A Mentalidade Anticapitalista

A Mentalidade Anticapitalista Ludwig Von Mises




Resenhas - A Mentalidade Anticapitalista


33 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Cristina.Costa 26/10/2020

Sensacional
Esse livro deveria ser obrigatória a leitura.
Para quem é contra o capitalismo ou não entende, sugestão indispensável de leitura.
comentários(0)comente



Guilherme.Augusto 22/10/2020

LUCIDEZ!
Precisamos falar sobre Mises nas escolas! rsrsrs
Parece até ironia, mas não é. De fato, precisamos sim argumentar o por que de Ludwig von Mises não ser citado nas escolas tupiniquins; quiçá em faculdades ou cursos técnicos. Nenhuma menção sequer, nada, zero. Bom, o motivo nós sabemos (uns fingem não saber).
Não só aqui, como em praticamente todo o ocidente, a mentalidade anticapitalista tomou proporções grandiosas, dominantes. Está enraizada na nova cultura, nos ensinamentos, no próprio mercado (temos aí um paradoxo), na grande mídia e tutti quanti. Nossos intelectuais, por bel prazer e uma tara sem precedentes, expõe tais pensamentos, ideais vis e baratos, moldando-os ao seu público, convencendo-os de que o "bicho papão" capitalista é o causador de todos os males, principalmente da injustiça social e da desigualdade.
São alucinados pelo socialismo, progressismo e comunismo, que (não por coincidência) são, nada menos, a mesma coisa. Insistem que estes "sistemas de governo" trazem a tão almejada igualdade, a tão cobiçada justiça social. Pura ilusão! Estamos carecas de saber que, a partir do momento que se tem um um governo intervencionista, autoritário, que fere a liberdade individual e literalmente dita as regras do que você pode ou não fazer, gera-se o colapso, tanto social quanto econômico. E é esse o ponto no qual o mestre Mises menciona e demonstra, de forma cristalina, tranquila e eficaz.

Nos traz à tona todos os males do esquerdismo, desde a cultura até a economia, com estudos e fatos, menções e experiência; um legítimo professor.

Apenas um adendo: foi através do capitalismo que a condição humano melhorou, como também foi através deste "malvadão" que se pôde pesquisar e fabricar remédios, vacinas e métodos eficazes em prol da saúde. Não obstante, aumentou-se as industriais, quantidade de emprego e, consequentemente a qualidade de vida. Criou-se oportunidades, chances de crescimento, de empreender. A liberdade individual é soberana, como também o livre comércio. Os princípios, os valores e a ética são elementares, visto que, norteiam os contratos sociais.
Dito isso eu pergunto: por que o capitalismo é tão odiado? (sabemos que essa questão é retórica).

Resumindo, aos que defendem o anticapitalismo: hipocrisia, ressentimento, rancor, retaliação, etc. Obsessão pelo centralismo, do domínio das massas, da regulação e estagnação da economia, do colapso social. Ou seja, a tão sonhada igualdade e justiça social é medida por baixo, pela pobreza de todos camuflada de bem comum.

LEIAM MISES!

Jamile.Almeida 22/10/2020minha estante
Esse mestre não podia ter morrido!


Guilherme.Augusto 25/10/2020minha estante
não msm!




Jamile.Almeida 06/09/2020

Sempre aprendendo com o grande professor
A cada livro dele, agrego certezas e noções sobre qual sistema economico e político me parece ideal, racional e lógico. Não estou dizendo que seria o perfeito, pois no meio da teoria à pratica, temos a AÇÃO HUMANA (sem trocadilhos com a principal obra do autor, que ainda não li).

O crescimento populacional e sua ascenção social e economica devem-se ao capitalismo. Nenhum outro sistema econômico conseguiria essa proeza com sucesso e de forma sustentável - melhor produtividade dos esforços humanos.

O capitalismo agrega valor as coisas e pessoas. VALOR, não necessariamente preço, moeda... mas também prestígio e UTILIDADE - trata cada um de acordo com a contribuição que este oferece ao bem estar de seu semelhante. Quem não contibui, não gera valor, simples e translúcido assim.
Cruel? Consigo ver situações em que isso me possa parecer cruel sim! Porém mais cruel é tirar do homem as suas conquistas derivadas do seu esforço próprio para outros, de forma coerciva e não voluntaria, que é o que o socialismo encapsula em pequenas e invisíveis doses e joga na populção diariamente.
Mises mostra como se desenvolve e psicologia envolvida em toda propaganda ressentimentalista contra o capitalismo liberal - no cinema, arte, literatura, política...

Mais um livro que poderia ser leitura escolar.
Guilherme.Augusto 07/09/2020minha estante
??????????????????


Jamile.Almeida 07/09/2020minha estante
??




Richard.Laia 04/09/2020

Mises apresenta qual é a visão anticapitalista presente na nossa sociedade hoje em dia. Além de mostrar quais são os motivos que fazem com que esse pensamento molde alunos, artistas e muitos membros da alta ou da média sociedade. Em determinados momentos ele é duro, extremamente individualista, o que me fez pensar o quanto o dinheiro representa o pensamento humano moderno. Ao mesmo tempo também me fez pensar o que uma visão totalitária pode ser capaz e como ela pode ser confrontada pela liberdade do capitalismo. Pois uma maior liberdade só pode ser conquistada através de um mercado aberto, que por mais que pareça ser cruel e injusto também propõe uma maior possibilidade de escolha da população, o que pode gerar melhores produtos e atendimento. Indico pra quem quer estudar mais sobre capitalismo e socialismo. Mas leia com a mente aberta e será de ótimo grado.
Tha 04/09/2020minha estante
Vc é tão inteligente


Richard.Laia 04/09/2020minha estante
Tô aprendendo com você


Tha 04/09/2020minha estante
Kkkkkkkkkk misericórdia




Johann 14/08/2020

A mentalidade anticapitalista
Um livro espetacular, a precisão de Mises ao descreve os fenômenos psicológicos "anticapitalista" é surreal. Um livro muito atual, mesmo sendo escrito no século passado
comentários(0)comente



Matheus.Lopes 04/08/2020

Foi uma leitura interessante, eu discordo de grande parte do que ele falou mas mesmo assim é bom procurar entender o posicionamento do "outro lado". A obra dele peca principalmente no exagero, generalização e não perceber nenhuma falha no sistema capitalista liberal pois todos os erros senpre conseguem ser passados para o outro lado quando a culpa é do próprio sistema, sem contar a defesa da falsa meritocracia.
anita 04/08/2020minha estante
duas estrelas e muito!!!!!




Letícia Hoinaski 09/07/2020

Leitura inicial para compreender a sociedade
Capitalismo: sistema baseado na legitimidade dos bens privados e na irrestrita liberdade econômica e social, com o principal objetivo de defender propriedade, vida e liberdade de busca da felicidade a absolutamente todos, em qualquer época.
Mises tentará embasar neste livro, sobretudo de filosofia a economia, o porquê das pessoas acharem nisto algum tipo de ilegitimidade. Qual a mentalidade daqueles que condenam o capitalismo e o que explicam os “estereótipos” das variantes socialistas e democratas.
Atualmente, o livro parece estar desatualizado, pois trata muito especificamente da sociedade americana do século passado. Mesmo assim, é interessante compreender a trajetória do “significado das palavras” e do comportamento social.
null 22/07/2020minha estante
Oi... Sou nova no aplicativo, onde Clico para abrir as páginas?




Rosi 14/06/2020

Fascinante!
Um livro escrito a anos atrás, mas tão atual, que retrata os problemas de forma simples e de fácil entendimento. Eu sempre tiro o chapéu para as obras de Mises e com essa não foi diferente.
comentários(0)comente



Brasil Vermelho 03/05/2020

Você é e continue sendo
Livro pra quem já é capitalista. Vai endorsar a visão capitalista e justifica-la. Este livro não vai converter nenhum socialista à visão de livre mercado.

O livro vai explicar por que você já é capitalista e não deve ter nenhum pensamento socialista ou alguma aproximação à essa teoria econômica.
Jenickson (@ler.parasaber) 03/05/2020minha estante
Muito bom, gostei dele.




Victoria 26/04/2020

Excelente
Foi o primeiro livro de Mises que li e também o primeiro que tratava diretamente de liberalismo. Excelente livro para entender alguns aspectos essenciais e também pra consultar quando necessário. Aprofunda mais do que ?As seis lições?, o qual talvez seja mais recomendado ser lido antes.
comentários(0)comente



guizooo 11/04/2020

Mises
Excelente obra da escola austríaca.
comentários(0)comente



Adilson.Junior 04/04/2020

Muito bom.
comentários(0)comente



Denis 12/03/2020

O Capital
Para a sua época, foi importante contribuição sobre a psicologia humana, o qual pode ser melhor atualizada em solos brasis no livro de Rodrigo Constantino "Esquerda Caviar".

Desmistifica certas "verdades" sobre o capitalismo, como por exemplo, que é sinônimo de consumismo. Ora, para haver capital tem-se que existir poupança, restrição do consumo, abstenção dos gastos; quem estimula o consumismo é o socialismo, pois não precifica os recursos naturais e acaba superproduzindo bens de consumo sem a devida alocação dos recursos.

Não consegui colocar 5 estrelas devido ao foco excessivo sobre a cultura da inveja e do ressentimento socialista; embora seja verdade, mexe com os nossos briosos gritos de Justiça e Desigualdade Social. Mas é só ver o foco de uma greve: é por aumento de salário, ou seja, interesse pessoal de ganho e não interesse social da comunidade.
comentários(0)comente



Gladstonier 26/02/2020

Leitura essencial
A Mentalidade Anticapitalista é um livro bem atual, parece retratar em vários aspectos a realidade econômica e política brasileira atual. Mises trabalha de forma brilhante as razões psicológicas, econômicas e não econômicas do ressentimento de muitas pessoas com a Economia de Mercado. Trata das objeções da sociedade de status, das camadas intelectuais, do senso comum e dos que desejam estar no poder (governantes tiranos).
O autor faz uma bela defesa da liberdade e mostra de forma inequívoca que em uma sociedade onde se tem o capitalismo laissez-faire até mesmo os intelectuais anticapitalistas possuem liberdade para criticar o Livre Mercado, enquanto em regimes regidos pelo sistema comunista ou socialista a liberdade é restringida e só se pode defender o que o governo permite. É uma reflexão interessante e que mostra que mesmo alguns governos de direta na América do Sul que diziam combater o comunismo e estar implantando ideias baseadas no Livre Mercado, na verdade estavam governando de forma totalitária, restringido o liberdade do indivíduo e tendo os mesmos resultados ruins de economias baseadas nos ideais marxistas.
Como crítica, o autor entende que o conceito de laissez-faire pode e deve ser implantado em qualquer sociedade e terá resultados igualmente satisfatórios. O fato é que em sociedades originadas por governos tiranos, onde os meios de produção, distribuição de terras e rendas foi feito de forma autoritária aos amigos do rei, há uma grande disparidade entre as oportunidades. Um grande latifundiário, que recebeu sua fortuna por meio de grilagem ou por ser um dos ?amigos do rei? tem grandes chances de criar um monopólio, ou um grupo de latifundiários podem criar oligopólios, prejudicando a concorrência. Nesse sentido é preciso que haja políticas para proteger a liberdade econômica (o autor fala sobre isso no livro, mas não menciona quando fala sobre os motivos para que alguns países não sejam desenvolvidos) e reduzir os problemas das falhas de mercados, além de enfrentar os tradeoffs.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



33 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3