O Médico e o Monstro

O Médico e o Monstro
3.87875 4833




Resenhas - O Médico e o Monstro


170 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Ingrid 18/08/2016

A Dualidade.
Na verdade essa história é bem pequena lembrando um conto.Fala sobre o conflito de um médico com o seu Eu perverso, como se dentro de um ser humano existissem dois, um bom e outro ruim, por diversas vezes eles se misturam. Nessa narrativa o médico não se conforma com seu lado obscuro e quer por todos os meios se livrar dele.

Um belo dia, em seu laboratório,por puro acaso descobre uma substancia que permite separar essas duas metades do ser humano. Ao beber a tal porção ele separa o lado ruim, na verdade ele se torna o lado ruim, puro.Toda a maldade em um só ser.Toda a sua fisionomia se modifica, fica tanto exteriormente quanto interiormente feio, monstruoso, causa asco nas pessoas, horror, repulsa. Ao beber novamente a porção ele se torna normal ( veja bem, eu disse normal, seu lado bom e ruim estão aqui novamente unidos).

A questão é que ele vai gostando de se transformar no seu Eu maligno,sente-se livre de certa forma,o lado tenebroso o seduz , comete alguns crimes e ao voltar o normal tudo passa, pois a pessoa que os cometeu simplesmente não existe.O enredo envole outros personagens que ficam intrigados com essa pessoa de aspecto tão repulsivo que anda pelas ruas e é amigo íntimo do médico.

Na verdade esse livro parece uma grande metáfora da dualidade do ser humano, da busca pelo bem ligado a religião, que também nega e condena o aspecto mal de todo ser humano.Pois o duplo habita cada um de nós, o eu egoísta, mentiroso, iracundo, perverso, invejoso e todos esses sentimentos que negamos em público, mas sabemos que uma hora ou outra está ali tão pertinho de nós. Talvez seja uma crítica a filosofia das religiões em geral, elas não nos ajudam a trabalhar e aceitar os nossos aspectos negativos, apenas os condenam , o yin yang parece ser um fato apenas nas religiões orientais.

No fim, fica a resposta para a pergunta: E qual dos dois lados ganha? Ganha o lado que você mais usar. E essa resposta é real, latente, verossímil, o lado que você mais utilizar ganha, porque ele cresce e fica cada vez mais forte. No livro tem que, obviamente, ler para saber qual lado venceu: o médico ou o monstro?

Eu particularmente gostei da história, essa edição é bonita, tanto a capa quanto o capricho com as páginas, a tradução é boa, fácil leitura e entendimento , embora manteve em um modo geral o rebuscamento da narrativa. O livro também te leva a filosofar quanto a dualidade, certo x errado, bem x mal, pecado x virtude, Deus x Demônio, e você percebe que tudo tem seu oposto, luz e escuridão,se não fosse a luz não existiriam as sombras.Então o equilíbrio , talvez a perfeição não está em ser uma coisa ou a outra, mas tê-las dentro de si. Eu lembro de uma pessoa que admiro muito falando o seguinte: " Deus criou o demônio para que houvesse o equilíbrio, até porque sem o mal não existiria o bem". Será que compreendes?

Um ponto negativo é a pouca exploração dos personagens, não acompanhamos de perto o médico , nem o monstro, tudo se desenrola pelas reflexões e desconfianças de um amigo advogado. Gosto de acompanhar os dramas dos personagens pelas próprias pernonas. Criar laços e eles se tornam bem explorados o que faltou na narrativa, isso a deixa um pouco pobre e superficial.



site: http://aportadomar.blogspot.com.br/
Francelle 18/08/2016minha estante
Ótima resenha, adorei. A metáfora presente a história é, realmente, o que mais me faz querer ler esse livro.


Ingrid 19/08/2016minha estante
Que bom que gostou da resenha. Espero que você leia o livro , vale a pena, e depois me conte sua opinião. Sou curiosa.


Francelle 19/08/2016minha estante
Sim, estou querendo muito ler ele. Claro, te falo a minha opinião sobre o livro sim. =)


Ingrid 20/08/2016minha estante
Combinando então :)




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Flávia 06/08/2016

Nosso lado sombrio
Decidi ler este livro depois de ver vários comentários a respeito, mas confesso que desconhecia a história.
Li em pouco tempo porque era difícil largar a leitura de tão envolvente que é, além de muito bem traduzido.
Mostra, de forma fantasiosa e imaginária, uma grande realidade dos dirtúbios da personalidade humana e ainda trata do extremo limite da ambição.
Com certeza recomendo!
comentários(0)comente



Katy 01/08/2016

Uma grande análise do caráter humano
Para quem curte literatura com apelo psicológico, “O médico e o monstro” é um prato cheio. Criado por Robert Louis Stevenson, este livro aborda o conflito interno pelo qual todos nós passamos, entre o bem e o mal, o certo e o errado.

Não é apenas uma ficção científica fantasiosa, mas uma grande obra que nos faz pensar o que faríamos se pudéssemos realizar todos nossos impulsos (racionais ou não) sem necessariamente ter que arcar com as consequências.

A história se passa na terceira pessoa e conta a história de um médico integro e respeitado pela sociedade, o famoso Henry Jekyll, de seu empregado sinistro, macabro e extremamente cruel, Edward Hyde e o melhor amigo de Jekyll, o advogado Utterson.

Seu ponto de partida é quando o misterioso Mr. Hyde começa a cometer crimes desumanos e grotescos, sendo, assim mesmo, protegido por Dr. Jekyll, o melhor e mais digno médico da cidade. Isso desperta o interesse de Utterson, que fica ainda mais intrigado quando Jekyll lhe entrega um testamento passando todos os seus bens à Mr. Hyde caso ele morresse ou desaparecesse. Estaria Henry Jekyll sofrendo algum tipo de chantagem? Porque o tão benevolente médico protegeria alguém que parece ter apenas o mal dentro de si?

O médico e o monstro fala, sobretudo, sobre a dualidade de personalidades que cada um tem. A questão principal do livro é a seguinte: todos nós temos dentro de cada um o bem e o mal, sendo que um sempre se sobrepõe ao outro. E se pudéssemos separar estes dois lados, fazendo de cada um uma pessoa diferente… Como cada um deles se manifestaria?

É o tipo de livro que faz seus leitores se questionarem a respeito do caráter de cada ser humano e, principalmente, sobre as graves consequências que podemos ter ao agir por impulso. Reflete sobre os ímpetos e desejos ocultos que cada pessoa possui dentro de si e sobre como agiríamos se manifestá-los não tivesse nenhum outro resultado que não fosse a satisfação de nossas vontades.

Surpreendente, intrigante e extremamente verdadeiro quando se refere aos pensamentos e sentimentos que se escondem atrás da conduta de cada um.

site: https://bloggerculturando.blogspot.com.br/2015/07/o-medico-e-o-monstro-robert-louis.html
comentários(0)comente



Marcinha 22/07/2016

O Médico e o Monstro – Robert Louis Stevenson
Confira a resenha completa deste livro no blog ESTANTE DO HORROR.

“O Médico e o Monstro” de Robert Louis Stevenson é um clássico da literatura de terror, com poucas páginas – uma leitura para menos de um dia, nos apresenta o Dr. Jekyll, um médico renomado e conhecido em Londres no século XIX. Esse médico tem um laboratório e realiza vários experimentos, dentre eles, a tentativa de separar a parte “má” do ser humano. (...)

Confira a resenha completa deste livro no blog ESTANTE DO HORROR.

site: https://estantedohorror.wordpress.com/2016/07/04/livro-o-medico-e-o-monstro-robert-louis-stevenson/
comentários(0)comente



Thananda 27/06/2016

Chato até não poder mais ******** COM SPOILER *******
Cresci ouvindo falar dessa história, e até então não tinha encontrado a oportunidade para ler esse livro, até que o carro- biblioteca da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa lançasse o desafio literário de junho com o tema "crimes e monstruosidades na literatura".

Sinceramente, é muita fumaça pra pouco fogo. O livro fala sobre um doutor que está em conflito com a dualidade do seu ser, um lado bom e racional e simpático, que todos conhecem, e o outro mau, cheio de desejos escabrosos e instintos primitivos, o qual ele tenta ocultar, até que descobre uma fórmula para separar seus dois eus e assim pode viver as duas vidas separadamente e alternadamente sem que uma comprometa a outra. Mas é claro, isso no fim acaba dando bode.

Excessivamente misterioso e cansativo, quem quiser pegar a essência da história sem precisar passar pela chatice de ler o livro todo (pra nada, gatanto!), é só pular direto para o último capítulo, que já serve de resumo e conta tudo que o livro inteiro não deu conta de mostrar. Em suma é uma história bobinha, no qual eu não entendo o porquê de ter alcançado tanta fama. Não valeu o meu tempo perdido com essa leitura, e certamente não valerá o seu.

Não recomendo :(

site: Twitter e instagram ========> @nandatgcs
comentários(0)comente



Tamires.Dourado 08/06/2016

Gostei
Rápido, sagaz, divertido.
comentários(0)comente



Felippe.Paiiva 23/05/2016

Aquele tipo de livro em q esperamos muito porém nos decepcionam um pouco, é esse o sentimento q sinto (é claro) depois de ler O Médico e o Monstro, esperava BEM mais dele, esperava altas mortes (sim adoro mortes, de personagens q ñ gosto), esperava terror, esperava até um final diferente (sim conheço a história, porém nunca vi nenhuma adaptação dele, a ñ ser uma na serie Jekyll e Hyde de 2015 e o começo na serie Penny Dreadful, de 2014, mas q só aparece na atual temporada (3ª) e esperava um final diferente pra ele). Uma coisa q senti falta foi o pov do Hyde, temos um no final de Jekyll porém queria um do “monstro”.
Deixando de lado as criticas negativas, eu gostei da leitura, foi uma leitura fácil e rápida, afinal ele é bem pequeno, mas o q mais gostei na leitura, foi a filosofia por trás dele, isso de termos dois lados é pura verdade e Stevenson nos mostra isso através de Jekyll e Hyde muito bem, e me faz pensar apesar de tudo Jekyll tinha culpa pelo q Hyde fazia ou não?! Bem ainda ñ cheguei a uma conclusão nisso, mas e você o q acha disso?!
Por fim, apesar de meio decepcionante (no sentido de ter esperado mais) gostei bastante da leitura e aconselhou quem gosta de uma leitura rápida (ou todo mundo q goste de ler) a ler esse clássico de Robert Louis Stevenson.
PS: Vou fazer uma comparação idiota, mas ñ tem como não a fazer, afinal é uma comparação com dois clássicos de Robert Louis Stevenson, uma coisa q me irritou um pouco em A Ilha do Tesouro (q foi a religiosidade muito presente) em O Médico e o Monstro não me irritou, afinal ñ tem muito.
comentários(0)comente



Denise 13/05/2016

Quais são nossos monstros?
Ler clássicos tem sido para mim uma experiência muito positiva, pois geralmente são livros que me proporcionam boas reflexões. No caso deste livro, O Médico e o Monstro, não foi diferente. A história não se passa de modo instigante, porém possui uma reflexão final interessantíssima.
A discussão principal do livro, em minha opinião, está baseada na vida do homem moderno em sociedade. Aborda esta fragilidade de aparências, como tentamos conduzir nossa existência dentro de valores morais e éticos que são sacrificantes e colocam tantas limitações em nossos desejos e agressividade. Este livro também me fez pensar sobre casos mais específicos como a adicção, onde há relatos sobre uma necessidade que emerge e transforma o sujeito, como se perde o poder de decisão e se sucumbe ao vício. Também, como creio que seria impossível para mim não pensar, a psicose. O último relato de Jekyll expõe como aos poucos seu eu foi sendo cindido, como Hyde foi se tornando independente e dominador. Assim como em algumas psicoses onde a pessoa não se reconhece mais em seus pensamentos, sente-se dividido e cada vez mais enfraquecido em relação a esse outro que tem poder para fazer o que quer dele.
Enfim, poderia me estender e citar outras coisas que me passaram pela cabeça ao ler este livro, no entanto, opto por encerrar minha resenha e indicá-lo a todos que estejam dispostos a ver além do que aparece escrito.
comentários(0)comente



Allan 25/04/2016

Fraco e covarde..
Um homem que não aceitou sua própria sombra e, ao negá-la, negou também seu contraponto de luz.
Todo o livro é de uma covardia londrina muito frágil. Imagino que se os ingleses fossem mesmo como são descritos nos livros dos séculos XVIII e XIX a Inglaterra não teria resistido em absoluto a nada!
A história é fraca, os personagens rasos e o mistério inexiste. Não sei dizer se inexiste porque todos hoje já sabem o final ou se porque o autor realmente falha em transmitir esse mistério. Porém há uma autenticidade nos relatos do médico temendo o monstro, que transforma uma obra fraca em algo bom. E o amor que o público tem pela sombra transformou-a em clássico. Uma pena, mas me decepcionou.
comentários(0)comente



Jéssica Santos 14/04/2016

Finalmente li o famigerado O Médico e o Monstro, uma dualidade entre o bem e o mal. O que prevalece em você? Quais valores? Escrito por Robert e lançado em 1886.
Um livro com um pouco mais de 100 páginas, portanto não posso falar muito, sem que caia em spoiler suashuahsuahs.
comentários(0)comente



Ricardo1z 09/04/2016

Clássicos da literatura 5
Começa com uma narrativa muito agradável, a leitura é leve. Um conto que representa bem o conceito de "dualidade" presente dentro de cada um de nós.
comentários(0)comente



Natalie 04/04/2016

Leitura regular
Confesso que esperava mais do livro. A críticas sempre foram muito favoráveis a ele, mas o que encontrei foi uma história rasa, que sem dúvidas poderia ter sido mais bem explorada pelo autor, uma vez que o tema é bem interessante: a dualidade existente na personalidade humana e a preponderância da imoralidade sobre a moralidade.

Pra não dizer que não falei das flores, o que deixa a leitura um pouco fluida é que o enredo é contado em terceira pessoa, o que mostra a visão de terceiros com relação ao médico e o monstro. Falo terceiros porque mais de uma personagem ingressa na trama para contar seu ponto de vista. De resto, deixa a desejar.
comentários(0)comente



Yolanda 26/03/2016

Um suspense de tirar o fôlego
Embora seja uma história há muito conhecida por mim seja nas referências dos desenho animados ou em outras ocasiões e, ainda que eu conhecesse o grande desfecho é uma história que te prende durante toda sua narrativa. Não a considero como um terror, como li em várias ocasiões, mas um suspense de primeira categoria que te deixa tenso a todo momento, ansioso pelo próximo passo das personagens. O fato de conhecer a história só me deixava mais e mais tensa ao esperar que a personagem principal fizesse a grande descoberta. Recomendo a leitura com toda a certeza do mundo!!!!!
comentários(0)comente



Henri B. Neto 17/03/2016

Resenha: O Médico e o Monstro
Mesmo estando bastante atrasado, estou conseguindo colocar em dia a minha meta pessoal de ler ao menos 12 clássicos neste ano de 2016. Depois da agradável surpresa que foi "O Papel de Parede Amarelo", resolvi criar coragem e começar uma história que a tempos sentia vontade de ler: O Médico e o Monstro ou O Estranho Caso de Dr. Jekill e Mr. Hyde, de Robert Louis Stevenson.

Acho que, mesmo se você nunca tiver lido a narrativa, já deva ter uma boa noção de quem seja Dr. Jekill e Mr. Hyde - o que já adianto, deve ser o maior caso de spoiler do mundo, pois este é o grande plot twist da história... Mesmo assim, o texto teve as suas surpresas, e foi isto que me prendeu até o fim.

Para começar, o livro tem um forte tom de suspense - o que já confesso, não esperava. Sempre achei que a narrativa seguiria a luta interna de Dr. Jekill, quando na verdade acompanhamos as investigações de seu advogado e melhor amigo, tentando compreender a ligação do médico com o famigerado Hyde. Outra surpresa foi a descrição do "monstro", que NADA tem a ver com o imaginário popular. E para completar, temos esta Londres vitoriana - enevoada, escura, sombria... E que é quase um personagem.

Mesmo já sabendo do seu principal segredo e, infelizmente, do seu final (dica do amigo: NÃO Leia o prefácio antes do livro... Ele te entrega o destino do personagem de forma absurdamente gratuita), "O Médico e o Monstro" foi uma experiência deliciosa. Digo mais: Se você, assim como eu, é aquele tipo de leitor que tem medo - ou preguiça - de ler clássicos, vale dar uma chance para a história.

Henri B. Neto
''Na Minha Estante''
comentários(0)comente



170 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |