As Meninas da Esquina

As Meninas da Esquina Eliane Trindad




Resenhas - As Meninas da Esquina


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Pefico 20/10/2010

O complicado problema da prostituição infantil
O tema Prostituição é sempre algo complicado em um país sexualmente hipócrita. Todo mundo sabe que prostitutas existem, mas muitos só as levam em consideração em piadas de mal gosto. Muitos dos piadistas em questão têm uma ou duas aventuras com essas profissionais em seu histórico, quando não as visitam regularmente. Mesmo assim elas são assunto de piada. Mais complicado que considerar as questões que envolvem uma mulher "vendendo seu corpo" como profissão é imaginar uma criança passando por situação semelhante.

O livro Meninas da Esquina de Eliane Trindade lança uma luz no que se passa na cabeça dessas meninas-mulheres que passam a usar o comércio sexual como uma plataforma, ilusória ou não, para uma vida melhor. Eliane Trindade nos traz os diários de cinco meninas pobres que vendem favores sexuais (com exceção de uma delas), todas moradoras de favelas e conjuntos residenciais financiados pelo governo. As descrições das garotas são vívidas e bem detalhadas, não do processo de venda de favores sexuais em si, mas do que se passa em suas cabeças e em seus corpos. Pela forma como elas descrevem seu cotidiano, seu relacionamento com a família e suas empreitadas para abandonar esse mercado tão nocivo para suas vidas, enxergamos a imensa teia que impede essas crianças de serem apenas crianças.

Há também grandes surpresas neste livro. Descobrimos, por exemplo, que a prostituição é uma definição que aplicamos para sua atividade, mas que elas mesmas não usam para se definir. Elas não "são" prostitutas, elas estão "temporariamente transando por dinheiro, mas logo que as coisas melhorarem vão parar". Outra surpresa é descobrirmos que para essas crianças a prostituição acaba sendo um substituto para a vida no tráfico, que segundo elas, é muito pior. A escolha que são obrigadas a fazer entre prostituição e o tráfico, evidencia a ausência de escolhas.

Mesmo exploradas, abusadas e castigadas por algo que elas mesmas consideram como errado, essas crianças sonham. Elas sonham com um futuro melhor onde possam estudar e se desenvolver. Elas sonham com oportunidades que não vem, empregos que não aparecem e uma sociedade mais justa. Mesmo sem entender, por ausência de experimentação, o que sociedade e justiça significam.
Ju 20/10/2010minha estante
resenha perfeita




girino 06/09/2011

O livro começa muito bem. São as histórias de meninas de rua, vítimas conscientes ou não da violência e do mercado do sexo, contadas por elas mesmas. É a vida delas, contada por elas. Desejos e problemas, família, amigos escola e rua! Não são brunas surfistinhas, não estão ali pra falar de sexo. Estão desabafando a violência de que são diariamente vítimas. Chocante,emocionante e acima de tudo, humano.

Mas no final, a autora intervém. Faz análises rasas e preconceituosas sobre a violência e a pobreza, a sociedade e o governo... Esquece das meninas, elas viram só uma "peça", um objeto numa reportagem. O livro perde tudo que tinha conquistado com os diários e testemunhos das meninas.

E ainda me lança dúvidas: Como os rendimentos do livro vão ser usados para melhorar a vida dessas meninas? O anonimato não seria também desculpa para esquecê-las depois? deixar a cargo de uma ong sem orçamento que não tem garantia de sobrevida? Elas são autoras do livro,muito mais que a jornalista que o assina! É a vida delas nas palavras delas,mas os lucros são de quem? Essa é a dúvida e a preocupação que me fica depois de ler esse livro, que seria excelente se mantivesse apenas os diários sem as "anotações" do final.
comentários(0)comente



Milena Cecília 10/08/2011

Essencial na sua estante!
Li esse livro atualmente e acredito que todas as pessoas no Brasil deveriam ler esse livro também pra ter uma noção de realidade!
O livro é basicamente um diario de 6 adolescentes da favela que vivem em situação de risco e/ou na prostituição.
Julgar é sempre muito facil mas,quando você lê o dia a dia dessas meninas,percebe o que é ter problemas de fato e enfrentar uma vida sem perspectiva de vida alguma e o pior: a maioria delas não tem sequer consciencia disso!
Sao pessoas que sentem e sofrem como todos nos além de outras mil dificuldades! E não tem como nao se afeiçoar a eles no decorrer das narrações. Essa leitura pode mudar a sua forma de enxergar e enfrentar a vida e suas dificuldades.
Além disso,depois da narrativa das meninas vêm uma série de opiniões criticas de pessoas que participam de ongs,jornalistas e outros envolvidos no processo que visa compreender melhor esse tipo de situação a fim de buscar melhores soluções! Essas criticas mostram como as politicas publicas de comportam diante da prostituição infanto juvenil assim como outros problemas que agregam nessa realidade como a fome,a deficiencia no atendimento publico em postos de saude,a precariedade das escolas dentre outros fatores.
Sem duvidas é uma leitura riquissima e muito emocionante e não ha como não se envolver com as historias ou não torcer pelo crescimento dessas meninas.
comentários(0)comente



claudioschamis 11/02/2009

Um livro que conta a história de 6 adolescentes, suas dificuldades, seus sonhos, seus dramas. Um relato vivo da nossa dura realidade. Mostra também o trabalho de instituições que tentam a todo custo e dificuldade dar uma esperança na vida dessas e de outras meninas qeu passam pelas mesmas dificulades. Um livro que não é de fácil leitura devido a sua própria realidade exposta de forma muito real em nossos dias.
Jucaliana 12/10/2010minha estante
Achei a leitura extremamente fácil e envolvente.




4 encontrados | exibindo 1 a 4