Sombria e Solitária Maldição

Sombria e Solitária Maldição Brigid Kemmerer




Resenhas - Sombria e Solitária Maldição


96 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Fabi | @psamoleitura 14/05/2020

{resenha feita no blog PS Amo Leitura}
Sombria e Solitária Maldição, lançamento de abril da Plataforma21, vai nos apresentar uma história totalmente viciante, envolvente e cheia de mistérios que somente Harper será capaz de quebrar o feitiço.

O reino de Emberfall está sob ameaça.
O príncipe Rhen foi amaldiçoada por uma poderosa feiticeira. Ele foi condenado a repetir seu aniversário de dezoito anos por sucessivos outonos. Com a chegada de cada estação, ele se transforma num monstro, onde não tem consequência de seus atos e acaba destruindo tudo que está em sua frente e há apenas uma maneira dessa maldição ser quebrada: ele precisa encontrar uma garota e ela precisa se apaixonar.

Por outro lado, conhecemos Harper que nunca teve uma vida simples. Nasceu com uma restrição de movimento causada por uma paralisia cerebral, seu pai abandonou a família há muito tempo, sua mãe está morrendo e seu irmão assumiu todas as dívidas deixadas pelo seu pai e isso o colocou em uma tremenda enrascada. Porém, ela não esperava que quando fosse salvar a vida de uma desconhecida em Washington, ela seria atraída para um reino distante e encantado.

Sem entender onde está, ela terá que conviver com Rhen nessa terra amaldiçoada. Ela descobrirá todos os segredos e tudo o que assombra aquele local, assim como ele encontrará esperança ao encontrá-la. Só que eles precisarão se unir, deixar as diferenças de lado, pois forças poderosas se erguem em Emberfall e será necessário quebrar a maldição para salvar todo o reino e a si mesmo.

Uma releitura maravilhosa!
Você deve ter percebido a semelhança com A Bela e a Fera, né? Pois é. Sombria e Solitária Maldição é uma releitura muito bem escrita da Brigid Kemmerer. Ela soube como criar um universo cheio de fantasia, mistério, aventura, com cenas eletrizantes e de tirar o fôlego. Confesso que por ser uma releitura, estava receosa de não gostar, mas eu me vi tão envolvida no enredo que foi impossível não me apaixonar!

A cada capítulo eu queria saber mais do que iria acontecer e não conseguia parar de ler. É uma leitura que conquista logo na primeira página e instiga muito a continuar. E, sem dúvidas, aos fãs de fantasia, essa obra vai conquistar imensamente e de uma maneira indescritível.

Apesar de ter amado muito esse livro, ressalto que fiquei confusa em alguns momentos, principalmente com a aparição da feiticeira, e quando Harper ganha um grande título de uma forma rápida. Exceto isso, o livro é perfeito, com um enorme plot twist.

Cenários e personagens bem construídos.
O cenário que encontramos neste livro é único. A forma como a autora narrou cada acontecimento, cada pedacinho da cidade Emberfall e de todos os locais por quais Rhen e Harper passaram, fez com que eu visualizasse perfeitamente a cena e me sentisse parte da história. Acho que isso é um ponto super positivo para a obra, afinal, é muito difícil um livro de fantasia me conquistar dessa forma.

Assim como os personagens. Brigid fez com que Harper, apesar da sua paralisia - que confesso, não percebi isso no decorrer da história -, fosse uma personagem forte, destemida e pronta para a guerra. É aquela personagem que, independente do contexto no qual se encontra, está pronta para tudo.

Temos também o Rhen. Eu me identifiquei com ele logo de cara e achei que a autora soube como trabalhar as suas características. Em alguns momentos, é perceptível como ele é um personagem totalmente oposto da Harper, mas que quando começa a conviver com ela, faz com que se sinta diferente e até mesmo, começa a mudar suas características - e de uma forma super positiva.

Os personagens secundários também ganham vida nessa história. Cada um de uma maneira, mas que conquista o coração e que são totalmente importantes para o desenrolar.

Sombria e Solitária Maldição pode assustar logo de cara quando visualizamos um calhamaço de 500 páginas, mas devo dizer que a escrita da autora e os capítulos curtos compensam muito! Li essa obra em três dias, pois eu não conseguia sair do universo de Emberfall. Só queria descobrir o que aconteceria no capítulo seguinte e se essa maldição seria realmente quebrada.

Este livro é o primeiro livro da trilogia Cursebreakers e com um final arrebatador, o próximo livro da série promete algo cheio de aventura e descobertas.

Devo dizer que esse foi meu primeiro contato com a autora e estou realmente apaixonada por sua escrita viciante, envolvente e intensa. Esse livro me conquistou de uma forma que não consigo encontrar uma palavra para descrevê-lo. Apenas leiam!

site: https://www.psamoleitura.com/2020/05/resenha-sombria-e-solitaria-maldicao.html
comentários(0)comente



zoni 30/05/2020

Cansativo e muito parecido com Corte de Espinhos e Rosas. Não funcionou pra mim.
Não gostei.
E por mais que eu queira parar por aqui, sei que devo uma explicação para quem vai procurar resenhas ou opiniões antes de iniciar o livro, então vamos lá.

Sombria e Solitária Maldição conta a história de Rhen, um príncipe amaldiçoado que se transforma em uma fera há cada estação. E Harper, uma garota comum de Washington, D.C. que é sequestrada e levada para o reino isolado de Emberfall, para se apaixonar por um homem desconhecido e assim quebrar a sua maldição. E você deve estar pensando "eu conheço essa história", e sim, você conhece! O livro é um reconto de A Bela e a Fera, e eu deveria ter fugido quando soube disso, pois definitivamente não aguento mais ler outra história de fantasia com um confronto político embaraçoso, espadas, cenas de perversidade com os mínimos detalhes, sangue, muito sangue, e um triangulo amoroso entre a mocinha e um homem loiro e outro moreno, que são descritos como deuses gregos esculpidos na beleza. E você deve estar pensando mais uma vez que conhece essa trama, você conhece, porque sendo bem sincero, a diferença entre esse livro aqui e Corte de Espinhos e Rosas, é que nesse não temos as várias cenas de sexo e os pênis gigantescos.

O livro começou bem chato, os personagens são rasos e escassos, a trama inteira gira em torno de três personagens mornos que tentam lutar com uma vilã sem graça que não empolga o leitor em momento algum, e esses personagens odeiam tanto Lilith, e a gente nem sequer sabe a razão para todo esse ódio, já que a mulher aparece poucas vezes, e é praticamente um pano de fundo. Sinto que tudo nesse livro é exagerado e forçado, até mesmo o romance lento e construído devagar soa falso e vazio quando a autora insiste o tempo todo em criar laços entre Grey e Harper, para nos fazer acreditar em um triângulo amoroso que só existe na cabeça dela, sinceramente não consegui comprar a ideia. E sério, tudo isso me lembra muito ACOTAR, a vilã desnecessária que aparece três vezes, o triângulo amoroso que realmente não faz sentindo, o príncipe loiro de cabelos longos, o moreno de cabelos curtos que luta como um deus da guerra, e é todo destemido e debochado, o reino vazio e uma dama de companhia simpática... nossa, não dá.

O número de páginas é o maior problema do livro, é exagerado, já que essa história poderia ter sido contada em 200 páginas brincando, no máximo 300, mas a autora insiste em narrar coisas desnecessárias que não influenciam em nada na trama geral. O final foi totalmente insatisfatório e anticlimático, descobrir que os bebês foram trocados sem nenhuma razão, me deixou realmente revoltado. É uma tentativa de nos fazer torcer por Grey invés de Rhen? Ou uma tentativa de criar um plot twist/cliffhanger improvisado de última hora para prender os leitores na sequência?

É praticamente uma cópia de Corte de Espinhos e Rosas, e se você gostou desse, provavelmente vai gostar de Sombria e Solitária Maldição. Não indico, mas se quiser ler, ou se ficou atraído pelas coisas que falei aqui, leia por sua conta em risco. E se não concordar com as coisas que eu apontei e quiser conversar, vou adorar debater e enxergar outros pontos de vistas.

site: www.instagram.com/nomeiodatravessia
Pam 09/02/2021minha estante
Acho que em sua pressa de terminar o livro , provavelmente por achar ele ruim, grande de mais e correr logo pra avaliar, não entendeu o final. Os Bêbês não forma trocados , Grey é o filho bastardo do rei e o mais velho.. Em momento nenhum foi dito que eles foram trocados, sugiro que leia com mais atenção da próxima vez.




Ana Ferreira 22/01/2021

Confesso que eu já imaginava o desenrolar da história. Senti falta de um desenvolvimento maior dos personagens, visto que várias pontas ficaram soltas, mas levando em conta que esse é um livro introdutório, espero que isso tudo seja melhor trabalhado nos próximos volumes de Cursebreakers. A leitura é bastante fluida e o livro não tem nenhuma parte massante.

site: https://www.instagram.com/ferreirareading/
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 16/06/2020

Originalmente postada em https://www.balaiodebabados.com.br/
Sombria e Solitária Maldição é mais uma história que bebe da fonte de A Bela e a Fera. Infelizmente sua execução não foi das melhores, como observado na nota.

Brigid é uma autora que sempre ouvi elogios de seus romances YA, mas nunca havia lido nada dela antes desse livro. Admito que ela tem uma boa escrita, sendo bem fluída e com um ótimo ritmo. Entretanto, houveram algumas cenas que me deixaram confusa em relação ao que estava acontecendo por conta da narração.

Harper é uma protagonista que, pra mim, começou bem mas foi se perdendo durante a história. Rhen é um personagem que em momento algum eu conseguir sentir o mínimo de empatia pela sua situação. Os dois juntos são um casal que eu realmente não consegui me importar com o que acontecia ou deixava de acontecer durante a história.

Creio que o único personagem que se salva nisso tudo é Grey, que praticamente entra mudo e sai calado em quase todas suas aparições. Inclusive, eu consegui sentir uma química entre ele e Harper do que ela e Rhen (se o próprio Rhen dá voz a isso durante o livro, quem sou eu para contrariar).

Uma outra personagem que tinha um bom potencial era Lilith, a dona da maldição. Seu papel lembra muito a de Amarantha (Corte de Espinhos e Rosas), mas no final ela ficou bastante caricata. Eu não consegui sentir toda essa maldade que ela exalava e causava tanto medo entre os personagens.

Vi muita gente reclamando que ele é uma cópia de Corte de Espinhos e Rosas, ou que é bastante parecido em várias situações. Vale lembrar que os dois são releituras de A Bela e a Fera, então vão soar parecidos sim. A única diferença é que Sombria e Solitária Maldição não envolve feéricos.

Apesar do final dar tipo um ar definitivo para a história, o epílogo era para dar um gancho para o segundo livro. Particularmente achei bem chinfrim aquela situação e com certeza não despertou meu interesse em continuar essa série. Mas para quem gosta de releituras de A Bela e A Fera, pode ser que a experiência com esse livro seja diferente da minha.

site: https://www.balaiodebabados.com.br/2020/06/resenha-534-sombria-e-solitaria-maldicao.html
Fernanda @bookloverbrasil 16/06/2020minha estante
adorei a resenha. não sabia que era inspirada em A bela e a fera também.


Sarah | @only_a_snowflake 16/06/2020minha estante
Adorei o "chinfrim"! Não conhecia a palavra, vou adotar no meu vocabulário! Quando li a sinopse do livro realmente achei que era uma cópia descarada de ACOTAR, por isso fiquei com o pé pra trás pra ler kkkkkkkkkk


Fernanda @bookloverbrasil 16/06/2020minha estante
Chinfrim é sem graça. sem sal, etc, @Sarah


Luiza Helena (@balaiodebabados) 16/06/2020minha estante
ACOTAR também é releitura de A Bela e a Fera. Toda história que sempre envolve quebrar uma maldição com fulana se apaixonando por fulando sempre bebe de A Bela e a Fera kkkkk




Nicoly Mafra - @nickmafra 01/05/2020

Sobre "Sombria e Solitária Maldição"!
O Reino de Emberfall está à beira de um colapso; o povo passa fome, os roubos e destruições de propriedades são cada vez mais comuns e ainda há uma maligna criatura ceifando a vida dos moradores no final de cada estação, e toda essa destruição é devido uma poderosa maldição. Rhen, o príncipe herdeiro de Emberfall, é quem carrega tal maldição; condenado a repetir a estação do seu aniversário de 18 por muitos e muitos anos, até que encontre uma jovem que se apaixone por ele e quebre a maldição, caso contrário, Rhen se transformará na tal criatura que aterroriza o reino.

Rhen já não possui esperanças de quebrar a maldição; porém, quando uma jovem é levada de um universo paralelo para dentro de Emberfall as coisas parecem começar a mudar. Harper, de Washington D.C., é uma jovem que já sofreu muito e isto a tornou determinada, forte e altruísta, e com esperanças de que seja devolvida para o seu lar logo, fará de tudo para ajudar o príncipe Rhen à salvar o seu reino, contudo, esta tarefa será mais complicada do que ela imagina.

_

"Sombria e Solitária Maldição" é o primeiro volume de uma duologia de fantasia; um reconto moderno de "A Bela e a Fera" onde temos uma protagonista com paralisia cerebral empoderada, forte e muito determinada, uma trama cheia de intrigas políticas e momentos de tensão, e dois mocinhos que lutarão por um espaço em seu coração. A escrita é dinâmica, leve e muito instigante; Brigid Kemmerer desenvolve seus personagens muito bem e abre muitas possibilidade e dúvidas do que acontecerá na sequência.

Lutas entre reinos, muitos perigos e batalhas, castelos encantados e, claro, romance... este é o livro perfeito para quem está querendo começar a ler fantasia, porém, acredito que os fãs do gênero também irão curtir muito essa releitura da autora. Fiquei encantada pelos personagens, pelo jeito que a trama foi tecida e mal posso esperar para descobrir o que acontecerá com Emberfall e os protagonistas desta história.

site: www.instagram.com/nickmafra
comentários(0)comente



Daniela 15/07/2020

Tenho que parar de ler livros que não saiu a continuação
Nunca vi opniões tão divergentes sobre o mesmo livro.
Eu, particularmente, amei.
O livro pode ser simples, mas é muito bem escrito, e isso faz toda a diferença. Harper é uma personagem muito forte, com certeza entrou pra minha lista de heroínas favoritas de fantasia.
Rhen no começo me irritava ao máximo, mas ele foi muito bem construído e ao mesmo tempo longo do livro acabei me apaixonando.
Meu coração foi roubado inteiramente pelo Grey. Não bejo a hora de ler o próximo que será totalmente focado nele.
Enfim, é uma história com muito potencial. Livros inspirados em A Bela e a Fera tem a tendência de serem repetitivos, mas esse conquistou um pedacinho no meu coração.
Deêm uma chance, de verdade galerinha.
comentários(0)comente



Sah | @umadose.de.literatura 02/02/2021

Uma história muito cativante
Gostei muito. É inspirado em A Bela e a Fera, mas com muita personalidade e criatividade. Amei a protagonista
comentários(0)comente



redbirdlett 06/09/2020

perfeito perfeito perfeito
esse livro é PERFEITOO! a escrita da autora é ótima, não tive nenhum problema com a leitura. a história é intrigante e os personagens são fascinantes. eu estou triste pelo fato da continuação ainda não ter saído e eu s u r t e i com esse final, mas eu não me arrependo de ter lido ele mesmoo.

estou tão ansiosa pro outro livro sair, eu necessito do próximo livroooo.

leiam.
é serio, leiam.
não vão se arrepender
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Viviane Schneider 24/05/2020

Só uma palavra...
Perfeito!
Uma ótima adaptação da história da Bela e da Fera.
comentários(0)comente



Camila.Polonio 06/11/2020

Sobre saturação
Cheguei a conclusão que pra eu conseguir suportar triângulos amorosos, eles precisam ser MT bons. Ter que surgir algum tipo de originalidade, os personagens envolvidos serem extremamente cativantes, maduros, conscientes... e sei lá, não consigo pensar em UMA história que eu tenha curtido todo o rolê do triângulo no final das contas.
Então assim, tirando isso, que particularmente eu saturei demais, gostei muito da história. A Harper é incrível. O Rhen é o príncipe torturado e melancólico clichê e perfeito de ser (amei o personagem) e o Grey é o guarda fiel.
No final eu fiquei bem decepcionada. Achei extremamente previsível. Do tipo: "Sério mesmo que, além do triangulo amoroso, vc vai fazer o grande -nem tão grande assim/ jogado no meio da história- plot twist da história ser isso?" E eu sei que o próximo livro deve focar mais no Grey e nessa questão.
Mas provavelmente eu não leia k k
comentários(0)comente



alemdosfinais 15/09/2020

Muito mais que um reconto
Sempre amei a história da Bela e a Fera, e quando descobri que esse livro era um reconto, quis ler na hora.
O que eu mais gostei da história é que não foca só no romance do casal protagonista, mas também no reino de Emberfall e as problemáticas.
O romance é bem levinho, e também magnetizante. Só não gostei muito do desfecho dos sentimentos da Harper (quem já leu vai entender).
Recomendo muito para quem é fã de ficção e distopia, é uma história interessante que vai além do básico do conto da Disney.
O livro tem continuação. O segundo (que eu saiba) ainda não foi traduzido, e o terceiro ainda vai ser lançado nos Estados Unidos.
comentários(0)comente



julia 19/07/2020

Resenha: Sombria e Solitária Maldição
Sombria e Solitária Maldição é uma releitura bem interessante de A Bela e a Fera que usa um conceito familiar para contar uma história única e intrigante. O começo é um pouco lento, mas as coisas vão andando à medida que a história avança, e os personagens são muito bem desenvolvidos. Há bastante ação, principalmente no final, mas é a tensão que carrega a trama até o fim.

Brigid Kemmerer aborda um conto de fadas popular e bem conhecido e dá um toque próprio na história em uma leitura emocionante e divertida. A escrita é ótima, assim como toda a Emberfall e a magia que a cerca. As mudanças no ponto de vista também são bem feitas, se um pouco abruptas e confusas no início devido à mudança no cenário, e o final oferece uma reviravolta que promete tornar as coisas bastante complicadas para todos.

Os primeiros capítulos de Rhen POV são absolutamente maravilhosos, mas a mudança para Harper em DC nos tempos modernos é bastante abrupta no início e um pouco difícil de se acostumar, pois o tom da escrita muda bastante. A construção do mundo ainda é intrigante e bem-feita, e eu amo como o conceito de magia e maldição funciona no livro.

Rhen e Gray são meus personagens favoritos, mas Harper é que merece ser mencionada. Adorei a representação que ela traz em relação à paralisia cerebral, mas tive muita dificuldade em gostar dela como personagem. Ela pode ser muito teimosa e imprudente, principalmente no começo, e quase nunca se esforça para ver as coisas do ponto de vista de outras pessoas (Rhen, neste caso) a menos que o problema a afete pessoalmente. Ela se desenvolve muito durante o livro e eu comecei a gostar mais dela no final.

E não há tanto romance quanto eu esperava! A trama se concentra muito nas dificuldades de governar um reino em tempos de agitação e é bem interessante ver todos os personagens se reunindo para tentar resolver os problemas que estão surgindo devido a essa conflito. Isso fornece um bom espaço para o desenvolvimento da relação entre Rhen e Harper, o que eu achei muito bem feito.

No final, Sombria e Solitária Maldição é uma leitura agradável e divertida, com um ambiente legal e personagens interessantes. Demora um pouco para a história prosseguir, mas o enredo continua envolvente. Há mais ação do que romance, além de algumas reviravoltas no final que preparam as coisas muito bem para a continuação.
comentários(0)comente



Gio @paginascomvida 30/01/2021

Reconto da Bela e a Fera
Essa história da Disney sempre foi uma da aninhas preferidas, então quando descobri que era um reconto quis ler logo.

Durante grande parte do livro, relembrei ?Corte de Espinhos e Rosas?. Bom, os dois são de fato, um reconto da mesma história.

Achei a leitura vem fluida com capítulos que alternam o ponto de vista (sendo sempre em primeira pessoa).

Acho que a história da vilã foi mal aproveitada e não foi desenvolvida como merecia, o que acabou me dando a impressão de ser a vilã porque a história precisava de uma e pronto. Sim, os motivos foram explicados, mas achei eles muito vagos.

Achei o romance meio fraco, mas também acho que se ela ficar com a outra pessoa que ela também será muito previsível. Além de formar um triângulo amoroso... Acho que tivemos poucas acenas envolvendo o romance em si e seu desenvolvimento para eu afirmar que gosto deles e que são um casal incrível.

Acho que se eu não tivesse lido outro livro com o sobre o mesmo reconto, minha experiência poderia ter sido melhor. Porém, achei os plots previsíveis.

Apesar disso, gostei bastante que a história não focou só no romance. Foca no reino e todas as consequências que ele sofreu por causa da maldição que também o afetou e eles tentando resolvê-la.

Também gostei bastante das representatividades do livro. O livro tem personagens lgbtqia+ e uma personagem principal forte e incrível.

Não estou muito ansiosa pela continuação, mas quero lê-la.
comentários(0)comente



Hellen (@literatucracia) 11/07/2020

Sombria e solitária maldição
O que dizer?! Nem sei...
Certamente eu esperava mais. Mais da história, mais do desenvolvimento e muuuuito mais das personagens. Tão frustrante!
Nesse momento mesmo curiosa em saber como o próximo livro desenvolverá a revelação apresentada no final desse primeiro livro, não acho que tenho paciência para aguentar mais tantas páginas nesse universo. A impressão que tive é que a autora não sabia bem como conduzir o que estava criando e deixou as coisas rolarem e rolarem sem nada de importante ou surpreendente acontecer nesse primeiro livro. Ficou tudo tão "nhé"... e mesmo assim, insistir em levar esse universo para mais dois livros?! Coragem, hein!
Quando o segundo livro chegar aqui em terras tupiniquins, decido se lerei ou não. Temo pelo o que ela desenvolveu (ou não desenvolveu) no segundo livro. Triste, mas verdadeiro.
Ai, ai...
comentários(0)comente



96 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7