O Médico e o Monstro

O Médico e o Monstro Robert Louis Stevenson




Resenhas - O Médico e o Monstro


186 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Amanda.Stabile 10/01/2017

Esplêndido!
Após tanto ouvir citações sobre Mr. Hyde, finalmente fui apresentada a ele. Realmente um clássico maravilhoso e uma temática extremamente copiada em livros e filmes contemporâneos: a separação do bem e do mal presente no ser humano. Esplêndido!
Dai 11/01/2017minha estante
Novamente, o tema do duplo. Já leu Edgar Alan Poe?


Amanda.Stabile 12/01/2017minha estante
Ainda não, tem alguma obra dele pra me indicar?




Nanda 10/01/2017

Leitura leve e agradável
Comparado aos livros que costumo ler, O médico e o Monstro tem uma trama relativamente simples, embora não menos apreciável. A obra foi publicada em 1886 e ainda causa certe deleite durante sua leitura. A história começa dando foco em Utterson, um advogado que ficou responsável pelo testamento, levemente suspeito, de Jekyll. O advogado começa a questionar qual a relação de Jekyll com o assustador Hyde, e além disso, quem é e onde está o assassino de Danvers.
Nesse ponto, receio que para falar sobre as reflexões feitas no decorrer da leitura acarretaria em contar spoilers. Levando isso em conta, vou deixar em aberto o questionamento: qual parte de nós mesmos realmente aceitamos e até onde agimos em prol de nossas vontades. O estilo de Stevenson é de fácil leitura e quase podemos deixar passar algumas reflexões durante a leitura. Os personagens não são complexos como os que encontramos com alguma frequência atualmente, mas não deixam de ser humanos e mostrarem suas características únicas.

“O advogado, Mr. Utterson, era um homem de aparência rude, que nunca se iluminava com um sorriso; frio, restrito e embaraçado no falar; retraído nos sentimentos; magro, comprido, aborrecido, melancólico, e, apesar de tudo, amável.” (p.9)

Apesar de ser definido como um clássico de mistério e horror na contra capa, não creio que seria considerado tal se escrito assim atualmente. Pouco considerei um horror ao ler, embora ao refletir perceba que o horror se devia a descoberta do final – que não foi surpreendente, mas bem escrita. E neste aspecto, o final, acho, merecia algo mais, mesmo compreendendo, ao menos em parte, a intenção da história. Considero uma leitura breve e interessante, recomendo.

“[...] a maldição e o peso da vida estão para sempre amarrados aos ombros do homem, e, quando se tenta retirá-los, eles não apenas retornam sobre nós, mas o fazem com uma força ainda mais desconhecida e terrível.” (p.83)

site: http://piratemermaid.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



ANINHAPONCE 03/01/2017

O Médico e o Monstro
Tudo bem com vocês??? Hoje quero comentar com vocês sobre o livro O Médico e o Monstro de Robert Louis Stevenson, que é uma novela gótica, com elementos de ficção cientifica e terror, sendo publicada originalmente em 1886 como Strange Case of Dr Jekyll and Mr Hyde ou O Estranho Caso do Dr. Jekyll e Mr. Hyde.
O livro é narrado em 3º pessoa, mas do ponto de vista do Dr. John Utterson, que investiga estranhas ocorrências entre seu velho amigo, Dr. Henry Jekyll, e o malvado Edward Hyde. Por se tratar de uma história curta, menos de 100 páginas, e bem conhecida não vou me aprofundar no enredo.
A história trata da dualidade humana, em sua essência o livro aborda a eterna luta entre o bem e o mal que ocorre em nosso interior. O que me lembrou da frase do Sirius: "O mundo não se divide em pessoas boas e más. Todos temos Luz e Trevas dentro de nós. O que importa é o lado o qual decidimos agir. Isso é o que realmente somos."
Essa edição da Peguim/Companhia trás um texto de apoio MUITO interessante, escrito por Robert Mighall, professor da Universidade de Wales, Ph.D. em ficção gótica. O texto de apoio me fez ver a história com outros olhos, entender as críticas a sociedade da época (e atual também).
O autor foi muito sagaz e habilidoso ao fazer tantas críticas à sociedade de aparências, ao sistema de proteção dessas aparências, onde o exterior precisa estar perfeito, assim como a casa do Dr. Jekyll, mas o interior pode muito bem ser como a casa de Hyde, tudo isso de forma sutil.
Robert faz um paralelo entre O Médico e o Monstro com O Ladrão de Cadáveres, do mesmo autor, publicado um ano antes. Sendo ambas escritas para o período de Natal, onde as histórias sobrenaturais e horripilantes tinham grande saída. Ele também fala sobre a influência que a obra teve sobre o livro O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde.
Stevenson inovou no estilo gótico e horror, pois ele trouxe o foco dos contos de horror para o próprio ser humano, antes colocado em algo externo. O que me lembrou muito de uma frase da Sara Sidle, da série CSI:"Nunca deixo de me surpreender com o que as pessoas fazem umas as outras".
E isso serviu de inspiração para VÁRIAS histórias, episódios de séries e desenhos. E o interessante é que não me apeguei, não tive nenhuma empatia por nenhum personagem. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

site: viajandocompapeletinta.blogspot.com
comentários(0)comente



Edson Camara 31/12/2016

Considere que este livro foi escrito em um dia de 1885
Fiquei curioso para ler este livro depois que li A dança macabra de Stephen King, o mestre do terror King aponta este livro, junto com Dracula e Frankenstein como os três maiores expoentes do horror gótico da história da literatura. Já li Drácula e Frankenstein e concordo inteiramente com a opinião de King. Este livrinho de pouco mais de 100 páginas de tirar o folego, considere que ele foi escrito em um dia de 1885 pelo autor Robert Louis Stevenson o que por si só já é impressionante. Agora, o enredo simplesmente alucinante. A história do Dr. Jekyll e do senhor Hyde nos desperta varias emoções, ansiedade, ternura, raiva, suspense, horror e tristeza. sem divida um clássico eterno da literatura universal.
comentários(0)comente



Guaranádoamazonasémassa 14/12/2016

Essa edição pocket deixou a história comprimida, o que não sobrepõe a qualidade da história e a ideia do livro em si. Aconselho assistir vídeos, filmes e ler o livro novamente para fixar melhor a história (apesar de confessar não ter lido duas vezes heuaehehau).
comentários(0)comente



EllisaAraujo 13/11/2016

O Médico e o Monstro - Recomendo
Um livro surpreendente envolto por mistério, sendo de caráter reflexivo no que se diz respeito a possível existência de duas personalidades no mesmo indivíduo.
comentários(0)comente



Tiago 09/11/2016

A Dualidade da Alma
A mais de cem anos cativando leitores pelo mundo, O estranho caso do dr. Jekyll e sr. Hyde (mais conhecido como O Médico e o Monstro) acompanhamos o advogado Utterson, que fica sabendo por meio de um parente distante, Sr. Enfield, sobre um indivíduo singular: Numa madrugada, Enfield voltando para casa se depara com uma figura grotesca e sinistra pisoteando uma garotinha. Este indivíduo se chama Sr. Hyde. Utterson conhece o nome pelo Dr. Jekyll, que coloca Hyde como o seu herdeiro em caso de algum mal lhe acontecer. Utterson desconfia que Jekyll esteja sendo chantageado por Hyde, e assim se desenrola a trama.

Junto com Drácula(1897), de Bran Stoker e Frankenstein(1818), de Mary Shelley, O Médico e o Monstro(1886) forma a trindade do horror/terror clássico. A influência desse livro é gigante. Desde livros, musicas, filmes até peças de teatro baseados na obra.
Sem dúvida um dos livros que eu mais queria ler. O Médico e o Monstro atendeu as expectativas. Em parte. A trama é muito bem elabora. O clima de horror/terror é devidamente bem construído. O livro vai bem a fundo na questão do bem e mal. Se somos duas almas (bem e mal) habitando um único corpo. Contudo, acredito eu que seria melhor apreciado se eu não tivesse tido nenhum contado com a história (principalmente em filmes). Nisso se perde um pouco do mistério. Mas nada que atrapalhe o desenrolar da trama.

Um ponto que eu achei muito interessante são os personagens tentando descrever Hyde. Todos concordam que ele tem alguma deformidade, mas ninguém consegue descrever o que, pelo menos nos primeiros capítulos do livro:

“ Não é fácil de descrever. Há algo de errado com suas feições; alguma coisa desagradável, na verdade detestável. Nunca vi um homem com quem eu tivesse antipatizado tanto, e apesar disso nem sei por quê. Ele deve ter algum defeito, dá uma forte impressão de possuir alguma deformidade, conquanto eu não saiba onde. Tem um aspecto incomum, mas nem por isso consigo dizer o que está fora do lugar[...]”

Isso dá maior mistério sobre quem ou o que é Hyde. Deixando você cada vez mais intrigado por essa figura. Um ótimo livro que é mais do que recomendado.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Camila Peixoto 01/11/2016

O médico e o monstro
O médico e o monstro é um livro publicado em 1886, escrito por Robert Louis Stevenson, um escocês, cuja história é sobre Dr. Jekyll, um renomado médico em Londres, homem de posses, que conciliava o trabalho com experimentos científicos e que através deles busca realizar um desejo secreto.

Primeiro, preciso abrir meu coração e fazer duas considerações:
A primeira delas é Lojas Americanas, amo vocês!
comentários(0)comente



Joca 27/10/2016

Não às sinopses!
Nunca uma sinopse estragou tanto minha leitura. Sou a favor de que as sinopses façam as mais rasas descrições possíveis - gente, o livro está lá pra você ler! Quando se lê que se trata de uma investigação de assassinatos, e que o livro trata da dualidade do comportamento humano, o que se pode esperar da obra? Simples: o assassino e o personagem que você menos espera são a mesma pessoa! Isso é óbvio! Foi assim que uma leitura que poderia ser surpreendente se transformou numa monótona previsão de enredo. "O Médico e o Monstro" dispensa comentários, mas, ao meu ver, o resumo da história deu dicas demais sobre um possível final. Ainda mais para quem já viu filmes como "Ilha do Medo", "Uma Mente Brilhante", "Passageiros" e tantos outros de finais inesperados.
Enfim, fica aqui uma campanha: diga não às sinopses que estragam as boas leituras! Aff, que raiva!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jersianny Lucena 29/09/2016

:)
Sabe aquelas histórias que te prende e que você precisa saber urgente o que acontece no final, pois bem. Este é um desses livros que devorei pra saber o que iria acontecer com Mr Hyde! O livro é do ano de 1886, super antigo e muito bem escrito!

OSB: Não leiam a sinopse antes do livro, nem algumas resenhas por ai, pois a maioria vão dar spoiles! Tenho certeza disso! rsrsr
comentários(0)comente



Dani 07/09/2016

Resenha: O Médico e o Monstro (e outras histórias), Robert Louis Stevenson
A estória de O Médico e o Monstro é uma dos trabalhos mais famosos do autor, o tema inspirando inúmeras obras. Eu estava curiosa para conferir e me envolvi completamente!
O protagonista é, na verdade, o advogado Mr. Utterson, que um dia sabe, por um amigo, do estranho Edward Hyde, que parece ser o mal em pessoa, provocando grande desconforto inesquecível em quem o conhece.
Surpreende-no saber que Hyde, uma pessoa tão selvagem, é estimado por seu amigo, o amigável e bondoso Dr. Jekyll. Ele tem até um testamento peculiar nas mãos do advogado, onde o principal herdeiro é Hyde.
Este conto me prendeu e me instigou muito, não sentia vontade de pausar a leitura para nada, é realmente intrigante. Também, assustador como o autor joga com o lado bom e lado mal que cada um de nós possui.
Acabou de uma forma súbita, de certa forma, esta estória, mas nada que me deixasse insatisfeita. Apenas é intrigante demais para se desapegar, sabe? HAHA
Bom, essa versão que li, online, traz mais outros dois contos: Olalla e O Tesouro de Franchard. Como gostei muito de O Médico e o Monstro, aceitei de bom grado essa "surpresa" e me pus a ler. Só que, infelizmente, não me agradaram tanto estes dois contos.
O primeiro, Olalla, trouxe uma narrativa extremamente descritiva e cansativa. Eu lia, lia e lia, e não conseguia me prender à estória. Era sobre um general que é recomendado, por seu médico, a descansar na casa de uma certa família, no interior. Lá ocorrem incidentes inusitados, e há um quadro no quarto do hóspede que o intriga muito. Na verdade, eu não sei o que pensar desse conto, não sei exatamente como classificá-lo.
Pensei que iria seguir uma linha sobrenatural, mas não houve nada concreto no fim. Houve tanto mistério para não haver uma grande revelação (e eu só aceito isso nas obras do Junji Ito!). Só um conjunto de personagens esquisitos e um romance (se é que posso chamar assim) mais difícil ainda de engolir.
O terceiro conto, O Tesouro de Franchard, mostrou que, realmente, não haveria, neste livro, outra leitura como a primeira estória. Esta traz como protagonista um doutor que fica intrigado por um garotinho trabalhador. A narrativa não é enfadonha como o conto anterior, mas também não chega a ser interessante.
O personagem é chato com vontade mesmo, e demora bastante para o enredo de verdade aparecer, o tal tesouro. Não foi uma estória que eu amei, mas tenho de admitir que o desfecho trouxe umas ótimas reflexões, então não é uma perda de tempo.
Enfim, eu acho que me decepcionei mesmo com estas outras estórias porque pensava que seriam todas com a mesma essência. Isso atrapalhou bastante e, se fossem livros independentes, não indicaria os outros dois.

site: http://cookiescreamandmint.blogspot.com.br/2016/09/resenha-o-medico-e-o-monstro-e-outras.html
comentários(0)comente



Dias 05/09/2016

JÁ LI
Meu contato com "O Médico e o Monstro" veio através de uma coletânea de livros de terror, que contém também Drácula e Frankenstein (foto ao lado). De longe, a estória de Stevenson foi a minha preferida, mesmo reconhecendo o valor dos outros clássicos do terror.
Robert Luis Stevenson nasceu em Edimburgo e também era poeta. Costumava também manter diários bastante detalhados sobre suas viagens. Morreu aos 44 anos enquanto tomava uma taça de vinho, e ninguém na época soube explicar a causa da morte repentina.
O título original deste livro é "O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde". Conta a estória de um advogado londrino chamado Gabriel John Utterson, que começa a investigar estranhos acontecimentos e comportamentos de um amigo seu de longa data, o Dr. Henry Jekyll. Gabriel, então, começa a perceber que tais acontecimentos estão relacionados a uma figura misteriosa e um tanto "maléfica" de Edward Hyde.
Hyde começa a espalhar medo e pânico pela cidade, pois comete assassinatos a sangue frio, sem medo, inclusive, das testemunhas que assistem aos crimes. Em um determinado momento, Hyde mata um dos clientes de Gabriel e ele se sente obrigado a aprofundar ainda mais as investigações. Logo, a cada crime que Hyde comete, a polícia aciona Gabriel, pois sabem da determinação dele de ir até o fim neste caso. Neste meio tempo, Gabriel percebe que Jekyll começa a evitar suas visitas e sua companhia, culminando com a morte de um amigo em comum deles, o que deixa Gabriel ainda mais cismado.
Como o livro é de 1886, me darei o direito de falar abertamente sobre ele, sem medo de spoilers. Portanto, se você não quer saber mais detalhes sobre o livro, sugiro pular este parágrafo. Com o desenrolar da investigação, Gabriel descobre que Jekyll e Hyde são, na verdade, a mesma pessoa, e que seu amigo de longa data está passando por problemas de distúrbio de personalidade. Em uma carta deixada posteriormente, Jekyll/Hyde explica que, a partir de uma experiência química mal sucedida, ele é capaz de transitar entre as duas personalidades, e confessa que, em breve, a parte má - Hyde - acabaria vencendo a parte boa - Jekyll. O final da estória não vou contar, mas foi surpreendente, na minha opinião.

Stevenson sempre foi fascinado por escrever e refletir sobre o fato de que, em uma mesma pessoa, possam existir forças contrárias e opostas, como o bem e o mal, a saúde e a loucura. Antes de escrever "O Médico e o Monstro", ele ensaiou abordar este tema em peças de teatro e romances menores, sem ficar satisfeito com o resultado final de ambos. Até que um dia, em um sonho, ele teve a inspiração de três cenas centrais deste livro, e foi quando soube que tinha encontrado a estória certa.
Embora seja categorizado como terror, acho que este livro é mais um terror psicológico do que qualquer outra coisa. No começo, o clima de suspense e violência é marcante e as investigações de Gabriel deixam a narrativa com jeitão de Sherlock Holmes, o que diminuiu o efeito assustador, na minha opinião. Posteriormente, quando as pistas começam a levar a Jekyll, começa uma atmosfera mais sombria, onde o leitor sente que está muito próximo de encontrar as respostas - assim como Gabriel - mas ainda não consegue alcançar exatamente o que está acontecendo. Perto do fim, quando as transições de Jekyll e Hyde ficam mais claras, aí sim se estabelece o clima de terror psicológico.
Gosto muito do tema de dualidade que é abordado no livro. Também gosto do tom mais pessimista da obra, sugerindo que o lado "mal" é mais forte do que o lado "do bem". A questão da dualidade no ser humano é abordada até hoje, de diversas formas e em vários níveis, e acho que Stevenson é um dos autores que soube tratar deste tema de um jeito muito interessante e crítico. Recomendo muito a leitura deste clássico.

site: http://perplexidadesilencio.blogspot.com.br/2016/04/desafio-livros-pelo-mundo-escocia-o.html
comentários(0)comente



186 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |