O Cemitério

O Cemitério Stephen King




Resenhas - O Cemitério


446 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lais.Pedrecal 14/11/2019

Típico do King
Não tem como negar que o autor é mestre em desenvolvimento de personagens, sobretudo as infantis, que são maravilhosas! Mas não sei pq ainda me decepciono com os finais dos livros do King. Apesar disso, e apesar do enredo prolixo típico dele, a leitura é bem interessante e me prendeu, mesmo achando que, como sempre, ele cag** o final.
Todas as vezes que termino um livro do King, fico na mente: vou dar só mais uma chance com outro livro. E ainda assim, o desenrolar da estória me dá a sensação de que valeu a pena a leitura.
comentários(0)comente



Ruh 12/11/2019

Lento, beirando a confuso
É o meu terceiro livro desse autor e o que mais me trouxe incômodona leitura, devido a lentidão que ocorre os fatos e a confusão sobre o que é a força maligna e sua origem.
Porém, os personagens são bem trabalhados e os detalhes da história conversam entre si, apesar de demorado em sua narrativa, a escrita fluiu fácil pra mim e minha demora nessa leitura foi exclusivamente culpa minha.
É um livro bom, porém esperava bem mais devido a premissa da história.
comentários(0)comente



Karine.Campos 11/11/2019

"Estou aqui para dizer que um homem planta o que pode e cuida do que plantou(...) faço parte do que seu coração terá que agora cultivar." ⠀
Apesar de ser fã do terror e do King eu ainda não tinha me dado a oportunidade de ler O Cemitério, provavelmente porque sempre morri de medo de filmes de terror com criança e o filme Cemitério Maldito foi um dos filmes que mais me causou pavor na minha adolescência.

Para quem nunca ouviu falar nesse livro ou no filme (acredito que todo mundo já ouviu falar alguma coisa)...Durante a leitura acompanhamos a vida de Louis Creed após este se mudar para uma pequena cidade do Maine com sua esposa seus filhos e o gato da sua filha Ellie.

Logo no início da história nós somos apresentados a um cemitério de animais que existe há muitas gerações e serve para as crianças enterrarem os bichinhos de estimação. Contudo além desse cemitério há um outro cemitério que esconde grandes mistérios e permite que os animais ali enterrados voltem a vida.

Após um acidente que leva à morte do gato da Ellie toda a vida da família Creed, em especial do Louis, passa por uma série de mudanças e questionamentos.

Após a leitura pode verificar que o medo que eu tinha de ler O Cemitério era injustificado pois em momento algum sentir medo durante a leitura (pois é King você mais uma vez não conseguiu me assustar kkkkk

O Cemitério é muito sobre o quanto nós seres humanos não aceitamos a morte e como tentamos nos "livrar dela". Mas precisamos entender que há coisas muito piores do que ela! A aceitação que a morte é algo natural foi a maior lição e mais linda lição que o livro trouxe para mim.

Com certeza é O Cemitério é um dos melhores livros do King e pretendo revisitá-lo algumas outras vezes.

Para terminar gostaria de agradecer mais uma vez a Karla do @seguelendo e a Ada do @soterradaporlivros pela criação do #lendoking . Meninas pelos próximos 80 anos estaremos juntas lendo e nos apaixonando cada dia mais por esse mestre da escrita.

Texto: @kacau_campos
Autor: @stephenking
Editora: @editorasuma

#resenhasamigasdaliteratura
#resenhasliterárias
#stephenking
#ocemiterio #cemiteriomaldito #squadbibliófilos #leitoressapiens



site: https://www.instagram.com/p/B4ugTqTjGTc/
comentários(0)comente



Vann 06/11/2019

Não mexe com o que tá quieto!
Até onde você iria para trazer quem você ama de volta?

Louis é um homem pacato, médico, casado com Rachel e com 2 filhos, a Ellie e o Gage. Louis e a família se mudaram para uma casa nova em Ludlow, onde por trás dela há um cemitério de animais. Sim, um cemitério onde donos enterraram seus lindos bichinhos de estimação. Só que por trás deste "simitério de bichos", havia outro cemitério: o micmac, o cemitério dos índios.
Após alguns acontecimentos, Jud Crandall, seu vizinho e amigo que sabe muito bem do que se tratam os cemitérios, conta para Louis o que pode haver quando alguém usa o cemitério de forma incorreta. E é a partir daí que vamos adentrar num mundo sombrio, onde a morte pode caminhar ao seu lado.

Um livro muito bom que estava com medo de não gostar. Não consegui parar de ler. Um dos melhores que já li do mestre King. Cada capítulo final, eu já imaginava um milhão de coisas para acontecer. Algumas eu adivinhei, outras não. Uma história muito sombria. Fiquei com gostinho de quero mais na boca. Queria saber o que aconteceu "depois"
comentários(0)comente



Thai Zavadzki (@meowbooksblog) 29/10/2019

Ótimo, mas foi um gatilho pra mim.
Minha 4ª leitura do Stephen King e não tenho como negar que essa foi a mais perturbadora. Mais uma vez que farei 2 em 1: Resenha e Filme X Livro, já criei o hábito de fazer isso com as obras do King, né? Haha.

Eu já aviso para qualquer pessoa que possa começar a ler essa resenha: quem tem gatilho com morte aí, esse pode não ser um livro pra você. Digo porque eu tenho certo gatilho com o sentido empírico e espiritual da morte e essa obra me deixou desconfortável em diversos níveis. O fato de simplesmente “pararmos de existir” me incomoda profundamente, então sempre que posso, evito pensar no assunto morte, mas aqui fui obrigada a encarar de frente esse medo que nutro no meu íntimo. Eu odeio até mesmo ir em cemitérios! Então pense a aflição em me deixar envolver completamente nessa estória.

Em vários momentos notei que meu peito se apertou e eu me sentia sufocada. Nossa vida é realmente muito frágil e a morte é muito incerta, sendo que foi justamente nessa ferida que Stephen King quis tocar.

Ele quer perturbar, quer te fazer se questionar e usa de meios tenebrosos para tanto. No quesito terror, esse também é o livro mais forte do autor, muitas cenas de deixar você temeroso do mundo ao seu redor. Eu li as primeiras 100 páginas durante a madrugada, não deu muito certo, fiquei morrendo de medo de do nada alguém surgir chutando minha porta ou qualquer coisa assim, hahaha (rindo de nervoso)

Desde o princípio eu já achei o clima desse livro bizarro, aquele senhor que Louis, o protagonista, acaba considerando como “pai” e a forma que ele falava e vivia… Chegava a me dar arrepio sem eu nem entender porquê. No final você percebe que, assim como o Hotel moldou Jack Torrence em O Iluminado, a cidade molda os habitantes em O Cemitério.

Antes dos fatos principais começarem a desenvolver a estória já estava interessante, já te prendia e fazia você querer saber tudo o que acontecia, mesmo que eu já soubesse de determinada parte. Podemos dizer que eu sabia quase que o enredo inteiro de um modo geral. E ainda assim eu me vi presa à rotina de Louis e sua família naquela nova cidade. [...]

CONTINUA NO LINK


site: https://meowbookblog.wordpress.com/2019/10/28/resenha-filme-x-livro-08-o-cemiterio/
Márcio 29/10/2019minha estante
Um dos melhores do mestre...na minha adolescência comprei vários deles..o filme não assisti, mas acredito q não tenha sido tão bem adaptdo como o iluminado, também com Jack Nicholson não há como não ser bom o filme..




Aline 28/10/2019

Ainda estou me recuperando psicologicamente
(Off: que tipo de passoa consegue misturar drama e terror no mesmo livro com tamanha genialidade?Stephen King nem é desse planeta)

Com esse livro, King ganhou meu coração (O primeiro lugar ainda é do Harlan) e entrou pra lista dos meus escritores favoritos.

Que gênio! Como pode conseguir em meio a tantos sustos, me emocionar? Eu não conseguia largar essa leitura, deixava o livro um pouquinho e já queria voltar pra história. Queria ler mais e saber mais... e... alguém aceita adotar um gato? Estou doando o meu... brincadeira, nem gato em tenho, graças a Deus. Não, brincadeira kkkkk.

Livro espetacular! 100% de aproveitamento. Sabe... aquela leitura boa que você não pode perder uma página? É essa. Um livro de 424 páginas e consegue não ficar chato em momento algum.

Os personagens são tão bem construídos que dá a sensação de que podemos esbarrar com eles por aí e quando você acredita em um personagem, fica mais fácil acreditar na história. Uma história previsível? Sim e não. Eu até imaginava o que iria acontecer, mas com o tudo acontece é incrível! E o senhor Stephen King me surpreendeu a cada desenrolar. A verdade é, que esse senhor me faz de trouxa, ele pode contar qualquer história, eu vou acreditar. Ele tem esse dom, de envolver você e te levar para o mundo que ele criou.

Sensacional! 5 estrelas.

#
#

No Instagram: @meulivrochegou
Nando 29/10/2019minha estante
Que bom que gosta do Stephen. Também sou fã dele, sabia?? :)


Aline 29/10/2019minha estante
É mesmo, moço? Difícil é encontrar quem não goste :)




Anienne 22/10/2019

O Cemitério
Esse foi o meu primeiro livro do Stephen King. Terror não é meu gênero preferido, para falar a verdade, está bem longe disso, mas enfim...

Eu amei a forma como ele escreve, contemporânea e bem distinta. Acho que, de certa forma, ele foge aos padrões. Por exemplo, não tem uma fixação no ingrediente "surpresa" e até dá spoiler do que irá acontecer kkk. Mas sim, há surpresas, claro, só que em minha opinião, ele investe mais no ingrediente "angústia" e, dessa forma, o leitor não consegue parar de ler porque quer saber "como" as coisas vão, realmente, acontecer.

O romance é muito bem construído, inclusive os acontecimentos relacionados ao sobrenatural são bem verossímeis. Podendo-se mergulhar na história e até acreditar que tudo é possível, ao menos naquele mundo.

Esse é um livro bem psicológico, que vai trabalhar bastante os pensamentos e as esquisitices do ser humano. Trata da morte, o que considero um ponto bastante positivo, revelando visões, posições e reações bastante disferentes, mas sobretudo humanas, próximas, nossas... Também há momentos de dor e tristeza extremas e momentos de rara beleza e amor.

King escreve para cada um de nós.

Eu, realmente, não senti medo em momento nenhum, mas acredito que isso pode ser incomum. Sua relação consigo mesmo, com a vida, com a morte, com as questões "de onde vim?" e "para onde vou?" contam muito na relação que você irá construir com o livro. Pessoas que tem lutos mal resolvidos podem sentir muito.

Confesso que amei!

Amei até os momentos finais, quando mais que de repente, tudo degringola e se torna muito, muito fantasioso e exagerado, como nos filmes de terror dos anos oitenta. As coisas atigem o ápice do terror, da feiura, da destruição, da dor, do sofrimento e, dessa forma, se afasta bruscamente da realidade.

Não gostei do final.

Em minha opinião, algo mais próximo da vida real, seria ainda mais chocante, doloroso e instigante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



10/10/2019

O Cemitério
Achei muito bacana do livro que mesmo ele sendo de "terror", trata do tema morte de uma maneira diferente, quase leve em alguns momentos e em outros bem pesado. Fala-se de morte o tempo todo. A leitura flui e te envolve. Vc passeia entre o estado de suspense, aflição, medo. Leitura nada relaxante rs
comentários(0)comente



Le 26/09/2019

O cemitéro
Luto, dor, desespero e o engodo que envolve isso tudo. Tocando num assunto tão delicado como uma fina camada de gelo, King nos leva a uma excelente introdução ao horror, o horror verdadeiro, aquele medo que nos assola, dia após dia, o medo da perda, o medo da morte. Bruto e sensível ao mesmo tempo, foi o meu primeiro livro do autor, o de muitos espero, já embarquei junto com o autor na 'Dança da morte'
comentários(0)comente



Jess 24/09/2019

Ok.
Não foi tão aterrorizante quanto eu pensei que seria. Achei até meio bobo em alguns momentos. Senti falta de mais explicações no final e do desfecho de alguns personagens. Mas é um bom livro pra quem está começando a ler terror.
comentários(0)comente



Sandra.almeida 18/09/2019

Assustador, passei uma noite em claro
Este foi o primeiro livro que li do @stephenking . Não foi uma leitura fácil , tive que sair da minha zona de conforto. Posso dizer que foi uma experiência assustadora, pesada, sinistra e aterrorizante. Louis Creed foi morar com sua esposa Rachel e seus filhos Eileen e Cage em Ludlow no Maine. A casa ficava ao lado de uma estrada muito perigosa com caminhões que passavam em alta velocidade. No fundo do jardim havia uma trilha que levava para um lugar que se chamava ?Simiério de bichos? . Com S mesmo, e não com C. Uma frase que se repete no livro e diz muito sobre ele é: o solo do coração de um homem é mais empedernido. Um homem planta o que pode... e cuida do que plantou.
Sinistro.......
Le 26/09/2019minha estante
Oi. Foi o meu primeiro também. Estava me recuperando de um luto e tive um pesadelo horrível, fruto da leitura e vida real. Li justamente pelo tema que ele aborda e não me arrependo um minuto. Adorei a narrativa do King e estou lendo A dança da morte agora.


Sandra.almeida 26/09/2019minha estante
Que legal é que bom que te ajudou em um momento de luto. Estou em um grupo que esta lendo varios títulos dele. Caso se interesse me fala que vejo como te incluir. Agora vamos ler a hora do lobisomem




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Thalissa.Betineli 16/09/2019

Adorei!!
Stephen King é conhecido por ser o mestre do terror e horror, e confesso que O Iluminado me deu calafrios, Desespero me deixou ansiosa, e outros livros me tiraram várias vezes da realidade e me puxaram para dentro das páginas.
O Cemitério nunca foi um livro que me atraiu muito para ler, talvez pela temática: a morte. Não é todo mundo que lida bem com ela, e eu não sou a exceção. Não lido bem, não gosto de refletir sobre ela, porque não consigo encontrar um terreno seguro.
Mas levada pela curiosidade, decidi ler.
O Cemitério é a história de Louis Creed, um médico que se muda com a família para uma cidadezinha a beira de uma rodovia trafegada por várias jamantas (aqueles caminhões enormes, de vários eixos). Lá, ele cria amizade com o vizinho idoso Jud. Esse é quem apresenta o Semitério dos bichos (escrito errado, pois provavelmente fora feito por crianças) para Louis. Conforme você avança na história, King, com sua habilidade única de inserir dicas e citações sobre (ele morra, ela morrerá logo) essas coisas, de maneira natural como se citasse o tempo, apresenta seu real tema: como as pessoas lidam com a morte, com o luto. Até que ponto o luto, a dor e a perda faz com que as pessoas percam a sanidade do que é correto, para saciar essa ânsia de acabar com a vontade de ter de volta o que partiu? Ele nos leva à indagações mais profundas também, sobre o que acontece depois da morte, onde afinal iremos... Se seremos céticos e morreremos apenas, parte da terra, ou há algo por trás de tudo?
Louis, como médico, nos mostra de forma crua como a vida pode acabar rápido, como em um momento, a pessoa está sorrindo, correndo... E em outro, está morta. Sumiu, se foi. Essa parte do livro, com certeza, com suas indagações nos fazem ter calafrios, pois estamos diante de uma história que talvez, se vivêssemos, realmente daríamos cabo dela até o fim. Louis foi errado por desejar demais? Foi errado por não aceitar a morte, visto o quanto de dor e falta sentia?
Estava certo acontecer a morte em um momento daquele?
Stephen brinca com as nossas dúvidas e conceitos, e confesso me afetar bastante diante do que ele realmente apontou: a morte é inevitável... E se pudêssemos mexer com ela?
Louis realmente agiu errado? Ou você também não teria feito o mesmo? Sem certo ou errado... Apenas na loucura do desespero.
E de como nesse desespero envolvendo a morte, a loucura é realmente fácil de sentir. Ela envolve a mente com suas mãos e tudo se torna plausível.
Dessa forma, King introduz o sobrenatural: um cemitério que pode trazer quem ou o que enterrado lá de volta a vida. Mas é certo mexer com o limite da morte? O que sai de debaixo da terra é o mesmo que foi enterrado, ou forças que desconhecemos podem agir sobre isso?
E com maestria, Stephen conduz Louis a situações mais desesperadoras, e eu sofri, implorei que a história fosse por outro caminho e então o livro vai culminando enlouquecidamente em situações desesperadoras, perplexas... E perturbadoras.
Sim, eu achei o livro bem perturbador, pois em uma situação dessas, não sei onde estaria a minha consciência e a minha lucidez. Louis agiu certo? Não sei, e jamais gostaria de saber sobre certo e errado, pois o campo da morte, o campo dos espíritos e dessa ideia além da vida é um mistério, e King nos mostra com sua escrita fantástica... De como o mistério da vida, da morte e das ações são inexplicáveis e de que o ser humano é apenas uma folha contra o vento... Que um dia pode cair, sumir com o tempo, e ser apenas uma lembrança de um dia em que algo aconteceu. De como a vida é tão passageira, de como tudo se torna pontos no tempo, e confesso com certo incômodo, de como ele nos traz à tona a terrível ideia de que a vida, a história de alguém é apenas uma história a ser contada futuramente, e talvez esquecida.
Dito isso, prefiro me ater ao sobrenatural, pois esse campo explorado do livro de metáforas me deixou fora dos trilhos por alguns minutos.
No sobrenatural King também é impecável, constrói cenas surpreendendo, e vai dando dicas soltas durante os capítulos, que lá para frente vai atando as pontas, te remetendo à citações feitas no início do livro e te faz ficar boba de como ele sabe exatamente onde quer chegar, aonde quer te levar.
Sua forma de criar os personagens também é única. Eles nunca são unidimensionais. Eles são bons, ruins, possuem uma história, possuem trejeitos, falhas, personalidade própria e uma forma marcante de se introduzir. Você nitidamente visualiza o personagem ao todo, de aparência e jeito, e aos poucos simpatiza, cria carinho, e quando vê, está torcendo.
Foi assim com Louis. Em nenhum momento senti ódio, mas pena, compaixão e compreensão.
Por fim, O Cemitério é um livro para ser lido com atenção ao que carrega, é para quem gosta de um banho de horror com mortes, sobrenatural, sangue e desgraça. Mas claro, tudo escrito com grande maestria.
Novamente, e como sempre, Stephen King não me decepciona, e termino o livro com o coração cheio de gratidão por ter decidido ler.
Recomendo demais esse livro a quem gosta de refletir (e tomar tapas na cara dos livros hahaaha) para quem gosta do sobrenatural e do terror/horror.
Le 26/09/2019minha estante
Foi o meu primeiro contato com o autor e gostei muito. Estou lendo A dança da morte agora.




Amanda 14/09/2019

Excepcionalmente incrível
Essa história fez parte da minha infância, eu assistia ao filme no vídeo cassete do meu pai, nem existia DVD ou Blu-ray nessa época. Lembro que morria de medo quando o Pascow aparecia.

Fiz a leitura do livro recentemente e simplesmente achei fantástico, Stephen King descreve detalhadamente cada cena, fazendo você se sentir parte da história, além de nos fazer criar um certo vínculo com os personagens. Vou utilizar de um velho clichê que todo mundo que gosta de livros costumam dizer: O livro é bem melhor que o filme! Isso se dá justamente ao nível de detalhamento e construção da história, Stephen King também escreveu o roteiro do filme, mas logicamente no livro há mais espaço para se explorar maiores detalhes.

A história começa quando a família Creed se muda para uma cidade no Maine, a casa fica na beira de uma estrada, onde o trafego é bastante intenso.

Chegando lá eles conhecem os vizinhos, um casal de idosos prestativos que logo criam uma grande amizade com a família. Logo, os Creeds descobrem um caminho misterioso dentro de sua propriedade e questionam o vizinho sobre onde aquele caminho iria levar. Jud Crandall, o vizinho explica que o caminho leva a um cemitério de animais, onde estão enterrados diversos animais mortos na estrada, porém o grande mistério da história é o que há realmente além-cemitério.
comentários(0)comente



446 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |