pequenos capítulos, diminuiria um pouco as quebras de narrativa. Definitivamente retiraria a quebra da quarta parede. Mas isso é tão pouco, tão pequeno perto de como me senti, que quase nem importa.

"- Preste atenção, sem sobrenome: você não pode contar histórias se vive fugindo da sua."

Assisti um vídeo do Gabriel, antes de vir aqui. Ele explicava como avaliava os livros, o que considerava importante. O primeiro fator que ele citou foi sobre "o objetivo daquela história"; o que o autor queria contar ao final daquilo tudo, qual o mote do livro.

Se fosse resumir Bem-vindos à Rua Maravilha, eu diria que seu papel no mundo é existir. O protagonista é negro com traços indígenas, uma mistura perfeita do pai e da mãe. O elenco conta com personagens asiáticos, negros, gordos, LGBT+. O romance central é gay, tanto no livro quanto no musical.

Gabriel trata a diversidade tal qual ela é na vida real. Aqui, representatividade não é cota.*

Além disso, tem Igor. Igor que é tão chato e inseguro. Igor que, conforme as resenhas que li, é impossível de se gostar. Igor que me tirou do sério e me fez revirar os olhos. Igor, com quem me identifiquei mais do que gostaria.

Não é fácil escrever um protagonista carismático. Nem sei se Gabriel tentou. Igor não está ali para ser amado ou compreendido. Sua função é muito clara: aprender, crescer, evoluir. E a lição que fica é a mais importante: a conquista da felicidade precisa vir de dentro, ou ela não é o bastante.

"Naquela noite de inverno, a Rua Maravilha foi aberta pela primeira vez."

Bem-vindos à Rua Maravilha está entre os melhores livros que li este ano. Gabriel Mar é um autor que pretendo acompanhar. Não sou capaz de descrever o sentimento genuíno de felicidade que tive ao ler este livro. Nunca desejei tanto por uma adaptação nacional.

* sou defensora ferrenha das cotas quando se fala de "ação afirmativa e reparação histórica", no contexto presente me refiro a autores(as) que inserem UM ou dois personagens de minoria e acham que "já fizeram seu papel"

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2020/04/resenha-bem-vindos-rua-maravilha.html
comentários(0)comente



Vinicius 04/05/2020

Bem-vindos à rua maravilha
Tem alguma coisa nessa livro que não me encantou. Eu amei a escrita e o o modo como Gabriel Mar construiu essa história. Eu com certeza leria outro livro seu, caso me interessasse pela história.

Rua maravilha começa com muita promessa (ou o twitter que prometeu), enfim... metade do livro e eu não tinha mais um motivo que me fizesse continuar além do meu amiguinho. (Fiz leitura conjunta, etc).

O Igor é chato, e esse foi um dos principais motivos para que eu não sentisse interesse. Eu não consegui me relacionar em nada com esse protagonista. Eu também achei que sua evolução foi muito do nada. De um capítulo pro outro.

O romance é a pior parte, definitivamente, e esse é o que fez com que eu tirasse uma estrela desse livro. É simplesmente DO NADA, não leva pra lugar NENHUM e tem química ZERO. Tava esperando um desfecho diferente, pra tentar achar um propósito... mas não teve.

Por outro lado, gostei bastante da Siena, queria muito que o Gabriel trouxesse alguma coisa (um conto, talvez?) com essa personagem. No começo achei meio forçado, mas conforme ela foi se desenvolvendo eu vi nela o mais próximo do que um protagonista deveria ter sido nesse livro.

Rua maravilha é um bom começo, e tem elementos muito fortes na narrativa. Foi uma leitura okay pra passar o tempo.

site: www.viniciustorres.com.br
Luiza de Sá 27/05/2020minha estante
Achava que eu era a unica pessoa amargurada, porem nao consegui gostar de Igor, achei ele um mimado e com pouco carisma


Luiza de Sá 27/05/2020minha estante
Achei que eu era uma das unicas pessoas que nao conseguiu gostar do Igor, mas achei ele mimado e pouco carismatico ?


Vinicius 27/05/2020minha estante
Simm, o pior é que ele é o tipo personagem chato que não tem 1% de identificação com nada. Só é chato por ser chato mesmo...


Lucas @_olucascosta 02/07/2020minha estante
Na minha opinião, são inúmeros os probelmas: o autor tenta dar uma de Lemony Snicket/Machado de Assis, e falar com o leitor, mas as intervenções do narrador ficaram odiosas, num nível "tio do pavê"... Os comportamentos do Igor, que são simplesmente IRREAIS; não aguento a autocomplacência dele, nem essas reflexões rasas e INCESSANTES. Ficou parecendo que, quando o autor começou a escrever o livro, ele já tinha concebido a evolução do Igor no final, mas ele fica enrolando MUUUUITO pra fazer com que ela aconteça. Ele já teve infinitas oportunidades de evoluir, mas parece que ele só vai mudar na exata situação que o autor tá forçando a não aparecer... E ainda tem a retratação feminina, que eu achei bem problemática: ou elas são ignoradas, ou demonizadas, ou rivalizadas entre si...




Bia 30/07/2020

Um mix de teatro e autoconhecimento
"Bem Vindos à rua maravilha" é um livro que nos apresenta a trajetória do Igor, que do nada escreveu um musical e conseguiu com que a produção dele ocorresse.

Em meio ao ensaios muitos obstáculos e percalços acontecem, mas principalmente Igor começa a refletir sobre sua vida, tendo uma experiência de autorreflexão, o que acaba passando para o leitor.

Logo, a gente começa a ler o livro pensando que algo sobre musical, mas é muito além disso, é sobre relações, amizade, trabalho e amor, muito amor...
comentários(0)comente



Luíza 07/06/2020

Nota 2.5
Não gostei muito não. Achei o protagonista muito chato, mimado, sei lá. Não consegui entender o motivo de tanto drama que ele faz o livro inteiro, provavelmente porque não entendi a história dele direito. Pra mim ele só pareceu egoísta e mimado mesmo. Não sei se isso é culpa do livro ou se eu só não consegui me conectar com ele.

Não curto musicais e por isso nem ia ler o livro, mas ouvi falar bem então resolvi dar uma chance. Acho interessante a coisa do teatro, os ensaios, etc, então acredito que a parte do musical nem foi o motivo de eu não ter curtido. Se tivesse sido um pouco diferente acho que eu teria gostado bem mais mesmo o foco sendo uma coisa que geralmente não me interessa.

Achei que seria um livro gostosinho pra ler bem rápido mas no fim eu demorei uns 4 dias pra terminar e não me agradou muito, infelizmente.
comentários(0)comente



Renan 30/06/2020

Bem Vindos à Rua Maravilha demorou MUITO para engrenar. Os primeiros capítulos são cansativos, muitos nomes, muitas explicações e pouca história.

Os últimos capítulos são incríveis e fazem links com histórias perdidas lá no início.

Não me arrependo de ter lido, mas esperava um pouco mais do relacionamento de Igor e Gael. Aliás, Gael quase não aparece. Apagadinho. Igor, foi meu personagem mais odiado. Que nervoso! Que pessimismo desse homem, gente!

O importante foi notar uma evolução nele durante a obra. Uma observação que deve ser feita: todas as personagens mulheres são incrivelmente fortes e marcantes.

Parabéns ao Gabriel Mar e vida longa à Literatura nacional.
comentários(0)comente



'duarda 10/04/2020

Não sei lidar com o quanto gostei desse livro
A narrativa é tão boa e gostosa, logo nas primeiras palavras o autor já te segura pelas mãos e te guia por aquela que você sabe que será uma história grandiosa.
Senti vibes de Vitor Martins, senti que tem potencial para ir até além.
É inegável o humor e a leveza da história, e como é fácil de mergulhar no mundo de Rua Maravilha.
Mesmo nas partes que me irritaram um pouco, se peca pelo exagero.
Igor é falho, irrita e demora muito para começar a se ver. Mas esses é um dos seus aspectos mais humanos. É nas suas falhas que Igor se conecta. Me vi em seus medos, na relação conturbada com a família e que ao ler me soa tão ingrata, mas que não pude deixar de me ver refletida e de traçar paralelos.
Queria ver essa história sendo adaptada, os personagens tomando vida, queria uma noite assistindo ao espetáculo Rua Maravilha.
comentários(0)comente



Amanda Challyne 02/04/2020

Esperava mais :(
O livro em si tem uma história boa, o que me incomodou muito foi o personagem principal. Até uns 70% do livro eu não consegui me conectar com ele, sempre recuado, meio vitimista e na maioria das vezes injusto e ingrato principalmente com sua mãe e Gael. Queria ter gostado mais, infelizmente!
Michele 04/04/2020minha estante
Nossa! Achei a mesma coisa...




Ellypxo 24/07/2020

o livro mais mágico que ja li, obrigada por tudo gabriel mar você me entrou o que eu nem sabia que precisava
comentários(0)comente



Nani.Belote 24/06/2020

Eu não sei por onde começar...
Ok, vou começar dizendo que essa peça precisa existir. Estou mais que pronta para ver Rua Maravilha no teatro. Por favor alguém faça isso acontecer.

Igor sem sobrenome é um jovem perdido, cheio -em partes completamente desproporcionais- de sonhos e medos, que passam a ser reais demais quando o roteiro de sua peça cai nas mãos do renomado diretor André Mariani.

O fato do protagonista não saber ao certo o que ele quer e ter tantas dúvidas e incertezas o torna, ao mesmo tempo, uma personagem bastante fácil de se identificar e um tanto irritante
(de um jeito legal, mas ainda assim) e isso impacta diretamente na narrativa, que é um reflexo da mente conturbada do rapaz. E tenho que dizer que eu adorei ler as confusões dele e a forma como o autor descrevia alguns sentimentos de uma maneira tão diferente do que eu estou acostumada a ler por aí, como o sentimento de "não lembrar onde guardou uma nota de cem”. Perfeito.
As outras personagens são incríveis, adorei o Jackie e o Tim e depois de algum tempo a Siena também. Todos têm um porquê de estar lá e, se você for paciente com o Igor, você vai entender. A única coisa que eu não consegui acreditar muito foi o romance, mesmo depois de todo o resto ficar claro. Mas como não era bem esse o ponto da história, para mim tá tudo certo.

Voltando à peça, acho que a trama é absolutamente necessária no nosso contexto atual e eu quero muito ouvir essas músicas, porque os trechos que o Gabriel inseriu no livro me deixaram curiosa. Porém, vou ter que concordar com uma crítica aí que diz que queria ver mais do final…

[Ah! Acho que uma última revisão do texto cairia bem, mas nada que tenha prejudicado a leitura de forma alguma!]

Acho que estou esquecendo coisas muito importantes, mas por hora é só isso que me vem a cabeça. Por favor leiam esse livro, é uma leitura rápida, gostosinha, recheada de representatividade e ~intrigas.
comentários(0)comente



Vivis 14/02/2020

O livro foi tão recomendado que cedi, criei coragem e fui ler. A leitura é bem cativante, o que torna bem mais fácil de continuar lendo, só esperava um final um pouco diferente, mas não decepcionou em nada.
comentários(0)comente



de_demendes 29/04/2020

Foi muito gostosinho ler esse livro. Há dias eu sentia que estava entrando em uma ressaca e decidi pegar esse (amém) porque a sinopse parecia super divertida, e de fato a história é. Os ambientes da trama são muito incríveis, esse foi o primeiro livro que li que se passa em um teatro, adorei. Os personagens secundários são de longe a melhor coisa da história, principalmente o Jackie (perfeito, dono de mim). Minhas ressalvas são em relação ao protagonista que passou mais da metade do livro sendo um chato e um romance totalmente desinteressante. No geral, foi uma leitura mara.
comentários(0)comente



Thayse 10/03/2020

Acho que não sou o público
A leitura é bem fluida e fácil, a história é interessante, mas acredito que eu não seja o público. O protagonista me irritava as vezes, mas pode ser pq eu já tenha passado um pouco da idade de ter os dilemas que ele tem, ou seja pq ele é bem egoísta msm.
Amanda Challyne 02/04/2020minha estante
Sim, o Igor estragou muito a experiência pra mim. Inseguro, ingrato e vitimista na maior parte do tempo!


Michele 05/04/2020minha estante
Ele é egoísta, o chato do rolê...




luan_dal 06/09/2020

hum estou dividido
Eu tenho sentimentos contrários em relação a esse livro...

Narrado por Igor sem Sobrenome, que tem seu sonho realizado quando sua peça vai ser encenada e precisa ensaiar com os atores e lidar com um amor por um garoto (que está no elenco).

A mensagem por trás da história é muito boa, pode ajudar muita gente a passar por um período difícil, principalmente se o leitor se identificar com o Igor. como eu.

O Igor é quase meu irmão gêmeo de personalidade, a gente tem muita coisa parecida: a timidez, insegurança, as piadinhas, a mente bagunçada que pensa trinta coisas por minuto, e outras coisas mais. Mas eu me irritei um pouco com ele, assim como me irrito comigo. Em alguns momentos eu só queria colocar minhas mãos nos ombros dele e gritar "CALMA GAROTO DESCANSA UM POUCO, VC ESTA SENDO CHATO E IRRITANTE!!"

Outra coisa que me irritou foi os demais personagens, que fazem parte do elenco. Eles são adultos, mas muitos agem de forma muito infantil (com direito a pó-de-mico!!!!!), mas depois esse comportamento é explicado e eu os desculpei.

Além disso, eles precisavam URGENTEMENTE fazer umas meditações pra trazer boas energias pra vida deles, porque sempre acontecia alguma coisa pra prejudicar o andamento da peça, seja problemas no convívio entre eles ou no local da apresentação. A primeira foi 'tudo bem', na segunda foi 'ok', mas na terceira ficou chato e irritante.

O que eu gostei muito foi a relação entre Igor e outros personagens, principalmente com o Jackie (melhor pessoa com toda a certeza), e também que o livro não é centrado no romance com o Gael, por mais que tenha uma parte significativa na história, não é só sobre isso.
comentários(0)comente



Ramirez.Balbino 26/02/2020

Divertido
Sendo sincero eu esperava muito mais da história.
Vi várias pessoas recomendando então fiquei empolgado.
Não consegui me conectar com o protagonista da história(achei ele muito chato) Os amigos dele são bem mais interessantes.
Contudo o livro não é ruim, consegue te entreter com um cenário que eu nunca tinha visto antes, narrar um musical em um livro.
comentários(0)comente



Thaíssa 09/05/2020

A Magia do Teatro
Um dos principais elementos que me fizeram gostar tanto desta obra foi a mensagem sobre correr atrás de seus objetivos. Igor, um homem que viveu se repreendendo, teve a chance de transformar seu sonho de infância em realidade.
Foi mostrado o drama por trás das cortinas. O quanto todo o elenco tinha por objetivo crescer, mesmo que tivessem que magoar aos outros durante o processo. Personagens bem trabalhos.
Ao mesmo que gosto de Igor sem sobrenome, senti diversas vezes vontades de lhe acertar uns tabefes. Acho que isso deu um toque de realidade em sua personalidade. Uma pessoa com sonhos e inseguranças, amor e egoísmo. Um livro incrível.
comentários(0)comente



105 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7