O Médico e o Monstro

O Médico e o Monstro Robert Louis Stevenson




Resenhas - O Médico e o Monstro


223 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Michel 28/11/2017

Monstro?
Quando comecei a ler este livro me deixei levar pelo título que parece coisa de filme barato. Porém, o que é o monstro retratado por Robert Louis Stevenson? Apenas o lado "mal" de nossa natureza humana, natureza esta que mesmo reprimida,às vezes aflora em todo seu "esplendor"? O ser humano possui em si o mal e o bem.Não há lugar para maniqueísmo...
comentários(0)comente



Victor.Hugo 26/10/2017

O medico e o monstro
Eu entendi que esse livro fala que o médico era estressado e os pacientes dele pararam de ir a consulta porque sempre que eles iam ele sempre estava estressado, chato, nervoso, ignorante.E por causa desse estresse a toda noite ele virava monstro e matava todas as pessoas.
Eu gostei desse livro porque conta uma história com muito mistério e terror e um homem que durante o dia ele era pessoa normal e a noite ele se transformava em medico, eu indico esse livro para todos os leitores da rede skoob.
NOME:Victor Hugo Oliveira
SERIE:7ano
comentários(0)comente



leila.goncalves 26/10/2017

A Ambiguidade Humana
Publicada em 1886, "O Médico e o Monstro" ou "O Estranho Caso de Dr. Jeckyll e Mr. Hide" é uma novela gótica com elementos de ficção científica. Hoje em dia, considerada um clássico do terror, sua atmosfera assustadora remete ao fog das frias noites londrinas onde centraliza-se a ação.

Seu autor, Robert Louis Stevenson, escreveu inúmeros sucessos, dentre os quais destaca-se "A Ilha do Tesouro", um famoso livro de aventuras infantojuvenil. Porém, ao invés de piratas e riquezas escondidas, essa história foi inspirada na vida dupla de William Broodie, um escocês que em sua cidade natal, Edimburgo, de dia era um respeitável marceneiro e à noite um temível ladrão.

Ao abordar o fenômeno de múltiplas personalidades, a obra aponta para a própria ambiguidade humana e nas entrelinhas, é fácil entender a noção de consciente e subconsciente. Basta atentar para o último capítulo em que Henry Jeckyll num momento de lucidez, relata suas pesquisas.

Seu enredo é muito conhecido e apresenta um detalhe curioso, foi o introdutor da Scotland Yard no cenário literário. A mestria na sua condução tem seduzido critica e público desde o lançamento e trata-se também de um precioso registro da sociedade vitoriana, caracterizada por um puritanismo repressivo e uma mundanidade pecaminosa, cercada de vícios.

Finalmente, cabe mencionar as inúmeras adaptações sofridas pela obra, que vão do cimema, passando pela música, chegando até as histórias em quadrinhos. Aliás, dentre as mais recentes, destaca-se "Mary Reilly" que conta a história do ponto de vista da empregada do Dr. Jekyll.

Bom entretenimento!
comentários(0)comente



Biahh da silva 22/10/2017

Distinto do que eu imaginava ser
Um livro super rápido de se ler,mas ao mesmo tempo intrigante para mim e para muitos leitores aparentemente, quem é o médico? Quem é o monstro? Quando duas naturezas e duas pessoas em um corpo só o que acontece?

E isso que é respondido e narrado aqui neste livro o Médico e o monstro boa parte dele pelo amigo Utterson do Dr.Jekyll e mais a frente por uma carta do próprio doutor de tudo que aconteceu desde o começo. Eu achei intrigante pelo fato de não saber 100% se concordo com este final e como ele termina depois de algumas situações meio colocadas ao longo do livro.


site: https://biahhysilva.wordpress.com/2017/10/23/o-medico-e-o-monstro-robert-l-stevenson/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Larisse Colares 17/10/2017

Ler sem spoilers.
História curtinha mas que traz uma discussão bastante filosófica. Ler sem conhecer do que se trata é bem mais estimulante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



gabiberries 11/10/2017

Mistério sci-fi
Esse livro é incrível. Muito legal a história, a maneira como se desenrola! Fiquei imaginando todo o tempo o quão legal seria ler sem saber o que estava acontecendo, pois há várias dicas ao longo do texto que identifiquei por conhecer o desfecho (afinal, é um clássico), e fiquei imaginando a surpresa que eu teria se não soubesse. Na época em que foi lançado, deve ter chocado muitos leitores!
Tive um pouco de dificuldade com o vocabulário, que é bem formal e antiquado. Mas entendi bem o contexto e li rapidamente! Aliás, que clássico curto, né? Rs
Enfim...a história é interessante e bem construída, realmente gostei. :)
comentários(0)comente



Rafael.Martins 10/10/2017

Um clássico. Confesso que já conhecia parte da história de Dr, Jeckyll e de Mr. Hyde (ou Mr. Jive, na música do Man at Work), mas fui pego de surpresa com o narrador, Mr. Utterson. Uma história sobre amizade, lealdade e sobre os desejos mais profundos e nefastos dos seres humanos. O ponto mais positivo é a atmosfera sombria que Stevenson consegue imprimir na sua obra através da descrição dos ambientes e do clima onde nos locais onde se passa a história.
comentários(0)comente



Lima 06/10/2017

O médico e o monstro
Belo livro, suspense incrível, cativante, palavras difíceis que me incomodou em alguns trechos, porém com um final esplêndido e inimaginável (Não li a sinopse pois com a mesma poderíamos imaginar o fim deste clássico) aliás um belo de um cliffhanger, fazendo todas as suas dúvidas se encaixarem no final. Falar muito sobre ele poderia acabar com suas expectativas de lê-lo. Mesmo me deixando com uma ressaca literária horrível eu ainda recomendo esse livro.
comentários(0)comente



DiRock S. 23/09/2017

I just wanna be jekyll, but I'm always fighting hyde
Meu primeiro contato com esta clássica obra foi pela música da banda Five Fingers Death Punch. Curioso em saber de quem eram as pessoas referenciadas no títulos da música, eu descobri que fazia parte do romance conhecido no Brasil como O Médico e o Monstro.

Não só soube da clássica obra de Stevenson como acabei descobrindo sua influência nos Estados Unidos, tornando "Jekyll and Hyde" uma expressão comum para falar de pessoas aparentemente calmas, mas que tinham comportamentos controversos de maneira abrupta. Os dois nomes também são homenageados em nomes de estabelecimentos, como o restaurante presente em Nova Iorque.

O livro é narrado sob o ponto de vista do advogado Utterson, sendo este um falso protagonista já que toda a trama é voltada aos dois personagens que dão nome ao livro. É um ponto de vista interessante, por explorar a trama sob o olhar de uma pessoa que procura entender o que está acontecendo com o seu bom amigo Dr. Jekyll ao se relacionar com um sujeito que sequer disfarça seus comportamentos desleixados e maléficos.

Por ter o contato primário através da música e da minha curiosidade em saber mais sobre o que eu escutava, acabei descobrindo logo de cara a resolução do mistério, o que prejudicou um pouco a minha experiência.

Entretanto vale ressaltar que o capítulo final é excelente. Neste trecho o autor apresenta a partir da carta do médico questionamentos morais quanto ao que é considerado bem e mal. Foi ousado em abordar naquela época (Vitoriana ou Belle Époque) a questão de todo ser humano conter dentro de si princípios tanto benéficos como maliciosos, e a forma criada para expor os dois personagens de características opostas foi sensacional.

site: https://www.wattpad.com/user/DiRockS
comentários(0)comente



Jordan 26/08/2017

Mais que um livro de terror, bem mais
Comecei a ler este romance hoje e hoje mesmo acabei de lê-lo. Não imaginava que esta leitura iria me manter tão preso! Estou espantado com o domínio estético e narrativo de Stevenson. O mistério que gira em torno do comportamento estranho do doutor Dr. Jekyll e de sua relação com o inquietante Mr. Hyde, principal suspeito de um terrível assassinato, nos mantêm grudados às páginas. O narrador a todo instante cria expectativas no leitor, falsas suposições para logo após nos oferecer uma nova (re)leitura; uma verdadeira sequência de construções e desconstruções de sentidos, a quebra do próprio raciocínio retilíneo do enredo. À medida que as páginas passam a tensão narrativa aumenta, o clima de horror e mistério adensa-se aos poucos e chega ao máximo no impactante clímax: onde os mistérios que envolvem Dr. Jekyll e Mr. Hyde são revelados. Além disso, Stevenson é um ótimo esteta; sua escrita é meticulosa, nenhuma palavra está ali por acaso, nenhum sinal de pontuação foi usado sem ser pensado de maneira cuidadosa, confirmando o que disse Borges: ''todas as frases usadas por Stevenson são bonitas.''
Aliado a isso o romance possui um viés psicológico bem explorado. Ao final do romance há uma brilhante reflexão sobre a dualidade da natureza humana, que todos os homens são no mínimo dois, os quais vivem em constante disputa para assumir o controle do indivíduo: um encarna os vícios, os desejos suprimidos, as aspirações torpes; já o outro, o comedido, o sociável, o exercício das virtudes. A natureza humana estaria sujeita às tentativas de conciliação entre ambas as partes. Imagino a reação de Freud lendo a obra.
Impactante, surpreendente, original. Um livro que após o término da leitura nos imprime uma inquietação, o que é senão o abalo da revelação do desconhecido, ou melhor, daquilo que tememos (re)conhecer, as facetas mais obscuras de nós mesmos.
comentários(0)comente



r.morel 14/08/2017

Resenha Telegráfica
A clássica história sobre o médico Dr. Jekyll e o monstro Mr. Hyde vai além da trama de assassinato e mistério. Fala sobre limites que não devem ser ultrapassados e, principalmente, sobre a maldade, que, impregnada dentro de todos nós, anseia pelos seus momentos de fúria violenta sem razão.

Trecho:
“A cada dia, e de ambos os lados da minha inteligência - o moral e o intelectual -, eu chegava cada vez mais próximo daquela verdade cuja descoberta parcial tinha me condenado a um terrível fim: o de que o homem não é apenas um, mas sim dois.”

site: popcultpulp.com
comentários(0)comente



Juba 06/08/2017

"Os sonhos são universais através da consciência humana, evocando as fantasias e as neuroses primitivas que definem nossa espécie peculiar."

Dois lados de uma moeda... quando o doutor Jekyll, homem de estirpe e educação e grande médico conceituado decide que quer as liberdades da vida e saciar suas vontades que fogem a sua imagem social, decide usar de seus conhecimentos científicos para trazer sua personalidade mais aguçada e confiante, acaba por despertar seus instintos quase animalescos personificados como Edward Hyde.
Hyde, é a própria maldade em forma de homem, um homem baixo com uma "deformidade" impressionante e uma crueldade tão enraizada na personalidade que mais parece não ter nenhuma gota de bondade, e não tem.
O advogado e amigo Mr. Utterson começa a desconfiar do isolamento e sumisso de seu amigo e ao encontrar Hyde surpreende-se com o fato do gentil doutor Jekyll deixar seus bens para esse homem inescrupuloso e cruel. Não sabe ele que o médico não só esconde um monstro, mas também agrada-se de andar com a pele de Hyde, mas coisas ruins acontecem quando uma alma tão obscura caminha soturna pelas ruelas noturnas de Londres e não demora para o rastro de sangue e maldade de Hyde manchar as ruas.

Leitura fácil e leve, exceto no último capítulo a explicação do Doutor é demasiada longa.

site: https://www.instagram.com/bibliotecadepandora/
comentários(0)comente



Daironne 04/08/2017

Impressões sobre a leitura de O Médico e o Montro - Série Reencontro
Questionando a decisão do respeitável Dr. Jekyll de tornar o sinistro Sr. Hyde beneficiário de seu testamento, Utterson, advogado do primeiro e narrador da estória, preocupa-se cada vez mais com os acontecimentos misteriosos que têm cercado seu cliente.

O texto curto e pouco rebuscado desenvolve uma trama relativamente previsível, embora ainda sim intrigante, e sugere uma reflexão sobre a dualidade contida em todo indivíduo e o tormento provocado por ela.

A edição que li, Série Reencontro, é prática e conta com algumas ilustrações.

comentários(0)comente



223 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |