Bravura

Bravura Diane Bergher




Resenhas - Bravura


9 encontrados | exibindo 1 a 9


Caroline 21/08/2021

Romance de época "enemies to lovers".
A leitura tem um bom ritmo, li em 2 dias e achei perfeito para curar uma ressaca literária, mas senti falta de detalhes e descrições melhores de personagens, cenas e lugares.

A protagonista é uma mulher forte, altruísta, resiliente e com tamanha abnegação. Para quem gosta do clichê enemies to lovers, esse livro é perfeito e ainda é romance de época. A história de fundo lembra muito a minissérie Godless da Netflix, na qual há um acidente na mina onde morrem a maioria dos homens da cidade e as mulheres terão de lidar com as consequências desse desastre.

*Resenha completa no meu Instagram @carolinetargino
comentários(0)comente



Aisha Andris @AishandoBooks 10/07/2020

Uma leitura válida, mas não curti muito o desenrolar do romance
Meu intuito é sempre fazer resenhas sinceras, que transmitam minha real opinião acerca do que leio. Dito isso, preciso confessar que “Bravura” foi o livro que menos gostei entre os mais de vinte que li da Diane Bergher até agora. Eu não consegui me conectar muito com o casal protagonista, talvez por causa do começo da relação entre eles.
Adoro trocas de farpas, e isso foi legal até, mas aquela atração inicial não me convenceu. Não sei explicar, mas não curti vê-los partindo da briga pro beijo assim do nada. Aliás, um beijo roubado que achei completamente despropositado no contexto em que ocorreu. A Alexia não morria de amores pelo marido, mas ela tinha acabado de ficar viúva (dois meses é pouquíssimo tempo, na minha opinião), não acho que corresponderia a um homem que detestava até aquele momento. E não achei uma atitude muito honrada do Stanley roubar um beijo de uma mulher enlutada, por mais exasperante que ela fosse e por pior que fosse a opinião que tinha acerca do falecido marido.
Por outro lado, eu gostei muito dos temas trabalhados na história. As autoras conseguiram mostrar bem como era difícil ser mulher naquela época, principalmente quando estavam numa condição vulnerável como a viuvez, afinal as mulheres eram ensinadas a buscar um marido de quem dependeriam em tudo, mas o que fazer quando o perdiam, especialmente em condições inesperadas como a abordada na trama? Além disso, vemos a importância da conquista dos direitos trabalhistas que temos hoje. É claro que não é o ideal ainda, mas foi um avanço enorme se comparado ao que existia anteriormente.
Além disso, gostei muito da nossa mocinha. Alexia é uma mulher forte e admirável, que sempre soube se virar bem, por mais difíceis que fossem as condições de sua vida. Ela cresceu sozinha num orfanato, mesmo vindo de uma família aristocrática que sabia de sua existência e, inclusive, custeou sua estadia no estabelecimento. Ali, Alexia adquiriu gosto pela costura, e poderia ter tido uma carreira promissora no mundo da moda, se não tivesse se apaixonado por Marvin e pela ideia de formar uma família com ele. Ainda assim, ela conseguiu conciliar suas duas paixões, sendo uma dona de casa e mãe exemplar (depois de várias abortos, teve uma garotinha linda) e também abrindo um armarinho para vender suas criações. E quando perdeu o marido, ainda encontrou tempo para se juntar às demais viúvas e lutar por uma indenização justa para as mulheres que ficaram desamparadas após perderem seus companheiros de forma tão trágica.
Stanley também tem uma história difícil, tendo perdido o pai de forma trágica muito jovem, o que levou a mãe a virar prostituta para poder dar uma vida digna ao filho, mas conseguiu vencer na vida com muito trabalho duro e o apoio de um amante influente da mãe. Isso e uma grande decepção amorosa o tornaram um homem duro e, muitas vezes, insensível aos problemas dos outros. Só que conhecer Alexia irremediavelmente mudará sua forma de ver as coisas…

site: https://aishando.home.blog/
comentários(0)comente



Amanda 28/04/2020

Apaixonante!
Antes de ler esse livro eu vi uma resenha que dizia que ele "trás problemas atuais em um contexto histórico de 1898" e realmente tive a mesma impressão. Aliás esse é um dos talentos da Diane Bergher, autora do livro. Ela costuma trazer problemas históricos que, apesar de antigos, ainda persistem na sociedade.
Aqui temos alguns assuntos como falta de empatia em meio a tragédias, relacionamento psicologicamente abusivo, feminismo, batalha da mulher para ser empreendedora e dona de casa e o clássico desmericmento feminino por parte de outras mulheres. Nossa, parece um livro de militância né?! Mas não, é um romance daqueles água com açúcar que te faz suspirar em boa parte dele (só lendo para entender)...
Alexia Hughes é uma das viúvas de Raleigh, uma cidade que explora a mineração e onde um terrível acidente ocorreu, deixando 20 mulheres viúvas e dezenas de crianças órfãs. Mais grave do que isso, foi que os antigos donos venderam a mina a um novo grupo que não quer assumir essa culpa e luta para se livrar das viúvas pagando uma indenização ínfima. Alexia está numa situação um pouco melhor que muitas delas, pois é dona de um pequeno empório e por algumas costuras que faz, mas agora sozinha e com uma filha pequena, as coisas estão ficando complicadas, ainda mais sendo seu marido um dos administradores da mina antes de explodir.
Nesse contexto, chegam a cidade o advogado e o novo administrador das minas para tratar com as viúvas. Eles são considerados dois homens implacáveis que não medem esforços para alcançar seus objetivos. Stanley Russel é o advogado e de cara já fica encantado com a doce e gentil viúva de um dos homens que ele jura ser um dos cúmplices na explosão da mina. Ele se fez graças aos sacrifícios de sua mãe e conseguiu se formar em Oxford, sendo agora conhecido como o implacável Lobo de Old Bailey.
O que os dois não esperavam era que as brigas para ajudar as viúvas e defender os donos da mina que os dois travam, é um pontapé para uma aproximação e logo mais as faíscas começam a rolar. Um beijo e uma carícia e logo ambos estão perdidos no amor que os consome, mas cientes de que não poderão seguir juntos por terem lados opostos na briga da cidade.
Com muita delicadeza e apresentando problemas críveis no decorrer da narração, esse livro nos mostra como o amor pode ser fundamental para a felicidade de alguém, mas mais do isso, ele mostra que o respeito é a principal viga de um relacionamento saudável. Eu amei conhecer os personagens, a sua força e franqueza e finalmente seu final. Com certeza recomendo e vou seguir com a leitura para a história de Gladys e Logan (essa eu quero ver hahahahah).
comentários(0)comente



Cristiane.Rocumback 29/05/2020

Ótima leitura!
Que tal um romance leve, com uma mulher batalhadora numa história envolvente? Bom, aqui está!

A vida de Alexia Hughes não era fácil. Acordar cedo, dar conta da casa, filha, seu armarinho e ainda ouvir as implicações do marido, que sempre exigia que fosse ele a prioridade, fazia parte do seu dia a dia. Mesmo assim, era grata pelo que tinha e orgulho por ter algo pra chamar de seu. O marido Marvin Hughes, havia lhe dado um lar e embora fosse frio e reclamasse por não terem filhos meninos, ele era sua família. Até o dia em que ele saiu para seu trabalho nas minas e o desastre aconteceu. Ela e mais algumas mulheres de Haleigh ficaram viúvas.

Stanley Russel, é o advogado que foi contratado para o caso da explosão da mina. Ele e o administrador Logan Cantrell tem fortes suspeitas de que foi um ato criminoso. Confiante no trabalho que faz, Stanley tem a certeza de causa ganha assim que juntar as provas necessárias. O problema é que conheceu Alexia e não suporta a ideia de prejudicar a ela e filha. Os problemas de ambos aumentam com a aproximação e atração recíproca. Ele ficará dividido entre o dever e a paixão. Ela mostrará sua bravura em defesa de si e das demais mulheres, mas amar Stanley pode atrapalhar isso. O que fazer? .

Ótima leitura. Vale ressaltar a personalidade forte de Alexia. Mesmo com um passado que a marcou tanto ela é bravura pura, enfrentando as dificuldades, ajudando o próximo e se importando com as demais mulheres.
É bom demais ler sobre esses temas, é essa bravura e força que queremos ter e exercer.
No segundo livro teremos a história de uma grande amiga de Alexia, exemplo de coragem...

Quer saber? Amo a Coleção Damas do Romance. Trazendo vários títulos, cenários e personalidades femininas. Já leram? Eu indico sem temer!
comentários(0)comente



Leticia Loiola 09/04/2020

Alexia e Stanley
Um livro muito atual, porque apesar de se passar em 1898, as mulheres ainda sofrem para garantirem seu espaço na sociedade.
Me emocionei com a história de vida da Alexia e com o seu jeito tão generoso de ver a vida.
Me encantei com o Stanley, um homem honrado e inteligente, que se transformou em um homem melhor ao conhecer Alexia.
Sempre fico com o coração quentinho de amor, depois de ler os livros da Diane Bergher! Super recomendo todos que ela escreve!
comentários(0)comente



Babi 12/03/2021

Romance de época com muito protagonismo feminino!
Eu amei a premissa da história, achei super diferente dentro do nicho de romances de época e fui ler esperando muita força feminina, sororidade e superação - o que não faltou em momento algum! Se passando no final do século 19 e início do século 20, nós temos protagonistas engajadas em causas sociais e aliadas do movimento sufragista (que visava o direito do voto feminino), aliás, o título de seus respectivos livros dizem muito sobre elas: Alexia por sua bravura em lutar pelo que acredita e Gladys por sua coragem em usar a voz num mundo que quer calá-la. Mundo este que foi muito bem ambientado e construído em uma cidade interiorana num contexto de injustiças sociais para retratar a verdadeira realidade daquele tempo, longe da romantização dos salões nobres e luxuosos.

Mas com certeza nós temos romance aqui! Os mocinhos Stanley Russel, advogado da companhia, e Logan Cantrell, seu novo administrador, não são nem de perto os negociantes durões e sem sentimentos que demonstram, mas estão do lado oposto nessa batalha travada por nossas mocinhas e isso gera uma dinâmica cão e gato infalível. Particularmente, apesar de ter adorado os dois casais, Logan e Gladys me conquistaram mais pois senti falta de mais desenvolvimento para Stanley e Alexia, cujo interesse repentino não me convenceu tanto.
comentários(0)comente



Celly 14/04/2021

Maravilhoso
Alexia era órfã, conheceu seu marido quando atingiu a maioridade, casou-se em pouco tempo, depois de anos de tentativas, engravidou e teve uma filha, o marido por outro lado, no início era amável mas depois que a filha nasceu, se tornou frio, isso por não ter lhe dado um herdeiro masculino.

Mesmo o marido trabalhando nas minas, tendo um redirecionamento bom, Alexia nunca foi de apenas servir ao lar, conseguiu abrir uma pequena loja para mulheres e era feliz com isso, até mesmo as implicâncias do marido de querer que ela fechasse a loja. Em um certo dia o chão tremeu e recebeu a notícia que seu marido e de várias outras morreram, devido a uma explosão nas minas.

Passando cinco meses o administrador da mina quer que as famílias dos falecidos deixem suas casas para colocar outras famílias, não se importando em pagar indenização dignas a elas, com isso Alexia e Gladys, junto com as viúvas se unem para ir contra as artimanhas do administrador junto com o advogado. Para Alexia ter que enfrentar o advogado é complicado, pois o homem insiste que vai ganhar a causa.

Stanley é um excelente advogado e já a tempos que quando pega uma causa, não se importa se o cliente é bom ou ruim, contanto que pague bem, mas ao se deparar com Alexia, sente-se atraído, pelo simples fato dela bater de frente com ele, de ter uma língua ferina, sempre com respostas na ponta da língua, mulheres como ela sempre lhe atraiu, mas complicou ainda por tê-la beijado.

A história em si é muito boa, de fácil compreender e flui rápido a leitura, é meu primeiro contato com a escrita da autora e eu não preciso nem falar que amo romance de época né? ?
comentários(0)comente



Rosangela.Thomaz 23/02/2020

BRAVURA - DIANE BERGHER
Esse romance conta a vida das mulheres que são casadas com homens que saem para trabalhar nas minas e não sabem se eles voltam pra casa! Fala da Bravura de Alexia, que encara a vida de frente! Ela e uma mulher que se vê viúva, junto com outras, mas se torna uma líder pelos seus direitos que não existiam na época! Diane nos envolver com uma leitura leve e gostosa de ler. Alexia e Stanley nos levam num mundo só deles, onde teremos muitas emoções...Vocês não podem deixar de ler BRAVURA!
comentários(0)comente



Beatriz.Ribeiro 20/06/2020

Apesar de tudo, do dinheiro,das mortes e seja mais o que tenha acontecido,o amor prevaleceu. leitura agradável
comentários(0)comente



9 encontrados | exibindo 1 a 9


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR