A rara joia do contentamento cristão

A rara joia do contentamento cristão Jeremiah Burroughs




Resenhas - A RARA JOIA DO CONTENTAMENTO CRISTÃO


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Fortunato Barbosa 17/05/2022

O título do livro é sugestivo: Uma Rara Joia
O propósito do puritano Jeremiah Burroughs é falar de como o contentamento cristão é uma Joia Rara. Porém, o próprio livro se tornou uma Rara Joia para a literatura cristã. É impossível não ler esse livro e não ser confrontado e disciplinado no coração. Jeremiah corrige e ensina os nossos pensamentos, sentimentos, desejos e afeições que a alegria do cristão está aquém desta terra, que não são as condições externas que podem minar a nossa felicidade, porque ela está em Jesus Cristo.

Cada capítulo é uma face dessa joia. Não entendo como esse livro demorou tanto para estar em português, porque é essencial e urgente a leitura dele para os cristãos. Os puritanos não gostam de rodeios, sempre vão ao cerne, o âmago de qualquer assunto bíblico, para extrair de lá o que traz vida e substância para a alma andar com Deus.

Há um capítulo exclusivamente para tratar das nossas desculpas para não estarmos contentes. Esse capítulo é uma pedra de toque, que toca em cada argumento de um coração teimoso, ressentido, negligente, mentiroso, orgulhoso, que não se alegra na sua verdadeira fonte de alegria, e faz ele olhar para si e ver o quanto é enganoso nas suas justificativas.

Parabéns a Editora Caridade Puritana por ter produzido este material e disponibilizado aos cristãos brasileiros. Houve um financiamento coletivo para lançar essa obra, e fico feliz de ter participado disso. Soli Deo Gloria.
comentários(0)comente



Sidney.Muniz 19/12/2021

Esse é um dos livros para sempre reler. O autor ensina viver o contentamento cristão e como viver longe de uma vida murmuração.
comentários(0)comente



Miguel Muniz 18/02/2021

Por favor leia este livro
O livro nos tira deste pensamento mundano onde o materialismo se torna um termômetro de nossas alegrias e do quão somos satisfeitos ou não. A centralidade em Deus nos mantém fixos no contentamento independente de qualquer situação da qual estejamos. É um bálsamo para o deprimido e insatisfeito.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR