Jurassic Park

Jurassic Park Michael Crichton




Resenhas - Jurassic Park


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Gordinho 26/03/2017

Classico
Perfeita descrição do mundo dos Dinossauros, o qual sou muito fã! Tinha que ler em versão original. Super recomendo!
comentários(0)comente



Mila 04/01/2017

Por Baú do leitor
Um dos melhores livros que já li! Já li algumas críticas negativas, mas isso não me fez mudar de ideia, ainda mais quando comparamos com a época em que foi escrito.


Crichton foi simplesmente um escritor fantástico. O fato de ser médico ajudou a escrever termos técnicos e discorrer sobre fatores que fizeram muita diferença no desenrolar da história (me amarro nisso!).

Crichton não era desses escritores que deixa o leitor 'boiando', ele sabia como usar as palavras de modo a fazer o leitor não apenas entender, mas se envolver no que é contado. Ele explica como funcionam as técnicas de melhoramento genético utilizadas e outras coisas, como a Teoria do Caos por exemplo.

Tudo gira em torno de um cara super rico que deseja trazer à vida aqueles seres gigantes que deixaram de existir há muito, muito, mas muito tempo. Isso mesmo, os Dinossauros! Isso foi possível graças a clonagem do DNA de insetos preservados em âmbar pré-histórico. Na verdade ele estava pensando em criar um parque temático onde os visitantes pudessem ter contato com esses seres sem correrem o risco de serem atacados pelos tais, mas antes mesmo da inauguração do parque, um Velociraptor* ataca um funcionário e este vai a óbito. Com receio de que algo esteja fora do lugar, ele chama alguns especialistas para analisarem a situação, entre eles, um paleontólogo, um matemático e uma paleobotânica. O enredo também conta com os dois netinhos do cara rico, uma menina e um garotinho meio nerd e louco por dinossauros, além de outros personagens secundários que aparecem ao longo da história, dando sentido à mesma, como as crianças atacadas por uma espécie desconhecida nas proximidade da ilha dos dinossauros, médicos e outros pesquisadores.

Crichton narra a história de modo que nós, meros leitores, passamos a nos imaginar naquela ilha, talvez no passeio com os netos do ricaço maluco (John Hammond), ou na dscussão sobre o desligamento da cerca elétrica de segurança, ou mesmo descobrindo que as falhas no que viria a ser o perfeito mundo dos dinossauros teria partido de um suborno por parte de um rival de Hammond... Cara, o leitor se vê ali naquele lugar quando o T.Rex** escapa... Gente, você não consegue parar!

Resumindo, a ciência é algo incrivelmente cooperadora do bem e do sucesso, mas ela precisa ser interpretada e respeitada, e a ganância não consegue fazer isso, infelizmente. Acredito que a maior mensagem que o livro quer passar é isso de respeitar os limites da ciência e o tempo da natureza.

Sim, eu indico essa leitura!

*Gênero de dinossauros terópode que viveram aproximadamente de 75 a 71 milhões de anos atrás, durante a última parte do período Cretáceo. Duas espécies são reconhecidas atualmente, embora outras tenham sido atribuídas no passado
* É um Tiranossauro, ou seja,um gênero de dinossauros terópodas coelurossauros, que viveram durante o final do período cretáceo, há aproximadamente 65 milhões de anos, em toda a região que hoje é a América do Norte

site: www.baudoleitor.com.br
comentários(0)comente



Fernanda 09/07/2015

Resenha: Jurassic Park
CONFIRA A RESENHA NO BLOG:

site: http://www.segredosemlivros.com/2015/07/resenha-jurassic-park-michael-crichton.html
comentários(0)comente



GramoPhoneMan 22/05/2013

Esqueça o filme
Simplesmente leia o livro e depois reveja o filme.
comentários(0)comente



Albert 16/11/2012

Simplesmente incrivel, ainda mais com as teorias do Ian Malcolm. Caso se decepcionel do final, leia o Mundo Perdido.
comentários(0)comente



Lili Machado 12/10/2012

Até que uma coisa dá errada...
Uma fabulosa técnica de recuperação e clonagem do DNA dos dinosauros, foi descoberta. Agora, as mais excitantes fantasias da humanidade tornaram-se verdadeiras.
Criaturas extintas há milênios, povoam o Parque dos Dinosauros, com seu profundo mistério, e todo o mundo pode visitá-los – por um preço...
Até que uma coisa dá errada...
Uma ilha da Costa Rica logo irá tornar-se o mais ambicioso parque temático do mundo – uma reserva de dinosauros.
Uma companhia visionária de biotecnologia coseguiu clonar estes répteis extintos. Quinze diferentes espécies passeiam placidamente, mas um matemático especialista na teoria do caos, prevê que o comportamento dos animais é instável.
Quando uma outra companhia rival consegue roubar alguns embriões congelados, a coisas começam a complicar.
Se o filme de Spielberg sobre o livro, o deixou querendo saber mais sobre o tema e os personagens, o leitor tem obrigação de ler este romance de ficção científica, recheado de cenas importantes, diálogos esclarecedores e explicações que ficaram faltando. Tudo isso, juntamente com as emoções do relato de Michael Crichton.
O livro tornou a trama plausível – e possível de acontecer, em alguns anos. E o livro foi escrito antes da corrida pela clonagem se iniciar.
Se o leitor deixar esse livro de lado, só porque não gostou do filme ou porque acha que a premissa é impossível, você está totalmente errado, e está perdendo um entretenimento de primeira. Este é um livro do tipo: tem de ser lido!
É um exemplo fantástico de ficção científica moderna.
comentários(0)comente



Carlos Vaz da Costa 22/08/2012

Continuação excelente!
Diferente do filme que foi um insucesso nas telas do cinema, o livro contém uma história bem mais interessante e a ida a Ilha Sorna se torna bem mais atraente de ser lida, indo muito bem no quesito aventura, as aparições dos Tiranossauros e Velociraptores como sempre deixam o leitor quase sem ar de tanta emoção, para os amantes do gênero é um prato cheio e com certeza deve ser apreciado.
Eric 24/03/2013minha estante
Que mundo se ta filho? Insucesso onde? OI? Steven Spielberg fez um excelente sucesso dos cinemas.


Fernando Afonso 05/03/2015minha estante
Realmente, o filme foi um sucesso.


Arley Ramos 23/11/2016minha estante
Estranho ver alguém dizendo que o filme não foi bom. Vi na estréia em 1993 e vi marmanjos de boca aberta quando o primeiro dinossauro apareceu na tela... o filme é ótimo. O livro é ótimo (li duas vezes).

Fiquei curioso em relação a qual parte do filme você não gostou ou se foi o filme inteiro.




Marlon Teske 27/10/2010

Os dinos comeram algumas palavras
A maioria de nós conhece a história de Jurassic Park, e talvez seja estranho para alguns ler um livro cujo final já é conhecido. Entretanto, eu gosto particularmente de livros que foram parar no cinema, pois geralmente o livro tem uma qualidade descritiva e de história muito superior a que é utilizada no filme.

Jurassic Park, no entanto, se não está abaixo, fica no mínimo no mesmo nível da versão tela grande. O autor Michael Crichton, (talvez superestimando a biotecnologia na época em que o livro foi escrito), viajou longe e desenvolveu uma história de terror onde os dinossauros são reconstruídos através de DNA fossilizado em insetos presos no âmbar. O intento dos criadores da técnica é construir uma atração turistica, o zôo mais incrível de toda a Terra.

Em dado momento, fica claro que a vida não pode ser contida desta forma, e que o poder destas criaturas está além do mero controle humano. E então começa a correria, com pessoas caçando dinos, e muito mais dinos caçando as pessoas no parque. As descrições dos dinossauros caçando e fugindo uns dos outros são o ponto alto do livro. Em vários momentos fica claro que são eles os protagonistas da história, e não os demais personagens (numerosos, aliás, pois dinos comem muito)

A história pela ficção em si é bem divertida, vale a leitura sem dúvida, especialmente para pescar os pontos da trama que foram adaptados. Porém, a tradução do livro que eu tive em mãos era bem fraquinha, com vários erros de digitação e diagramação, com direito a palavras faltando no meio do texto.

Lido em Fevereiro/2009
comentários(0)comente



FernandoI 29/04/2009

Exagero....
Melhor livro do mundo.
comentários(0)comente



Inlectus 15/04/2009

Melhor que o filme.
O filme é ótimo, mas de fato, não se compara ao livro, que forma na mente uma riqueza imaginativa sem par, e envolve o leitor na aventura. Ao imaginar com a própria mente, tudo que se passa nessa aventura, durante a leitura, temos uma sensação deliciosa.
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10