Os Filhos de Húrin

Os Filhos de Húrin J. R. R. Tolkien




Resenhas - Os Filhos De Húrin


107 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Jow 30/06/2010

Sensacional!
Os Filhos de Húrin é sem sombra dúvida o conto mais obscuro de Tolkien. Marcado por maldições e guerras que beiram a carnificina, o livro chega a ser melancólico em algumas partes, e deixa a pergunta: Até que ponto vai à maldade de Morgoth??

É um livro que necessita que o leitor já conheça a obra de Tolkien (principalmente O Silmarillion), e que esteja habituado a sua linguagem, seu modo de escrever em duas ou mais línguas e acima de tudo se deixar envolver pela história, mesmo quando ela lhe parecer chata e sem nexo.

Mesmo assim, o livro é fantástico e após muito tempo é impressionante a força que Tolkien ainda manifesta. Com sua linguagem requintada de sempre, com suas definições surreais, e com ilustrações magníficas de Alan Lee, Os filhos de Húrin me transportaram novamente para a Terra-Média e me fizeram bater no peito com orgulho e exclamar: "Tolkien sem duvida, é o meu escritor favorito!!!"

Pode ter certeza, que esse eu recomendo! =D
Luh Costa 11/09/2010minha estante
Esse está na lista!Me deu uma baita curiosidade pra ler esse livro.


Fran Kotipelto 17/12/2010minha estante
Cara,amei tua resenha,estou louca pra ler esse livro,ele já estava na minha lista de desejos,mas depois de ler sua resenha ele foi para o topo da lista.Parabéns.


Raquel Holmes 13/12/2011minha estante
Jow, quero fazer uma pergunta que, muito provavelmente, vc responderá com spoiller, então, se desejar, responda lá nos meus recados.

Eu li a sinopse do livro e gostaria de saber a que tipo de "paixão dos irmãos" a sinopse se refere...

Beijos!


Syndrome Arcana 15/03/2012minha estante
Foi o melhor presente que ganhei de aniversário este mês... Terminei ontem o livro... É muito triste ver toda a perspectiva da maldição de Morgoth lançada sobre Húrin... Mas é um livro essencial para que se entenda pontos cruciais, como as extensões e domínios de Morgoth no mundo, e as casas que sobreviveram...


Raul 20/03/2012minha estante
Só ler fragmentos dessa história em Silmarillion e Contos Inacabados já se percebe o quão gloriosa ela é.



Eduarda 23/03/2012minha estante
Tolkien é o cara mesmo! Adoro a maneira dele de escrever, e Os Filhos de Húrin me deixou realmente envolvida com a história! As maldições e o desenrolar da história me lembrou uma tragédia grega [oi?]. Muito muito bom!


anabnas 21/12/2012minha estante
Sua resenha exprime tudo o que senti pelo livro. Sem sombra de dúvidas, uma das melhores histórias do universo de Tolkien.


£uiz 05/01/2013minha estante
Sombrio e triste, quero acrescentar. Mesmo assim, um dos melhores livros que já li.


Franklin 07/09/2014minha estante
GALERA COM CERTEZA TERIA QUE SER FEITO UM FILME DESTE LIVRO TAMBEM, COM A MESMA GRANDIOSIDADE DE O SENHOR DOS ANEIS, IMAGINA O QUAL MARAVILHOSO SERIA, VAMOS TODOS EM UMA SÓ VOZ PEDIR ISSO EM TODA INTERNET QUEM SABE O PRODUTOR E DIRETOR FIQUE SABENDO E RESOLVA PRODUZIR O FILME, FOIASSIM COM O HOBBIT, FOI A PEDIDO DOS FÃS


Eclipsenamadrugada 02/07/2016minha estante
Comecei a leitura desse livro hoje. Realmente estou só no comecinho, mas já foi mencionado O Silmarillion, O Senhor dos Anéis. É um mundo imaginário fantástico.




Andreia Santana 07/09/2010

Traição, culpa e incesto entre irmãos são ingredientes de novela trágica de Tolkien
O mundo paralelo criado por J.R.R. Tolkien ainda rende surpresas. Dos manuscritos do criador da saga O Senhor dos Anéis, seu filho Christopher Tolkien, resgata Os Filhos de Húrin, uma trágica novela ambientada na primeira era de Arda, ou Terra Média, universo mitológico do autor, povoado por elfos, espíritos de luz e trevas, anões, dragões e humanos ora em conflito, ora em aliança.

A história já havia sido publicada em versão menor nos Contos Inacabados (organizados postumamente por Christopher) e em O Silmarillion (sua mais longa coletânea de novelas e contos sobre os tempos antigos de Arda). A diferença deste novo lançamento no Brasil o livro sai pela Martins Fontes Editora é que o filho de Tolkien encontrou nos manuscritos do pai uma versão mais bem acabada da malfadada história de amor entre Turín Turambar e sua irmã Niënor, com detalhes que não constam nas versões anteriores.

Referências - O conto dos filhos de Húrin (ou Narn I Chín Húrin na língua criada pelo autor para a Terra Média), é uma das narrativas que, na divisão que ele promoveu da história de Arda, corresponde aos dias anteriores a dominação de Sauron e à forja do anel do poder, da trilogia de O Senhor dos Anéis. O romance de Turín e Niënor lembra a tragédia imortal de Romeu e Julieta (William Shakespeare) e o incestuoso caso de amor de Jocasta e Édipo, em Édipo Rei (Sófocles), mas com o toque fantástico de Tolkien.

Ele se desenrola logo após a chegada dos homens à Terra Média, antes habitada pelos elfos e outras criaturas e sob a dominação de Morgoth, o primeiro senhor do escuro e mestre de Sauron.

Separados na infância, Turín e Niënor se re-encontram já adultos, para cumprir a maldição lançada sobre sua família por Morgoth. Incesto, traição e culpa, além das épicas guerras dos elfos e humanos contra a dominação do senhor do escuro, levam as personagens a atitudes heróicas e passionais, mas com desfechos fúnebres.

Católico praticante e grande amigo de C.S. Lewis (As Crônicas de Nárnia), era de se esperar que um romance incestuoso em uma obra de Tolkien tivesse desfecho trágico. Ainda assim, não deixa de ser uma atitude pioneira tocar em um tema tabu, ainda mais quando a história foi escrita em 1919.

Recuperação - Para os leitores pouco acostumados à maneira de Tolkien contar histórias, a linguagem do livro é densa e a atmosfera opressiva; em alguns trechos, angustiante. Ainda assim, aos que escolherem acompanhar as desventuras de Turín e Niënor, iniciadas com a maldição lançada sobre seus pais Húrin e Morwen, as pouco mais de 300 páginas reservam uma viagem inesquecível pelas origens da Terra Média.

As ilustrações são de Alan Lee e, ao final do volume, Christopher Tolkien apresenta mapas, glossário dos personagens e um apêndice onde conta o processo de recuperação do manuscrito.

Quem é John Ronald Reuel Tolkien nasceu em 3 de janeiro de 1892 na África do Sul, filho de pais ingleses, mudou-se para a Grã-Bretanha aos três anos de idade. Formado em letras e especialista em filologia, serviu como soldado na I Guerra Mundial. Nesse mesmo período começou a escrever.

Após o conflito, dedicou-se a uma reconhecida carreira acadêmica como professor na Universidade de Oxford e à consolidação da mitologia da Terra Média. Outras obras póstumas são Mestre Gil de Ham e Roverandom.

=======================

P.S.: Só um lembrete aos marinheiros de primeira viagem na área de literatura. Uma resenha é uma leitura comentada, uma análise com base na obra lida e em outras obras do autor resenhado - além de outras leituras do resenhista. Resenha é texto jornalístico, tem de ser informativo e analítico ao mesmo tempo. Quem não quer saber detalhes da história ou quem vive caçando spoilers, jamais deve ler uma resenha e sim apenas um resumo. Porque o resumo é só uma apresentação da obra, sem aprofundamento crítico e sem análise.
comentários(0)comente



ghmartins 22/03/2011

Mais uma obra-prima de Tolkien
Primeiro gostaria de exaltar o esforço de Christopher Tolkien, já com 86 anos, para editar e publicar tudo o que seu pai produziu. Apenas neste livro, Christopher dedicou 12 anos trabalhando sobre materiais inacabados de seu pai, unindo tudo numa única narrativa, com um mínimo de interferência editorial.
Quando Tolkien começou a escrever os contos reunidos em O Silmarillion, ele já pensava que três deles seriam mais extensos e elaborados: Beren e Lúthien, Túrin Turambar e A Queda de Gondolin. E de fato, ler esses contos nos deixa ansiosos por mais. Parte dessa ansiedade foi satisfeita com o lançamento do livro Contos Inacabados, que contém a história de Túrin Turambar, com alguns elementos a mais do que em O Silmarillion. Agora, finalmente, a história de Túrin é contada integralmente no livro Os Filhos de Húrin. E o mais importante, é que não é preciso ter lido O Silmarillion para entender a história, o que era desejado por Tolkien (embora a leitura de O Silmarillion seja recomendadíssima para qualquer apreciador da literatura de fantasia).
O livro narra a trágica e amaldiçoada vida dos irmãos Túrin e Niënor, odiados por Morgoth (o Senhor do Escuro) por serem filhos do homem que ousou desafiá-lo. Contra eles, Morgoth envia seu servo Glaurung, um enorme dragão sem asas. No livro acompanhamos a vida de Túrin, até que o seu destino e o de Niënor são tragicamente entrelaçados. Esse é certamente o conto mais sombrio escrito por Tolkien.
Um ponto positivo desta edição é que ela é belamente ilustrada pelo mestre Alan Lee, um dos responsáveis pelos concept arts dos filmes de O Senhor dos Anéis.
Um ponto negativo é a tradução, que conta com algumas diferenças em relação aos outros livros de Tolkien publicados no Brasil. Por exemplo, a "Batalha das Lágrimas Incontáveis" se transformou na "Batalha das Lágrimas Sem Conta" e a raça dos "Anões" se transformou na raça dos "Ananos". São diferenças sutis (exceto a dos ananos, nome com o qual até agora não me acostumei), mas que podem incomodar os fãs mais tradicionais (eu por exemplo).
Esta edição ainda conta com um mapa de Beleriand e das terras do norte, algumas árvores genealógicas, uma lista de todos os nomes que aparecem no texto e um apêndice onde é tratada as tentativas de Tolkien para alcançar a forma final dos três contos e sobre a composição do texto do livro.
comentários(0)comente



Gustavorf 23/01/2012

Interessante e sombrio
Para mim, não importa o que as pessoas digam, Tolkien é um gênio fantástico e, por mais que muitos digam que não, melhor que George R. R. Martin.
Afinal, o Tolkien não escreveu apenas uma série de sucesso. Ele escreveu um mundo, um universo inteiro.
A saga de O Senhor dos Anéis se passa na Terceira Era da Terra-Média, milhares de anos depois de o mundo ter sido criado pelos Valar (para saber mais sobre os Valar e a criação da Terra-Média, leia O Silmarillion, de Tolkien), e é apenas o fim da história que ele escreveu. Antes disso há um mundo inteiro de histórias.
Os Filhos de Húrin, conta exatamente a história de seu título, a dos filhos de Húrin. Húrin foi um descendente de Beren, o maior e mais poderoso homem que passou pela Terra-Média. Beren se casou com uma elfa, Lúthien, e desafiou Morgoth, por isso ficou tão conhecido. Sua história é contada em O Silmarillion.
Húrin, sendo descendente de Beren, nada menos poderia ser do que um grande homem, que também desafiou Morgoth, que, na verdade, é Melkor, o primeiro e mais poderoso dos Valar, os seres que criaram o mundo.
Húrin acaba sendo aprisionado por Morgoth, que lança uma maldição sobre a sua família, dizendo que a sua sombra pairará sempre em cima deles, levando-os a tristeza e a maus caminhos.
A casa de Húrin então se desfaz sob o ataque de Morgoth sobre a Terra-Média, o que força Túrin, seu filho mais velho, a abandonar sua mãe e irmã, que, com o tempo, acabam tendo que sair de suas terras também.
Túrin se torna um grande homem, digno de sua descendência, um grande senhor e guerreiro, mas a má sorte está sempre acompanhando-o em suas decisões, que, por mais que sejam bem intencionadas, acabam trazendo o mal para aqueles que o cercam, inclusive para sua irmã, Nienor, a qual acaba reencontrando após muitos anos.
Neste livro o estilo clássico de Tolkien está, é óbvio, presente em cada linha, com sua forma detalhista de descrever tudo, mas apenas aquilo que é mais necessário, ainda que isso já seja muita coisa.
Confesso que quando fui começar, tive medo de que fosse como Contos Inacabados, uma leitura cansativa e sem ritmo, mas me surpreendi com o conto, como dizem, mais sombrio de Tolkien. No fundo, não há felicidade na história dos filhos de Húrin. É uma história triste, mas que nos apresenta novos fatos sobre a fantástica história da Terra-Média.
Para os que apenas assistiram aos filmes ou simplesmente “gostaram” dos livros d’O Senhor dos Anéis, acredito que esta história não seja muito relevante.
Àqueles que são fãs dos livros de Tolkien, historiadores fascinados pela Terra-Média, não apenas por O Senhor dos Anéis, recomendo este livro como uma ótima e construtiva leitura.
Gustavorf 23/01/2012minha estante
Resenha originalmente postada em http://www.gustavorfragazi.com.br


Flavinha 28/01/2012minha estante
Adorei a resenha, parabéns!


Gustavorf 28/01/2012minha estante
Obrigado!! ^^




João Vitor Gallo 12/09/2014

Eu já a tinha achado uma das melhores histórias quando li O Silmarillion, embora no referido livro esteja resumida e em Os Filhos de Húrin, obviamente, a história está completa. Desejaria que houvesse também uma versão maior da história de Beren e Lúthien que é tão boa quanto ou talvez até melhor.

Quanto ao livro em si, a história é fantástica, mas com contornos de tragédia, e daquelas tragédias gregas, lembra até de leve a famosa história de Édipo, talvez por Tolkien gostar de vários mitos, e não apenas nórdicos e cristãos, já que há algo de até Rapunzel na história de Beren e Lúthien. É fluída a escrita, não é tão cansativa como O senhor dos anéis, que é arrastada em certos pontos e leve em outros. O livro é excelente, a história é envolvente apesar de trágica, e certamente é uma das melhores histórias sobre a Terra-Média. Vale muito a pena ler esse livro, especialmente pra quem é fã de Tolkien ou de fantasia em geral.
fah 12/02/2015minha estante
Compartilho da mesma opinião, e concordo que deveria ter uma versão maior da história de Beren e Lúthien que é belíssima. No túmulo de Tolkien e Edith está escrito sob os seus nomes Lúthien e Beren *-*


João Vitor Gallo 15/02/2015minha estante
Provavelmente há ou houve algo do tipo, essas histórias todas foram reescritas com o tempo pelo próprio Tolkien, ele deve ter cortado e modificado muita coisa, mas se esse material sobreviveu já são outros 500. Mas é fato de que apesar da história ser curta, há tanto dentro dela que realmente fica a impressão que poderia se estender muito mais, e por ser muito boa, vc tb quer que ela continue pra aproveitar mais. O melhor personagem que Tolkien criou é a própria Arda, o mundo e a sua história são coisas que que são quase vivas de tão críveis dentro dessa proposta de fantasia (ou mitologia).


Alexandre.Almeida 18/09/2015minha estante
Gostaria de ver uma versão completa, assim como vocês, de Beren e Luthien e, também, da Queda de Gondolin! Seria muito bacana!


João Vitor Gallo 23/10/2015minha estante
A Queda de Gondolin foi uma das primeiras que Tolkien escreveu, poderia ter algo mais aprofundado, o problema é que ele reescrevia e reescrevia as suas histórias, tanto para adicionar algo, até detalhes geográficos, como para mudar nomes de personagens. Li recentemente Contos Inacabados e fiquei menos esperançoso de uma versão maior, acho que mesmo que existisse, haveria muitas mudanças e seria difícil ajustar todas as versões em algo único maior de o já visto no Silmarillion. Mas a esperança é a última que morre e torço para um dia acharem algum manuscrito perdido do Tolkien com alguma dessas histórias em um formato mais detalhado.




Moitta 07/06/2010

Fico feliz que livros do Tolkien ainda sejam lançados. Nesse, parte da historia ja tinha sido contada no Silmarillion, mas aqui é retratada com muito mais desenvoltura e detalhes. A vida e os destinos de húrin e seus filhos, do inicio ao fim. A história é envolvente e cheia de perdas; as falas, as maldições, os hábitos da época, as batalhas e a força de vontade das personagens, parece não que tolkien tinha uma enorme criatividade, mas sim um incomum memoria e que ele simplesmente relata fatos que ocorream num passado remoto. Pela 1a vez com ilustrações, que são obras de arte condizentes com a qualidade do texto.
comentários(0)comente



Suhet 29/02/2012


A história conta a trajetória de vida do Herdeiro de Dor-Lómim, Túrin Turambar, um jovem guerreiro, astuto e hábil, tanto com as mãos, como com as palavras.
Ela relata que, como um simples homem mortal, realizou feitos extraordinários por toda a Terra Média.

Com certeza Os Filhos de Húrin, é um dos mais aclamados livros de Tolkien, e também o mais adulto. Sendo considerado pela crítica o mais sombrio.

Embora Tolkien possua uma característica de escrita que não agrada muitas pessoas; que são as inúmeras descrições de ambientes e caracterização de personagens. A história consegue ter uma fluência muito boa.

O livro em si, foi organizado pelo seu filho Christopher Tolkien, o que pode ter alguma influência no decorrer da história, mas nada que seja altamente perceptível.

A história se dá em meio às guerras e conflitos, entre os já conhecidos povos de Tolkien: Elfos, Homen, anões e Orcs.

Para quem gostaria de ler, recomendo que faça uma preparação antes, lendo o livro: O Silmaríllion. Pois Os Filhos de Húrin, nada mais é, do que uma pequena parte da grandiosa história que conta o início de tudo.

O vilão da história não é Sauron, como todos já estão acostumados de ver em O Senhor dos Anéis e em Akallabêth; mas sim Melkor, um dos Valar da Grande Canção que caiu nas sombras de seus pensamentos.

Um ser com muito poder, mas dominado pela inveja, cobiça e maldade.

Tolkien nos leva a lugares oníricos de um reino chamado: Bereliand. Com personagens grandiosos, que nos fazem querer participar de sua incrível jornada.

Me fez relembrar das leituras de O Senhor dos Anéis e de OHobbit. Uma sensação muito boa e prazerosa.




Critérios de avaliação:


a) arte da capa.

Fruto da obra do artista Alan Lee, a capa de Os Filhos de Húrin foi a que mais me agradou, de todas as capas dos livros de Tolkien.
Consegue passar a essência do livro para o leitor com maestria e beleza.


b) Trama

Tolkien construiu um universo inigualável quando criou Eã, ou Terra Média como é popularmente conhecida.
São tantos conflitos abertos na história, e Tolkien consegue fechar cada um deles com perfeição.
Com seu excesso de descrição de cenário, acaba “poluindo” muito o texto, o que causa canseira no leitor. Detalhes são super valorizados, deixando a leitura muito carregada e um pouco pesada, principalmente com suas palavras difíceis e pouco usuais.


c) Caracterização de personagens

O nível de construção dos personagens é soberbo. Em hipótese alguma Tolkien comete alguma incoerência de personalidade ou atitude. Seus personagens são fiéis às suas características e as desempenham muito bem.
Porém, como na descrição de cenário, Tolkien também exagera muito nas características e construção de personalidade.
Talvez se, desse um pouco menos de detalhes, conseguiria agradar um público maior.



d) Qualidade do livro (papel, letra, erros e etc)

Feito pela Editora Martins Fontes, o livro tem uma ótima qualidade e acabamento, embora minha versão seja a de papel branco, o que eu não gosto (prefiro as amarelas),
Não encontrei nenhum erro de português e gramática, como já era de se esperar se tratando do autor e o número de edições já publicadas.
Um dos pontos fortes do livro são suas gravuras. Ao longo da histórias algumas imagens nos são apresenatadas, o que enriquece a obra e presenteia o leitor.


e) Comparação com outras obras do gênero

Acredito que, de todos os livros com a mesma linearidade dos livros de Tolkien, são poucos os que se comparam com tamanha grandeza. Tolkien criou uma história soberba, com inúmeros detalhas e lugares.
Está lado a lado com os fgrandes da literatura internacional como George Martin e Frank Herbert.
comentários(0)comente



Yuri 25/02/2012

Um novo Tolkien
Falar que Tolkien consegue prender o leitor em suas obras é chover no molhado, o que realmente me surpreendeu nesse livro foi a capacidade de fazer isso com uma escrita diferente, que inova o poder de prender a atenção que consagrou o autor em outros livros. Em "Os Filho de Hurín" as guerras e aventuras que acontecem em volta dos acontecimentos são secundários.
Em muitos momentos esquecemos que a Terra Média está em guerra, e nos apegamos a um pensamento um tanto egoísta de desejar a salvação de alguns personagens a troco da vida de muitos outros, as aventuras características de Tolkien existem, mas nesse livro o principal não é a história da "criação do mundo" como no Silmarillion ou da "salvação do mundo" como no Senhor do Anéis, o que torna o livro especial é a simplicidade da história de uma família.
Sombrio, perturbador, comovente, cruel, tudo muito novo de um Tolkien que eu não conhecia, que parecia se esconder no meio do seu mundo de hobits, mas que revelou aqui uma veia mais Mordoriana.
comentários(0)comente



Tulliu Cardia 30/01/2009

Já tinha lido essa história em O Silmarillion, por isso ela não foi novidade para mim. No entanto, ler ela de forma detalhada é muito melhor. É um livro quase dramático, tantas são as dificuldades passadas pelo protagonista.
Recomendo.

Galera, se tiverem interesse, leiam meus livros e contos, disponíveis no Wattpad (gratuito)! Vocês vão curtir! Valeu!


site: https://www.wattpad.com/user/TulliuCardia
comentários(0)comente



André 25/03/2010

Nunca simpatizei com Húrin. Nunca, em nenhuma das vezes em que li O Silmarillion.

Mas confesso que ler novamente a história dele neste livro, de forma mais expandida e vívida, me fez ter mais simpatia pelo personagem.

Tudo muito trágico, tudo conspira para dar errado, sem contar o orgulho do personagem principal. Talvez sejam fatores que sempre me desagradaram na história.
comentários(0)comente



Flávia Menezes 28/12/2016

Sombrio e magnífico
Como tudo saído das mãos de nosso querido Tolkien, Os Filhos de Húrin é mais uma obra fabulosa. Já havia gostado quando o li resumidamente em O Silmarillion e agora então, apreciei muito mais cada página.
A história sombria da família de Húrin, O Inabalável, amaldiçoada por ele ter sido o único homem capaz de desafiar Morgoth cara a cara, chega em torrentes de tragédia e tristeza até os leitores, impedindo-nos de que fiquemos indiferentes, ao ver que onde Túrin, seu filho, chega, a morte chega junto. Com um enredo triste e um final mais triste ainda, Os Filhos de Húrin remexe nas nossas entranhas e sentimentos mais profundos. Resumindo é uma obra perfeita!
Ricardo Rocha 28/12/2016minha estante
excelente...


Flávia Menezes 29/12/2016minha estante
Obrigada :)


Ricardo Rocha 29/12/2016minha estante
=)




Mary 29/01/2013

Os Filhos de Húrin
É mais um livro do Tolkien que me encanta.
Na minha opinião, é um dos livros mais tristes e melancólicos que já li. A história é fantástica e triste, não tem muita felicidade na maior parte das páginas.
Se tornou um dos meus livros favoritos. Ele é difícil de ler, como todos os livros do Tolkien, mas eu recomendo muito.
comentários(0)comente



Manuella 07/07/2014

Adorável
Fiquei com o pé atrás quando comecei a lê-lo. Assim que as páginas foram avançando, fui me apaixonando com a história. Uma narrativa bem escrita e com detalhes maravilhosos (claro, tudo porque nosso amigo Tolkien é o máximo).
A história é cheia de tramas e viagens, sendo que o Túrin vai para muitos lugares ao longo da vida, conhece muitas pessoas e criaturas, e mesmo assim não desiste de vingar seu pai preso.
Adorei. Todo fã de Tolkien deve lê-lo.
comentários(0)comente



fah 12/02/2015

O Senhor do Destino
Livro excelente, história envolvente e trágica que relata sobre a vida de Túrin Turambar, filho de Húrin, o inabalável, que fora juntamente com sua família amaldiçoado por Morgoth. Pra quem leu o Silmarillion não há muita novidade no enredo, apenas um detalhamento maior, mas mesmo assim vale a pena ser lido, pois essa é um dos melhores contos de o Silmarillion, perde, ou não, para o de Beren e Lúthien que ao meu ver merecia um livro só dele também. Mas enfim, a história é ótima e vale muito a pena a leitura, graças ao meu namorado estou me tornando fã de Tolkien e quero ler mais obras dele.
comentários(0)comente



Rafaela B 12/05/2011

Os Filhos de Húrin
Acabei de ler e a história me encantou! Adoro a forma como as histórias do Tolkien são contadas, os detalhes, a magia! É realmente uma das mais belas criações dele! Adorei, já é um dos meus livros favoritos! E as imagens são muito belas!

comentários(0)comente



107 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |