Cartas a um jovem terapeuta

Cartas a um jovem terapeuta Contardo Calligaris




Resenhas - Cartas a um jovem terapeuta


28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Sara.Marques300 29/08/2019

“nenhuma psicoterapia, seja ela qual for, deveria almejar a dependência do paciente” Contardo Colligaris
O livro traz o conjunto de cartas de curiosos e aspirantes da área da psicoterapia sobre dúvidas e anseios referentes há área. As mesmas são respondidas pelo psicanalista Contardo Calligaris, em um sistema de perguntas e respostas, Contardo leva o leitor a refletir sobre a beleza e os desafios da profissão. Aborda temas sobre a vocação profissional, a experiência do primeiro paciente, formação, empreendedorismo, questões práticas e conflitos úteis entre outros. Livro curto, mas riquíssimo em conhecimento.
comentários(0)comente



Mayara 16/07/2019

Obrigatório pra quem gosta de psicanálise
É um livro curto é muito gostoso de ler. Análises muito interessantes e experiências que nos fazem pensar fora da caixinha.
comentários(0)comente



Leitor 23/03/2019

Peço desculpas aos fãs de Contardo, mas ele é superestimado
Li Cartas a um Jovem Terapeuta, de Contardo Calligaris. Continuo com a mesma visão: Contardo é muito, muito superestimado. É preferível que você, jovem terapeuta, leia Cartas a um Jovem Poeta, de Rilke. Será muito mais relevante para a sua prática profissional. Infelizmente, não há bons livros com o mesmo recorte de Cartas a um Jovem Terapeuta, então ainda acho que vale a pena ler o livro de Contardo. As perguntas (dos jovens), muitas delas já famigeradas, são melhores que as respostas, mas o livro ao menos fomenta questionamentos importantes.

Uma coisa péssima é o preço; na Saraiva, o livro custa R$ 61,90. Se eu o tivesse comprado, talvez meu comentário fosse menos complacente.
comentários(0)comente



Tardoque 10/12/2018

Orientação profissional com verdade e compromisso
Apresentando com objetividade e sinceridade as próprias experiências como terapeuta, Calligaris faz um relato de sua carreira desde sua formação, passando por diversificadas áreas, sobretudo o trabalho clínico. Faz críticas pertinentes aos vícios academicistas e o ciclo de autodevoção que fomenta.
Vale a leitura para perapeutas em formação ou formados.
comentários(0)comente



Lari 01/12/2018

Traz pontos delicados e reflexões que devem vir à tona sempre que possível! Apesar de ser mais claro o direcionamento ao público que está ingressando na carreira psicoterápica, não se limita à este. Não dogmático e bem humorado, é um livro motivador de suporte encorajador diante de todas as incertezas que naturalmente surgem na prática clínica.
comentários(0)comente



Sara Raiany 23/06/2018

Cartas a um jovem terapeuta
O livro apresenta várias cartas destinadas a dois terapeutas que estão iniciando na profissão. Dessa forma, Calligars compartilha seus conhecimentos e experiências, revelando os bastidores da profissão. Ressalto que a obra não funciona como um “manual de condutas para psicoterapeutas”, aliás, ela possibilita reflexões acerca da atuação e formação desse profissional.
A escrita simples, crítica e envolvente de Calligars, torna a leitura ainda mais agradável. Além disso, a transparência do autor ao narrar suas primeiras experiências, apazigua as inquietações de quem anseia ingressar nessa carreira.
Portanto, apesar do autor ter a Psicanálise como aporte teórico, entendo que qualquer leitor pode ser beneficiado pelas temáticas abordadas no livro, já que ele se detém ás questões práticas da profissão.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Filipe.Pereira 15/09/2017

Bom livro. Tirou muitas dúvidas a respeito da profissão. Contardo é uma figura interessante.
comentários(0)comente



Érika 25/08/2017

Adorei!
É um livro curtinho e de fácil leitura, com muito "bom senso" envolvido.
Trata muito da humanização do analista, e da percepção deste indivíduo como um ser humano; como alguém que tem dúvidas, anseios, desejos, angústias e percepções.
Me fez pensar com gratidão na minha terapeuta, e no quanto eu evoluí (e continuaria evoluindo) com ela (e no quanto eu ainda continuo, sem ela).
Comprei este livro de presente a uma amiga (na época) quase psicóloga, e mesmo sendo de um (e a dois) psicanalista e a preferência dessa amiga ser TCC, eu não consigo pensar em algo que transmita melhor os meus desejos de sucesso a alguém tão querida.
Recomendo fortemente a quem é da área, a quem não é, a quem gosta de ler, a todos. Livros curtinho e lindo.
FranMurara 29/08/2017minha estante
Adoro!




Larissa.Cecilia 08/08/2017

Ótimo
Fiz a leitura do livro quando estava cursando o segundo período do curso de Psicologia, mas se o tivesse conhecido antes, certamente teria lido antes de iniciar o curso superior. O autor aborda de forma simples, envolvente e perspicaz (bem resumidamente falando) várias das principais dúvidas e anseios de quem se interessa pela área ou está cursando Psicologia. Me arrisco a dizer que todo calouro ou aspirante a calouro deveria ler a obra, pois a mesma desmistifica vários pressupostos arraigados relacionados à profissão e ao curso, ao mesmo tempo que orienta não com o intuito de estabelecer verdades absolutas, mas sim para que os estudantes (ou não) sintam-se cada vez mais inquietos dentro da profissão que escolheram seguir.
comentários(0)comente



Samuel.Araujo 17/05/2017

Você se interessa por saúde mental? Leia este livro!
Por o livro ser bem pequeno, torci para que o valor investido na leitura (um pouco salgado) não me desapontasse. Então, a obra superou todas as minhas expectativas. Como um futuro profissional da área, parece que Contardo estava ao meu lado conversando sobre minhas dúvidas e inquietações.

Calligaris é doutor em psicologia, psicanalista com larga experiência na Europa, EUA e Brasil, além de colunista da Folha de S. Paulo. O escritor usa esses atributos para discutir - e dispertar reflexões - sobre aspectos essenciais e polêmicos da carreira profissional de um psicoterapeuta, terapeuta ou psicanalista - apesar das diferenças entre os três, o autor trata-os basicamente como sinônimos. O texto é baseado em uma série cartas trocadas entre um casal de profissionais recém-formados (com suas dúvias) e o autor (com suas respostas e experiências). Contardo reflete, entre outras temáticas, acerca da vocação e escolha profissionais, da formação acadêmica, da montagem do consultório e, sobretudo, do relacionamento com o paciente. Este último revela-se como o tema mais importante. Desde como conseguir mais atendimentos, passando por possíveis incursões amorosas e até a cura (ou não), um aspecto é comum: o foco no bem-estar do paciente. Não gerar uma dependência afetiva, ser tolerante à variedade das condutas humanas, possuir um atendimento individualizado e fazer sua própria análise atendem essa premissa. Afinal, o paciente precisa "viver plenamente suas potencialidades, mas respeitando seus limites internos e externos".
comentários(0)comente



Nádia 02/05/2017

#resenhapomarliterario Cartas a um jovem terapeuta
"...Eles querem mudar, e você também, junto com eles, pode querer que eles mudem. Mas uma mudança não é coisa que possa ser imposta. Ela não virá da imposição do rigor abstrato da técnica que você aprendeu, do setting no qual você se formou ou da teoria com a qual você escolheu justificar suas palavras e seus atos terapêuticos. Ao contrário, para que uma mudança aconteça um dia, é preciso que uma relação comece; e uma relação só pode começar nas condições que são irrenunciáveis por seu paciente. Em suma, avance desarmado."
Gente, estou A-PAI-XO-NA-DA por esse livro do Calligaris. É obra pra ter na cabeceira e reler e reler 😍 Com linguagem clara e objetiva ele expõe, em forma de cartas escritas pelo psicanalista a dois terapeutas em formação, suas vivências e também uma visão crítica da sua área de atuação. A proximidade dele com o leitor é tamanha que parece que ele realmente está conversando com a gente! Como muitas das perguntas feitas eram dúvidas minhas eu me senti muito plena pelas descobertas. Recomendo muito a leitura aos amigos da psicologia. "Se você está no início de sua vida profissional, leia para imaginar um futuro; se está no meio do caminho, leia para descobrir percursos diferentes e realinhar suas expectativas; se está mais perto do final, leia para se surpreender com o quanto ainda há para ser feito."

site: https://www.instagram.com/p/BFey4FxGv3f/?taken-by=pomarliterario
comentários(0)comente



Ana Beatriz.Alcantara 03/12/2016

Ótima leitura
Aos aspirantes a psicólogos e aos amantes da psicoterapia. O livro coloca os principais pontos a se pensar quanto a figura do psicanalista e suas aspirações; e ainda confronta ideias sobre o encontro no setting terapêutico.
Entendo que seja uma referência primordial a todos os estudantes de psicologia e curiosos.
comentários(0)comente



Nena 13/02/2016

Calligaris elucidando como SER e como ESCOLHER um psicoterapeuta. Gostei muito do livro (e das dicas). Prático e objetivo!

“Primeiro, um psicoterapeuta (e ainda mais um psicanalista) que define uma conduta como “desvio” não fala em nome da psicoterapia e ainda menos em nome da psicanálise. Ele fala quer seja em nome de seu anseio de normalidade social, quer seja em nome de seu esforço para reprimir nele mesmo o desejo que parece condenar.”

“A psicanálise me interessa por sua capacidade de transformar as vidas e atenuar a dor.”
comentários(0)comente



Brnoliver 29/11/2015

Humanização de terapeutas
Não tenho tanto interesse quanto gostaria pela psicanalise, mas acho ele livro importante pra todos os terapeutas e aspirantes por mostrar como devemos ser mais humanos ao lidar com o outro. Claro que algumas coisas são bastante reservadas para psocanalistas, principalmente os lacanianos, mas isso não tira a importância do livro.

Citação: "Muito mais trágico me parece o destino de quem atravessa a vida sem se molhar".
comentários(0)comente



28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2