Cartas a um jovem terapeuta

Cartas a um jovem terapeuta Contardo Calligaris




Resenhas - Cartas a um jovem terapeuta


28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Bruna 03/01/2011

Ótimo
Mais um livro que adorei e que pretendo ter em minha estante!

Procurando por um livro introdutório à Psicologia, tive esse como recomendação e decidi lê-lo, mesmo não tendo a psicoterapia como minha carreira de desejo.

Tive uma ótima surpresa! Contardo Calligaris me conquistou em cada página: o livro é muito interessante, esclarecedor, norteador - sem contar a linguagem, que é super fácil e envolvente! É um livro delicioso de se ler!

Calligaris não apenas orienta futuros profissionais, mas também traz informações sobre a Psicologia, seu contexto etc. Uma das partes de que mais gostei foi a em que ele nos mostra a origem da "rivalidade" entre psicanalistas e psicoterapia.

Gostei muito, mesmo. Recomendo esse livro a todos que se interessam pela Psicologia em geral, e principalmente (mas não só) a quem tem ganas de se tornar um terapeuta.

comentários(0)comente



Sergio 16/01/2012

Como descobrir se podemos ser um bom psicoterapeuta?
Uma das coisas que mais me chamou a atenção a ler esse livro do Calligaris foi uma pergunta bem específica: como saber se serei um bom psicoterapeuta? Ele responde de maneira clara. Comece conversando com alguém que ninguém dá voz, ninguém preste a atenção. Procure um morador de rua, um travesti, um doente terminal. Se você conseguir conversar com essas pessoas que ninguém dá voz durante uma hora sem se aborrecer, sem se entediar e sem querer ir embora, talvez seja esse um bom indício de que você será um bom psicoterapeuta. Ser psicoterapeuta, psicanalista ou analista, é um pouco disso: aprender a escutar o outro independente do que ele tem para lhe falar, sem se entediar. "Cartas a um jovem terepeuta" é uma boa oportunidade para se descobrir da profissão que você escolheu daqui pra frente. Boa leitura.
comentários(0)comente



Mari 19/01/2014

Leitura essencial para todos os terapeutas iniciantes!
O livro é escrito na forma de cartas, sendo que cada carta trata de um tópico que trás dúvidas aos terapeutas que estão iniciando na profissão. As dúvidas vieram de terapeutas reais a quem o autor estava ajudando, e parece que eles conseguiram perguntar bem as coisas que mais preocupam os iniciantes, porque são exatamente as mesmas dúvidas que eu tenho!

Apesar do autor ser de orientação psicanalista, acredito que pessoas de qualquer orientação teórica vão aproveitar o livro, porque ele trata de tópicos que não dizem respeito à teoria, mas sim a prática da psicologia clínica: o que é necessário para ser um psicólogo clínico? Alguma vocação? Que tipo de formação? Como conseguir o primeiro paciente? E depois, como conseguir mais? Existe "normal"? Devemos curar nossos pacientes? Como cobrar?

As contribuições do autor nesses tópicos são muito interessantes e me acalmaram bastante, encontrei um pouco de conforto para várias dúvidas e medos que eu tenho como terapeuta no começo da carreira. Recomendo esse livro para todos os terapeutas iniciantes, e também para as pessoas que ainda estão na faculdade mas já escolheram o caminho da psicologia clínica, porque pra mim foi nessa época que as dúvidas tratadas no livro começaram, teria sido muito legal se eu tivesse lido antes!
comentários(0)comente



Sabrina 23/06/2010

Cartas a um jovem terapeuta
Incrivel como as perguntas realmente são as que despertam em comum em nós estudantes de psicologia. Muitas das perguntas do livro eu me identifiquei com elas e a resposta que o Calligaris deu, agumas me surpreenderam bastante e com outras eu fiquei pensando e pensando sobre o assunto e indagando comigo mesma " E o que fazer agora?" Esse livro é essencial é um daqueles livros que você meio que sempre vai ficar voltando a leitura pra ver se teve progresso, ou se era necessário ou até se " não, putzz no que é que eu fui me meter.."
O Calligaris soube muito bem se mostrar um ótimo orientador e um cara bastante persistente em algumas ocasiões dependendo do tema.
Eu recomendo o cartas, tenho certeza que quem ler vai rabiscar e marcar muitas páginas nele.
comentários(0)comente



Rinah 07/09/2010

Calligares conta em sua apresentação que escreveu suas cartas a dois terapeutas e as intercalou no livro. As cartas poderiam mesmo ser para qualquer um de nós que tenha interesse por psicoterapia, ou como eu que esteja iniciando a vida de terapeuta.
As perguntas que ele responde são as as dúvidas que povoam a cabeça de um jovem terapeuta realmente e suas respostas são honestas demais. Mais do que você ouvirá em anos de curso (acredite, eu estive por quatro anos na academia de psicologia e ainda terei mais um).
Todos os grandes fantasmas estão ali (o primeiro paciente, como ter outros, como ser um terapeuta) e um a um são desmistificados de uma forma simples e bonita que apenas alguns poucos professores me ensinaram.
"Seja você", "seja autêntico", nada de máscaras, nada de fórmulas, apenas você e o que der para ser.
comentários(0)comente



Raquel 02/05/2012

Todos os aspirantes a psicólogos devem ler este livro. Cantardo utiliza uma linguagem simples e, de forma prática, elucida as maiores dúvidas do jovem terapeuta.
Fabuloso!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marcela 14/07/2013

ótimo
Adorei este livro, ele fala da prática de um psicoterapeuta e também de vida. Li em uma viajem de ônibus que durou 3h30, ou seja, gostei tanto do livro que não consegui desgrudar dele. Enfim, no fim, e é o fim mesmo, o importante é seguir e sem preconceitos que atravanquem o caminhar.
Daniel Rocha 15/07/2013minha estante
Valeu a dica, futura colega..:) Vai para a lista de leituras. Já li o Cartas a um Jovem Poeta, do Rilke, e o Cartas a um Jovem Escritor, do Vargas Llosa.

Este é o próximo da lista. :)


Daniel Rocha 24/08/2013minha estante
Bom, nesse meio tempo já li o livro e também adorei. Foi bem importante eu ler (e ver que preencho os requisitos para ser terapeuta :) antes de começar a faculdade. Vamos que vamos.




Samuel.Araujo 17/05/2017

Você se interessa por saúde mental? Leia este livro!
Por o livro ser bem pequeno, torci para que o valor investido na leitura (um pouco salgado) não me desapontasse. Então, a obra superou todas as minhas expectativas. Como um futuro profissional da área, parece que Contardo estava ao meu lado conversando sobre minhas dúvidas e inquietações.

Calligaris é doutor em psicologia, psicanalista com larga experiência na Europa, EUA e Brasil, além de colunista da Folha de S. Paulo. O escritor usa esses atributos para discutir - e dispertar reflexões - sobre aspectos essenciais e polêmicos da carreira profissional de um psicoterapeuta, terapeuta ou psicanalista - apesar das diferenças entre os três, o autor trata-os basicamente como sinônimos. O texto é baseado em uma série cartas trocadas entre um casal de profissionais recém-formados (com suas dúvias) e o autor (com suas respostas e experiências). Contardo reflete, entre outras temáticas, acerca da vocação e escolha profissionais, da formação acadêmica, da montagem do consultório e, sobretudo, do relacionamento com o paciente. Este último revela-se como o tema mais importante. Desde como conseguir mais atendimentos, passando por possíveis incursões amorosas e até a cura (ou não), um aspecto é comum: o foco no bem-estar do paciente. Não gerar uma dependência afetiva, ser tolerante à variedade das condutas humanas, possuir um atendimento individualizado e fazer sua própria análise atendem essa premissa. Afinal, o paciente precisa "viver plenamente suas potencialidades, mas respeitando seus limites internos e externos".
comentários(0)comente



Lari 01/12/2018

Traz pontos delicados e reflexões que devem vir à tona sempre que possível! Apesar de ser mais claro o direcionamento ao público que está ingressando na carreira psicoterápica, não se limita à este. Não dogmático e bem humorado, é um livro motivador de suporte encorajador diante de todas as incertezas que naturalmente surgem na prática clínica.
comentários(0)comente



Nádia 02/05/2017

#resenhapomarliterario Cartas a um jovem terapeuta
"...Eles querem mudar, e você também, junto com eles, pode querer que eles mudem. Mas uma mudança não é coisa que possa ser imposta. Ela não virá da imposição do rigor abstrato da técnica que você aprendeu, do setting no qual você se formou ou da teoria com a qual você escolheu justificar suas palavras e seus atos terapêuticos. Ao contrário, para que uma mudança aconteça um dia, é preciso que uma relação comece; e uma relação só pode começar nas condições que são irrenunciáveis por seu paciente. Em suma, avance desarmado."
Gente, estou A-PAI-XO-NA-DA por esse livro do Calligaris. É obra pra ter na cabeceira e reler e reler 😍 Com linguagem clara e objetiva ele expõe, em forma de cartas escritas pelo psicanalista a dois terapeutas em formação, suas vivências e também uma visão crítica da sua área de atuação. A proximidade dele com o leitor é tamanha que parece que ele realmente está conversando com a gente! Como muitas das perguntas feitas eram dúvidas minhas eu me senti muito plena pelas descobertas. Recomendo muito a leitura aos amigos da psicologia. "Se você está no início de sua vida profissional, leia para imaginar um futuro; se está no meio do caminho, leia para descobrir percursos diferentes e realinhar suas expectativas; se está mais perto do final, leia para se surpreender com o quanto ainda há para ser feito."

site: https://www.instagram.com/p/BFey4FxGv3f/?taken-by=pomarliterario
comentários(0)comente



Tardoque 10/12/2018

Orientação profissional com verdade e compromisso
Apresentando com objetividade e sinceridade as próprias experiências como terapeuta, Calligaris faz um relato de sua carreira desde sua formação, passando por diversificadas áreas, sobretudo o trabalho clínico. Faz críticas pertinentes aos vícios academicistas e o ciclo de autodevoção que fomenta.
Vale a leitura para perapeutas em formação ou formados.
comentários(0)comente



Ana Beatriz.Alcantara 03/12/2016

Ótima leitura
Aos aspirantes a psicólogos e aos amantes da psicoterapia. O livro coloca os principais pontos a se pensar quanto a figura do psicanalista e suas aspirações; e ainda confronta ideias sobre o encontro no setting terapêutico.
Entendo que seja uma referência primordial a todos os estudantes de psicologia e curiosos.
comentários(0)comente



Sara Raiany 23/06/2018

Cartas a um jovem terapeuta
O livro apresenta várias cartas destinadas a dois terapeutas que estão iniciando na profissão. Dessa forma, Calligars compartilha seus conhecimentos e experiências, revelando os bastidores da profissão. Ressalto que a obra não funciona como um “manual de condutas para psicoterapeutas”, aliás, ela possibilita reflexões acerca da atuação e formação desse profissional.
A escrita simples, crítica e envolvente de Calligars, torna a leitura ainda mais agradável. Além disso, a transparência do autor ao narrar suas primeiras experiências, apazigua as inquietações de quem anseia ingressar nessa carreira.
Portanto, apesar do autor ter a Psicanálise como aporte teórico, entendo que qualquer leitor pode ser beneficiado pelas temáticas abordadas no livro, já que ele se detém ás questões práticas da profissão.
comentários(0)comente



Lara 15/05/2015

Cartas a um jovem terapeuta.
Esse livro deve ser lido e relido por estudantes de psicologia e também por profissionais psicologos e psiquiatras.O livro é realmente muito bom
comentários(0)comente



28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2