Anne de Windy Poplars

Anne de Windy Poplars L. M. Montgomery




Resenhas - Anne de Windy Poplars


71 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Milena 08/08/2020

Ela cresceu!
Anne não é mais uma criança, se tornou uma mulher responsável, mas sem perder seu jeitinho.
Esse foi o livro que menos gostei da série, a narrativa é em sua maioria feita em cartas escritas pela Anne, que aguarda seu amado Gilbert terminar a faculdade de medicina enquanto ela dá aulas em um lugarzinho encantador e conhece pessoas maravilhosas (outras nem tanto).
Apesar disso, não deixa de ser um livro lindo, cheio de lições e aprendizados.
comentários(0)comente



Aline 08/08/2020

Cartas
Anne agora noiva de Gilbert, porém ele tem mais três anos pela frente até se formar em Medicina. Enquanto isso, ela aceita o cargo de diretora da Escola de Ensino Médio de Summerside, encontrando vários desafios com a família Pringles e uma colega de trabalho. Vemos o relacionamento de Anne e Gilbert somente com as cartas de Anne contando sobre o dia a dia dela e com algumas declarações, acabei sentindo falta de cartas de Gilbert para mesma. Porém vemos que Anne continua sendo uma menina com um coração leal, cheio de amor e esperanças de dias melhores.
comentários(0)comente



Letícia 08/08/2020

Amei
Anne de Windy Poplars

Publicado em 1936, quarto livro da série onde temos a protagonista realmente adulta e enfrentando novos desafios.

Enredo sem spoilers:

Agora que estava adulta e noiva, Anne se muda para Windy Poplars para ser diretora de um colégio, mas nem todos lá estão felizes com isso.
Ao mesmo tempo ela se corresponde com seu amado noivo, atravéz de cartas onde fala sobre os acontecimentos recentes de sua vida enquanto ele está terminado a faculdade.
comentários(0)comente



Klay Pequeno 07/08/2020

Da janela, uma toalha branca acena
Saltei a sequência de livros, mas tal fato não impediu de deleitar-me com as histórias de Anne. A princípio meio enfadonho, por tratar-se da transcrição de cartas, a impressão e o sentimento tomam outra direção à medida em que mergulhamos no mundo da narrativa e ressurge a Anne dos outros livros, sempre empenhada em espalhar sua luz por onde passa.
comentários(0)comente



Roberta 06/08/2020

Bom
Anne não é mais uma criança, mas uma jovem adulta. Enquanto vive em Windy Poplars e se divide entre o seu trabalho como diretora e as correspondências com Gilbert, ela convive com vários novos personagens, cada um com sua história a ser contada.
Anne não chama mais problemas ou cria desentendimentos como antigamente; agora vê-se uma mulher madura para sua idade, responsável e atenta com todos e tudo ao seu redor. Uma pessoa a quem as pessoas vão contar seus segredos, pedem ajuda sobre seus casamentos, empregos, amigos, etc.
Neste livro, divido em 3 partes, contadas em terceira pessoa do ponto de vista de Anne e trechos de cartas escritas por Anne para Gilbert, ficamos sabendo sobre os acontecimentos na vida de Anne e das pessoas ao seu redor. Aqui, não quase não vemos os personagens dos livros anteriores, nem mesmo aqueles que mais se destacaram, como Marilla e Diana; ele é voltado para o presente e futuro de Anne.
Foi o livro que mais demorei para ler da série, achei que tem um ritmo lento, com uma narrativa um pouco cansativa. Relativo à Anne em si, praticamente não há nenhum acontecimento marcante, ela atua como mera coadjuvante nas histórias dos demais personagens. Ainda assim, é uma boa ponte entre a Anne jovem e a Anne adulta que será apresentada nos livros finais.
comentários(0)comente



Mundo.lilo 06/08/2020

Levinho como sempre
Eu amo ler Anne por que nos deixa levinhos e com o coração quentinho. Mesmo a leitura desse sendo um pouco mais lenta pra mim é um livro muito bom mas não é o meu preferido.
Insta:@mundo_da_lilo
comentários(0)comente



Luisa.Mara 04/08/2020

?
É um livro interessante,mostra várias situações agradáveis e engraçadas que Anne se envolveu,e sua luta para conquistar os Pringles,que não facilitaram em nada na sua vivência em Summerside. Porém, sobre o noivado de Anne e Gilbert, não tem muita profundidade, o desenrolar do romance não é explicitado. Agora,partiu Anne e A Casa Dos Sonhos.
comentários(0)comente



Bruna.Goncalves 04/08/2020

Anne de Windy Poplars
Falta 3 anos para Gilbert terminar a faculdade de Medicina, Anne é diretora da escola de ensino médio de Summerside, nos primeiros meses ela não agrada a todos os alunos e alguns dos seus vizinhos. Com isso ela pensa em se demitir, mas Anne sempre encanta tudo e todos e consegue conquista-los.
O livro é dividido em 3 livros sendo os 3 anos que ela ficou na cidade, sendo que ele é mostrado como cartas para Gilbert e outros fatos narrados.
comentários(0)comente



Tati Bertoldo 03/08/2020

Minha cara Srta Shirley
Como é bom ler algo que acrescenta. Ler o crescimento de Anne me faz crescer e querer ser como ela. Alguém que sonha que no "amanhã" tudo será muito mais Belo e duradouro.
null 04/08/2020minha estante
O livro me parece ser bem interessante. Sua resenha me chamou a atenção, pois gosto de histórias desse tipo. Muito obrigado pelo o seu comentário!




Taty 02/08/2020

Anne em Windy Poplars
Anne foi nomeada diretora da escola secundária de Summerside. Lá, seu lar foi Windy Poplars, uma adorável casa que divide com tia Chatty, tia Kate, Rebecca Dew e o gato Dusty Miller. Conhece muitas pessoas interessantes e principalmente melancólicas.
Entra em "guerra" com a família Pingles e acaba ganhando.

O livro gira em torno das cartas escritas de Anne para Gilbert. Contando sobre sua vida agitada e sobre os peculiares moradores da cidade.

Achei a escrita bem interessante, mas diferente dos livros anteriores... Já que a maioria do texto é escrita em primeira pessoa, pois é contada em sua maioria, pela própria Anne.

Nesse conto, Anne está mais crescida, adulta mas ainda sonhadora. Ainda encanta todos que a rodeiam com sua alegria, amor e vivacidade.

Mais um conto encantador de Anne
comentários(0)comente



Rafaa_AraAjo 02/08/2020

Anne vai passar três anos em Wind Poplars, lecionando na cidade, enquanto Gilbert está fazendo a faculdade de medicina. Gostei bastante do livro
comentários(0)comente



Nalí 01/08/2020

Dá pena atribuir três estrelas considerando que é uma leitura agradável e, particularmente, manteve meu interesse até o final, além de causar boas sensações como os livros anteriores.

Neste livro que preenche os três anos de Anne como professora antes do casamento ela traz alegria para as pessoas a sua volta e vive diversos momentos engraçados, como é de se esperar. Mas o que ela aprende sobre si e sobre a vida? A vida nos modifica e três anos é bastante tempo. Anne ambiciona uma família e um lar, ela espera e vive da melhor forma possível até realizar essa vontade, mas senti ela muito plana e plena.

Nem toda história precisa de grandes acontecimentos e reviravoltas, porém quando terminei Windy Poplars eu não entendi o que ela levou desta fase dela para a vida em diante.
Rúbia 01/08/2020minha estante
Três estrelas pq a história ficou morna? Entendi certo?


Nalí 01/08/2020minha estante
Três estrelas porque é um livro bom, que não é ótimo pois a personagem não se desenvolveu. Não chamaria de história morna, pois é engraçado e agradável. Mas não acrescenta nada no desenvolvimento de Anne


Rúbia 01/08/2020minha estante
Ah ok (: obrigada




Jão.Silver 01/08/2020

Anne de Windy Poplars
O começo, com todas as mudanças na vida da Anne, foi arrasador, mas a forma como esses livros são escritos... Não tenho palavras para definir. Novamente digo que essa é minha saga favorita.
comentários(0)comente



Dani Husz 31/07/2020

A magia das histórias de amor
"(Aliás, 'crepúsculo' não é uma palavra adorável? Acho melhor do que 'entardecer'. Soa como algo tão macio e misterioso e... e... crepuscular.) Durante o dia, eu pertenço ao mundo... e à noite, ao sono e à eternidade. Porém, no crepúsculo, estou livre de ambos e pertenço somente a mim mesma... e à você." (10)
"-Uma estrada não é algo fascinante, Lewis?- divagou Anne. - Não as retas, mas aquelas com desvios e cantos onde uma surpresa ou algo belo pode estar espreitando. Sempre gostei de curvas nas estradas." (145)
"Que diferença faz a maneira como se viaja, contanto que se chegue ao destino?" (154)
"Porém, se todos fôssemos beldades, quem faria o trabalho pesado? (Rebecca Dew)" (186)
"Gilbert querido, não tenhamos medo das coisas, pois é uma escravidão pavorosa. Dancemos para receber a vida e tudo o que ela pode nos oferecer, mesmo que isso acabe em um monte de problemas, febre tifoide e gêmeos." (196)
"Era tão ruim ser discrepante dos outros e maravilhoso, ao mesmo tempo, como se fosse originário de outro planeta." (197)
"Porém, meu querido Gilbert, luar sem alguém com quem compartilhá-lo, é apenas um falso brilho." (241)
"Fala-se muito do encanto do desconhecido, mas isso não é nada comparado com o charme do inalcançável. (Sr. Westcott)" (253)

Onde está o amor? Desde muito jovem tendo responder "o que é o amor?" e para isso recorri à filosofia, que me trouxe explicações satisfatórias, mas, depois de ler a história minha reflexão mudou para "onde?".
Quando a gente resolvemos ler um romance de época, encontramos drama, sentimento, intensidade e demonstrações de afeto, e, esse livro não se mostrou diferente. Anne assume o cargo de diretora da Escola Secundária de Summerside e entre aventuras e desventuras ela traz diversos trechos de histórias de amor.
No passado as pessoas se entregavam de corpo e alma aos sentimentos, e hoje, o mundo apresenta uma visão descartável de tudo.
A histórias de amor de hoje em dia são mornas e comuns. Se é que podemos intitulá-las de 'Histórias de Amor". Não existem grandes demonstrações de afeto e, quando elas aparecem estão sempre ligadas ao 'ter'. As pessoas não se dão de corpo e alma, elas dão coisas, mas nunca si mesmas.
Por um lado isso é excelente, afinal, nós somos donos de nós mesmos e não podemos deixar que outro ser humano tome as rédeas de nossas vidas. Mas nosso coração é um tesouro e a gente deveria poder presentear alguém com todos os nossos sentimentos, e ser presenteado da mesma forma.
A magia desapareceu e as histórias de amor deixaram de existir.
Me alegra ter um livro como esse que, apesar de fictício, é o retrato de uma época e nos dá a oportunidade de analisar o contexto histórico do início do século XX e compará-lo com o século XXI.
comentários(0)comente



Nathalia.Priscila 29/07/2020

Esperava um pouco mais desse livro
"Onde há boa vontade, há um caminho."

Quando terminei o terceiro livro fiquei muito empolgada para ler a continuação. Seriam três anos em que Anne esperaria por Gilbert. Três anos em uma nova cidade e três anos de novas aventuras.

Como uma leitora que ama romances me preparei para três anos de cartas apaixonadas e de muita risada com as histórias de Anne e Gilbert. Porém, fui frustrada desde o começo.

O livro tem várias cartas de Anne para Gilbert, relatando suas novas aventuras e como as coisas estavam difíceis na noma cidade.

"Será que ficaremos velhos algum dia, Gilbert? Parece-me impossível."

Mas o que eu não esperava era que as partes românticas e as juras de amor das cartas fossem omitidas por:

(Vários parágrafos omitidos)

Fiquei muito chateada com isso. Fora que nunca temos acesso as cartas de Gilbert e nem sabemos como foram os três anos dele na faculdade de medicina. Outro fator que me frustrou bastante.

Mas voltando a história. Temos algumas aventuras de Anne bem interessantes e conhecemos a pequena Elizabeth, que é uma personagem encantadora. Ela provavelmente salva a leitura desse livro. Pq ele fica bem maçante e se não estivesse tão curiosa para chegar no próximo com certeza teria largado.
comentários(0)comente



71 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5