Estrelas Fritas Com Açúcar

Estrelas Fritas Com Açúcar Letícia Wierzchowski




Resenhas - Estrelas fritas com açúcar


11 encontrados | exibindo 1 a 11


MãeLiteratura 21/01/2021

Adorei!
"Ela, todos os dias, prepara estrelas de massa, fritas e passadas no açúcar, e me diz que as mães recém-paridas precisam de um céu dentro da barriga."
Com este lindo trecho que explica este título original e simbólico, escrevo as minhas impressões sobre este livro.
Um dos melhores romances que li ultimamente, aliás um misto de romance e biografia. Deve agradar leitores que gostam dos dois gêneros literários e de uma boa história.
Baseado na história real de Adelina Hess, fundadora da Camisaria Dudalina. Adelina teve 16 filhos! Uma história muito bonita de superação, trabalho árduo e persistência.
A autora entremeia ficção e realidade, numa trama original, poética e muito bem construída.
A história é contada pela três Moiras, as fiandeiras do Olimpo. Um livro diferente, com um toque de realismo fantástico, que me encantou. Uma trama que não obedece uma linearidade, o que muito me agradou também.
Eu AMO os livros da Letícia e já li quase todos. Sua escrita é fluida, elegante e muito envolvente.
Adorei a capa, ótima diagramação, edição caprichada e muito bem cuidada da Planeta.
Ótima leitura nacional contemporânea. Recomendo muito!

site: https://www.maeliteratura.com/2021/01/resenha-estrelas-fritas-com-acucar.html
Dárcia 26/08/2021minha estante
A Letícia é fera em escrever sagas. É envolvente e poético. Com determinação, trabalho e fé Adelina, Duda seu marido e seus 16 filhos criaram a um império em SC mulher muito à frente do seu tempo.




Fer 25/09/2021

Um belo romance real
Que livro mais lindo. A história de Adelina e Duda poderia muito bem ter sido inventada por um romancista, porém ela é real e relativamente atual. Um pouco de imaginação e a escrita envolvente da autora fazem esse romance ser envolvente e emocionante. Não sou de chorar lendo livros, mas não consegui conter as lágrimas em alguns capítulos.
comentários(0)comente



Evelize Volpi 19/01/2021

Sou fã de Letícia, desde que descobri o livro A casa das sete mulheres.
Acostumada a leitura de seus livros sempre maravilhosos, esse que conta a saga de Adelina( mulher catarinense e seu marido Duda) , criadora da marca de camisaria Dudalina, deixou um pouco a desejar.
Mas vale conhecer e se encantar com outros livros da Obra Maravilhosa de Letícia.
Como fã da escritora valeu a leitura, mas para conhecer seus livros, não indico esse para começar...
comentários(0)comente



Ju 24/01/2021

A narrativa da vida de Adelina, uma descendente de alemães, nascida no interior de Santa Catarina e que encontra nas dificuldades a coragem necessária para construir novos caminhos. Também é a narrativa da vida de Duda, seu marido, um caboclo simples, mas que assim como Adelina, esteve a frente de seu tempo, pois ao contrário de seus contemporâneos, entendeu e apoiou a esposa em seus projetos, não se melindrado em ficar, nos negócios, num status menor que a esposa aos olhos da sociedade. Uma história inspiradora e cheia de poesia, apesar de, a meu ver, em certo ponto do livro a narrativa ter ficado um pouco repetitivas.
comentários(0)comente



Bre 15/09/2021

Um romance histórico para guardar no coração
Em uma viagem vi uma tia avó se deliciando com as páginas deste livro. Isto me deixou intrigada. Em pouco tempo eu já estava com um exemplar em casa dando risada sozinha quando percebi que estava do mesmo jeito que minha parente.
É difícil encontrar um livro tão poético e gostoso de ler como este. Ele conta a história da origem da marca Dudalina, mas muito mais que isso, ele conta a história das pessoas por trás da marca. Suas alegrias, dores e amores. Me encantei com cada palavra colocada ali.
Outra parte importante do livro é que ele mostra a situação do mundo e do Brasil na época que a história acontecia. Isso faz as páginas serem ainda mais ricas em detalhes.
Eu amei. Não há muito mais que eu possa escrever que faça jus a esta obra tão completa.
Recomendo muito! :)
comentários(0)comente



Clarissa 06/12/2020

Mãe empreendedora
Podemos dizer que quase uma biografia, conta a trajetória de Adelina Hess, uma caterinense que deste muito jovem tem um grande faro para os negócios.
Ainda jovem abandonou os estudos para cuidar do armazém da família, na pequena cidade de Luis Alves.
Lá a jovem dedica todo seu tempo no trabalho, tanto na venda à contabilidade.
A tristeza da morte, lhe trouxe o seu grande amor, o jovem Rodolfo, o Duda.
Logo ambos casaram e juntos tiveram 16 filhos, em meio a tantas gravidez, Adelina nunca deixou de trabalhar, mas principalmente empreender.
O secos e molhados cada vez crescia, nas suas viagens à São Paulo, sempre trazia novidades.
Duda sempre apoiava a esposa empreendedora, numa época onde o homem era o provedor e a mulher era apenas do lar.
Um dia Adelina percebeu que alguns tecidos estavam encalhados na vende, sem perder tempo, ela transformou os tecidos em camisas... Que logo foram vendidas.
Com o sucesso das camisas, logo a ideia virou negócio, e assim nasce a camisaria Dudalina.
O sucesso desta marca é tão grande, que Luis Alves se torna pequeno demais, e assim a família se muda para Blumenau.
A família toda é envolvida na empresa, tornando a maior da América Latina.
Adelina foi uma mulher determinada, realizando todos os sonhos tanto a maternidade ao profissional.
comentários(0)comente



Monique 30/07/2021

Estrelas Fritas com Açúcar
{Leitura 03 - 2021}
Estrelas Fritas com Açúcar - Leticia Wierzchowski
.
Daquelas histórias que emocionam. Um romance lindo baseado na história de uma mulher incrível, que fundou um império chamado Dudalina.
.
Imagine você, caro leitor, ser mulher no Brasil da década de 40, e querer trabalhar e empreender. Adelina foi essa mulher. Vendeu, empreendeu, criou uma marca e uma grande empresa, casou, teve 16 filhos e construiu uma família com o suor do seu trabalho.
.
O livro é um romance, não é uma biografia, o que nos dá pitadas de imaginação e graça enquanto a gente vai conhecendo essa mulher guerreira.
.
E pra quem, como eu, empreende nesse país, é um livro muito inspirador e que nos dá muita esperança de futuro. Encontrei várias semelhanças com meu trabalho, fazendo gatinhos de feltro de manhã até a noite, com muito prazer e dor. Meu trabalho é a minha vida, e conhecer a história dessa mulher fez eu desejar ser como ela quando eu crescer.
comentários(0)comente



ritita 01/01/2021

Decepcão
Pois é, então o leitor tem seus escritores prediletos, aposta em qualquer livro que publicam, e na ânsia de ser o primeiro a ler se decepciona.
A narrativa é ágil, direta e fluida, mas nunca iria imaginar que uma autora do porte de Letícia escreveria um livro sobre encomenda de uma marca* (se não é assim parece), e como dizia meu pai se parece muito, assim é.
A história é de Adelina ou de uma famosa camisaria?🤔🤔
Se a intenção foi escrever sobre o desenvolvimento do vale do Itajaí-SC desde meados do sec XX, faltou história; se foi contar a vida de Adelina Hess, o assunto encheu o saquinho com a valorização desmedida da figura de Adelina. Sim, uma empreendedora nata, uma trabalhadora incansável, visionária, mas também uma mulher insuportavelmente insuportável a meus olhos, onde ganhar muito dinheiro era forçoso. Não pude deixar de compará-la a rica, trabalhadora, empreendedora, doce e meiga Luisa Trajano.
A vida de Adelina, como descrita no livro, resumia-se a parir, trabalhar, trabalhar e parir.
Para não dizer que não falei de flores, fui até o final por conta das 3 moiras- Cloto, Láquesis e Átropos.**
* Dudalina - famosa camisaria catarinense.
** Na mitologia grega as Moiras eram as três irmãs que determinavam o destino, tanto dos deuses quanto dos seres humanos. Eram três mulheres lúgubres, responsáveis por fabricar, tecer e cortar o fio da vida dos mortais. Durante o trabalho, as Moiras fazem uso da Roda da Fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios. As voltas da roda posicionam o fio de cada pessoa em sua parte mais privilegiada, o topo; ou em sua parte menos desejável, o fundo, explicando-se assim os períodos de boa ou má sorte de todos.
Cloto, em grego significa fiar, segurava o fuso e tecia o fio da vida. Junto de Ilítia, Ártemis e Hécate, Cloto atuava como deusa dos nascimentos e partos. Láquesis, em grego significa sortear, puxava e enrolava o fio tecido.
Láquesis atuava junto com Tyche, Pluto, Moros e outros, sorteando o quinhão de atribuições que se ganhava em vida.
Átropos, em grego significa afastar, ela cortava o fio da vida. Átropos juntamente a Tânatos, Queres e Moros, determinava o fim da vida.
comentários(0)comente



Ane 06/05/2021

Mais uma vez a prosa, com requintes de poesia, de Letícia Wierchowsky envolve o leitor para, por meio da história de amor de Adelina e Rodolfo (Duda) apresentar a trajetória da família Hess de Sousa, bem como do surgimento e solidificação da famosa Dudalina.
Dos idos de 1944, um período de guerra, passando pela mudança da forma de governança no Brasil, os costumes de pessoas simples e trabalhadoras, imigrantes, até o ano de 2008, é possível ao leitor acompanhar a vida de uma mulher empreendedora que construiu uma familia enorme e, por que não dizê-lo, uma marca de sucesso.
Numa linguagem deliciosa e numa trama envolvente é apresentado ao leitor uma história sobre tempo, destino, simplicidade, amor, fidelidade, planejamento, ousadia e visibilidade de futuro.
Prepare-se para aprender, se emocionar, se inspirar e entender o porquê do título 'Estrelas fritas com açúcar'.
comentários(0)comente



Renata 27/07/2021

ESTRELAS FRITAS COM AÇÚCAR

O romance épico de Letícia Wierzchowski é inspirado na vida de Adelina Hess, fundadora da Dudalina, e conta a saga da família Hess de Souza.

Baseada em fatos reais, a obra relata a história de Adelina, que desde jovem, quando decidiu abandonar o colégio interno para se dedicar à loja de seus pais, já mostrava ter talento para comércio e negócios.

O armazém, no estilo secos e molhados, tão popular nas cidades do interior, era o universo da moça, que não pensava em outra coisa, a não ser trabalhar na “venda”, até conhecer o amor, que veio vestido de uniforme militar em plena Guerra Mundial. Aquele soldado, que chegou com uma notícia triste, lhe roubou o coração.

Na pequena cidade de Luiz Alves, em Santa Catarina, à época município de Itajaí, começou a trajetória de uma mulher incrível, que não media esforços para alcançar seus objetivos e realizar seus sonhos. Uma figura visionária, que estava à frente de seu tempo e construiu um império, fruto de seu trabalho e sua persistência. Casada com Rodolfo, conhecido por todos como Duda, com quem teve dezesseis filhos, ela dedicou-se ao trabalho e à família com afinco, ao longo dos seus oitenta e dois anos.

“Ela, todos os dias, prepara estrelas de massa, fritas e passadas no açúcar, e me diz que as mães recém-paridas precisam de um céu dentro da barriga." O trecho explica o título tão criativo e original que a autora deu à sua trama. A cada bebê que nascia, biscoitos fritos em formato de estrelas eram distribuídos às crianças, depois de polvilhados de açúcar.

O livro conta como ela teve inspiração para fazer a primeira camisa e assim fundou o que viria a ser a maior camisaria da América Latina. A fábrica, cuja marca é a junção dos nomes Duda e Adelina, desde o início, quando ainda funcionava em casa, dentro do quarto de seus filhos, já revelava a alta qualidade de sua confecção, que levava impressa em seu corte o perfeccionismo e o capricho, características marcantes de tudo que ela realizava.

Adelina era, de fato, fora de série! Desafiada pelo destino, quando algo não saía conforme a vontade de seu coração, ao cumprir seus planos, ela não se dava por derrotada, encontrava soluções inovadoras, e superava as dificuldades, uma a uma. Incansável, saía grávida, acompanhada de alguns filhos pequenos, para vender seus produtos. Elegante, em seus vestidos e sapatos de salto alto, fazia seu percurso com obstinação, e só retornava para casa, após vender a última camisa.

A obra nos apresenta valores e tradições das famílias do sul do país, a influência dos imigrantes na cultura sulista do Brasil, o legado que os casais deixavam aos filhos e como construíam seus caminhos, pautados em seus princípios. Permite ao leitor certa nostalgia ao recordar um tempo em que as coisas eram mais simples.

A narrativa, tão bem costurada pela autora, revela que o sucesso alcançado pelos Hess de Souza só foi possível devido ao amor que eles nutriam um pelo outro. A relação de confiança e cumplicidade estava presente em tudo que compartilhavam, portanto, antes de ser a história da Dudalina, de como começou, o enredo é também uma grande e bela história de amor real.

Recomendo!
comentários(0)comente



Ana 12/10/2021

Emocionante
Eu sou fã da escrita da Letícia há um tempinho e antes de ler já sabia que iria gostar do livro, mas não sabia que ia amar. Eu não sou muito de ler biografias, mas a história de Adelina, Duda e seus 16 filhos é tão envolvente e emocionante que é impossível largar o livro. Uma história de força, garra, persistência e amor. Porque o que não falta nesse livro é amor.
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR