Convite para um homicídio

Convite para um homicídio Agatha Christie
Agatha Christie
Agatha Christie




Resenhas - Convite Para um Homicídio


82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Aline Jardelino 10/12/2019

Miss Marple
Esse foi o primeiro livro de um caso de Miss Marple que leio. Tinha muita curiosidade em conhecer essa detetive feminina criada pela rainha do crime - Agatha Christie. De início pensei em uma versão de uma jovem altruísta, mas fui surpreendida por uma velhinha bisbilhoteira. Com uma doce voz e ternos olhos azuis. Como sempre me surpreendi com o final e devo confessar que senti falta de uma presença maior de Miss Marple na história.
comentários(0)comente



Karol Sou 24/11/2019

Trama que prende o leitor
Do começo ao final fica a expectativa sobre o que irá acontecer
comentários(0)comente



Lilyan - Sushi Books 08/10/2019

"Convida-se para um homicídio, a ter lugar sexta-feira, 29 de outubro, em Little Paddocks, às 18h30. Espera-se a presença de todos os amigos da família; não haverá outra convocação" .

Convite para um Homicídio da rainha do crime Agatha Christie é uma de suas mais mirabolantes tramas. A estória começa quando Letty Blacklock fica surpresa com um estranho anúncio no jornal que não sabe como foi para lá, diz que haverá um homicídio em sua casa e todos estão convidados. Claro que os moradores da cidade entende que é uma brincadeira e como todo bom inglês do interior a curiosidade foi maior. Eles comparecem na casa como quem não quer nada (é muito engraçada essa parte) e sim, alguém acaba sendo assassinado! Mas por qual motivo anunciariam no jornal? Qual a razão de armar todo esse circo pra cometer um assassinato? E por que justamente na casa de Letty Blacklock?

É incrível como um livro publicado em 1950 ainda consegue segurar o mistério, você até que desconfia no final, até pode acertar, mas não desvendará completamente. Agatha Christie é muito hábil em desviar ou deixar pistas, além de sempre escrever personagens muito carismáticos. Esse caso é protagonizado pela simpática senhora e detetive nas horas vagas Miss Marple. Convite para um Homicídio também retrata os conflitos de interesses entre familiares e amigos, muito comum em todas as épocas. Leitura recomendada. (y) .

site: https://www.instagram.com/sushi_books/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Caique 07/09/2019

Boa história, personagens bem construídos e uma leitura rápida...
Li este livro da Aghata após encontrar várias recomendações em listas de melhores livros da autora. De fato, Convite para um homicídio não desaponta, contando uma história que possui uma base "simples" que é a brincadeira de detetive que se transforma em algo mais sério uma vez que de fato ocorre um assassinato. Todos são suspeitos de cometerem o crime e existem vários segredos por trás do passado de muitos personagens, fato que é explorado pelo detetive e por Miss Marple para descobrir quem é o responsável pelo crime.

O que achei muito interessante foi a construção dos personagens e a pitada de humor existente na narrativa, é impossível não dar umas risadas com a Mitzi, uma refugiada de guerra que trabalha na casa de srta. Blacklock que também esconde vários segredos. Aghata está de parabéns com esse aspecto, você consegue compreender e vivenciar as características de cada um deles e pensar se têm ou não ligação com o assassinato.

No entanto, pela primeira vez acho que foi simples entender a resolução do mistério, não houve (ao meu ver) uma grande reviravolta se você prestar atenção nos fatos que ocorrem da metade para o fim do livro, infelizmente não fiquei surpreso.
comentários(0)comente



Reinaldo (Estante X - @reeiih) 28/08/2019

Aceita ser assassinado?
Imagina que estranho receber um convite para participar de um homicídio. Qualquer pessoa em sã consciência ligaria para a polícia ou algo assim. Mas não as pessoas do pequeno vilarejo de Chiping Cleghorn, Inglaterra. Para a maioria deles, ávidos leitores do Gazette, tratava-se de um jogo bem famoso, parecido com o nosso jogo de Detetive que usa cartas. Mas quando chega o horário e o local marcado, tudo sai de controle e o terror se espalha entre os convidados. A luz se apaga, um homem surge na porta gritando “mãos ao alto”, dois tiros são disparados e, durante a fuga, o suposto assassino cai morto no chão. Ninguém entende nada. Todo mundo fica assustado.

É assim que a trama maluca desse livro começa. Um corpo, um evento estranho, várias pessoas reunidas e muitas perguntas. As autoridades do vilarejo logo tentam amarrar as pontas, mas sempre alguma fica solta. Todo mundo é suspeito, mas ninguém saiu da sala. Era um assalto, mas porque então o ladrão caiu morto? E assim a trama segue, se tornando cada vez mais complexa, inebriante e obscura.

Miss Marple aparece bem pouco em cena e, considerando isso diria que o livro não é dos melhores. Mas o que o torna bom é a trama e si ser muito maluca e difícil de compreender. Não faltam pistas, mas é complicado quando todas sempre voltam ao ponto de partida.

Agatha constrói uma trama muito rica em detalhes e bastante envolvente neste livro. Diferente de Um Corpo na Biblioteca, neste a autora conseguiu me prender muito mais pela doideira envolvida do que pelo fato de ser um caso para Marple resolver. A única coisa certa é que o responsável por tudo o que acontece no livro está presente desde o início, e acredite, é a pessoa que você menos espera!

Mas então por qual motivo não dei 5 estrelas? O problema é que algumas pistas essenciais a autora só revela no final quando o culpado é apresentado. Dessa forma, é bem complicado juntar todas as pontas soltas, né Dona Agatha? hahaha Mas fora isso, eu adorei o livro ♥

site: instagram.com/estantexbooks
comentários(0)comente



Elomar 16/07/2019

Um pouco rocambolesco demais.
Achei a trama um pouco forçada, mas é satisfatória, eu até desconfiei que a "vítima" era a assassina, mas acabei focando em outros suspeitos no desenrolar de outros fatos. Ou seja a véia danada me engabelou novamente.
comentários(0)comente



Angel 02/07/2019

Foi um livro bom! 2019
Enfim foi um livro que intrigante, porém não vai entra para os melhores, não é um livro com escrita ruim e foi muito interessante conhecer o modo de vida das pessoas naquela época, podemos analisar diversas situações neste livro, apesar de ter muitos personagens e acabar esquecendo eles rsrs, foi satisfatório poder perceber o quanto a vaidade é realmente perigosa, a falta de amor próprio e o medo há cercou e ela acabou fazendo coisas terríveis que provavelmente vai se arrepender, vaidade é algo importante, mas o equilíbrio, sim, ele é ainda mais, não se deixe levar pela vaidade, não somos feitos para este mundo, lembre-se
comentários(0)comente



Leitora 01/07/2019

Amo muito os romances com a Miss Marple, com certeza este foi um dos meus favoritos da Autora.
comentários(0)comente



Pati 19/06/2019

O meu livro favorito da rainha até o momento!
comentários(0)comente



Gabriel 03/06/2019

Meu favorito da autora!
Simplesmente incrível, sou meio suspeito para falar já que esse foi o primeiro livro q li dela, início meio e fim frenéticos, personagens legais, consegue ser engraçado e tem a Miss Marple, que é incrível muito legal, inteligente e boazinha, ninguém suspeita dela,enfim recomendo!
comentários(0)comente



Nati 01/04/2019

《RESENHA A EDITORA》 | 《NOTA》4/5 ⭐️
Como já é do feitio da rainha do crime, neste romance policial, mais uma vez Agatha Christie nos surpreende. Nos faz prender o fôlego até o fim. Durante toda a história que é recheada de detalhes, eu acusei vários personagens inocentes de serem os culpados pelo homicídio desta história. É claro, somente nas últimas páginas que confirmei minhas suspeitas. Mas admito que ao longo da história, mudei de culpado para inocente e de inocente para culpado muitas vezes. Praticamente todos os personagens estiveram na minha mira.

Na minha opinião a história é mais densa e detalhada do que os demais livros que li da autora, que aliás é a minha autora favorita. Os detalhes no início parecem perdidos, meio fora de contexto ou até mesmo sem importância, mas ao longo da trama você descobre que são peças de um grande quebra-cabeça que tem que montar mas que Agatha reserva os maiores mistérios e segredos até o fim.
comentários(0)comente



Angela Costa 28/03/2019

A velhinha mandando ver!
Durante uma tranquila manhã em Chipping Cleghorn, um anúncio no jornal local deixa os habitantes bastante curiosos: todos são convidados a presenciar um homicídio.

“Convida-se para um homicídio, a ter lugar sexta-feira, 29 de outubro, em Little Paddocks, às 18h30. Espera-se a presença de todos os amigos da família; não haverá outra convocação.”

Pensando ser apenas uma brincadeira, todos comparecem ao endereço sem estar preparados para o que viria a seguir.

A suposta brincadeira se transforma em tragédia pois, depois de um apagão, um homem aparece morto; foi assassinado por alguém desconhecido que atirou nele pelas costas, e uma outra está ferida.

Ninguém sabe quem é o morto e muito menos quem o chamou. A dona da casa não colocou nenhum anúncio no jornal e nem sabia da tal reunião.

Então começam as especulações:

Alguns acreditam que o homem estava ali para fazer seu último espetáculo antes de se matar; outros acreditam que ele estava ali para matar a dona da casa.

Há ainda os que acham que ele não se suicidou, sendo apenas uma armação para um assassinato que acabou dando errado e, então, ele foi morto como queima de arquivo.

Quem era aquele homem?

Quem poderia ser o verdadeiro culpado?

Nenhum detetive foi capaz de descobrir mas uma velhinha tão esperta quanto nosso amado detetive Poirot, entra em ação.

Nessa trama Miss Marple (a velhinha) vai ter que desenterrar o passado dos suspeitos para descobrir o verdadeiro assassino.

Como em qualquer livro de Agatha Christie, temos o elemento surpresa, aquele que quando finalmente é apresentado, você tem vontade de largar o livro e dizer: “não é possível!”.

Um suspense perfeito!
Alguém já leu?
comentários(0)comente



Jaque - Achei o Livro 25/02/2019

Amo essa mulher !
As pessoas que têm raiva do mundo são sempre perigosas. Pensam que a vida lhes deve alguma coisa[...] É o que está dentro da gente que nos faz felizes ou infelizes.

Eu sempre trapaceio minha meta de leitura quando surge um livro da Agatha Christie. Não lembrava desse e quando vi essa sinopse não deu outra: tive que parar o que estava lendo e começá-lo.
Há quem pense que é impossível - após algumas décadas lendo Agatha - ainda se surpreender com suas obras. Se engana, pois ela inova a cada trama e pega até mesmo os mais preparados, que dirá os desprevenidos :-)

Um convite publicado no jornal local aparentemente inofensivo, acaba atraindo à casa da srta. Blacklock os vizinhos mais curiosos e uma noite que seria de brincadeiras acaba se transformando em tragédia.
Apesar dos policiais estarem em cena o tempo todo, quem acaba descobrindo o crime e a ligação entre os personagens é a Miss marple, a única a prestar atenção nos menores detalhes. Detalhes que a autora coloca no decorrer de toda estória e que o leitor facilmente deixa passar.
Miss Marple acaba resolvendo o crime justamente através dessas pistas e a autora não tem intenção de enganar o leitor, muito pelo contrário, mas a gente só percebe depois que é revelado.
Eu adivinhei quem era o culpado mas nem de longe pude imaginar as suas motivações e o desfecho genial que a autora preparou. Todos personagens estão ali por um motivo, nada é por acaso e cada um tem sua importância.
Mesmo prestando atenção em cada conversa, em cada assunto que poderia ser uma pista, nem assim eu descobri o que a autora quis dizer. Foi incrível!

Eu sou apaixonada pela Miss Marple, acho-a incrível e com aquele seu jeitinho inofensivo vai tirando informações sem que a pessoa perceba, descobrindo tudo que deseja como quem não quer nada. É a tia-avó que eu queria ter ♥
Apesar de adorar o Poirot que é muito inteligente, por vezes arrogante e tem a experiência na polícia em conta, ainda prefiro ela que é astuta, não tem a técnica, mas tem conhecimento do comportamento humano de sobra.
Miss Marple é genial!
Recomendo!!!

site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com/2019/02/convite-para-um-homicidio-agatha.html
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 04/02/2019

"Convida-se para um homicídio, a ter lugar sexta-feira, 29 de outubro, em Little Paddocks, às 18h30m. Espera-se a presença de todos os amigos da família; não haverá outra convocação."

Todas as manhãs, Johnnie Butt percorre o vilarejo de Chipping Cleghorn entregando os jornais. Cada casa assina um diferente, mas em todas elas na sexta-feira, ele entrega a Gazzete. No semanário local é onde os moradores ficam sabendo de tudo o que está acontecendo no vilarejo, já que as pessoas publicam de tudo nele, desde anúncios de vendas de cachorros e dentaduras, até a recados de encontros amorosos. Por isso ninguém acha estranho um dos anúncios daquela sexta-feira ser um convite para um homicídio, que todos que leem acreditam ser um convite para participar do inofensivo "jogo do assassino".

Na casa citada no anúncio, vive Letitia Blacklock com dois primos e alguns hospedes. E eles ficam igualmente surpresos ao lerem a notícia enquanto tomam o café da manhã. Mas diferente dos outros moradores da casa, Letty não fica muito preocupada, pois, acha que é algum tipo de trote. Só que ela sabe que os moradores do pequeno vilarejo são mais do que curiosos e já avisa a empregada para preparar bastante comida para o fim de tarde, que com certeza pelo menos metade da cidade vai estar lá no horário anunciado. E ela estava certa. Depois das seis horas começam a chegar vários moradores locais como se só estivessem passando por ali. A exceção é a sra. Harmon, que chega perguntando se está atrasada para o homicídio.

É então que o relógio marca 18h30m e as luzes se apagam. Com um estrondo a porta é aberta e uma luz de lanterna é jogada no rosto das pessoas dentro da sala e uma voz de homem manda que ergam as mãos. Logo em seguida ouve-se dois tiros e um terceiro que derruba o homem com a lanterna. No desespero eles conseguem acender as luzes e veem que os dois tiros foram para o local onde Letty estava sentada e ela foi atingida de raspão e que o homem que atirou está morto, ou por acidente, ou suicídio. O inspetor Craddock é encarregado do caso e descobre que o homem morto trabalhava em um hotel na cidade próxima e por coincidência, Miss Marple está hospedada no hotel e vai ajudar o inspetor nas investigações.

"— Claro que tentarão de novo — disse Miss Marple, quase sem pensar. — Quem tentou uma vez, tentará uma outra; quando a gente decide matar alguém, não desiste só porque não deu certo na primeira tentativa. Ainda mais se tiver certeza de que ninguém suspeita."

Como vocês já devem saber sou fã da Agatha e esse livro eu já li umas três ou quatro vezes. Mas não tinha lido nessa edição ainda hehe. E talvez você me pergunte, que graça tem reler um livro policial que você já sabe a resolução do mistério? A graça está em quem escreveu, a Agatha é genial, e não é a toa que ela é considerada a Rainha do Crime e é a segunda autora mais vendida do mundo, atrás apenas de Shakespeare e da Bíblia. Mesmo sabendo quem é o culpado, suas motivações e outras coisas, eu gosto de reler porque dai já sabendo o final, dá para ler prestando atenção aos detalhes que a gente deixa passar batido na ânsia de descobrir logo todo o mistério.

E como tem detalhes. A Agatha é aquele tipo de autor que se você prestar atenção vai conseguir decifrar quem é o culpado e o que realmente aconteceu, porque ela vai soltando pequenas pistas em todo lugar. Seja uma frase em uma conversa banal, ou até em uma palavra que a princípio pensei estar escrita errada e já estava pensando em como a revisão tinha deixado passar e no fim era uma pista que se eu tivesse percebido na primeira vez que li, já tinha visto o desenrolar do mistério. E é nesses detalhes que temos a nossa querida senhorinha, que nas horas vagas faz o serviço da policia, a detetive Miss Jane Marple.

Eu sou apaixonada pelo Poirot, mas gosto muito dela também. Os dois são meio que o oposto um do outro. Enquanto Marple esbanja timidez e modéstia, Poirot é orgulhoso e cheio de si e faz questão de deixar claro o quanto é inteligente. E enquanto Poirot trabalha com suas "células cinzentas", Marple conversa com as pessoas. Ela parte daquela premissa de que "Mãe é tudo igual só muda de endereço" para desvendar a alma humana. Afinal ela conhece alguém que fez algo bem parecido e que o caráter da pessoa lembra muito a do caso em questão. É assim que ela chega ao assassino, conversando e lembrando de algum conhecido ou de alguma história parecida.

Esse livro foi escrito em 1.950, logo após o fim da Segunda Guerra e por isso temos uma carga enorme de preconceito da parte dos ingleses para com os estrangeiros. Achei bem interessante a autora abordar isso no livro. E também o pós guerra, racionamentos e outras coisas que fizeram o livro ter sua carga histórica. Se você está procurando um livro com muita ação, esse livro não é para você porque a história é bem parada e como disse, desvendada nos detalhes. Não temos grandes reviravoltas e o final é bem fechadinho. Segue o mesmo modelo dos outros livros da autora, crime, investigação e final com todos os personagens reunidos para a solução do mistério. Eu como fã absoluta da autora recomendo sem sombra de duvida. E ante

site: http://blogprefacio.blogspot.com/2019/01/resenha-convite-para-um-homicidio.html
comentários(0)comente



LisboaPB 31/01/2019

Primeiro contato com Agatha C.
Achei a trama bem comum em relação ao estilo literário de romance policial. Porém, e como esperava, teve um belo de um plot twist. O bom de Agatha neste livro é que ela mesclou uma narração rápida e direta com uma trama que te envolve até o fim. Apesar desse livro não ter sido um dos melhores que li, ele me deu gostinho de quem quer mais para seguir com as outras obras de Agatha.
comentários(0)comente



82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6