Uma Vida Interrompida

Uma Vida Interrompida Alice Sebold




Resenhas - Uma Vida Interrompida


55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


paula 22/01/2019

Um livro marcante
Eu li esse livro no ano do seu lançamento, 2003, tinha 14 anos. Foi uma porrada na época..Confesso que não me lembro com detalhes do livro. Por anos tentei lembrar o título do livro, e não conseguia. Esse ano me falaram sobre o filme " um olhar do paraíso" e quando minha colega contou a historia PEI, bateu! Tive a certeza que era o livro e assim consegui achar o título! Já está na minha lista para reler!
comentários(0)comente



Fran 18/12/2018

Uma linha tênue entre a tragédia e a delicadeza. Encantador!
"Todas as vezes que eu contava a minha história, perdia um pedacinho, uma minúscula gota de dor. Foi naquele dia que eu soube que queria contar a história da minha família. Porque o horror na Terra é real e acontece todos os dias. É como uma flor ou como o sol; não pode ser contido."

Quando escolhi "Uma Vida Interrompida" para ler em Dezembro, tive certo receio de que fosse um livro pesado demais para uma época tão festiva e esperançosa. A medida que os parágrafos se desenrolavam, no entanto, a história de Susie Salmon me provou pouco a pouco que eu estava enganada: o livro fala sim de estupro e assassinato, mas acima de tudo fala sobre vínculos: familiares, dolorosos, românticos. Vínculos que podem nascer e morrer a partir de coisas impactantes como um assassinato cruel ou de pequenos detalhes como um esbarrão num estacionamento. Numa época cheia de confraternizações entre amigos e familiares, um livro como este nos faz refletir muito sobre o quanto valorizamos nossas relações e se realmente enxergamos e respeitamos as pessoas a nossa volta como realmente são, com suas fraquezas, talentos e limitações.
O livro é todo narrado em primeira pessoa e a autora, Alice Sebold, soube transmitir brilhantemente os sentimentos de sua personagem, uma garota de 14 anos que nos fala honestamente sobre sua vida, sua morte e seu pós morte, contando como aqueles que ficaram vivos, inclusive seu assassino, deram continuidade a seus caminhos.
"Uma vida interrompida" é um dos melhores livros que já li, dramático, realista e ao mesmo tempo inocente, delicado, mágico. Um livro que me trouxe uma infinidade de reflexões e que recomendo a todos, porque é daqueles que nos transformam.
comentários(0)comente



Eduarda 14/08/2018

Um relato emocionante do "outro lado"
Susie Salmon tem 14 anos quando é estuprada e brutalmente assassinada por seu vizinho. Lá do Céu, tentando se adaptar a sua nova condição, ela observa a vida daqueles que foram direta e indiretamente atingidos por sua perda: seus pais, amigos, conhecidos e até mesmo seu assassino, e como eles vão tentar reconstruir sua vida após o crime que muda a história da antes pacata cidadezinha de Norristown, na Pennsylvania.

Eu sabia que conhecia essa história! Esse livro chegou até mim através do Livro Viajante do Skoob (uma iniciativa muito legal na qual as pessoas emprestam livros entre si) e eu me interessei primeiramente porque gosto muito do tema “pós-vida”. Que surpresa quando li no prefácio o título original: The Lovely Bones (algo como Os Ossos Adoráveis, na tradução literal) e na hora reconheci como o livro que foi adaptado em 2009 para o cinema e chegou ao Brasil com o nome Um Olhar do Paraíso (Paramount Pictures, 2009). Engraçado que vi esse filme na época do lançamento porque foi bastante premiado e me lembro de não ter gostado nadinha. Mas o livro...
Quase dez anos depois entrei em contato com a obra original e só posso dizer que é muito emocionante! Engraçado que, pelo que pude recordar, o filme é bastante fiel. Fiquei me perguntando se hoje eu não gostaria, mas depois de espiar o trailer tenho a impressão de que funciona melhor como livro mesmo.
O relato de Susie é marcado pela saudade que ela sente de sua família, da escola e, o que achei muito legal, de uma curiosidade sobre questões da adolescência das quais ela estava começando a se aproximar, como o primeiro amor, sexo, a visão de um futuro profissional. O fato é que agora tudo isso ficou no passado e a garota tem que se adaptar a sua nova “vida”.
O que mais gostei no livro foi a relação dela com os irmãos: Lindsey, de 13 anos, e Buckley, de 4. Me identifiquei pois também tenho uma irmã próxima em idade e, assim como Lindsey e Susie, com uma relação marcada pelo companheirismo. As duas são melhores amigas e, querendo ou não, é nela que Susie passa mais tempo de olho, algumas vezes até invejando as experiências que a irmã passa a ter.

Enfim, não quero me alongar muito, só posso dizer que recomendo fortemente a leitura (chorei!) pra quem gosta desse tema. Por vezes parece que estamos lendo um romance policial, mas não é disso que se trata. O livro é cheio de personagens muito interessantes – dois dos mais importantes, para mim, são Jack Salmon, o pai da Susie, e Ruth Connors, uma colega de classe dela que tem um “sexto sentido”. É muito bonito acompanhar a superação e amadurecimento de todos os personagens durante os anos. E, é claro, acompanhar a caça da polícia ao Sr. Harvey, o vizinho que na verdade é um serial killer. Se e como ele é descoberto, vocês terão que ler pra descobrir!

site: https://www.cafeidilico.com/2018/08/uma-vida-interrompida-alice-sebold.html
comentários(0)comente



Julia 26/01/2018

Esse livro é emocionante, é inevitável torcer pra que nada aconteça, pra que tudo seja diferente. A autora vai nos mostrando como é pra cada pessoa da família a perda da Susie, a mãe fingindo que nada aconteceu, o pai em busca do assassino, os irmãos que sentem sua falta, o livro se passa nos anos 70, naquela época não tinha muitos recursos, hoje em dia tudo seria rapidamente solucionado, achei esse fato interessante. Eu me vi chorando em muitos momentos e diferente de outras pessoas que leram esse livro, não o achei cansativo, nem confuso como eu vi alguns falando, e talvez pra outros seja uma história difícil, um gatilho. Não quero contar muito o final, mas fiquei um pouco decepcionada, mas é realista nem sempre tudo termina bem, acontece infelizmente.
comentários(0)comente



Bia 10/10/2017

Tem que ter psicológico!
Nesse história conhecemos Salmon, uma garota que acaba sendo morta, e estuprada ao voltar para casa, mas seu assassino é alguém que ela conhecia.

A partir da aí, a história é narrada por ela, apos sua morte.

Antes que comece a ler, saiba que é aquele tipo de livro que você tem que parar para respirar. Tem até vezes que fica monótono, porém a narração deixa isso menos banal.

Teve partes que foi difícil de absorver, e ser for ler, tenha a mente aberta. Pois, iremos ver de tudo nesse livro, desde do adultério, injustiça, orientação sexual, e também quase uma "distopia" sobre céu (o paraíso).

Uma coisa que deixa a leitura mais "integrante", e vemos a salmon narrando o que está acontecendo com a família( todos que convivia com ela, até mesmo o assassino), após a morte dela. Ah, passei por muitos momentos de raiva, e de querer tentar entende quem era os pais delas, pois muitas ações deles, fez questionar tudo, principalmente da mãe dela.

No início o foco é o assassino, mas logo sua família torna o centro de tudo! Não posso esquece da Ruth, e do rapaz que ela era apaixonada, o Ray.

Sentir que o final ficou meio incompleto, no entanto toda história sustenta o livro.

Boa leitura!
Lary @momento_literario 04/01/2018minha estante
Interessante Vou add na minha lista.?




Sanoli 29/12/2015

Em uma frase...
Um Olhar do Paraíso.
Para ler nossa resenha, por favor, acesse nosso blog. Obrigado :)

site: http://surteipostei.blogspot.com.br/2015/12/uma-vida-interrompida-memorias-de-um.html
comentários(0)comente



Vica 22/07/2015

Surpreendente.
Primeiramente o que eu digo: não recomendo esse livro para qualquer um, apesar de que há muitas lições nele que variás pessoas deveriam aprender. Demorei um pouco mais nele do que em outros livros pois sabia que era aquele do tipo que você precisa de tempo e paciência para entender e absorver certas partes. Lembro que queria ler esse livro pq era apaixonada pelo filme a muito tempo e que descobri por acaso, mas nunca achava uma oportunidade de obtê-lo já que a muito não se vê, mas uma vez fui em um sebo e o vi mas não estava com dinheiro na hora e tentei esquece-lô, mas ele não se esqueceu de mim. Meses depois voltei lá e o livro estava lá bem na minha frente me esperando, então o troquei com outros livros que tinha, onde até o cara disse "esse livro é seu desde que pôs os olhos nele", ele tinha razão. Caramba... Agora tenho que dizer o pq de não ter dado 5 estrelas, são pequenos motivos mas indispensáveis: em uma parte dele fica um pouco cansativo, se não me engano um pouco antes da metade, mas depois que ela se passa, não consegui mas parar de lê-lo! E outra coisa que já vi muitos citarem nas resenhas SPOILER: o fato de Susie ter incorporado Ruth! Não sei se a intenção da autora era dar um momento de vida para Susie antes de ela ir para o verdadeiro Céu ou por ela não ter passado corretamente por isto, ou para mostrar como o papel de Ruth era mais "obrigatório" de mediunidade ou coisa parecida, e eu curtia a relação dela com Ray mas depois dessa cena fiquei decepcionada. E no final só é explicito o final de Lindsey, Ruth e Ray, sendo que eu estava bastante curiosa para saber o dos outros, que diversas vezes foram citados. Esses foram os motivos. Mas realmente gostei das mensagens -e da mensagem principal- que a autora passou e pelo o que eu vi por aqui, pela nota dos skoobers e resenhas, poucos souberam utilizar a seu favor. E uma dica: no prefácio dizem pra vc ter tempo para ler esse livro degustá-lo e tudo mais e eu não dei atenção até perceber a verdade, estão aceite este conselho de todo o coração. E um aviso: se vc está interessado em lê=lo inicialmente pq também amou o filme assim como eu: calma! Como toda a ADAPTAÇÃO há coisas diferentes, mas nada que vá mudar a qualidade, ambos são encorajadores.
comentários(0)comente



Thalita Branco 17/06/2015

Resenha ~ Uma Vida Interrompida - Alice Sebold
Susie Salmon, como o peixe, narra a história de seu brutal assassinato cometido por um vizinho aos seus 14 anos de idade. Através de um mirante no Céu, olha pelos entes queridos e conta ao leitor como seus familiares e amigos superam sua perda. Ou não. Seu pai vive em busca de respostas e vingança, sua mãe em certos momentos nega a existência da filha, sua irmã tenta ser forte ao se fechar em si mesma enquanto seu irmão pequeno não entende nada. Há também Ruth, uma estranha colega da escola, e Ray, uma paixão adolescente.

Falando na Ruth, ela é uma das personagens mais legais do livro. Ao morrer, Susie esbarrou em Ruth ao se dirigir ao Céu, assim Ruth passa a sentir a presença de Susie e a se interessar pela morte da garota. Seu ar misterioso confere uma certa mágica na história.

A temática do livro é interessante e a forma como é contado, digamos, de um outro ângulo, é bastante bacana. Mas em alguns momentos achei o livro cansativo. A leitura não é complexa mas mesmo assim as páginas parecem não render. As vezes Susie narra acontecimentos do Céu e da Terra em um mesmo parágrafo gerando uma certa confusão. Nos quase dez anos que Susie acompanha sua família, alguns acontecimentos são descritos com detalhes enquanto outros discorrem rapidamente. O livro é bastante bacana, vale a leitura, mas é um daqueles raros casos em que prefiro o filme.

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
comentários(0)comente



Carla Martins 09/02/2015

Lindo, triste, leve, imperdível
Mais em: http://leituramaisqueobrigatoria.blogspot.com.br/

Alguns autores têm maneiras de escrever capazes de cativar leitores instantaneamente. Alice Sebold tem esse poder sobre mim. Começo a ler um livro dela e não paro de pensar nele enquanto não termino suas páginas. Tá bom, depois que termino também, vai. Esse, então, deixou-me pensativa por dias! Já tinha lido o livro biográfico Sorte - um caso de estupro e ficado do mesmo jeito. Ambos tem como pano de fundo uma das piores violências que uma mulher pode sofrer: estupro. Porém, nesse livro a vítima é assassinada e esquartejada, aos 14 anos, e passa a ver do "céu" como sua família, amigos e seu amor da adolescência lidam com a sua perda.

A leitura, apesar do tema mega pesado, consegue ser leve. A meiguice de Suzie contagia toda a história. No fim, óbvio, fiquei super emocionada e, por mais pesado que tenha sido, foi uma leitura que deu saudade quando acabou. E olha que eu tinha muita expectativa, porque esse livro estava na minha lista de leitura há anos-luz!

Ele é bem subjetivo em alguns momentos e muito sutil também, mas isso não é um problema para uma leitora envolvida até o último fio de cabelo como eu estava. Apesar disso, confesso que, na parte em que o pingente de gelo cai da árvore, fiquei meio sem entender o que aconteceu realmente. E foi aí que soube que esse livro tinha virado filme!!! Fui correndo no Netflix ver se o filme estava disponível e....SIIIIIM!!! :D

Tudo bem que demorei pra achar porque o nome não era o mesmo que o livro. O filme chama-se Um olhar do Paraíso e em algumas partes ele é bem diferente do livro. Como quase sempre, preferi o livro mil vezes ao filme, mas foi um bom complemento para a obra e, enfim, pude entender o que o lance do pingente de gelo quis dizer. :)

Super recomendo a leitura e, digo mais, é um livro ótimo para ser lido mais de uma vez.
comentários(0)comente



Jana 26/06/2014

Susie Salmon é a primogênita de uma família amorosa. Ela tem uma vida tranquila e sonha em ser fotógrafa da vida selvagem quando for mais velha. Ela acredita que os anos que estão por vir serão marcados pelo sucesso, conquistas e emoção. Até que numa noite, esses anos se transformam em pó. O vizinho dela, Sr. Harvey, a atrai para um inocente esconderijo que ele construiu num milharal. O Sr. Harvey, homem solitário e excêntrico, estupra Susie, a mata e a corta em pedacinhos.

Esse é o ponto de partida para “Uma Vida Interrompida – Memórias de um Anjo Assassinado”. Não se preocupe, não é nenhum spoiler – esse acontecimento macabro aparece nas primeiras páginas do livro. Susie, sendo arrancada tão violentamente de sua vida, parte para um lugar misterioso de onde ela pode observar as pessoas que ficaram para trás. Basicamente, esse é o enredo: uma menina morta assiste e vigia os vivos. Sua família, os vizinhos, os amigos... Susie permanece com eles, como uma sombra. E o livro trata daquilo que ela vê. De fato, é um livro sobre perda, tanto para a protagonista quanto para sua família.

Para avançar e ir para um céu diferente – o céu no qual ela está é como se fosse uma sala de espera - Susie precisa desligar-se dos vivos. E para seguir em frente, os vivos precisam desligar-se da menina assassinada. É um livro bonito. Apesar da premissa violenta, a parte que descreve o estupro e a morte de Susie é a única parte realmente forte da obra. No mais, é de forma muito delicada que acompanhamos os personagens. Para citar alguns:

- Há Jack, o pai. É ele quem mergulha mais fundo no desespero provocado pela morte de Susie, tornando-se obcecado em descobrir o assassino;
- Abigail: a mãe. Ao invés de mergulhar, ela emerge e foge. A personagem que menos gostei e que no decorrer das páginas, ao invés de me dar pena, me deu é raiva.
- Lindsey: a irmã. Certamente, a mais forte entre os personagens. A sequência na qual ela invade a casa do Sr.Harvey foi ótima! Extremamente tensa.

E há muitos outros: Ruth, Lynn, Buckley, Len, Ray... E claro, o Sr. Harvey. Todos são importantes, todos tem papéis fundamentais. O acompanhamento da vida deles é feita de forma sutil e domina o livro – quando eu comecei a ler, imaginei que o destaque estaria em Susie e no céu em que ela está. Felizmente, eu estava enganada.

Pensei em dar 4 estrelas para esse livro, mas tem algo que eu não gostei. Muitos vão discordar, pois a cena da qual eu vou falar é do tipo que agrada a maioria. Para mim, foi completamente destoante e acabou com todo o clima de sutileza. Eu estava concentrada na leitura e quando essas passagens se desenrolaram, me afastei e fiz uma careta. "Que merd* é essa?". Pois é. Uma cena tão pequenina, mas que me obrigou a fazer o que Susie deveria ter feito - desconectar.

--- Agora sim, é SPOILER. Continue por sua própria conta e risco ---


Achei ridículo quando Susie baixou em Ruth. Susie estava evoluindo, estava se preparando para aceitar sua passagem. De repente, *puf*. Momento possessão? E pior, usar o corpo de Ruth para transar com Ray? Achei terrível. Sim, ela queria desesperadamente um novo beijo, sentir como era crescer, sentir-se viva de novo. Ok. Mas o propósito não era Susie passar por todo o processo de “reality show” com a família dela para conseguir, enfim, a paz? Descer em Ruth e dormir com Ray foi uma curva, uma regressão de volta para a carne. Achei desnecessário, até fútil. Teria sido mais aceitável para mim, até por conta de toda a trajetória da narrativa, Susie ter escolhido então ter um último abraço do pai ou sentir a chuva de novo - digo isso porque há uma bela passagem na qual ela dá um sentido especial para a chuva, o vento, as trovoadas. Nessa parte do livro, lembro-me, em especial, de um diálogo maravilhoso entre Susie e sua mãe:
" — Você parece invencível — disse minha mãe certa noite.
Eu adorava esses instantes, quando parecíamos sentir a mesma coisa. Virei-me de frente para ela, enrolada na minha camisola fina, e disse:
— Eu sou."

Enfim, esse momento de possessão foi tão estúpido, ao meu ver, que a parte final do livro perdeu um pouco da graça. Ainda assim, é uma boa leitura. Rápida, emocionante e interessante. Só uma dica: não leia se estiver esperando vinganças. Há justiça – isso sim -, mas não vingança.
comentários(0)comente



Lista de Livros 22/12/2013

Lista de livros
Segue abaixo link indicando blog com opiniões e os trechos mais interessantes sobre livros.

site: http://www.listadelivros-doney.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Diessyca 16/11/2013

Um livro que me ensinou que a gente nuca supera uma morte, a gente só aprende a conviver com a dor.
comentários(0)comente



Fran 05/11/2013

Livro: Uma vida interrompida - Memórias de um anjo assassinado - Alice Sebold
"Meu sobrenome era Salmon, salmão, igual ao peixe; meu primeiro nome era Susie. Eu tinha 14 anos quando fui assassinada no dia 6 de dezembro de 1973. Nas fotos de meninas desaparecidas que saíam nos jornais nos anos 70, a maioria delas se parecia comigo: meninas brancas de cabelos castanhos cor de camundongo. Isso foi antes de crianças de todas as raças e sexos começarem a aparecer nas caixas de leite ou na correspondência diária. Ainda era na época em que as pessoas acreditavam que coisas assim não aconteciam."
Uma vida interrompida conta a história de Susie Salmon que sonhava em ser fotógrafa. Uma menina feliz de 14 anos que estava apaixonada por Ray Singh (Reece Ritchie), e teria seu primeiro encontro e possível primeiro beijo no sábado, se não fosse brutalmente assassinada pelo seu vizinho.
Do céu, a história é contada pela própria Susie. Donde acompanha o sofrimento de sua família, vendo sua irmã amadurecer sozinha, sem a mãe que não conseguiu lidar com a perda da filha e saiu de casa para buscar um caminho. Um pai inconformado com a falta de justiça e um irmão pequeno que sofre com a falta da irmã mais velha.Ali ela faz uma amiga e descobre que elas possuem mais em comum do que imagina e aos poucos descobre mais sobre a vida de seu assassino.
Lançado em 2002, este é o segundo livro da autora americana Alice Sebold Em seu primeiro ano na universidade de Syracuse, ela foi estuprada quando voltava a noite para casa, depois desse fato formou-se, e um tempo depois envolveu-se com drogas. Nos anos seguintes mudou-se para Manhattan e para Califórnia, vindo a viver em uma cabana em uma floresta. Nesse período foi zeladora de uma colônia de artes e escreveu sua primeira obra, uma autobiografia chamada Sorte, em 1999. Em 2007 lançou Quase Noite, seu terceiro livro.
Uma vida interrompida é um livro que desperta emoções fortes no decorrer de sua leitura. Eu o li por volta de 2004 e ainda consigo sentir todo sofrimento de Susie quando seus sonhos foram interrompidos, o desespero de seus pais e a história das vítimas de seu assassino. Este foi um dos livros que mais me marcaram no decorrer das minhas leituras.
Em 2009 ele foi adaptado para o cinema com o título "Um olhar do paraíso". Foi dirigido por Peter Jackson, o mesmo diretor de O senhor dos anéis, O Hobbit e Distrito 9. É um filme que nos traz cenas maravilhosas dos momentos de Susie no céu e possui um elenco muito bom com: Saoirse Ronan (Susie), Rachel Weisz (mãe), Mark Wahlberg (pai) e Stanley Tucci (vizinho) .
Mas na minha opinião o filme não se compara ao livro. Sim, sei que na maioria das vezes é isso que acontece, mas esse é um caso especial. Quem não leu o livro ficará fascinado com a história e as paisagens, porém quem viveu junto com as personagens todas as emoções descritas se decepcionará mais que o normal.
Acho que o filme poderia ter se aprofundado um pouco mais no dia-a-dia dos personagens e em como cada um foi afetado pela perda de Susie, ao invés de ter dado tanta atenção à luta de seu pai e sua irmã para encontrar o seu assassino. Penso assim, não por que o livro não trata essa busca, mas por que o foco principal é o drama, ele tenta mostrar como um acontecimento deste pode desestruturar um família, principalmente quando o caso acaba não sendo solucionado e o causador de tanta dor acaba impune e livre para continuar cometendo outros assassinatos.
Esse é um dos tópicos tratados pela autora baseada em sua própria vida, pois quando foi estrupada e recorreu as autoridades, o que teve como resposta foi que ela não havia sido a primeira a dar queixa, e que muitas das mulheres atacadas foram mortas no mesmo beco.
Apesar da minha opinião em relação a diferença entre livro e filme, indico ambos a todos.
comentários(0)comente



Nati Coelho 27/10/2013

Uma leitura interrupta
6 Dezembro de 1973, Susie Salmon foi assassinada.
Susie era uma garota com sobrenome de peixe e uma paixão por Ray Singh. Mas em uma noite voltando para casa, ela passa pelo milharal e o Sr. Harvey, seu vizinho, a convida para visitar algo que ele construiu. Mas ela não sabia que ele queria um pouco mais que uma visita. E Susie só percebeu isso quando ele a mandou tirar a roupa.
Do céu, Susie encontra outras meninas vítimas do mesmo homem e observa o que está acontecendo embaixo. Ela vê seu pai "enlouquecer" tentando provar para a polícia quem é o verdadeiro assassino , sua mãe entrar em um "estado vegetativo"da situação e cometer alguns erros, vê sua irmã se transformar em uma mulher, espiã e atleta, em suas palavras. Vê o dono de seu primeiro beijo virar amiga da espectadora do acontecimento... Mas ela também observa o assassino.
Uma estória sobre como superar a vida e a morte, mesmo que você não esteja exatamente de acordo com isso. Para quem não sabe é o livro que baseou o filme Um olhar do paraíso.

site: http://leioreleio.blogspot.com/
comentários(0)comente



Joice (Jojo) 23/09/2013

A bela história de Susie Salmon
Logo no primeiro ano de faculdade, Alice Sebold, autora de "Uma vida interrompida", foi estuprada. Ao contrário de outras mulheres que foram atacadas no mesmo local, ela conseguiu escapar com vida. Dessa experiência, surgiram dois livros: uma autobiografia - Lucky - e "Uma vida interrompida". Diante disso, é fácil entender porque o primeiro capítulo da história de Susie Salmon, quando ela é estuprada e assassinada, é tão brutal.

Apesar dessa primeira impressão, "Uma vida interrompida" não é um livro violento, ao contrário. A delicadeza das memórias de Susie, bem como seu amor por sua família e amigos, é linda e cativante. Susie acompanha sua família se despedaçar após sua morte; a dor de amigos e até de quem ela não conhecia tão bem assim; a trajetória de seu assassino, que parece escapar impune ao crime.

É um livro belíssimo, que fala da vida e dos belos momentos que a preenchem. Também fala de dor, de perda e de saudade de um modo raro. Vale a pena. Recomendo.
comentários(0)comente



55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4