O Cemitério

O Cemitério Stephen King




Resenhas - O Cemitério


447 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Pedro 27/07/2010

King, seu filho da puta!
Um dos melhores dele que li até agora (supera "O Iluminado", mas fica atrás de "À Espera de um Milagre".
Um livro ótimo, que realmente nos assusta e nos conduz ao medo. Caminhamos junto ao personagem, e nos envolvemos com o seu legado. Estamos com ele desde a sanidade até a loucura. E se fôssemos nós? Por fim, livro que nos prende (principalmente se não assistimos ao filme) e que nos deixa absolutamente curioso para saber o desfecho.
O fim, admito, me deu medo. Não consegui dormir tranqüilo, aquela noite.
Adelson 28/11/2013minha estante
Esqueceu de fechar o parênteses da primeira linha. Por conta do seu comentário sobre o livro fiquei muito curioso ;)


Fernanda Soares 04/12/2013minha estante
" King, seu filho da puta! " ... Sua frase me encorajou ainda mais a ler o livro pq na verdade é isso o que King é kkkkkkkkkkkk


Vitoria.Luiza 08/09/2017minha estante
Se eu já queria ler, agora com essa resenha, vou começar amanhã.




Vinny 25/07/2009

Recordando alguns medos
Achei este livro perdido entre a poeira na biblioteca da minha escola. Dona Sílvia, bibliotecária da época, achava o máximo o meu interesse por livros de terror ou romances mais complexos e costumava liberar qualquer título que eu pedisse, desde Adelaide Carrarro á Jacqueline Susan passando por Nelson Rodrigues e Harold Robbins. Agatha Cristie então... Um dia desses circulando pelo sebo, encontro a bela edição da Objetiva. Não hesitei.

Em O CEMITÉRIO, King desenterra (olha o trocadalho) alguns medos primários do ser humano, e os dois mais importantes que circulam por aqui seriam o medo da morte e o que acontece depois. Se nos fosse dada a chance de trazer um ser amado do mundo dos mortos, saberíamos aproveitar isso e o mais importante, deveriamos usar esse "dom"? Não seria isto uma maldição? Uma vez que algo ou alguém foi embora, ele jamais voltará como a mesma pessoa. A regra é clara.

Reler O CEMITÉRIO é um reencontro com velhos amigos e personagens adoráveis como o paternal Judd Crandall, o profético Paxcow, o diabólico Gage... Enfim, é a ressurreição de sustos do tempo da escola, das noites de luzes acesas.

E pra variar, o livro dá uma surra no filme homônimo de Mary Lambert.
Fernanda W. Borges 01/04/2012minha estante
Agora não vou sossegar enquanto não ler. Eu adorei o filme e pelo jeito o livro é ainda melhor.


Wilker Chaves 01/06/2012minha estante
Uma verdadeira surra no filme... Li esse livro na época de escola e como disse nosso amigo aqui reler ele será reencontrar com os personagens... me lembro de certas passagens em que Louis atravessava a rodovia e ia tomar uma cerveja com Judd Crandall, acho que vou reencontrar esses amigos...


Fabio 11/05/2013minha estante
*Pascou amigão ! Ellie que chamava ele de Paxcow ^^




Vanessa 19/03/2013

Bom, mas podia ser melhor!
Em minha opinião, o livro é extenso, massante e muito detalhista.
Os pensonagens são ótimos, a história é boa, mas o final é fraco.

Como tudo na vida, vai da opinião de cada um. Como foi o primeiro livro que li do Stephen King, achei que o autor se estende muito para descrever o ambiente e fala pouco sobre o que realmente importa. O final deste livro por exemplo, poderia tranquilamente render mais umas 50 páginas.

De uma forma geral porém, não posso dizer que é um livro ruim. Ele deixa você com uma sensação de "legal, interessante" mas ao mesmo tempo de "era isso? acabou?".

Espero que tenha ajudado.

Abraço a todos!

Vanessa
Chay 03/01/2014minha estante
Concordo, também senti que o final foi fraco, poderia ser BEM melhor.


amanda.magalhae 29/12/2014minha estante
ufa! já estava pensando que eu seria a única a pensar que o livro é bom, mas não tão bom assim. Ele realmente nos deixa abalado (eu chorei em ambas mortes do livro: Norma e Gage... hahaha). É um ponto em que acho que o excesso de descrições do ambiente ajuda bastante. Te atinge com muito mais facilidade. Em contra ponto.... O final foi decepcionante :( Se tornou extremamente corrido e nada detalhista. Não detalha o que Gage se tornou (além de um psicopata maníaco e provavelmente com forças sobrenaturais, né? pq como que uma criança de uns 3 anos de idade consegue matar adultos tão fácil com um bisturi?!) e encerra a trama fazendo parecer que vamos ter um segundo livro.




Marlon Teske 09/01/2012

Os Verdadeiros Zumbis
Existem algumas coisas que devem ser deixadas em paz.

Quando Louis Creed se mudou para uma cidadezinha tranquila do interior, para um recém adquirido casarão antigo com a mulher Rachel, os dois filhos e o gato Church, tudo parecia perfeito. Um novo emprego, uma vida nova, novos vizinhos, cervejas ao fim da tarde e o amor da mulher. Além da casa, a propriedade incluí­a um belo bosque, e nele, um "simitério de bichos" ( é com "s" mesmo) mantido pelas crianças do lugar que sepultavam ali seus animais de estimação. Louis era um homem realizado e feliz, até um caminhão atropelar o gato da filha...

Pra quem já assistiu o filme "Cemitério Maldito" já deve mais ou menos saber o que se passa daqui pra frente. Eu não vi, mas o livro é ótimo. Prende o leitor a cada linha com aquele sentimento de "e agora o que vai acontecer?"...

Muita dor, medo, e melancolia às voltas com a morte, horrí­vel e inevitá¡vel, mas as vezes, por incrí­vel que pareça, reversí­vel. É o primeiro livro que leio de Sthephen, mas já deu pra sentir que o cara é muito bom.

Podem ler sem medo... ou melhor, tenham medo sim.

Lido em Novembro de 2004
Jack Sabino 08/01/2012minha estante
Armageddon, assisti o filme ontem... depois de ter lido o livro. Decepcionante. Aliás, decepção é a palavra mais certa quando se fala de adaptação de praticamente 90% dos livros transformados em filme. A tentativa de traduzir - no caso deste precioso livro de S. King - 600 páginas em 102 minutos não poderia ser diferente. Muito corrido, algumas coisas do livro foram alteradas porque, cenograficamente ficariam mais compreensíveis e não foi o que atrapalhou. Mas o filme é corrido, previsível... não sei se é porque já tinha lido o livro, mas achei enfadonho e não senti nenhum medinho (assisti às 3h da madriga...). Mas, vale a pena conferir pra dar a sua opinião. Eu, como cinéfila, considero o filme viável e clássico (efeitos especiais até aceitáveis para o final da década de 80). O livro com certeza me meteu mais medo...




Phelipe Guilherme Maciel 28/04/2016

I don't want to be buried in a pet cemetery. I don't want to live my life again.
"Uma das melhores e mais assustadoras leitura que já fiz de Stephen King. Extremamente perturbador e alucinante. Não irei falar sobre o enredo, pois é o que mais se tem nesse livro. O que quero dizer, é que jamais ouvirei de novo a musica PET SEMATARY do Ramones da mesma forma. Este, aliás, é o nome do livro em inglês, e o nome do SIMITÉRIO DE BICHOS, aqui no português... Sematary é uma grafia incorreta em inglês, por isso o trocadilho. A música do Ramones diz: Eu não quero ser enterrado num cemitério de bichos, eu não quero viver minha vida de novo. (I don't want to be buried in a pet cemetery. I don't want to live my life again.) É o enredo inteiro do livro. E talvez, a inspiração de King nesse livro. Só de ver essa frase, meu corpo arrepia, de verdade. O livro é de terror psicológico, não é aquele terror de monstros, momentos horripilantes, e etc. Você presencia um médico que não acredita no sobrenatural enlouquecer pouco a pouco. Sua família virar frangalhos em suas mãos, e o que o poder maligno pode fazer com a dor de alguém. Valeria a pena mudar a ordem divina das coisas? O que é morto deve se manter morto. Não alimente o mal! não leia esse livro, se você tiver mente fraca. E não queira ser enterrado num SIMITÉRIO DE BICHOS."
Phelipe Guilherme Maciel 13/02/2017minha estante
Eu refiz esta resenha minha pois verifiquei que ela estava com a escrita toda desconfigurada. Algum bug do skoob. :D


Cris Vieira 13/02/2017minha estante
Aconteceu o mesmo comigo rs




MENINA LY 26/03/2012

Muita enrolação.
De todos os livros que li do King, este foi sem duvida o de maior enrolação. Praticamente o livro são os devaneios do médico, ficando o terror em segundo plano.
Dei três estrelas, pq apesar disso o enredo é otimo, a ideia (para epoca em que foi escrito 1979/1982), muito original.
Mas não espere o famaso terror que o mestre King sabe fazer....Este está mais para drama do que horror.
comentários(0)comente



Mari 13/09/2012

O que eu achei do livro O Cemitério - Stephen King
Há alguns dias terminei de ler esse livro do Stephen King, já conhecia a história por conta do filme que assisti anos atrás, mas o livro é superior (como eu já imaginava). O que me fascina na história de título "O Cemitério" não é apenas o horror em si que ela carrega, não são só os acontecimentos fortes rodeados pelo mistério e pelo sobrenatural, mas também o forte conflito psicológico sobre a questão da morte, a maneira que reagimos diante dela, a aceitação ou a revolta diante desse fenômeno inevitável e as diferentes interpretações que as pessoas criam sobre um mesmo fato.
Stephen King cria uma atmosfera que nos prende ao livro, nos envolve de uma forma tão incrível que podemos até parar de ler o livro, mas a história continua na nossa mente, é como se realmente não houvesse uma maneira de "escaparmos" de seu conteúdo (assim como não podemos escapar da morte). Enfim, esse é um dos livros que merecem meu reconhecimento e recomendação. Espero que gostem também.
comentários(0)comente



Gabriel 26/01/2015

Não é um livro de terror
Já faz um tempo que li O Cemitério, que MUITOS classificam como o livro mais assustador de King, mas o que me veio foi: decepção. Não posso negar que o dia a dia feliz da família Creed (pré-bizarrice sem fim) me encantou e me laçou à história com personagens bem construídos. Mas o final achei injustificado e até a última página virei tentando achar o tal título de "mais assustador". Não é um livro de terror, está mais para um drama familiar (com presença sobrenatural, que por sinal, é bem fraca).Gostei da exposição das fases do luto e da cultura estadunidense da perda. A jornada do herói foi usada e bem escondida nessa jornada nada-heroica. S.K. constrói um lindo castelo de areia e depois o chuta com uma onda violenta de sangue. Não é o melhor e, muito menos, o mais amedrontador de King.
Joel Domingos 27/07/2016minha estante
Interessante seu ponto de vista, em sua opinião qual é o livro de King que reuni esses elementos perdidos?


Isa Potye 28/12/2016minha estante
Compartilho da mesma opinião que você. Não senti medo algum e o pior, li com muita expectativa ?




Alessandra @jardim.de.historias 21/11/2015

Esplêndido!
Este livro foi o primeiro contato que tive não só com Stephen King, mas também com o gênero de terror. É realmente gratificante ler algo que minha mente não seria capaz de criar, só um verdadeiro mestre poderia fazer algo assim. A história foi, para mim, mais um suspense com aquele toque de horror, principalmente no final, que é quando senti o coração bater mais forte.
Super recomendo!!
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 29/05/2019

Resenha: Cemitério Maldito
Cemitério Maldito está sendo novamente exaltado pela Editora Suma - que cedeu este eARC através do NetGalley - graças a adaptação que chegou aos cinemas neste mês. Curiosa como eu sou, e medrosa também, finalmente me aventurei na leitura desse clássico do terror de Stephen King. E não me arrependi nem um pouco da experiência!

Na trama, Louis e a família estão se mudando para uma casa afastada no Maine. Ele acaba de conseguir um emprego na enfermaria da faculdade e tudo parece correr bem com as mudanças; a casa fica frente a uma gigantesca rodovia e é ali que eles conhecem seu vizinho de estrada, Jud, um velhinho simpático e cheio de histórias.

E é ali que Louis é apresentado ao "simitério de bichos" que fica nos fundos da sua nova casa. Um lugar aparentemente inofensivo onde gerações de crianças enterraram seus animais de estimação - uma vez explorado, coisas bizarras começam a rondar a família. Louis, principalmente. E a história de "aparentemente inofensivo" se prova uma mentira.

Esse resumo foi um dos piores que já fiz na minha vida, fiquem à vontade para ignorá-lo.

Cemitério Maldito se mostrou exatamente a história que me prometeram; é aterrorizante e perturbador na medida certa. King, como sempre, constrói a tensão através de seus personagens, seu protagonista, principalmente, desenvolvendo essa aura macabra e esquisita que ronda a nova casa, os arredores, o cemitério e até mesmo visões enlouquecidas que surgem aleatoriamente.

Louis é um homem centrado e racional. Tem um carinho gigantesco pela família - a relação com os filhos, Gage e Ellie, é doce e dedicada, com a esposa, Rachel, é fiel e apaixonada - e seu arco se desenvolve entre animação pelo recomeço e receio por ele também. Uma vez confrontado o cemitério de bichos, no entanto, alguma coisa começa a mudar nele.

"- É como muitas outras coisas na vida, Ellie. Você se conserva no caminho e tudo bem. Você sai do caminho e, a não ser que tenha sorte, descobre logo que está perdida. E então, alguém tem de mandar uma equipe de busca para salvá-la."

É gradual e vagaroso como as narrativas do King costumam ser, mas me fisgou pela aura de que alguma coisa ruim estava para acontecer o tempo todo. O terror desse livro se constrói nisso; na sensação de que as tragédias são inevitáveis. Você não sabe quando, mas sabe que elas vão acontecer em algum momento. É aquela coisa de prender a respiração e virar a página com medo do que está por vir.

E quando a desgraça acontece, rapaz. Ela nunca para.

A paranoia que cerca Louis evolui até um estado desesperador e é uma desconstrução de personagem muito bem feita. Você vê aquele homem racional se desprender de tudo que acreditava ao confrontar a morte e o luto e o quanto isso o afeta a ponto de roubar sua sanidade, levá-lo a beirar um abismo de horror sem fim.

"- Alguma coisa está acontecendo aqui, rapaz. Alguma coisa muito estranha, eu acho."

Os elementos de terror usados pelo King são perturbadores por lidar com a morte de diferentes maneiras; a perda e o quanto isso afeta uma pessoa, o que existe depois que uma pessoa se vai, o que pode existir se trouxer alguém de volta. Isso sem falar na aura que ronda o cemitério dos bichos que SANGUE DE JESUS TEM PODER!

Um único ponto que me quebrou na leitura foi a escolha da "forma do mal" que ele usou no fim que, sinceramente, não me convenceu. O novo filme escolheu abordar isso de uma maneira mais razoável e sinto que combinou muito mais. Ainda passa a mensagem, mas carrega um novo elemento de horror.

Cemitério Maldito é um clássico e isso não é a toa. Uma boa história para perturbar seu sono e te fazer pensar; o tipo de trama que te faz ter medo de olhar para os cantos escuros do quarto.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2019/05/resenha-cemiterio-maldito.html
comentários(0)comente



Thiago.Franklin 06/03/2017

Tenso
Com toda certeza eu sofri muito com as decisões tomadas durante o livro, é incrível como eu mesmo fiquei indeciso com as dúvidas que surgem no meio do livro, por último, não comprem casas pertos de cemitérios.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Rafaela 30/03/2013minha estante
Muito bom!!


Mylena.Leticia 15/07/2019minha estante
Gostaria muito de saber o que acontece depois desse final, não curto muito "finais abertos".




:doispontos 20/08/2014

Resenha: O Cemitério - Stephen King
''O CORAÇÃO DE UM HOMEM É MAIS EMPEDERNIDO, LOUIS...''

Editora: Objetiva (Selo ''Ponto de leitura'')
Título original: Pet Sematary
Tradução: Mário Molina
Ano: 2011
Páginas: 612

Hoje, nessa ensolarada tarde de quarta-feira, trago mais uma resenha das obras de Stephen King. Diferente do último livro resenhado (Carrie, a estranha), esse possui um número consideravelmente grande de páginas. É uma obra mais trabalhada e até mais adulta, carregada de reflexões sobre a vida e sobre a morte. Sim, o Cemitério (apesar do título claramente tombado para o lado mórbido) é um livro tanto sobre a vida quanto sobre o fim dela.

''LOUIS TIROU GAGE DO COLO DA MULHER E APERTOU-O ENTRE OS BRAÇOS.
FOI ASSIM QUE CHEGARAM A LUDLOW.

O livro conta sobre uma família, os Creed: Louis, Rachel, Eileen (Ellie) e Gage. Louis, um médico, consegue um trabalho na Universidade de Bangor, no Maine, e se muda de Chicago com a família para começar uma vida nova. Logo ao chegar, conhecem o velho Judson Crandall (Jud), que se torna o melhor amigo de Louis em pouco tempo. No primeiro passeio da família, Jud leva-os para o ''Simitério'' de bichos, onde gerações de crianças enterraram seus animais de estimação. A responsável por grande parte das mortes é a ''Orinco'', empresa que faz grandes caminhões-tanque passarem pela rodovia a todo momento. Atrás do curioso ''Simitério'' (A escrita errada se deve pelas crianças), escondido por galhos e troncos caídos, há um outro mais antigo, mais pesado e maligno: O cemitério Micmac, onde índios antigos enterravam seus mortos até o dia em que consideraram a terra podre e amaldiçoada.

Diria que Jud se tornou o meu personagem preferido em pouco tempo, o velho Crandall assume praticamente a figura de um sábio, de um pai, como Stephen diz ainda no início. Crandall é o sábio que erra, mas que sabe muito de muitas coisas, o que torna-o interessante é exatamente também falhar, assim como Louis, outro grande personagem. Crandall e Louis são humanos e, por assim ser, são seres que não só erram, mas DEVEM errar. King acerta em cheio por deixar o protagonismo (quase um poder divino, em obras de outros autores) de lado.

Não é possível falar muito sobre ''O Cemitério'' sem um spoiler cair e atrapalhar a incrível experiência que é ler sem saber praticamente nada do enredo. Se você também não sabe nada, não procure imagens, só leia. Entretanto, é possível falar uma coisa sobre o livro em geral: STEPHEN NÃO TEM PENA! Sim, Stephen não tem pena, não demonstra um mínimo pé atrás em relação ao que faz. O autor monta o leitor, desmonta, e no final joga fogo nos sentimentos que pensaram em sobrar. Curiosamente, isso é incrível! As voadeiras que King distribui no meio do queixo, do nada, chegando a dar spoilers do próprio livro no livro, são de uma genialidade notável. Você está lá, meu amigo, está lá com o seu café, com seu suco, sei lá, achando que está sendo só uma cena pra encher linguiça e BOOM! Voadeira no queixo.

O Cemitério, citando uma escrita na capa: ''Mostra como a dor e a loucura, muitas vezes, dividem a mesma estrada.'' Esse é um livro sobre dor, sobre como podemos passar de alguém erguido, firme, para um pedaço de carne se mantendo em pé. É sobre a vida e a morte, como já disse. É sobre loucura.

Mais que uma história, ''O Cemitério'' traz aprendizado e leva o leitor a refletir sobre a vida. É uma história original e surpreendente, uma daquelas que lemos mais rápido do que o esperado, desejando, cada vez mais próximo do fim, que novas páginas surjam.

''O SOLO DO CORAÇÃO DE UM HOMEM É MAIS EMPEDERNIDO, LOUIS. UM HOMEM PLANTA O QUE PODE... E CUIDA DO QUE PLANTOU''


site: http://doisponttos.blogspot.com.br/2014/08/resenha-o-cemiterio-stephen-king.html#more
comentários(0)comente



Daniella 01/05/2010

"I don´t wanna be buried in a pet cemetary...
...I don´t want to live my life again".
A música dos Ramones, composta inspirada nessa história, é mais um convite a ingressar no universo desse livro impressionante.
Em minha opinião, o melhor e mais marcante de Stephen King. Já li duas vezes e com certeza um dia irei ler de novo.
Através da família Creed (que são pessoas normais, com seus altos e baixos, mas felizes, enfim) nos leva a refletir sobre as questões de vida e morte. A principal questão que ronda o livro é: até que ponto iria uma pessoa devastada pela dor? Ela seria capaz de chegar ao extremo da loucura, do irracional, para trazer de volta à vida uma pessoa amada que morreu?
Uma dica: ESQUEÇAM o filme. Ele não consegue traduzir nem 5% dos questionamentos, do horror e das sensações que o livro traz.
comentários(0)comente

O Véio 12/05/2010minha estante
Oi Dani. Acho que voce foi bem mais feliz que eu na sua resenha sobre este livro maravilhoso que é, O Cemitério! Eu acho que, ninguém no mundo, nenhum leitor, por mais apaixonado que seja pela leitura, ainda não leu absolutamente nada, se ele ainda não leu este livro Espetacular!! Voce foi muito feliz no que disse, pois, o livro é tudo isso, e um pouquinho mais!! Um abraço.




Risa 09/02/2017

Começo péssimo,meio bom e final louco!
Qd começei a ler esse livro fiquei mto decepcionada.Sério q é um dos melhores de S. King?O início é mto devagar,começa a esquentar lá pra centésima página, ficando interessantíssima na segunda parte do livro.Eu não senti medo nenhum,tem uma parte do livro q me deixou realmente triste (sim triste),e o final me deixou com uma certa fadiga,por causa do personagem Louis,parecia q eu estava sentindo a loucura dele.Enfim é um bom livro na minha opinião,com uma história diferente ,criativa,porém mto cansativo,daqueles q não pretendo ler novamente.
Bruna Gonçalves 20/09/2017minha estante
Exatamente a sensação que estou sentindo agora


Alyne.Oliveira 10/05/2019minha estante
Fiquei muito decepcionada com esse livro também, muita enrolação, sei que é o jeito dele escrever mas passou da conta. Final bem previsível. E nem tem esse terror todo.




447 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |