Talvez você deva conversar com alguém

Talvez você deva conversar com alguém Lori Gottlieb




Resenhas - Talvez Você Deva Conversar com Alguém


22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Giovana 24/10/2020

No início fiquei com medo de ser um livro de autoajuda. Não é o caso. Trata-se de um livro sobre terapia, o processo terapêutico e seus significados.

Os casos que o ilustram são muito bonitos, a relação entre psicólogo e paciente é posta de uma maneira muito verdadeira.
comentários(0)comente



Camilla.Barros 13/10/2020

Demorei mais do que o normal para terminar esse livro, mas por boa causa. É uma jornada intensa de autoconhecimento e reflexão.

A autora é terapeuta e compartilha conosco a vida de alguns pacientes e seus processos de evolução e aceitação. As dores da perda, da morte, dos arrependimentos... O amor, a amizade, o perdão.... Em resumo, tudo que nos torna humanos.

Em contrapartida, a própria autora inicia uma terapia (Dr. Wendell ?)e podemos notar também tudo que ela aprende e entende apenas depois desse processo, estando do outro lado.

Amei!
comentários(0)comente



Palomas 13/10/2020

A vida de todos nós
A humanidade no relato de Lori nos faz sentir acolhidos, questões dos pacientes e sua própria experiência.

Ao longo da leitura me identifiquei em vários momentos, diversos questionamentos, dei risadas e me. emocionei.
Acho difícil alguem passar ileso a essa leitura
A escrita é muito fluída e eu recomendo fortemente.
comentários(0)comente



Sarah 11/10/2020

Excelente leitura. O livro nos traz uma perspectiva única sobre questões que enfrentamos dia a dia. A autora consegue fazer uma abordagem precisa e confortante. Aprendi muitas coisas com ele, principalmente a me olhar com mais carinho. Não é um livro clássico de auto ajuda: a autora apenas conta sua história, explicando estudos de psicólogos famosos e explorando as emoções de seus pacientes que são os personagens principais, o que acaba fazendo com que você se identifique com os sentimentos que ela estava descrevendo e passe a confronta-los. Além disso, ela mostra uma visão que não tinha dos terapeutas e que, para ser sincera, nunca havia parado para pensar: o carinho com os pacientes.
Me emocionei, aprendi, refleti... Amei!
comentários(0)comente



Daff 07/10/2020

Livro muito real e humano
Lori conta alguns casos de seus pacientes - um detalhe importante é que ela muda os nomes e tem o consentimento deles. São histórias difíceis de ler, acompanhamos o amadurecimento de pessoas reais e como é complicado a vida de cada um. A melhor forma da gente simpatizar com a dor alheia é tentando se colocar no lugar da pessoa, e essa proposta dada pela autora funciona bem.😊

🗨️Destaque: o quão humano e palpável é o livro. Mexeu tanto comigo, reconhecer em algumas dores, ler maneiras de se amar e perdoar. Lori explica algumas técnicas usadas pelos psicólogos par compreender melhor os sentimentos dos pacientes E são ensinamentos que levo para meu dia a dia.😍

Resenha completa em:

site: https://www.instagram.com/p/CFxRn5lDc35/
comentários(0)comente



Renata 07/10/2020

Se você leu o título e está achando que se trata de um livro de autoajuda você está enganado/a. Neste livro, Lori Gottlieb, uma terapeuta norte-americana mescla histórias de seus pacientes com a sua própria história quando decide iniciar a terapia após uma situação que a desestabiliza.
Sempre achei que a profissão de psicóloga fosse algo muito legal (eu mesma queria ter feito psicologia, em um momento da vida), e lendo esse livro ficou ainda mais evidente a beleza dessa profissão. Mas mais do que isso, fica evidente a beleza e a complexidade que é o ser humano.
A autora compartilha dilemas internos seus e das pessoas que ela atende na terapia e que poderiam (e certamente são) dilemas de cada um e de todos nós. Ou seja, não estamos sozinhos naquilo que sentimos e nos nossos conflitos internos.
Recomendo MUITO a leitura! Amei!
comentários(0)comente



Gomes 06/10/2020

Novo favorito
Eu demorei cerca de 10 dias para ler este livro, o que para mim e bastante tempo tendo em consideração que normalmente leio um livro em 3 dias.
Não não consegui fazer isso com este livro porque eram muitas coisas para refletir pensar e absorver.
Gostei de todas as personagens pois são pessoas da vida real com problemas e inseguranças reais.
E tenho a certeza que lerei de novo este livro, um dia.
As vezes só precisamos de falar com alguém, desabafar
comentários(0)comente



Gi 30/09/2020

As batalhas internas de pessoas comuns
Lori Gottlieb acertou no tom ao escrever uma narrativa em que a "autoajuda" fica nas entrelinhas. Quero dizer. É um livro sobre conversas que acontecem dentro e fora da terapia, e evidentemente não tem como desviar dos conselhos ou lições sobre os acontecimentos cotidianos. Mas não é empurrado um papo superotimista ou autoindulgente goela abaixo. Senti a identificação bater suavemente, a empatia emerge a partir da imersão do leitor, quase como uma leitura ativa, e dá pra aprender muita coisa sobre as guerras dos outros, sobre as batalhas que nós mesmos travamos, e, bom, sobre o que esperar de bons terapeutas. Dessa mistura natural de não-ficção com capítulos bem escritos e alinhavados surge uma história (com diversas histórias dentro) muito gostosa de ler.
comentários(0)comente



Ana Paula 29/09/2020

?De todas as minhas credenciais como terapeuta, a mais significativa é eu ser membro de carteirinha da raça humana?.
Para mim, a humanidade da autora e de seus pacientes foi o que tornou esse livro uma delícia de se ler. É comum nos sentirmos sozinhos, incompetentes e incapazes frente a um conflito interno (estou generalizando, mas quem se sente assim sou eu), e acompanhar a história de outras pessoas em suas lutas e da própria autora que mesmo sendo uma super profissional foi incapaz de lidar com um término de relacionamento me ajudou a me sentir mais próxima dos outros e mais humana.
Me emocionei ao acompanhar ao longo das páginas a narrativa dos quatro pacientes sobre os quais ela escreveu e da própria Lori que contou a respeito da sua busca de sentido e da guinada que resolveu dar em sua vida. Formada em jornalismo, trabalhou durante alguns anos como assistente de roteirista em Hollywood, e dentro da série ?Plantão Médico? intuiu que criar estórias não era suficiente, então aos 27 anos resolveu estudar medicina. Alguns anos depois precisou trancar o curso, e um dia conversando com sua orientadora da época, esta sugeriu que cursasse psicologia.
Cada capítulo trata fundamentalmente das sessões de terapia de cada um dessas quatro pessoas e também das sessões da autora com o seu psicólogo, e ao longo de cada página você acompanha as dores, as lutas e o amadurecimento de cada um deles, e a trajetória é muito, muito bonita.
Uma das pacientes de Lori tem câncer terminal, e ela busca a terapia para aprender a morrer. Outro paciente é agressivo, tem dificuldade para conviver com outras pessoas, mas ele percebe que na verdade essa agressividade esconde uma dor tremenda, e também há uma paciente que luta contra a solidão e a falta de sentido em sua vida, e uma outra que não admite ter problemas com bebida, além é claro da história da própria Lori Gottlieb.
Eu vi a indicação de ?Talvez você deva falar com alguém? no instagram do Bookster, em virtude do setembro amarelo e da busca por saúde mental e emocional. Não consegui sossegar até terminar, ou seja, do dia 23 a 28/09, e posso dizer que após sua leitura eu me senti mais gente, mais compreendida e até mais feliz.
comentários(0)comente



Book.ster por Pedro Pacifico 25/09/2020

Talvez você deva conversar com alguém, de Lori Gottlieb - Nota 10/10
Se você leu o título do livro e achou que essa é mais uma obra que segue aquela antiga fórmula de autoajuda, com diversos exemplos e repetidas frases de efeito, você está totalmente enganado.

A psicoterapeuta norte-americana conseguiu criar um fenômeno de vendas ao trazer para o leitor a sua experiência real com conflitos e angústias universais do ser humano, tanto do ponto de vista do psicoterapeuta, como daquele que senta do outro lado do divã, o paciente. Como a própria autora confessa, “de todas as minhas credenciais como terapeuta, a mais significativa é eu ser membro de carteirinha da raça humana”.

Talvez uma das características que mais conseguem aproximar o leitor da narrativa é a humanidade no relato de Lori. A autora nos conta a história de quatro pacientes, com diferentes questões que os afligem, e a sua própria experiência diante de cenários de vulnerabilidade e desamparo. Ao longo da leitura, me identifiquei com diversas passagens e questionamentos abordados pela autora e, sem qualquer dúvida, acho difícil algum leitor passar imune a essa identificação.

É legal dizer que, apesar de eu fazer análise há algum tempo, sei que o trabalho de Lori também pode ajudar muito a desmistificar velhas ideias sobre a terapia, que, ainda hoje, é vista como um tabu por muitas pessoas. Esse livro pode ser um bom início de um processo de autoconhecimento, em que a autora não busca trazer respostas para nossos problemas, mas sim despertar a nossa reflexão sobre as situações que vivemos. Como eu sempre falo, enxergar diferentes problemáticas a partir da perspectiva do outro passa, necessariamente, por uma autoanálise - ainda que não proposital.

A escrita também é muito convidativa, com referências acessíveis a teorias e a grandes nomes da Psicologia, permitindo uma leitura agradável, mas que não dá a sensação de ser uma abordagem superficial. Para o que a obra propõe, a minha experiência merece nota máxima.

site: http://instagram.com/book.ster
Frau Sampaio 04/10/2020minha estante
Esse livro é maravilhoso! Sim, fui influenciada por você. ?


Rafaella 06/10/2020minha estante
Já coloquei na minha lista infinita, super influenciada!! Hahahaha


Letícia Matias 25/10/2020minha estante
Escolhi por causa do seu post! Amando a leitura, obrigada!!!




SteFranconere 19/09/2020

Terapia! Prazer, Stefane.
Totalmente fora do meu padrão de leitura e sobre um tema que nunca me cativou. Não consegui largar o livro. Sei que apenas uma leitura como essa não é capaz de mudar muita coisa, mas já não enxergo a terapia como um tabu e nem descarto a possibilidade de ingressar em uma. A Lori soube desmistificar muita coisa pra mim. Inesperado e muito bem absorvido.
comentários(0)comente



Bidu 01/09/2020

Recomendo e muito o livro. Para quem faz ou já fez terapia, é uma continuação das sessões, se assim o leitor permitir. Podemos sempre tirar algum aprendizado com as histórias contadas e vemos o possível desfecho para o caso concreto. Com o objetivo sempre, de melhorar a qualidade de vida.
comentários(0)comente



Pipoca Nerd 28/08/2020

Resenha: Talvez você deva conversar com alguém – Lori Gottlieb
Salve salve, pipoqueiros!

Hoje vamos falar sobre um livro que acabou me surpreendendo positivamente. A Editora Autêntica entrou em contato com os parceiros para mostrar o mais recente lançamento do selo da Editora Vestígio. Talvez você deva conversar com alguém é um livro de não ficção da terapeuta e escritora Lori Gottlieb. Ele está catalogado como Biografia, desenvolvimento social e relacionamento paciente – terapeuta.

Após o término repentino do namoro de dois anos da autora, ela é amparada pela melhor amiga que a sugere a procurar alguém para conversar. Embora o choque tenha sido enorme e que ela saiba que já está na hora de virar a página, ela encara a ideia de frequentar um terapeuta.

Devo acrescentar que a autora também exerce a função de terapeuta, ou seja, aqui nós assistimos os dois lados da moeda – a paciente e a profissional. É a partir desse acontecimento que vamos acompanhar o dia a dia de Lori. Os capítulos são específicos para um determinado tema: Os pacientes de Lori, o terapeuta dela, a vida como mãe, a vida antes e depois da faculdade de medicina e os sentimentos conflitantes que ela ainda tem pelo Namorado.

Lori tem uma vida digna de filme de Hollywood, literalmente. Ela trabalhou por um bom tempo na área televisiva, sendo assistente de um figurão super renomado, até ser promovida e tendo seu nome lá no topo. Mas algo a estava deixando deslocada das suas funções, ela ainda procurava algum propósito … E foi que ela se achou no campo da psicologia.

Esse livro é repleto de memórias e experiências vividas pela terapeuta. Eu tinha colocado na minha cabeça que seria um livro sobre casos de pacientes e saber como um profissional da saúde mental avalia toda a situação. Mas levei um baita de um tapa na cara. É muito mais do eu isso. Por mais que Lori seja uma autoridade formada nesse ramo, podemos ver uma pessoa com problemas reais e que precisa externar isso para alguém. Ninguém é totalmente blindados de seus pensamentos.

Como eu disse lá em cima, Lori vai narrar sua vida profissional até chegar no atual momento – de Hollywood até o consultório onde ela trabalha, vai contar como é sua relação com o filho, os embates com seus próprios pacientes – vitórias e derrotas e ainda lidar com esse turbilhão de sentimentos que a tormenta.

É um livro muito interessante e fácil de se entender. A autora explica todos termos que são usados na linguagem médica e ajuda a gente a compreender tal situação que seus pacientes estão lidando. Lori me abriu os olhos para um mundo que até então era desconhecido, já que eu nunca estive em um consultório como paciente.

Até a próxima.

site: https://pipocanerd.com/resenha-talvez-voce-deva-conversar-com-alguem-lori-gottlieb/
comentários(0)comente



Milena @albumdeleitura 23/08/2020

Talvez você deva conversar com alguém
Lori Gottlieb já se aventurou trabalhando nas mais diversas áreas, mas não conseguia encontrar em nenhuma delas o que realmente buscava: ajudar o próximo de maneira íntima, intensa e constante. Foi só depois dos 30, quando arriscou cursar Psicologia, que encontrou, finalmente, sua vocação.

Habituada a ouvir, ajudar e aconselhar seus pacientes, como todo terapeuta, de repente é Lori que se vê precisando de um. O motivo? O término do relacionamento de dois anos com o namorado, cuja justificativa foi não conseguir viver debaixo do mesmo teto que seu filho de 8 anos. Inconformada e sem saber como lidar com a situação, ela aceita a sugestão de uma amiga e procura por ajuda profissional. E é durante sua terapia que ela percebe que tem mais em comum com seus próprios pacientes do que poderia imaginar.

"De todas as minhas credenciais como terapeuta, a mais significativa é eu ser membro de carteirinha da raça humana."

Com uma narrativa híbrida, que mescla os dois lados do divã, "Talvez você deva conversar com alguém" aborda os mais diversos assuntos e fala sobre a humanidade dentro de cada um de nós, afinal, todos temos nossos próprios medos, inseguranças, alegrias, tristezas e travamos constantemente batalhas internas.

"Não há hierarquia de dor. O sofrimento não deve ser classificado, porque a dor não é uma competição."

Um fator muito positivo é que ao contrário do que possa parecer, o livro não tem uma linguagem técnica. É uma espécie de diário com os relatos de uma terapeuta que assume sua vulnerabilidade sem pensar em julgamentos e que aceita que nem sempre conseguimos lidar com os problemas sozinhos. Se isso acontecer algum dia com você, não hesite. Talvez você (também) deva conversar com alguém.

Mais que um livro sobre auto-ajuda ou terapia, esse best-seller é uma obra sem contraindicações; uma narrativa profundamente humana, intensa e sensível, que todos deveriam ler, pois tem muito a nos agregar.

"A maioria das grandes transformações resulta de centenas de pequenos passos, quase imperceptíveis, que damos ao longo do caminho."

site: https://www.instagram.com/p/CEQLaQ7jJEF/
comentários(0)comente



Ju Furtado 22/08/2020

Leiam!
Um livro especial, pra ser relido.
É de uma sensibilidade ímpar, senti uma aproximação muito grande das personagens, muitas delas entrelaçando sentimentos ao que eu sentia. Recomendo para quem precisa encarar sua própria humanidade!
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2