O Morro dos Ventos Uivantes

O Morro dos Ventos Uivantes Emily Brontë




Resenhas - O Morro Dos Ventos Uivantes


1000 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Inajara.Garijo 12/11/2019

Wuthering Heights
Vou falar um pouquinho sobre O Morro dos Ventos Uivantes, um romance escrito no século XVIII, por Emily Brontë , escritora e poetisa, que morreu muito jovem, aos 30 anos, um ano após a publicação de seu único livro e que ainda hoje é considerado um clássico da literatura.
Ao começar a leitura há cerca de um ano atrás o achei meio entediante, não foi um enredo que me prendeu logo de cara, mas me esforcei para continuar. No entanto, acabei lendo outros livros que me cativaram mais e esse foi deixado de lado. Somente há uma semana resolvi retomá-lo e dar a ele um voto de confiança, afinal ?é um clássico? !
Para minha alegria, em determinado momento a história ?engrenou? e conseguiu me prender, momento em que passa a acontecer a contação da história dos protagonistas Heathcliff e Catherine, o que foi justificando a confusão que é o início do livro com nomes e sobrenosmes. Em três dias terminei (muito tempo para mim). Precisei de uns dias para digerir e me decidir se gostei ou não . Se fosse julgar pelo senso comum, diria que não gostei, afinal busco nos livros uma felicidade instantânea, principalmente se tratando de romances, pois sim, sou uma romântica incurável.
No entanto, analisando a obra, como profissional de Letras pude considerar outros fatores. É um livro bastante denso, que aborda diversos assuntos da existência humana, como o amor idealizado e proibido, o ódio, a vingança, a inveja, a submissão feminina, tudo isso com uma boa dose de brutalidade e ausência de compaixão. Em torno de um amor de infância que se transforma em um triângulo amoroso, que acaba por dar origem a outra história de amor, um tanto quanto conturbada. Tudo isso dentro do espaço de duas propriedades, O morro dos ventos Uivantes e A Granja dos Tordos.
É sem dúvida um livro muito rico de detalhes e na abordagem de diferentes sentimentos e atitudes humanas na construção do amor que sobrevive mesmo após a morte.
comentários(0)comente



Daniel.Oliveira 03/11/2019

Livro Cliché demais
História de Amor,muito cliché.Até Shakespeare é mais original
comentários(0)comente



Alice.Gomes 29/10/2019

Simplesmente amo esse livro
Me apaixonei por cada detalhe,por cada letra,por cada linha, senti raiva, uma forte tristeza,alegria,amor,enfim foi uma verdadeira montanha russa de sentimentos, e isso é mérito da narrativa brilhante desse livro,a riqueza de detalhes,o jeito que descreve a situação de cada personagem,o que faz você sentir pena de uns e depois sentir raiva(eu mesma,quando li eu senti tudo isso e muito mais,em questão ao Heathcliff). Simplesmente magnífico??
comentários(0)comente



Rah 25/10/2019

O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Bronte - Editora Martin Claret ..
Tudo bem gente? Eu li esse livro e descobri que sou apaixonada por romances de época. Me pergunto porque demorei tanto para ler esse livro, mas eu sempre tenho a sensação de que existe um momento certo para algumas coisas na vida e ler um livro como esse precisa do momento certo. Eu tenho muito isso e acredito que li o Morro no momento exato para sentir o que a história tem para te passar. .

Eu recomendo demais aos amantes de romance de época porque é uma história maravilhosa. Fala sobre uma moça rica Catherine e de um rapaz pobre, Heathcliff que foi adotado pela família da moça quando eles ainda eram crianças. .

Quando adolescentes, os dois descobrem estar apaixonados um pelo outro e a amizade deles era linda e tudo ia bem até Catherine magoar Heatchliff. É uma história de amor incrível que nao foi vivida, mas sentida durante toda a vida dos dois. .

Vocês já leram? O que acharam? Eu amei muito e sou grata a Emily por essa obra de arte. ‘Não sei de que as nossas almas são constituídas, mas a dele e a minha são iguais..” 5/5⭐

site: https://www.instagram.com/leiturasrah/
comentários(0)comente



Pah 18/10/2019

Simplesmente incrível!!
comentários(0)comente



Mila 18/10/2019

Uma paixão obsessiva
Trata-se de uma estória, ao meu ver, de uma paixão obsessiva, nada mais além disso. Não há resquícios de amor entre Catherine e Heathcliff, uma vez que ambos são extremamente egoístas e autodestrutivos.
Heathcliff é encontrado vagando perdido e então adotado por Mr. Earnshaw, porém este garoto desperta o ciúme do irmão mais velho, Hindley e a simpatia da irmã mais nova, Catherine e futuramente uma paixão obsessiva.
Após a morte do pai, o irmão mais velho assume o posto de chefe da família e a vida do irmão adotivo vira um inferno. O livro então nos conta o desenvolver de cada personagem dentro da trama, nenhum consegue ser totalmente bom ou mau. E a parcela de maldade fica por conta de todo o histórico de violências, abusos físicos e morais pelos quais os mesmos passaram.
Catherine casa-se com Linton um vizinho rico, Heathcliff some e retorna anos depois rico, tomado por ódio e com um forte desejo de vingança. Em contrapartida sua paixão e veneração por Catherine continua a mesma.
comentários(0)comente



Victoria Espacate 17/10/2019

então cancele o heathcliff DE UMA VEZ sua insuportável chata do caralho vai ficar enchendo o saco toda vez que ele falar merda??? vc nao entendeu ainda que eu NAO LIGO???
comentários(0)comente



Nathalie.Murcia 13/10/2019

Um clássico que retrata a psiquê humana na pior das suas vertentes
Cada vez que leio um clássico acabo perplexa com a atualidade de alguns temas ventilados há muitos anos, e este não foi diferente, sobretudo quando escrito por uma mulher que não dispunha de todo o material de vida e pesquisa necessários para tanto. Em verdade, foi o clássico que mais me surpreendeu.

A psiquê dos personagens e o caráter manipulador e egoísta de alguns são o vórtice de toda a narrativa. Uma obsessão por um amor que perdurou toda uma vida, e que consistiu no mote de uma vingança doentia que transcendeu gerações.

Uma história que não temos "mocinhos". Nelly, a governanta e narradora, é a estrela do livro. Contudo, Heathcliff, com toda sua perfídia e obstinação adquiridas em razão dos maus-tratos e rejeição desde a infância, é um personagem extremamente bem construído. Recomendo a todos!!!

Essa edição da Zahar, apesar de ser de bolso, é muito caprichada, com uma fonte agradável para leitura e capa dura.

Mais resenhas no meu Instagram.

site: http://.instagram.com/nathaliemurcia/?hl=pt-br
Lua 14/10/2019minha estante
Eu comprei esse livro e alguns outros na Bienal , fiquei na dúvida depois se esse era um bom livro , pq no começo eu achei que era um mistério ou terror , mas Depois eu li na sinopse que era romance , portanto , fiquei na dúvida e até hoje não consegui lê-lo


Nathalie.Murcia 14/10/2019minha estante
Lua, esse livro me surpreendeu. Pensei que se tratava de um romance água com açúcar, mas é algo bem distinto disso. Espero que aprecie a leitura tanto quanto eu!




Thalia 09/10/2019

Se tornou um dos meus favoritos
Uma das coisas que mais me cativou na história, é o fato de os protagonistas não serem os mocinhos. Demorei muito tempo pra pegar esse livro pra ler, e agora entendo o motivo de ele ser um "clássico". Me prendeu bastante, apesar de algumas palavras de difícil compreensão.
Não é apenas mais uma história de amor, aliás não se deve nem ser considerada como tal, mas sim, como uma história de tragédia.
comentários(0)comente



Viana 09/10/2019

Chato.
A leitura foi arrastada, confusa e muito chata. Não prendeu, quase não consigo concluir o livro. Mas tem quem goste e Você só pode dizer se gostou ou não se ler o livro.
comentários(0)comente



Mey 04/10/2019

“O Morro dos Ventos Uivantes” foi o único romance publicado pela Emily Brontë e mesmo assim o livro consegue ser brilhante. Um romance triste e muito sombrio, que fala principalmente sobre obsessão e vingança.

Os personagens principais da história são Heathcliff e Catherine Earnshaw, que se conhecem ainda crianças, quando o Earnshaw pai leva o jovem para viver em O Morro dos Ventos Uivantes, a casa deles. Os dois logo se encantam um pelo outro, porém Heathcliff não é bem aceito pelo irmão de Cathy e passa a sofrer nas mãos do jovem. Entretanto, essa não é uma história sobre esse tipo de sofrimento, porque Heathcliff desde sempre quer se vingar daqueles que lhe fazem mal.

Os personagens do romance não são exemplos de bondade, pelo contrário, a autora criou pessoas amargas, cheias de vontades, muitas vezes cruéis e orgulhosas. E mesmo assim é impossível não se envolver com todos eles e em alguns momentos até mesmo empatia por tudo aquilo pelo que passam.
O romance entre Cathy e Heathcliff não é lindo como a Bella de Crepúsculo nos fez imaginar, pelo contrário, é preciso pegar esse livro para ler ciente de que é um amor doentio e obsessivo entre os dois, que os destruiu e a todos a sua volta. E os dois também não são pessoas muito boas, ela é voluntariosa e mimada e ele vingativo e frio.

O livro vai narrar vários anos na história na propriedade e Morros dos Ventos Uivantes, e ao mesmo tempo em que vemos a degradação de cada um, a casa também vai se acabando como se fosse a alma sombria de cada um.

Emily Brontë além de criar uma história com romance, vinganças e muito sofrimento ainda dá um toque sobrenatural a história, que faz com que tudo fique ainda mais sombrio.
Essa não foi a minha primeira leitura dessa história, e da primeira vez foi muito bom, mas dessa segunda foi ainda melhor, eu absorvi toda história por completo e me delicie com todas as reviravoltas criadas pela autora e devorei o livro em alguns dias. Com certeza um dos melhores romances que já li na minha vida e mais do que recomendado.

site: http://agoraqueeusoucritica.blogspot.com/2019/10/resenha-o-morro-dos-ventos-uivantes.html
comentários(0)comente



Chris Calixto 03/10/2019

Um clássico mas não combinou comigo!
Vamos lá então gente...este foi o livro escolhido para o mês de março no nosso grupo {Leitura Coletiva 10 em 1}. Achei uma das leituras mais difíceis que fiz até hj, pois sempre via muitos comentários de que o livro é maravilhoso e etc, mas eu não consegui sentir essa maravilha toda. Me senti reconfortada e foi o que mais amei no livro, por incrível que pareça, quando li o posfácio 😂. Lá eu me encontrei como participante de um dos grupo de O morro... que não se sentiu muito cativada. Os personagens são bem fortes, cada um claro com sua particularidade, e todos com tamanho espaço dentro da história quanto os protagonistas. Tenho que admitir que gostei da forma como a história foi contada, através da visão de uma das personagens, porém, ao mesmo tempo talvez tenha criado grandes lacunas em detalhes que gostaríamos de ter sobre alguns fatos, diálogos, e etc. Foi uma leitura bem arrastada pra mim, no mínimo uns 60% do livro, até que mais da metade consegui sentir mais fluidez enquanto passava as páginas. Gosto muito de deixar algo de bom que abstrai nas histórias que leio, e neste caso, O morro dos ventos uivantes me mostrou o quanto o cuidado e o olhar para o outro pode promover suas qualidades, tanto quanto intensificar ou despertar os seus defeitos. Me mostrou tb que o amor supera o tempo, mas que (guardadas as devidas proporções e considerando a época e cultura), as relações humanas tb tem suas limitações. É preciso cuidado com o "fazer tudo por amor". Acobertar absolutamente tudo (inclusive as ações ruins) com a justificativa do amor é injusto e irreal, na minha humilde opinião (e está cada vez mais comum inclusive nos dias de hj). O amor é sublime e real. O amor remete ao bom é belo mesmo nas dificuldades. Acho que viajei mais tentando escrever minha impressão da leitura do que especificamente enquanto lia 🙈. Mas fica a dica, apesar de ter dado apenas 3 estrelas, foi uma experiência super válida.
.
Conta pra mim, quem já leu o que achou do livro? Beijinhos de luz a todos! .
comentários(0)comente



Tonyfuckin 02/10/2019

Me desviei inúmeras vezes de resenhas, de possíveis spoilers da obra e tudo o que eu me permiti saber, é que se tratava de uma história sobre relações abusivas.

Não me arrependo nem por um minuto de ter de alguma forma me desconectado dos meus posicionamentos, de ter me permitido enxergar Heathcliff da forma mais humana possível. E meus caros, as primeiras e últimas falas dele foram o que mais me comoveram em toda a história, me fazendo sentir um nó na garganta que me arrancou uma sensação inacabada de angústia.

Foi um livro cansativo de se ler. Nenhum dos personagens conseguiu me conquistar por completo. Todos conseguem ser miseráveis de sua forma, o que me deixou por muitas vezes incomodado. Mas ao concluir toda a leitura, finalmente pude perceber sobre o que todo o livro se tratava e o quanto é possível ser tocado até mesmo pelas palavras amarguradas de um personagem ardiloso.

Quatro estrelas e o sentimento de que posso reler em breve.
comentários(0)comente



Zé - ler até onde puder 27/09/2019

O Morro dos Ventos Uivantes

Sofrimentos, desencontros, infelicidades, violência doméstica e, dentre muitos outros sentimentos depreciativos, um amor platônico por decisão dos envolvidos, este é contexto do Morro dos Ventos Uivantes, conhecido mais por Wuthering Heights ou por Colina dos Vendavais nas traduções de Portugal. Já adiantando, a escolha desta obra, uma verdadeira pérola da literatura inglesa, é devida por ser daqueles livros que sempre via na prateleira de minha casa, quando criança.
O livro conta a história de duas boas famílias, cujas propriedades eram vizinhas em uma Inglaterra agrária, a Granja dos Tordos e a singular casa do Morro dos Ventos Uivantes, habitadas por pais e filhos que viviam suas vidas rotineiras, até que Earnshaw, o patriarca de uma destas famílias, em uma de suas viagens por Londres, encontra uma criança órfão maltrapilha e a leva para viver no seio de sua convivência, desprendendo-lhe um carinho que será fonte de inveja e discórdia, principalmente por seu filho mais velho, Hindley, apenas compensado pela afeição que a pequena irmã Catherine (Cathy) vai desenvolver por esse intruso batizado como Heathcliff, o principal personagem deste enredo.
Heathcliff vai viver pouco tempo com cuidado e atenção, brincando alegremente com Cathy, até a morte do Sr. Earnshaw. Hindley sendo o novo empoderado herdeiro, despreza e desfaz o que pode para humilhar e se vingar daquele que considerava um usurpador, mas não vai impedir que Heathcliff e Cathy desenvolvam um relacionamento para além da amizade enquanto crescem, até que a moça conhece, por acidente, seus encantadores e de berços nobres vizinhos, Edgar e Isabella Linton, por quem desenvolve uma grande simpatia, começando um convívio que descartará, cada vez mais, a companhia de Heathcliff.
Hindley casa e sua esposa engravida, mas falece ao dar à luz ao pequeno Hareton Earnshaw, que vai crescer aos cuidados da criada Nelly Dean. Neste interim, Catherine declara seu amor por Heathcliff, mas ao mesmo tempo o despreza por sua condição simplória e acaba se casando com o filho dos Linton, o que faz seu antigo amor desenvolver uma grande revolta e sumir no mundo por um bom tempo. Entretanto, Heathcliff retorna com posses e começa aos poucos comprar e tornar-se senhor do Morro dos Ventos Uivantes, uma vez que Hindley se converte em um ébrio jogador compulsivo que vai contraindo dívidas em jogatinas. Será a oportunidade de Heathcliff, alçado a uma nova posição social, procurar a agora casada Sr.ª Catherine, atrapalhando a todo o custo o matrimônio de Cathy com Edgar. Heathcliff também tomará conta de Hareton como um filho, mas não sem deixar de exercer uma péssima influência.
Para provocar Cathy neste meio tempo, Isabella acaba indo morar e se casa com Heathcliff, mas logo descobre que este se casou pelo interesse de suas posses e não a ama, muito lhe maltratando, o que determina sua fuga para bem longe deste cruel marido, tendo um filho dessa relação que se chamará Linton Heathcliff, e falecendo doze anos mais tarde. Já Heathcliff não se conforma e faz algumas visitas a Cathy que passa a ignorar totalmente seu marido. Cathy, entretanto, engravida de Edgar e morre ao dar à luz, mas não sem antes amaldiçoar Heathcliff, dizendo que sua alma sempre estaria presente com ele. Sua filha, a pequena Catherine, nasce sem qualquer amor, atenção ou amparo e ainda com a promessa de vingança por parte de Heathcliff por ser um dos motivos da perda de sua amada e ser filha de seu oponente.
A primeira parte do livro até aqui comentada será contada pela criada Nelly que se tornará já no final da trama, a governanta da Granja dos Tordos e receberá o Sr. Lockwood, inquilino que fica escandalizado com a má recepção por parte de Heathcliff ao ocupar a propriedade. Nelly contará a Lockwood não somente o começo, mas toda a segunda parte desta história dos Linton e Earnshaw, marcada pelo casamento a força de Catherine com Linton Heathcliff, em seguida o falecimento de Edgar e por fim a ida de Catherine para uma vida de total maus tratos e cerceamento no Morro dos Ventos Uivantes, onde este filho de Heathcliff, de saúde frágil e personalidade nefasta como o pai, estará presente e muito contribuindo para bem atormentar a vida de sua pretendente.
Não muito menor, a segunda fase deste conto irá retratar o péssimo relacionamento entre Cathy filha e Linton filho, agregado ao tratamento odioso e de violência que Heathcliff tem por esta, e acabará somente pelo óbito do debilitado Linton e, principalmente, pela morte em fantasmagóricas condições de Heathcliff, o que ocorrerá bem no epílogo, indicando que Cathy, herdeira das propriedades e de toda uma vida de angústias, superará por um relacionamento promissor de carinho com Hareton Earnshaw.
O contexto histórico da obra é o do século XVII, sendo escrito sob o pseudônimo de Ellis Bell por Emily Brontë, uma jovem escritora irmã de Charlotte (autora de Jane Eyre) e de Anne (autora de Agnes Grey). A família Brontë vivia na aldeia de Haworth, nos morros de Yorkshire, tendo uma severa criação religiosa por conta do pai, sacerdote da igreja local. Emily também tinha duas irmãs mais velhas que acabaram morrendo ao frequentar um colégio interno e um irmão alcoólatra, tendo a escritora morrido aos trinta anos, também com a tuberculose que vitimou suas irmãs. A autora não se casou e viveu uma vida cercada pela morte e pela frágil condição de saúde, o que é bem retratado em sua obra.
Leitura fácil e obrigatória para quem busca compreender o significado da vida pelos clássicos, o grande recado que transmite é em si uma questão moral, destacando o quão a falta de carinho, atenção e amor na vida de um ser humano pode transformá-lo em um verdadeiro carrasco inerte a qualquer percepção de empatia, o que bem denota a figura de Heathcliff. Em que pese o título acompanhar algumas edições com a citação Morro dos Ventos Uivantes: Um Amor que Nunca Morre, em minha visão, é mais um livro de ódio do que de amor e de como pode ser degradante o relacionamento das pessoas. Há relevantes questões metafísicas, marcantes pelas aparições do fantasma de Catherine em algumas passagens, também indicando que o verdadeiro amor somente pode ocorrer no plano do além.
A tradução que foca esta resenha é a de Ana Maria Chavez, da edição de 2009 da Editora Luz e Papel, embora possam ser encontradas ao menos mais vinte edições e traduções. Escrito o original em 1847, foi inspiração de músicas de cantores renomados como a banda Genesis e a cantora Kate Bush, tendo pelo menos seis adaptações para o cinema. Pode ser encontrado para venda por valores a partir de R$ 15,00, mas é possível baixá-lo na Internet em: http://lelivros.love/book/download-livro-o-morro-dos-ventos-uivantes-emily-bronte-em-epub-mobi-e-pdf/, acesso em 27 set. 2019.

Paz e Bem!



site: https://lerateondepuder.blogspot.com/2019/09/o-morro-dos-ventos-uivantes.html
comentários(0)comente



Nah Sakura 22/09/2019

Clássico sombrio
Apesar de ser um clássico, de ser um romance e ser bem escrito... É um livro que me perturbou bastante, é denso e sombrio. Não nego sua originalidade e importância, e com certeza, deve ser lido alguma vez na vida, mas pra mim a primeira experiência de leitura já foi o bastante. Recomendo se você gosta de romances que fogem do convencional.
comentários(0)comente



1000 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |