O ESPÍRITO DA INTIMIDADE

O ESPÍRITO DA INTIMIDADE Sobonfu Some




Resenhas - O ESPÍRITO DA INTIMIDADE


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Dani Carvalho 18/04/2021

Muito interessante
A autora nos leva um pouco pra vida do povo Dagara, no oeste do Continente Africano e nos apresenta, dentre outras coisas, a forma como eles vêem o amor, como é saudável que essa construção aconteça e o importante papel da comunidade em tudo isso.
É um livro pra ser lido várias vezes, acompanhando a maturidade que vamos adquirindo em relação ao amor.
comentários(0)comente



CoolGabe642 06/12/2020

O chamado do espírito
Sobonfu Somé em O Espírito da Intimidade nos apresenta sobre uma outra árvore. Essa árvore dá frutos que para nós são estranhamente familiares ainda que nunca vistos. Essa árvore se mantém imponente e antiga na história das florestas. Essa árvore foi plantada num solo muito diferente de qualquer solo que podemos encontrar no Ocidente. A essa árvore podemos chamar de sociedade. Destoando de qualquer base que fundamenta o mundo ocidental, essa sociedade tribal que nos conta Sobunfu se planta, se alimenta e dá frutos através da dinâmica do Espírito.


Acompanhar os costumes, cultura, relações políticas e interpessoais Dagara representa deslocar-se de tudo posto como natural e imutável a partir da vivência na sociedade da razão. Sobunfu nos convida a esse olhar do seu povo que é ancestral e por isso guarda conhecimentos construídos ao longo de gerações e gerações. A partir desse deslocamento de perspectiva podemos repensar nossos modos de fazer que, por mais pequenos e específicos que sejam, representam visões de mundo e de homem que balizam e são balizadas por toda a comunidade em que nos inserimos.

Em O Espírito da Intimidade somos confrontados com a realidade de que os princípios e a ideologia que constituem a nossa dita civilização estão imbricados em vários dos processos de adoecimento que enfrentamos enquanto sociedade e a resposta está em compreender que a nossa verdade não é A Verdade e que formas de organizações sociais antes consideradas atrasadas pela perspectiva europeia branca e iluminista, na verdade, guardam um arcabouço antigo de conhecimento que o próprio conhecimento científico desconhece e/ou não abarca. Tal conhecimento foi esnobado e apagado, mas se revela justamente o pedaço do quebra-cabeça do qual o homem ocidental, com sede de espírito, busca.

Sobunfu Somé nos incita a refletir e a reinventar, compreender o outro e compreender a civilização em que estamos. Ela nos convida a resgatarmos o que há de perdido nas nossas conexões com a natureza e o nosso arredor: o espírito. A pergunta é: quem está pronto para abraçar ao convite?
comentários(0)comente



Inaiara @ideiasnolimbo 18/10/2020

Eu li esse livro devagarinho porque me compreendi incapaz de apreender tudo que ele ensina, assim fui lendo aos poucos, na tentativa de me conectar um pouco mais.
Sem dúvida alguma é uma leitura pra alma, diretamente pra acarinhar e puxar a orelha quanto a visões limitadas.
É poderoso, ancestral do início ao fim.
comentários(0)comente



Ricardo 02/07/2020

O Espírito da Intimidade
Sobonfu foi simplesmente perspicaz aqui, pra ser sincero que queria mesmo é correr pra fazer parte dessa comunidade. Saboreei cada frase com bastante gosto!!
comentários(0)comente



Bia | @vouleretedigo 25/05/2020

Sabedoria ancestral sempre necessária
É importante reconhecermos os saberes presentes na ancestralidade. Diferenciá-los da realidade ocidental que tanto nos castra.

O livro mostra que relacionar as nossas ações à espiritualidade é essencial. É preciso se reconectar com os espíritos.
comentários(0)comente



Beca 11/05/2020

"Expressamos o conceito de sexo como uma viagem com alguém. A pessoa não que fazer sexo com a outra; ela quer ir a algum lugar."
Esse livro não foi bem o que eu esperava mas terminou superando minhas expectativas. A cada pergunta ou dúvida que surgia em um parágrafo particularmente enigmático, o seguinte vinha explicando tudo direitinho.

Como a própria autora escreve, esse livro não é uma cartilha de respostas já prontas nem um manual - nem tem a intenção de ser. Ele traz profundas reflexões sobre o modo de nos relacionarmos e sempre encontra base nos espíritos e tudo se eleva a partir de rituais específicos.

São diversas e nítidas as dessemelhanças dos ideais da tribo/comunidade de Sobunfu e das concepções ocidentais "evoluídas". Gente, é incrível ter uma nova visão, mesmo que ela seja limitada pela minha própria experiência.

Acho que essa é uma oportunidade para engrandecimento da alma e indico, sobretudo, para mulheres e homens negros. Para que eles possam ressignificar suas relações (com o outro e com a comunidade).

A forma como Sobonfu abordou temas como sexo, homossexualidade, sexualidade, divórcio, comunidade e tantos outros conceitos, me fez atribuir 5 estrelinhas a esse livro!
comentários(0)comente



Terê 27/06/2018

O livro apresenta a cultura e principalmente a relação que as pessoas do povo Dagara possui com a espiritualidade. A autora Sobonfu Somé faz uma comparação da vida no ocidente com a vida na aldeia Dagara e aborda temas como o relacionamento interpessoal, casamento e homossexualidade e sempre frizando a importância da relação do ser com o espírito para que todos os aspectos da vida possam fluir de acordo com a vontade do espírito, ela ainda faz uma reflexão de como a comunidade tem papel fundamental na vida de cada pessoa dentro da aldeia.
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7