Royal City: Segredos em família

Royal City: Segredos em família Jeff Lemire




Resenhas - Royal City - Volume 1: Segredos em família


15 encontrados | exibindo 1 a 15


spoiler visualizar
comentários(0)comente



Glaucia @blogmaisquelivros 14/03/2021

Uma das HQs mais fortes que li
Royal City já teve seus dias de glória, mas hoje é uma cidade em decadência. É lá que conhecemos os Pike, uma família emocionalmente desestruturada após a perda do filho caçula.

Desde 1993, quando Tommy morreu de forma misteriosa, os Pike tentam lidar com a dor do luto, cada um em sua individualidade. O problema é que essa perda os distanciou física e emocionalmente, enfraquecendo dia após dia as relações familiares. Peter e Patrícia Pike vivem um casamento falido, onde já não são capazes de encontrar a felicidade ao lado do outro, no entanto, algo ainda faz com que se tolerem e permaneçam juntos, mesmo que a contragosto. Com os quatro filhos as coisas não são diferentes. Tara é corretora de imóveis da cidade e planeja construir um resort onde hoje funciona a fábrica que emprega a maioria dos habitantes de Royal City, inclusive seu marido. Richie é um alcoólatra que deve grana para gente perigosa, Patrick é escritor de um único romance de sucesso enfrentando um bloqueio criativo para escrever seu novo livro e Tommy está morto.

Quando Peter sofre um derrame e entra em coma, Patrick decide retornar para sua cidade natal. Com todos os integrantes da família reunidos, começamos a compreender o impacto causado pela morte do menino. Embora a HQ não se trate de uma obra sobrenatural, mas sim um drama familiar, Tommy ainda se faz presente na vida de todos. Para a mãe, ele aparece como o homem casto que ela sempre idealizou, para o pai, Tommy é um pré-adolescente, para Tara, ele é a criança que ela ajudava a cuidar, sendo assim, cada um visualiza Tommy conforme sua necessidade, muitas vezes como uma válvula de escape para enfrentar seus fantasmas.

Quando iniciei essa HQ, não imaginava a densidade de assuntos desenvolvidos aqui, ou mesmo a nevoa de tristeza que paira sobre esses personagens. Muito mais do que falar de relações familiares, Jeff Lemire fala sobre luto, depressão e sobre os fantasmas que nos aprisionam e nos impedem de seguir em frente.

Por ser o 1° volume de uma trilogia, algumas perguntas ficam em aberto e um clima de mistério permanece até a última página. Mais uma vez, Lemire surpreende entregando uma história forte, sensível e reflexiva.

site: https://www.instagram.com/p/CMQCt1UjRO0/
comentários(0)comente



Gramatura Alta 11/02/2021

http://gramaturaalta.com.br/2021/02/11/royal-city/
Peter Pike é o patriarca de uma família destroçada. Patrícia, sua esposa, não consegue mais ver nada de bom no casamento. Críticas após críticas, a relação do casal é mantida pela insistência de um suportar o outro. Os quatro filhos não se saem melhor. Richie é um bêbado e viciado, endividado, que não tem qualquer futuro. Tara é uma corretora de imóveis que planeja a construção de um clube e campo de golf, no terreno que hoje é ocupado por uma fábrica que dá emprego a metade da cidade, inclusive a seu esposo e a seu irmão Richie. Patrick vive em outra cidade e é um escritor de uma obra de sucesso apenas. Agora, ele tenta emplacar um segundo best seller, mas não consegue sair de uma fase de total incapacidade criativa. E Tommy é o irmão que consegue manter os outros três de pé. A coisa toda piora quando Peter sofre um derrame, é internado em coma e fica à beira da morte. Patrick precisa retornar para casa e tentar compreender sua família, ao mesmo tempo em que tenta juntar seus pedaços.

O ponto em comum entre todos eles, que os mantêm firmes, mesmo que por pouco, é a relação com Tommy. Tommy é o irmão que está sempre ao lado de Richie, mesmo quando ele faz as piores cagadas. Tommy é o irmão que apoia Tara num empreendimento que pode custar seu casamento. Tommy é o irmão que cobra de Patrick a devolução de um caderno, motivo pelo qual não consegue mais escrever. Tommy é o filho de uma mãe que mantém um caso extraconjugal. Tommy também é o filho que conversou pela última vez com Peter antes do derrame. Só tem um detalhe. Tommy morreu anos atrás e essa tragédia foi a responsável pela quase destruição da família.

Esse é o principal destaque de ROYAL CITY, a forma como essa família lida com a morte. Patrick conversa com um Tommy adolescente; Tara conversa com um Tommy criança; Peter com um Tommy pré-adolescente; Patrícia com um Tommy que seguiu o celibato e virou padre; e Richie com um Tommy que virou adulto. Cada um deles parece ter um assunto pendente com o filho/irmão. Algo que ficou preso na idade em que cada um deles enxerga Tommy. Enquanto enfrentam o que a vida lhes reserva, e enfrentam um ao outro por causa das mágoas que acumularam, eles se refugiam na visão do Tommy que os deixa confortável.

Além de cada integrante da família Pike ter sua versão de Tommy, ou melhor, ter uma versão de Tommy em uma idade diferente, o que eles pensam ouvir não é o que eles querem ouvir, mas o que eles precisam ouvir. Tommy não está lá para passar pano, mas para mostrar a seus familiares os erros que estão cometendo e um possível caminho para se acertarem, se perdoarem, para retomarem uma felicidade que perderam.

A arte e cores de Jeff Lemire, com traços grossos, feições pesadas, rostos quase sempre carrancudos e preocupados, ajudam a montar um clima pesado de tensão, de tristeza, caminhando para a depressão. Os olhares dos personagens transmitem um constante cansaço, desânimo, com raras exceções, que acontecem quando estão presentes com Tommy. Soma-se a isso o fato de que toda a família fracassou em algum sentido, ou no casamento, ou na profissão, ou como pais, o clima da HQ precisa ser absorvido com calma.

ROYAL CITY tem um total de 14 edições, publicadas entre 2017 e 2018, nos Estados Unidos. Esta edição da Intrínseca, reúne as primeiras 5 edições. Por conta disso, ficamos com mais perguntas do que respostas, o que é natural. Não sabemos o que aconteceu com Tommy, como ele morreu, apenas quando ele morreu, aos 14 anos de idade. Também sabemos que existe uma grande pendência de Patrick em relação ao seu primeiro livro e a algo com Tommy, mas não chegamos a descobrir o quê. Tudo ainda é muito misterioso, o que deixa uma sede enorme para os próximos volumes.

Confesso que me surpreendi com a HQ. Eu comecei a ler sem saber praticamente nada da história, nem sequer li a sinopse. Sabia apenas que se tratava de um drama familiar em uma cidade que tinha algo de estranho. O que encontrei vai mais fundo do que um drama familiar. Vai na superação da dor de perda de quem amamos e na luta que é necessário travar para conseguir consertar os erros com essa pessoa que não está mais em vida. ROYAL CITY vale muito a leitura e se tornou uma das HQs mais fortes que li nos últimos tempos.

http://gramaturaalta.com.br/2021/02/11/royal-city/

site: http://gramaturaalta.com.br/2021/02/11/royal-city/
comentários(0)comente



Kari 07/02/2021

Olá pessoas queridas. Como estão?
Eu amo demais quando a editora lança essas edições maravilhosas e se possível não perco uma oportunidade de leitura..

Quem vê capa não vê conteúdo.. Isso é fato!
E essa é mais uma daquelas gratas surpresas que temos na vida de leitor, essa é mais uma obra maravilhosa de Jeff Lemire que me encanta e surpreende positivamente!

Em Royal City temos uma receita antiga que é o drama familiar, tema bem explorado no universo literário, mas o "borogodó" está em como o autor aborda o tema é o desenvolve e aqui temos uma obra que remete empatia do começo ao fim, é impossível não termos aquela sensação de termos visto ou vivido algo e assim nos identificamos com uma ou várias partes só enredo ou mesmo com os sentimentos de algum personagem..

Royal City é uma cidade de interior que já foi muito produtiva, mas hoje a fábrica que é fonte de renda da maioria das pessoas já não é próspera como antes.. Temos um cenário com uma ambientação com ar misterioso e vamos conhecer a família Pike, o patriarca da família tem um derrame logo no começo da história e é a partir desse evento que tudo começa a se desenrolar e vamos pouco a pouco conhecendo de perto os membros dessa família e com isso, vamos ficar intrigados com a morte do filho mais novo, que foi em 1983 e não ficamos sabendo quase nada, além do ano de sua morte e a idade que Tommy tinha, a coisa é envolta em mistério, conforme falei acima. Aos poucos vamos tendo uma visão diferente de Tommy através do olhar de cada membro da família, o que é interessante e instigante, e vamos vendo como a morte de Tommy afetou cada um deles e até mesmo a relação da família em si. O final dessa HQ nos deixa ávidos por mais, e estou doida para ler a continuação.

Espero que leiam e gostem também!

comentários(0)comente



Fábbio - @omeninoquele 30/01/2021

Lemire mandando muito bem de novo!!!
#OMeninoResenhando

"As vezes imagino o que aconteceria se eu realmente partisse. Alguém chegaria mesmo a notar se eu não estivesse aqui?"

As coisas não são mais a mesma na família Pike, desde que o filho mais novo, Tommy morrera misteriosamente. O tempo se passou e a cidade de Royal City, sofrera mudanças, e o lugar que antes era característico por ser uma cidade industrial e próspera, hoje vive à margem da decadência.

Os Pike não superaram a perda do ente querido, mas mesmo assim seguiram suas vidas e mesmo que ainda sofram com essa falta, eles levam a vida como podem e suas vidas diga-se de passagem, não estão muito boa não, pois todos eles tem problemas que precisam serem resolvidos. Mas de alguma forma, o irmão mais novo, Tommy, se manifesta para cada um deles de uma maneira, seja como um menininho ingênuo, um adolescente revoltado ou um beberrão inconsequente fazendo com que esse sentimento de falta seja mascarado por essa falsa ilusão de presença e que no fundo faz com que eles não superem essa perda nunca.

E aí, quando o pai, Peter Pike, sofre um derrame, a família tem que se unir de novo. E quando o filho, Patrick Pike, um famoso escritor que está em crise pra lançar um novo livro, volta a contra gosto pra cidade e para as lembranças que tanto quer fugir, ele logo se vê metido nos problemas da família, e seu reencontro com o passado pode trazer consequências devastadoras. Imagina você passar anos longe de sua cidade natal e do nada ter que voltar e enfrentar tudo o que deixou pra trás?

Preciso dizer que o Lemire sabe como ninguém, construir personagens problemáticos. Seja eles quais forem, o Lemire os caracteriza muito bem e dá a sensação de pesar que quer passar com esse tipo de personagem. Me senti angustiado e me identifiquei muito, pois todos nós temos coisas que precisam ser resolvidas e ver essas características tão pessoais e reais nesses personagens, faz com que a identificação do leitor seja enorme.

A história retrata muito os segredos dessa família, disfuncional e dessa cidade decadente ao longo dos anos, trazendo à tona coisas do passado que o tempo não foi capaz de apagar. Eu gostei muito da premissa, que vai levar a HQ, e sou bem suspeito pra falar do trabalho do Lemire, que é um quadrinista que sou muito fã. Já li algumas de suas obras e sempre sou muito surpreendido pela trama que ele trás, com coisas reais, ou a densidade de seus personagens. E essa nova série já tem tudo pra se tornar a minha mais nova preferida do autor. Recomendo muito e aguardo ansioso os próximos volumes!!

#RoyalCity #SegredosEmFamilia #JeffLemire #Intrínseca

site: https://www.instagram.com/p/CKpLW35j6cH/
comentários(0)comente



Gabi 29/01/2021

Tommy, um ótimo bode expiatório dessa família
Esse primeiro volume está bem interessante. Gostei dos traços dos desenhos e da estória, os personagens são humanos com todas as suas mazelas e qualidades, potenciais e medos, com todos seus desejos e frustrações. Diria que o bora expiatório perfeito é o Tommy. Mas o elemento central é a vida e toda essa engrenagem maluca que nos permeia. Não se pode deixar levar por certos estigmas. Tommy está lá para fazer todos aprenderem, talvez até ele mesmo. Aguardo o crescimento de cada personagem nos próximos volumes.
comentários(0)comente



Cley 14/01/2021

Depois que o pai de Patrick Pike tem um derrame, o mesmo volta à cidade de Royal City, cidade que beira ao colapso e que traz lembranças ruins e cidade que tanto evitara. Com a morte do seu irmão caçula, Tommy, os Pike nunca mais foram os mesmos e desde então, a família lida com o luto de forma individual. Com a volta do Patrick, ele lidará com segredos, além de trazer consequências que abalam ainda mais a estrutura de sua família.

"Até que ponto todos os nossos erros se tornam um fardo que nos impede de seguir em frente?"

Escrito e ilustrado pelo Jeff Lemire, temos uma obra mais intimista que nos leva a refletir sobre o luto, sobre a dor de perder alguém e continuar vivendo. A morte não é o fim, e cada membro da família Pike vive com o Tommy, a lembrança é personificada de acordo com aquilo que cada Pike via o Tommy, ou, talvez, a ideia do que o Tommy era para cada um.
Royal City é uma cidade incomum, algo envolve todos e fica impossível associar o que é, mas a cidade não é como as outras.

Esse foi meu segundo contato com as obras do autor, e confesso que foi como se fosse o primeiro, pois “Segredos em família” traz um assunto mais realista, personagens e problemas mais críveis, porém com um ar de realismo fantástico que deixa a história bem mais interessante.
Os traços da HQ são lindos e nos permite entrar em Royal City, sentir os dramas dos personagens e entendê-los de forma melhor.

Lemire está se tornando um dos meus autores de quadrinhos favorito, pois ao contar histórias que vão da ficção científica ao drama mostra que o autor é eclético e que tem muito ainda o que mostrar.
"Segredos em família" me conquistou, mas tiveram partes que considerei que não houve um desenvolvimento melhor, isso se dá no enredo e personagens, porém, acredito que ocorra melhora no próximo volume, volume que estou ansioso em ter em mãos, pois o Lemire sempre termina com grandes revelações.
comentários(0)comente



Roh Matos @somaisumparagrafo 06/01/2021

@somaisumparagrafo
Décadas atrás, Tommy, o caçula da família Pike faleceu de forma misteriosa e, desde então, seu fantasma assume formas distintas para assombrar os pais e irmãos, que se fecharam a ponto de criar um grande abismo entre eles. Com o derrame do pai, Patrick Pike está de volta a Royal City e se vê novamente em meio a todos os dramas familiares que tanto lutou para fugir.

-x-

Royal City é uma cidade industrial que já teve seus dias de glória, mas que hoje possui um certo ar de estranheza que envolve seus habitantes. E é neste ambiente de cidade pequena decadente que vive a desestruturada família Pike.

?Às vezes me pergunto se foi difícil crescer em Royal City... ou se simplesmente foi difícil crescer. É que tem algo diferente neste lugar. Juro que dá para sentir isso tarde da noite, uma estranheza que parece envolver tudo. Algo que te deixa acordado e te faz sentir ainda mais sozinho.?

Esse primeiro volume reúne os fascículos de 1 a 5 e traz uma trama mais introdutória, porém, envolvente e cheia de mistério. Com uma narrativa melancólica e um tanto quanto nostálgica, acompanhamos o cotidiano dos membros dessa família disfuncional, cada qual se sentindo perdido e sendo devorado pela culpa, tentando se agarrar aos últimos resquícios do caçula morto.

?Os fantasmas de quem éramos estão sempre assombrando quem somos hoje, e no centro disso tudo está 1993. O maldito ano de 1993. Ano que nunca nos libertará... nunca nos deixará seguir em frente.?

Sou muito fã dos quadrinhos de Jeff Lemire, depois de Black Hammer, me propus a acompanhar suas demais obras e as experiências têm sido muito gratificantes. Nessa nova série, nos deparamos com uma história carregada nos dramas familiares, com personagens imperfeitos e muito reais, enfrentando batalhas interiores e vivendo reféns de segredos do passado. Como característica de sua escrita, Lemire nos atiça soltando informações importantes aos poucos, nos deixando ansiosos pelas respostas aos questionamentos que vamos organizando em nosso emaranhado mental. Com certeza uma HQ com grande potencial!
comentários(0)comente



Djeison 31/12/2020

Chega a ser um pouco monótono resenhar uma autoral de Jeff Lemire. Isso porque, bem... você meio que já sabe o que vai encontrar.
Melancolia, personagens tridimensionais, reflexões sobre a vida e a morte... tudo majestosamente condensado em uma narrativa fluída, tocante e extremamente pessoal.
Até porque é comum a gente considerar que toda obra de ficção é pessoal em algum nível, afinal, os personagens ali concebidos são todos frutos das vivências e da mente de uma única pessoa.
Mas o Jeff eleva isso para outro patamar.
A impressão que passa é que seu texto nada mais é do que uma confissão, especialmente no que toca o personagem Pat, um escritor bem sucedido passando por um bloqueio.
Eu sinceramente fico muito feliz de ter passado essa madrugada de insônia lendo essa obra. Foi a última leitura do ano, e certamente irei acompanhar os próximos volumes. Até porque os cliffhangers estão excelentes.
comentários(0)comente



Pipoca Nerd 23/12/2020

Resenha: Royal City – Jeff Lemire
Salve salve, pipoqueiros!

A editora intrínseca nos mandou o mais recente quadrinho traduzido de Jeff Lemire. Sou muito fã do trabalho dele e de como ele consegue criar dramas em suas obras. Esse é o volume 1 do encadernado das cinco primeiras revistas do quadrinho.

Royal City é o nome da cidade onde vai se passar toda a história. Logo de cara nos deparamos com um grave acontecimento: Peter Pike, o patriarca da família Pike, tem um derrame e está em coma. Essa situação acaba trazendo de volta à cidade um de seus filhos, o Pat Pike.

Além desse acidente, nos deparamos um cinco figuras (as mesmas da capa) que todas são a personificação de Tommy Pike. Não sabemos exatamente o que aconteceu com o Tommy, só sabemos que ele não está mais entre nós. Como se fosse um fantasma, ele aparece em diferentes facetas para cada membro da família Pike. Seja uma criança, um padre ou um adulto inconsequente.

Considerado o filho mais afastado fisicamente da família, Pat Pike é um escritor que está com um bloqueio mental para escrever seu próximo livro. Ele é muito cobrado pela editora e o seu relacionamento também não está indo tão bem.

A matriarca da família Pike, Patrícia Pike, claramente é ligada as cobranças que faz aos filhos, ela me pareceu bem controladora. Tara Pike, uma das filhas de Patrícia e Peter, é corretora de imóveis e quer a todo custo negociar a fábrica local para um novo atrativo turístico para Royal City. O que não esperávamos era que seu próprio marido trabalha nessa fábrica. Soube logo de cara que ela não gosta de perder.

E, por último, Richie Pike. Ele também trabalha na fábrica, mesmo não sendo o funcionário ideal. Richie acumula muitas dívidas e é alcoolista. Ele é considerado o “problema” da família, sem rumo.

Esses fantasmas que assombram os membros da família Pike nos mostram a complexidade de cada personagem. Poderia ficar horas imaginando os destinos de cada um, mas o Jeff com certeza fará melhor.

Achei muito diferente essa dinâmica. Royal City ainda tem muito a explorar e milhares de caminhos a seguir. A atmosfera da cidade é bem claustrofóbica. Entendo completamente o receio de Pat de voltar às origens.

O final é de chacoalhar a cabeça. Estou ansiosa pelo próximo volume!

Até a próxima!

site: https://pipocanerd.com/resenha-royal-city-jeff-lemire/
comentários(0)comente



Jonas (@castelodepaginas) 20/12/2020

Royal City
Mais uma obra de Jeff Lemire que me surpreendeu. Em Royal City apesar de encontrarmos o tema mais abordado pelo autor, drama familiar e cidade do interior, ele consegue nos fisgar com uma trama empática, em algum momento nos identificamos com alguma situação ou personagem, acredito que este seja um dos elementos do sucesso do autor, tramas que tratam principalmente da essência humana, personagens nem bons nem maus, cheio de defeitos e erros que os assombram.

Royal City é uma cidade que antigamente já foi muito próspera, mas hoje a principal fonte de renda da maioria das pessoas é a fábrica da cidade que não gera mais tanta riqueza como em outrora ... para continuar lendo a resenha visite nosso blog link abaixo ...

site: https://resenhasnonaarte.blogspot.com/2020/12/royal-city-vol-1.html

Gabi 23/12/2020minha estante
Comprei e tô doida pra ler! Lerei já já.




Blog De Bem Com a Leitura 18/12/2020

Sensacional! Essa HQ de Jeff Lemire é simplesmente incrível, eu ainda não havia tido contato com a escrita dele e agora estou aqui fascinada com a história criada pelo autor. Além, claro, de maravilhada com os traços de seu quadrinho, são imagens fortes que deixam o clima da leitura com um toque um pouco mais mórbido, refletindo exatamente os sentimentos ao longo da leitura. Em Royal City temos uma família destruída após a trágica morte do seu caçula no ano de 1993.

*Resenha completa no blog

site: http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Wesley 16/12/2020

Os fantasmas de uma família
Tommy morreu e desde sua morte ele aparece de uma forma diferente para cada um de seus irmãos e seus pais. Royal City nos apresenta uma família que não consegue seguir em frente e sempre é assombrada por seus fantasmas, em uma cidade que já está em seus últimos suspiros.

É um primeiro volume que nos apresenta seus personagens, motivações (ou a falta dela). Uma família dividida por uma morte inesperada. Não é uma história que diz de cara a que veio, mas que deixa alguns pontos que motivam a continuação da leitura.
comentários(0)comente



Luis.Henrique 15/12/2020

Fantasmas e cidades giganticamente pequenas
História extremamente envolvente, intimista e algo que só Lemire, através de toda sua obra, pode entregar.
comentários(0)comente



Laura Brand 26/11/2020

Nostalgia Cinza
Royal City é o mais recente lançamento de Jeff Lemire publicado no Brasil. Com algumas das características mais marcantes do artista, Royal City #1, conta a história de uma família desestruturada e a busca por pertencimento e entendimento que assombra seus integrantes.
Royal City é um quadrinho criado, escrito e ilustrado por Jeff Lemire e é possível perceber alguns dos melhores atributos do artista desde a primeira página. As relações familiares costumam ser um elemento central nas histórias de Lemire e Royal City explora isso em seu cerne. Desestruturados e perdidos, os Pike lutam para se encontrar individualmente e como família, enquanto precisam lidar com dramas que definirão a organização não apenas de seu pequeno núcleo, mas de Royal City.

Desde o começo é possível perceber um clima quase hostil entre os integrantes da família e o traço mais grosseiro de Lemire reforça a aspereza no trato dos personagens. Os traços dos personagens são bem característicos do estilo de Lemire, lembrando bastante os personagens de Condado de Essex e O Soldador Subaquático, obras-primas do artista. Com uma paleta de cores mais pastel e quase apagada, as páginas refletem bem a atmosfera melancólica e nostálgica de Royal City.

Além do laço de sangue, os personagens são unidos por um fantasma que os assombra quase que literalmente e é um fio condutor da narrativa, do início ao fim, desse primeiro volume. Ainda não temos acesso aos detalhes desse personagem em específico, mas Jeff Lemire, de forma primorosa, deixa pistas desde o primeiro balão até o suspense que encerra esse primeiro volume.

Assim como em Black Hammer em que o ligar em questão é fundamental para a trama, a cidade de Royal City serve não apenas como pano de fundo, mas se mostra quase como um personagem cuja presença se mantém latente ao longo de todas as páginas.

Royal City reúne alguns dos temas universais e recorrentes das histórias de Lemire de forma primorosa. Solidão, vínculo familiar, pertencimento a um lugar específico e a busca por sentido intrínseca à própria existência continuam presentes em Royal City: Segredos em família e com certeza serão exploradas mais a fundo nos volumes seguintes.

Royal City: Segredos em família chega para presentear os fãs de quadrinhos com mais uma série para acompanhar e esperar ansiosamente. O Volume 1 reúne cinco fascículos que apenas introduzem a trama e apresentam os integrantes da família. O cliffhanger deixado ao final do livro dá o tom do que será explorado nos próximos volumes e já posso dizer que aguardo ansiosamente pelo desenrolar da nova trama criada por Lemire.



site: https://www.nostalgiacinza.com.br/2020/11/resenha-royal-city-segredos-em-familia.html
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15