Quincas Borba

Quincas Borba Machado de Assis
Machado de Assis




Resenhas - Quincas Borba


244 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


18/01/2011

Percorrendo o caminho da loucura
Da ganância à loucura. Será q Rubião tinha em Barbacena, uma vida mais vazia do que no Rio?? Não creio.

Lenta e gradativamente Assis narra o como o pobre e ingênuo Rubião perde a sanidade, e ganha uma bela "crise mental".

Nessa trajetória, Assis não nos poupa de críticas contra a sociedade hipócrita, medíocre, cheia de vaidade, vazia de valores.

Impossível simpatizar com quaisquer personagem. Talvez, um pouco, com D.Fernanda. A única que demonstrou o mínimo de compaixão.

E Quincas Borba, tanto o homem, quanto o pulguento, tinham seu carisma. Sobretudo o pulguento, amigo incondicional, deixado pra escanteio na maior parte do tempo. Tadinho!

Há frases memoráveis no livro. No entanto, deve ser degustado lenta e pacientemente. Rebuscado, inteligente, e em alguns momentos massante.

Machado de Assis, em sua fase realista, é sempre recomendado.
Fogui 18/01/2011minha estante
Nossa!!! Tô chocada, vc terminou!!! Ontem, faltava uma vida pra terminar, o que aconteceu? Deu um upgrade da leitura e acabou? Má, apesar de suas colocações extremamentes interessantes, não há possibilidades, ok? Eu e Machado temos nossos dilemas pra resolver, enquanto isso só algumas obras do dito cujo posso ler, é assim: amor e ódio!!!


Labrador 20/06/2015minha estante
Excelente livro. Recomendadíssimo.


Roberta.Samonte 23/04/2019minha estante
Gostei bastante da sua crítica, também achei o livro massante em alguns pontos. Para mim o pior de todos foi o Palha. Peguei ranço dele.




Rebecca com dois cês 12/02/2020

Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas
O romance Quincas Borba, de Machado de Assis, traz em seu desenvolvimento, ao meu ver, uma crítica e aprendizado às sabotagens de considerados amigos perante a ingenuidade da vítima, portadora de determinado privilégio, o qual a primeira pessoa mencionada não possui.


Convém ressaltar, a princípio, a resumida sinopse da obra: Quincas Borba, após a morte de Brás Cubas (protagonista do livro "Memórias Póstumas de Brás Cubas", do mesmo autor), passa a viver próximo a seu humilde amigo Rubião. Quando (relaxa, não é spoiler) Quincas Borba morre, deixa seu cachorro - chamando Quincas Borba também - aos cuidados de Rubião, como também sua, hiperbolicamente, imensurável herança financeira.


Uma parte tocante do livro, em minha concepção, foi a filosofia de vida proposta por Quincas Borba: Humanitas.


A respectiva filosofia tem como contexto o pensamento: "Há duas tribos e uma plantação de batatas suficiente para apenas uma delas. Se forem dividir, metade das duas morrerá. Cabendo ao chefe da tribo o dever de protegê-la, ele tentará conseguir as batatas para a sua própria. Entretanto, enquanto uma, após vencida a batalha, alimenta-se, a outra parece. A paz, nesse caso, é a destruição; a guerra é a conservação. Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas".


Qual a reflexão presente em tal pensamento?


Vejamos: O ser humano é, naturalmente, egoísta, isto é, pensa, antes do próximo, em si mesmo. É justamente esse o contexto inserido no destino de Rubião. Que contexto é esse? Leia o livro, hahah.


Uma belíssima obra, na qual me diverti bastante, tornando a leitura um prazer inefável.


Não entendeu a interseção entre o primeiro parágrafo e o sexto? Novamente, leia o livro :).


O Bruxo do Cosme Velho sabe como fazer uma reflexão crítica à sociedade realista.
comentários(0)comente



Sara 01/07/2020

Quase não consigo superar o meio do livro, pois é bem maçante, mas o início e o final compensam
comentários(0)comente



Soliguetti 29/08/2020

Mais um livro perfeito
Minha paixão por Machado de Assis aumenta a cada livro que leio dele. Não só a elegância na escrita, que é ímpar, chama a atenção, mas também a ironia e desfechos que são um soco no estômago do leitor - mesmo que desferidos com luvas de pelica. "Quincas Borba" é mais uma obra prima, como o é, aliás, tudo aquilo que Machado de Assis escreveu - pelo menos até onde eu li. Sem dúvidas é meu autor favorito, e o maior da língua portuguesa (se não do mundo).
comentários(0)comente



gabo 11/06/2020

Ao vencedor as batatas
Comecei lendo Quincas Borba, por conta de ser uma das leituras obrigatórias da FUVEST. Sendo meu primeiro livro da lista, ainda sim suponho que vai ser meu favorito. Além disso, se tornou um dos meus livros favoritos da vida. Machado de Assis, um autor brasileiro de deixar sem palavras quanto a sua descrição, como consegue deixar a leitura cada vez mais interessante, com suas falas as vezes diretamente para o leitor, e também seus personagens que cada vez mais me instigou a entender sobre. O livro, conta a história de Rubião, '' enfermeiro '' de Quincas em seus últimos suspiros ( juro que não é spoiler) conta a história de seu Querido amigo, e testemunha de suas filosofias, enfrentando coisas que não imaginaria um dia.
comentários(0)comente



Cordeiro 03/07/2013

Ao vencedor, as batatas!
O livro dispensa apresentação! Na minha opinião é o melhor livro do Machado de Assis. E não, não estou louco! O surpreendente dessa narrativa é como o autor adentra e demonstra o comportamento humano. Quincas Borba é a realidade humana pura e crua. Passa imperceptível no decorrer da leitura a ganância de uma sociedade medíocre, a exploração, a ironia e tudo isso que acontece no mundo. Todavia, ao final do livro, no fim trágico eu diria, depois de uma segunda leitura, compreende-se como o ser humano é volátil na sociedade. Certo dia ele é aclamado, procurado (porque tem dinheiro). Em outro ele é desprezado, tratado como louco, doente, etc. Tudo o que vem fácil vai fácil. Você só tem amigos quando você tem algo a oferecê-los. Isso fica bem claro nessa esplendida obra.

Porém, certamente, é fato que a primeira leitura dessa obra é repudiante, cansativa, truncada, sem graça. Típico dos textos machadianos, há uma difícil interpretação das cenas. Enfim, para leitores novos é um livro chato. Contudo, o importante dessa obra é a questão filosófica. Sim, é uma obra puramente filosófica. E isso é encantável! Sendo esta uma obra "interligada" com Memórias Póstumas de Brás Cubas, é recomendável que se leia primeiro esta última para se obter uma compreensão maior dos personagens. Há, de toda forma, partes divertidíssimas. Como Quincas Borba ter um cachorro chamado Quincas Borba. "Quincas Borba sorriu para Quincas Borba" Risos. Enfim, será que o Humanitismo é uma filosofia válida? Seria ela aplicada na bagunça do mundo atual? (Essas questões eu as deixo para os universitários!)

Finalizando, recomendo para os meus colegas aclamadores da Literatura de Qualidade, que apreciem cada capítulo e enlouqueçam juntamente com Rubião. Etc.
comentários(0)comente



Glauciano 04/04/2020

Quincas Borbas, o cachorro e um tolo
O livro mostra claramente como o dinheiro pode atrair amizades interesseiras e como elas podem se aproveitar para levar essa riqueza. Na lei do humanitismo, Rubião é vencido. Por que Quincas Borbas? O homem e o cachorro. O Machado de Assis deixa novamente essa hipótese, o subentendido.
comentários(0)comente



Marivaldo 11/06/2020

Ótimo livro, se tratando de Machado de Assis, nem precisava dizer. O livro nós faz refletir sobre muitos aspectos do ser humano, assim como a ganância e o que um indivíduo pode fazer para conseguir o que quer, mesmo que para isso tenha que usar o outro sem remorsos.
comentários(0)comente



Elania 29/05/2020

Quincas
Quincas Borba
Machado de Assis
.
.

Caro leitor, vamos à resenha de um clássico de nossa literatura brasileira. É sempre assustador falar sobre obras tão estudadas...mas nos atemos aos fatos. .
Rubião, ex professor, está em sua casa em Botafogo - RJ. Nascido em Barbacena - MG, se recorda de como tudo aconteceu. Seu amigo, Quincas Borba, detentor de uma rica fortuna, sem família ou parentes, deixa nas mãos de Rubião toda sua herança com uma única condição: cuidar do seu fiel amigo Quincas Borba - o cachorro.
.
.
Já movido pela luxúria, ele se muda pra Botafogo onde conhece Cristiano Palha e sua esposa Sofia.
Conversa vai - conversa vem, Cristiano logo percebe em Rubião uma oportunidade, e movido por interesses pessoais vis e de natureza duvidosa se aproxima de Rubião. Este nutre um interesse romântico por Sofia, que nem diz que não, nem que sim, deixando Rubião à mercê de seus galanteios, sendo manipulado enquanto seu marido suga sua fortuna. .
.
Rubião é o típico cara que se acha espertalhão, mas não percebe que também está sendo vítima das mazelas do ser humano. Como diria Quincas você é um ignaro.
E é, Rubião é ingênuo e ignorante, não percebe que todos à sua volta só têm olhos pra sua fortuna. E por ser ignaro em diversos assuntos, logo vem à falência. Definha na miséria, na loucura, abandonado e sem fortuna.

#literaturabrasileira #machadodeassis #quincasborba #bibliotoc
Vivi 04/06/2020minha estante
Muito boa sua resenha


Elania 05/06/2020minha estante
Obrigada!




Raquel Lima 25/01/2010

Talvez o livro mais fraco que li do Machado, mas a culpa é do Rubião, que pessoa sem graça! Machado está perdoado, no livro encontramos todos os traços psicológicos de seus romances.
comentários(0)comente



Tina 09/08/2020

não posso dizer que é incrível, mas é um livro bom p conhecer uns personagens diferentes (e doidos haha). valeu a pena
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Monique 14/07/2020

Quincas Borba
É uma história triste e pesada.
Acho que é um período que os escritores da literatura estavam meio deprimidos, pois os finais costumam ser densos - ou o problema está em mim que tenho o psicologico fraco.

Quincas Borba, a princípio, é o personagem que a gente conhece em Memórias Postumas de Brás Cubas, mas também é o seu cachorro e bom companheiro, aquele por quem a pessoa tem muita estima e consideração.
Infelizmente, ele não dura muito e tudo passa para as mãos de Rubião, uma pessoa meio ingenua do interior e amigo de longa data. E a história se centraliza no que acontece a partir dai tanto com a herança deixada, quanto no destino dos personagens principais.

Acho que Machado de Assis estava influenciado por Gogol neste livro, só acho.

Quincas Borba, o cachorro, é o único personagem que realmente me interessa durante todo o narrar da novela, pois torço pelo seu bem-estar - o que nem sempre acontece e isso fragiliza meu psicologico.

Apesar de tudo, Rubião tem certa estima por ele e os dois permanecem juntos como companheiros.

Enfim, é uma história que ficou marcada para mim tanto pela influência que Gogol pode ter tido em Machado de Assis quanto por Quincas Borba - o cachorro.
comentários(0)comente



Let 27/08/2020

É um livro clássico de Machado de Assis que exige muito do leitor. É preciso atenção e concentração para poder captar os implícitos que o narrador deixa na história, detalhes essenciais para um pleno entendimento da obra.
comentários(0)comente



Icaro 23/06/2020

A loucura aos modos machadianos
Clássico romance realista de Machado de Assis, Quincas Borba faz jus ao seu status de grande obra de arte da literatura brasileira.
Machado envolve o leitor nos mais profundos recônditos da mente de seus personagens. Um clássico realista machadiano certamente não pode ser isento das ácidas críticas às classes abastadas do oitocentos com suas luxúrias, narcisismos e indiferenças.
Rubião (cujo nome remete à uma espécie de café) é um retrato do Brasil, um personagem interiorano que se maravilha com as belezas da corte. Um alpinista social levado pelos seus sonhos e pela sua imaginação cujo caminho o conduz ao abismo de sua loucura.
Um romance grandioso, se for entrar em seus detalhes e especificidades ficaria aqui uma eternidade.
E a vida no Rio de Janeiro segue, os capitalistas continuam a almejar a ascensão social, os políticos seus cargos e os que ficam para trás assistem de fora o espetáculo. Por fim, ao vencedor as batatas.
comentários(0)comente



244 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |