Tubarão

Tubarão Peter Benchley




Resenhas - Tubarão


89 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Karinny 30/11/2020

Achei um livro tosco, cheio de diálogos bobos e subtramas que não evoluem durante a narrativa, servindo apenas para preencher algumas páginas. Tenho muita dificuldade em abandonar livros, mesmo quando os acho ruins, e esse foi o único motivo para eu ter conseguido concluir a leitura.
comentários(0)comente



Luh 10/01/2018

Excelente
Livro carregado de suspense e muito emocionante, capaz de te envolver na história a ponto de você não conseguir mais largá-lo..
comentários(0)comente



Guynaciria 12/07/2018

Para quem é fã do filme estrelado por Roy Scheider , o livro é um ótimo complemento, uma vez que tem algumas sub-tramas que foram suprimidas no roteiro adaptado. 

A história se passa na cidade de Amity, balneário de  Long Island, sendo essa uma cidade de veraneio,  em que seus cidadãos tem que tirar os recursos para seu sustento no ano, em apenas alguns meses da alta temporada, em que os turistas acabam migrando para a região.

Amity é uma cidadezinha de 1000 moradores, que chega a ter até 10 vezes esse número em um mês bom. Essa realidade foi alterada quando as autoridades locais encontraram o corpo de uma mulher, com claros sinais de ataque de tubarão.

O chefe de polícia Martin Brody, toma a decisão de fechar as praias, mas pelo visto as demais autoridades não concordam com sua resolução, chegando até mesmo a ameaça-lo.

O livro tem alguns personagens e tremas desnecessárias que nada acrescentam ao enredo central, tirando o foco de Martin Brody do que é realmente importante, além de criar nele uma sensação de desconforto decorrente do fato de ter sido forçado a tomar decisões que não coincidiam com seus princípios. 

A medida que a caçada vai evoluindo, a sensação de desconforto do leitor aumenta, pois somos transportados aquele universo, onde o homem deixa de ser o caçador e passa a ser a caça, de um dos maiores e mais terríveis predadores  existentes. 

No geral eu gostei do livro, e recomendo a leitura, pois tem muitas informações interessantes sobre a constituição de um tubarão, suas zonas de caça, seus instintos e a forma como vez sendo endemoniados ao longo das décadas pelos humanos. 
comentários(0)comente



Mr. Jonas 03/02/2018

Tubarão
A história se passa em Amity, um balneário ficcional situado em Long Island, Nova York. Quando o corpo de uma turista é encontrado na praia o chefe de polícia Martin Brody ordena o fechamento das praias da região. Mas o prefeito Larry Vaughan, mais preocupado com o dinheiro dos veranistas, consegue abafar a notícia e libera o banho de mar na cidade.
comentários(0)comente



Fran 27/02/2020

Resenha de "Tubarão"
Olá, pessoal! A resenha de hoje é sobre o livro "Tubarão" de Peter Benchley, obra original de 1974, foi publicada, pela primeira vez, no Brasil, pela @darksidebooks, em 2015. Considerada best-seller internacional, foi adaptada para o cinema, por Steven Spielberg, no mesmo ano. Contém 280 páginas.
Trata-se da história de quando um corpo de uma turista com mordidas de um tubarão-branco aparece na praia e o chefe de polícia Martin Brody toma a infeliz decisão de esconder o ocorrido devido a pressão e preocupação do prefeito Larry Vaughan, com o prejuízo financeiro que esse acidente causaria na cidade praiana. Logo, novos acidentes ocorrem e, com a repercussão, o biólogo marinho Matt Hooper aparece, intervindo nas investigações, para, junto com o policial, tentar descobrir como solucionar esse conflito.
Sobre o que eu achei: essa história me surpreendeu. Saber da presença do tubarão, sem ninguém conseguir vê-lo, causa pavor tanto nos personagens do livro quanto no leitor. O risco de morte eminente, descrito a todo instante, provoca uma reação em quem lê, e não tem como não tomar partido em defesa das vítimas. O autor foi o precursor ao contar a história de um tubarão como máquina assassina mas seu ineditismo provêem devido a preocupação de elaborar a reação que uma comunidade praiana teria ao ter notícia desse tubarão: se autoridades e turistas se preveniriam ou acobertariam, até promoveriam, a situação de risco como monetização, essa é a discussão do texto. Sobre o personagem principal, Brody, ele está longe de ser herói ou mocinho, na verdade, as vezes, é detestável e polêmico, mas é um ser atingível, e entendemos sua motivação, o ódio pelo animal, e a desconfiança sobre tudo e todos que o cercam. Já sobre Hooper, a princípio, parece ser um personagem benevolente, sedutor, com boas intenções, mas logo descobrimos que suas atitudes são egoístas e prejudicam mais do que ajudam na busca pelo tubarão.
Recomendo este livro para quem se interessar em conhecer a literatura que foi pioneira em retratar suspense, com animais, aquáticos, e que inspirou, não só o primeiro blockbuster de Spielberg, mas uma série de filmes baseado nesse estilo.
comentários(0)comente



Eduar 17/07/2020

Muito bom
O livro é o filme são quase que obras distintas. Tendo em comum os personagem e o tubarão. As histórias porém totalmente diferentes. Mas os dois são excelentes. Os finais tem, ambos, seus valores. O do filme, da aquela sensação de ponto final. O do livro, deixa um gosto de revanche muito bom.
comentários(0)comente



Hamilton Bavutti (Beto) 10/01/2019

Melhor que o filme
Passeando no centro de Londrina na última segunda-feira entrei num sebo e encontrei esse livro. Eu já o tinha lido há mais de 30 anos atrás e resolvi que era hora de revisitá-lo.
Foi muito legal rever a história toda, bem mais completa que o filme, com várias subtramas que eu já não me lembrava mais. É um ótimo passatempo, leitura fácil e rápida, pra quem está retomando a leitura como eu.
comentários(0)comente



Rapha 09/02/2016

Tubarão - Peter Benchley
O livro Tubarão foi escrito pelo autor americano Peter Benchley, que é fascinado por temas marinhos. O livro de 1974 foi o primeiro e mais famoso do autor, tendo alcançado em poucas semanas a marca de 8 milhões de exemplares vendidos. O livro foi publicado em 2015 pela editora Darkside em duas versões, uma com a capa clássica que ficou famosa pela adaptação cinematográfica e uma edição limitada em capa dura.

SOBRE O LIVRO

Logo de cara o leitor já pode notar que o escritor não estava pra brincadeira. A primeira perspectiva não se dá pelos olhos de um ser humano, mas sim da máquina de matar que assola a pacata praia de Amity, um balneário no litoral de Long Island. Somos convidados a acessar a obra pela perspectiva assassina do animal, onde assistimos atônitos o poder e os instintos da fera dando cabo da sua primeira vítima.

Logo após esta primeira incursão submarina e sanguinária do romance, começa-se a se descortinar a trama do livro. A praia de Amity é um típico balneário, que sobrevive da temporada de verão, quando as praias estão cheias e por consequência há comércio suficiente para manter os moradores durante a baixa temporada. Tudo muda quando durante uma noite uma jovem desaparece ao entrar no mar, enquanto festejava com alguns conhecidos.

O desaparecimento da garota é levado ao conhecimento do chefe de polícia Martin Broddy, que destaca uma pequena força para averiguar o desaparecimento. Ao procurar por evidências na praia, Hendricks, o policial que o acompanhava encontra um emaranhado de algas e decide investigar. A garota é encontrada enfim, bom… parte dela.


“Quando alcançou o amontoado, Hendricks se abaixou para afastar um pouco as algas. De repente parou. Por alguns segundos ele olhou, congelado. Procurou por seu apito nos bolsos da calça, pôs nos lábios e tentou assoprar. Ao invés disso ele vomitou, se desequilibrou para trás e acabou caindo de joelhos.

Emaranhados no monte de algas estavam a cabeça de uma mulher, ainda presa aos ombros, parte de um braço e cerca de um terço do tronco. A massa de carne dilacerada estava cheia de manchas roxas, e enquanto Hendricks vomitava na areia, pensou – e o pensamento o fez vomitar de novo – que o que sobrou do seio da mulher parecia achatado como uma flor espremida num livro de memórias.”

Frente a essa tragédia o chefe de polícia imediatamente decide fechar as praias, para que antes de as liberar seja averiguado se o tubarão que atacou a jovem ainda ronda o litoral. Porém, Larry Vaughan, prefeito e grande empresário se opõe categoricamente à decisão do chefe de polícia, afirmando que a economia de Amity não sobreviveria a uma temporada de baixa procura de banhistas. Em uma conversa tensa, o prefeito visivelmente alterado, elenca as motivações pelas quais a praia não deve ser seja fechada. Afirmando que tem recebido ligações e ameaças dos comerciantes, que temem que matérias sobre o ataque ou o fechamento das praias possa afugentar os turistas.

“Se você não me ouvir, disse Vaughan, você pode não ter seu trabalho por muito tempo.”

Com o incidente do tubarão, o chefe Broddy se vê nadando em um mar de problemas: Somado ao evidente perigo que um tubarão com gosto pela carne humana oferece a uma praia que necessita permanecer aberta. A desconfiança quanto ao prefeito, que cada vez mais parece estar envolvido em negócios escusos. Dando prioridade a praia estar aberta e aos seus interesses, em detrimento do risco de mais um banhista morto.

Tudo piora quando, após a decisão de manter a praia aberta, uma criança é morta em um ataque do tubarão. Forçando o chefe Broddy a encarar a “influência” do prefeito, e as consequências iminentes, para iniciar uma caçada mortal ao grande tubarão branco.

12465178_1066593403362509_378009341_o

MINHA OPINIÃO

O livro surpreende, principalmente quem espera ver o que viu no cinema. O filme de Spielberg tem como foco a ameaça do tubarão e a batalha com o monstro, mas o livro é bem mais rico. Há grandes descrições sobre os sentimentos e as interações emocionais dos personagens, principalmente do casal Broddy. Também, por incrível que pareça, o papel da máfia em piorar o impacto da estada do sanguinário tubarão branco no litoral de Long Island. Sendo coroado por um prefácio escrito pelo próprio autor, onde ele explica que os temas marinhos sempre o fascinaram desde criança. E assim como algumas crianças escolhem para si os dinossauros, o autor afirma que escolheu o tubarão.

A edição da Darkside é mais um primor de acabamento. Com capa dura e atenção aos mínimos detalhes, como fotos em preto e branco de barbatanas no entre capítulos e uma fita como marcador, o livro é uma edição que qualquer leitor teria orgulho de ter na sua estante. Nada menos.

Devore ou seja devorado
Você não está vendo, mas ele está lá no fundo, observando suas pernas se mexerem nas águas turvas. A mais perfeita máquina assassina da natureza, o predador que mantém seu posto no topo da cadeia alimentar desde a época dos dinossauros. Um torpedo de carne, ossos e dentes. Não há para onde fugir. Se você sempre devorou livros, chegou a hora da revanche.
Tubarão é o clássico romance de Peter Benchley que deu origem ao primeiro blockbuster de Steven Spielberg. Mas, mesmo antes do sucesso na telona, o frenesi alimentar de Jaws se transformou num fenômeno de vendas. O best-seller internacional foi o principal responsável em elevar a fera de barbatanas dorsais ao status de perfeita encarnação do mal. Se já existiu um bicho-papão na natureza, ele está dentro d’água.
A história se passa em Amity, um balneário ficcional situado em Long Island, Nova York. Quando o corpo de uma turista é encontrado na praia o chefe de polícia Martin Brody ordena o fechamento das praias da região. Mas o prefeito Larry Vaughan, mais preocupado com o dinheiro dos veranistas, consegue abafar a notícia e libera o banho de mar na cidade. O banquete está servido.

site: http://resenhandosonhos.com/tubarao-peter-benchley/
comentários(0)comente



KeylaPontes 29/12/2015

"Tubarões são como assassinos com um machado, Martin. As pessoas reagem a eles de forma passional. Tem algo de louco, maligno, incontrolável sobre eles."
Desde criança eu sou completamente apaixonada por tubarões. E até hoje todos os filmes que saem eu assisto várias e várias vezes (haha sim, até mesmo sharknado), então eis que a Darkside decide publicar esse clássico e eu fiquei louca!

Depois de muitas tentativas eu finalmente consegui adquirir na blackfriday e fui logo ler.

O livro se passa em uma cidade pequena de veraneio chamada Amity. A cidade é calma a maior parte do ano com os seus pouco mais de mil habitantes. E o ano todo gira em torno da espera pelos meses de verão, que a população chega a mais de 10 mil habitantes e os habitantes podem lucrar com os turistas. Porém uma ameaça chega vindo das águas. Um corpo é achado na praia e tudo indica que o seu corpo foi atacado pelo grande tubarão branco.
Confesso que estava com medo de como seriam relatadas as partes do tubarão e DEUS! Eu amei. As partes do autor relatando o tubarão nas águas sentindo as vibrações no mar, a forma como ele "sentia" uma presa! Gente que cuidado! No início o autor relata o seu amor pelos tubarões (e dá pra sentir isso no modo que ele descreve). Eu me senti ali vendo um documentário. Ótimo!
Porém, devo destacar que o livro não é SOBRE o tubarão. E esta não era mesmo a ideia do autor (isso é explicado na introdução). E sim sobre como um tubarão poderia mudar a dinâmica de uma cidade pequena que praticamente sobrevive do turismo no verão e até onde a ganância (e o instinto de sobrevivência) do homem pode ir.
O livro fala sobre relações humanas, sobre a vida e sobre o cotidiano. Ah. E tem até mesmo cenas de sexo. Quem diria ein? Então crianças, por favor, fiquem longe haha. Eu confesso que esse foi um fator que me assustou pois eu não imaginaria que teria. Enfim, o livro é um verdadeiro prato de elementos! Quando você pensa que o livro vai girar ao redor dos ataques... BAM, um mistério vai te envolvendo e quando você percebe já está totalmente envolvido por uma ameaça bem maior do que o grande tubarão branco!
No livro conhecemos o oficial Martin Brody e a sua esposa Ellen Brody. Os dois tem dois filhos e estão naquele momento do casamento em que as dúvidas começam a surgir sobre os motivos que os levaram a ficar juntos. Martin é um típico policial de cidade pequena. Idealista e que acredita que o seu papel é proteger a cidade de qualquer ameaça, porém com a chegada do tubarão ele vê que o buraco é mais fundo que o mar. Quantos os corpos começam a aparecer, ele tenta fechar a praia, mas os políticos e empresários locais resolvem que isso será péssimo para os negócios locais. O que não deixa de ser verdade. Pois a cada inverno, ao menos três famílias passam necessidade por não ter de onde tirar o sustento.
Diferente do filme (Sim, este foi o livro que originou o clássico filme "Tubarão" (que vou rever hoje mesmo é claro) o livro foca bastante na vida do Martin. E da sua esposa também.
Ellen era a típica garota da sociedade. Que se reunia com as amigas para falar sobre viagens, compras e namoro com os meninos populares. Porem, tudo mudou quando ela conheceu Martin. Se apaixonou e resolveu se casar achando que ele era o seu destino.

Só que muitos anos e alguns filhos depois, Ellen está confusa. E alguém do seu passado aparece para semear ainda mais dúvidas na sua cabeça.
Matthew Hooper é um estudioso de tubarões e quando os ataques começam ele vai até a cidade tentar resolver esse mistério do porque dos ataques. E ao reencontrar Ellen, lembra que ela é ex namorada do seu irmão mais velho. E por quem ele tinha uma quedinha juvenil.

O livro é dividido em três partes. A primeira gira em torno da chegada do tubarão e dos ataques. Na segunda somos apresentados a essa "guerra fria" entre um casal. Crises de meia idade e arrependimentos. Na terceira, enfim, acontece a batalha. Três homens versus a natureza.

Quem vai vencer?

Existe mesmo um vencedor?

Resenha completa em:

site: http://keylinhastureads.blogspot.com.br/2015/12/resenha-tubarao-peter-benchley.html
Filipe 01/01/2018minha estante
Uma grande resenha para um grande peixe! Parabéns, faz o livro nos saltar aos olhos mesmo :)




Beto 07/05/2021

Li motivado por uma reportagem da revista "Veja" (03/2021) em que expõe que o livro é o retrato da reação do Brasil à pandemia da Covid-19, lógico realizando as devidas alterações de Tubarão Branco = Coronavírus.

E confirmo que a reportagem condiz com a verdade. Realmente em Tubarão temos negacionismo, prioridade à economia, falsa solução e ciência em segundo plano.

Por mais que possa parecer estranho, apesar das 2 estrelas, gostei mais do que imaginei que fosse gostar de um livro que gravita em torno de um tubarão, rs.
comentários(0)comente



Alice 10/09/2015

Tubarão
O livro conta a história da luta do chefe de polícia, Martin Brody contra a ameaça marinha que está afetando a vida da pacata cidade de veraneio de Amity. Quando um grande tubarão branco começa a atacar turistas em sua praia às vésperas do feirado de 4 de julho e perto da alta temporada na cidade, Brody tem que encarar a responsabilidade de manter cidadãos e visitantes em segurança enquanto autoridades locais e comerciantes o pressionam a respeito dos prejuízos que os ataques estão trazendo à cidade.
comentários(0)comente



Gabriel 29/11/2019

Fastastico
Um dos melhores livros que já li em minha vida . Emoção até o final
comentários(0)comente



Wendy 06/03/2020

Um Pouco Decepcionante.
Tinha uma idéia melhor do livro antes de lê-lo. Fiquei meio decepcionada com a leitura e o rumo da história. Poderia ter sido bem melhor e bem mais aproveitado o "tubarão" opinião minha.
Aquela novelinha me irritou também,achei desnecessário aquele drama pessoal do casal "problemas no casamento" acho que focou muito nisso e fora que me senti em um pedaço do livro dentro de um outro livro só que "erótico".
Achei desnecessário apenas.
Mas,apesar disso tudo, é um livro razoável e gostei do final.
Só não foi o que eu esperava.
comentários(0)comente



Luane 16/11/2013

Adorei o livro apesar de achar que o tubarão em si deveria ter mais presença no enredo mas o autor optou por focar mais em questões politicas e nas relações de seus personagens, mas nem por isso deixou de ser uma excelente leitura que vale a pena conferir independente de já ter ou não assistido o filme.
comentários(0)comente



89 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6