Círculos de Chuva

Círculos de Chuva Raphael Draccon




Resenhas - Dragões de Éter: Círculos de Chuva


96 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Matt O. 02/01/2021

"Ainda que por vezes pareça difícil, ainda que doa, ainda que você fraqueje, percorra o círculo completo. Seja caminhando pelo círculo de fogo, seja caminhando pelo círculo de chuva, o final de todo círculo da vida ainda terá sempre o mesmo valor." (p.472)
E são por escritos como esse, que tocam em nossos corações, que vale a pena ser leitor. Pois enquanto os livros nos dão vida, nós damos vida a eles.
comentários(0)comente



Naty.Duarte 25/12/2020

Reeleitura trazendo emoções novamente...
Neste 3 vol da série tu vai se deparar com acontecimentos que irao te arrepiar e deixar vc de boca aberta.
Aqui iremos ter a 1° guerra mundial de Nova Ether, Hanson passara por coisas que irao te surpreender, Brandamante sera um destaque nessa guerra, chegando onde nunca outra mulher em tda história de Nova Ether chegou, a menina Narin elevara o poder ganhado por semideuses, a Rainha chegara a um certo lugar com sua curiosidade, Axel conhecera sua prometida o que causara impacto na guerra, Anísio fara história como Rei dos Reis, enfim sao mtasss emoções nesse livro perfeito.
comentários(0)comente



gisa 17/12/2020

Por enquanto o último livro da saga e infelizmente o pior, mas não deixa de ser uma grande obra e um dos melhores de fantasia.
comentários(0)comente



Garcia 14/12/2020

Bom
Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga. Hoje, Arzallum, o Maior dos Reinos, tem um novo Rei e vive a esperada Era Nova. Coisas estranhas, entretanto, nunca param de acontecer… Dois irmãos sobreviventes a uma ligação com antigos laços de magia negra descobrem que laços dessa natureza não se rompem tão facilmente e cobram partes da alma como preço. Uma sociedade secreta renascida com um exército de órfãos resolve seguir em frente em um plano com tudo para dar errado em busca do maior tesouro já enterrado, sem saber o quanto isso pode mudar a humanidade. O último príncipe de Arzallum viaja para um casamento forçado em uma terra que ele nem mesmo sabe se é possível existir, disposto a realizar um feito que ele não sabe se é possível realizar. Uma adolescente desperta em iniciações espirituais descobre-se uma mediadora com forças além do imaginário. E um menino de cinco anos escala uma maldita árvore que o leva aos Reinos Superiores, ferindo tratados políticos, e dando início à Primeira Guerra Mundial de Nova Ether.
comentários(0)comente



Gabi 10/12/2020

O meu favorito
Tudo o que eu tenho a dizer sobre esse livro é: incrível.
Eu sei que ele é o mais odiado da triologia e muita gente acaba não gostando mas eu adorei, achei simplesmente fantástico como o livro já começa em um ritmo eletrizante, não tinha um capítulo sequer de um personagem sequer que não fosse interessante ou legal.

As cenas de batalha eram as mais incríveis e emocionantes, e eu fiquei de coração quentinho com os capítulos do João e da Ariane. Eu adorei como foi visível o amadurecimento dos personagens e como todos tiveram algum destaque

O problema é: o final é aberto demais, é muito claro que ele queria ter escrito ou ao menos esperava escrever outro livro, tem muitas pontas soltas onde é necessário se saber o que aconteceu com os personagens, e as últimas páginas dão uma revelação importante que todos esperavam mas que não teve tempo de ser desenvolvida.

Eu realmente espero gostar do próximo livro e que ele finalmente feche ciclos.
comentários(0)comente



Vincent.Uriel 02/11/2020

Uma completa obra de arte
Como eu sempre falo, a cada releitura, Nova Ether, se torna ainda melhor. Por mais que não se tenha mais a surpresa a cada capítulo e a dúvida do que vai acontecer em seguida, saber o que vai acontecer na história é uma experiência que não fica pra trás, já que você consegue perceber detalhes que antes não tinha visto.

Sobre a história, Círculos de Chuva tem tudo que você pode pedir de uma narrativa: personagens cativantes, que são humanos e tem seus defeitos e que evoluem muito através do decorrer do livro, cenas de ação memoráveis escritas de maneira exemplar, diversas narrativas que te prendem e te deixam com um gosto de quero mais no final de cada capítulo e muito mais.

Círculos de Chuva não é meu favorito dos livros, mas chega muito perto de ganhar de Corações de Neve, muito perto mesmo.

Agora só resta aguardar o lançamento de Estandartes de Névoa para ver como esse ranking vai ser afetado.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Eddie Saraiva 16/09/2020

E assim termina uma trilogia
Círculos de Chuva é o terceiro volume da trilogia Dragões de Éter, do autor Raphael Draccon. Uma literatura fantástica nacional que simplesmente invadiu meu coração, logo eu que tenho um fraco para histórias que envolvam fantasia e, mais especificamente, contos de fada.

Círculos de Chuva se inicia com o que seria uma "adaptação" de "João e o Pé de Feijão", com o nosso jovem Jack Spriggins se aventurando no que seria a "Uma árvore capaz de nascer no fundo do mar, e terminar nas nuvens do céu. A Árvore do Criador. A Árvore que não se escala. [...] A Árvore do mundo." (p. 11).
Nesse prologo temos a apresentação do saudoso conto de fada do jovem que precisa vender sua vaca amiga, mas acaba trocando-a por feijões que alegam serem mágicos. Temos também uma conexão com contos nórdicos, dando referência a Yggdrasil, a Árvore da Vida, e a serpente Níðhöggr, como um lindo e belo Dragão de Éter.

O pequeno e inocente ato de subir a Árvore da Vida indo em direção ao reino dos Gigantes, Brobdingna - o reino proibido a qualquer humano de Nova Éter, repercuti em vários pequenos e grandes marcos na história do Continente Ocaso. Bruxas, Fadas Caídas, Bestas, Gigantes.... um grande e variada frente de inimigos ao longo do continente, cercando e confrontando nossos heróis, príncipes e princesas.

Círculos de Chuva vem pra fechar a trilogia (até então) de Dragões de Éter. Todas as desventuras e aventuras tecidas ao longo do primeiro e segundo volume, apresentam seu desfecho aqui. Ou será que ainda tem fio pra sair de tear? Só posso dizer que o final do livro, e não das histórias do livro, deixam uma interrogação (?).

Com relação aos relatos de guerra, senhor, sim senhor, presentes ao longo do enredo, podemos vislumbrar e imaginar um verdadeiro campo de batalha a lá Warcraft. Pelo menos, no meu ponto de vista, me fez relembrar muito esse jogo. De um lado a campanha dos humanos, com armamento e magia arcana. Do outro temos a campanha de bestas e feras com seus druídas.

Mas vamos falar dos contos de fada que o volume apresenta.
Com exceção dos que já foram mencionados ao longo do primeiro e segundo volume, temos aqui:
- João é o pé de feijão;
- Mulan (demorei pra perceber, mas percebi);
- Atlântida;
- Patinho feio;
- Os três porquinhos (temos uma menção, não exatamente personagens);
- Sinbad;
- Peter Pan;
- O Quebra-Nozes
- Rapunzel
Caso tenha me escapado alguma, por favor, mencionem.

E pra fechar, não posso esquecer de mencionar a religiosidade, misticismo e espiritualidade que o início e meio do livro nos trazem. Lembra dos covens e das reuniões dos mais poderosos Feiticeiros, bruxas, magos, Necromantes e etc do volume anterior. Algumas menções também são feitas à alguns desses personagens, Madame Viotti e Mãe Gorda estão presentes, em momentos, em marcos. Além disso, a menção ao Avatar de Nova Éter é questionada no início, no meio e retomada no fim. Quem será o Avatar, o escolhido, a própria essência de éter, o dragoniano?

Eu confesso que amei ler esse volume, como os anteriores também. A simbiose entre os contos de fadas, unidos como um só é magnífica, a duplicidade de personagens que de certo modo faz sentido quando vistos isolados. Espero ansiosamente pelo volume 4 que foi anunciado antes de terminar a minha leitura, e deixo aqui minha sugestão e apelo.... @RaphaelDraccon faça uma história que envolva Oz, Alice no país das Maravilhas, Alladim e O quebra-nozes, por favor!
comentários(0)comente



Marcus 15/09/2020

O último livro lançado até o momento da épica saga do escritor brasileiro Raphal Draccon, Dragões de Éter. O autor já me impressionou no primeiro livro com sua nova visão sobre histórias clássicas que todo aficionado por desenhos da disney conhece e a maneira como ele amadurece a história tirando esses personagens de contos de fadas de um círculo infantil e passando-os para um ambiente mais adulto, cheio de sangue, violência e tudo que o povo gosta. Como sempre, nem tudo são flores, até a mais bela das rosas tem seus espinhos, esse terceiro livro parece que foi terminado as pressas, alguns personagens tiveram encerramentos fora da curva, vamos explicar melhor, é como se um personagem estivesse dirigindo numa pista reta rumo a uma cidade que o leitor já conseguia visualizar e de repente o carro perdeu o controle, jogando o personagem desfiladeiro abaixo. Me entendam, não foi de uma forma esplendorosa ou vulgarmente conhecida como uma forma "cabulosamente pica das galáxias" nos deixando de queixo caído e surpresos, a surpresa vem junto com uma ideia de "De onde isso veio? Que porra é essa?". Apesar de tudo, vale muito a pena a leitura, tem muita coisa boa aqui nessa obra. Leiam.
comentários(0)comente



Dud 05/09/2020

Recomendoooo
O livro ppara mim foi confuso no início, obviamente pois ganhei diretamente o terceiro livro hahaha, mas enquanto lia a história me prendeu, super recomendo
comentários(0)comente



Vini Vieira 31/08/2020

Para os amantes de Contos de Fadas
O final foi meio corrido neah :/
Plot Twist nervoso no fim kakaka
Já sonhando com um continuação...
(EU SEI, mas deixa eu me iludir aqui, ok?)
Matheus Alves Carmo 01/09/2020minha estante
O Draccon tá escrevendo o quarto, não? Lembro de ter lido que sim?


Vini Vieira 01/09/2020minha estante
Nossa, que sonhooo kakakkakakaa




Arlete.Tury 31/08/2020

Partiu meu coração em mil pedacinhos decepcionados
A trilogia me ganhou pela escrita deliciosa e pela maravilha da reinvenção de histórias classicas. Me apeguei aos personagens, amei todos eles, até mesmo os vilões. então veio círculos de chuva e me deixou confusa.
A trama de guerra é bem construída, há novos personagens muito bem trabalhados, a filosofia que o livro envolve é interessante. A escrita ganhou um ar mais sombrio e triste, contudo não foi um problema, já que, mesmo desviando um pouco do estilo mais leve e juvenil dos dois primeiros, continuou sendo uma escrita gostosa de ler e bem envolvente.
O que me destruiu foi a completa reviravolta na personalidade de alguns personagens (especialmente meu amado rei por quem morreria e mataria) sem qualquer explicação aparente.
Sim, há uma guerra e guerra mudam pessoas. Mas QUE ATO de guerra os fizeram mudar ideias tão enraizados nos primeiros dois livros?
O que acontece com você, meu pobre Dracon, para que desgraçasse a vida dos meus bebês com tamanha violência? É visível que o autor passou por um momento sombrio enquanto escrevia o livro, sente-se até nas separações dos parágrafos.
ainda assim, tudo seria perdoado se esse livro não fosse o último. Por quê? Porque se espera que aconteçam desventuras nas histórias, contudo, sendo esse o último, deveria ao menos ter encerrado as histórias, ou dado uma breve explicação que fosse sobre o rumo que tomaram.
O livro, pelo contrário, é cheio de finais abertos, com todos os personagens sem rumo definido e com uma trilha enorme de desafios pela frente que, com toda certeza, eu pagaria o que fosse para ler.
Passei quase uma semana acordando no meio da noite questionando POR QUÊ? Por que não tem outro livro? Porque tinha que terminar assim? O que aconteceu com João, Maria, Adriane e todos os personagens? Até o anões! Quero saber, mas não terei resposta.
26/10/2020minha estante
Também fiquei com essa mesma impressão, mas o quarto volume da série vai ser lançado dia 13 de novembro aparentemente.




Neh 23/08/2020

Incrível, mas final que não finaliza
Esse é o tipo de livro que é incrível, mas que o final não tem tudo o que a gente espera. Na verdade, parece que falta um final.

Eu estranhei muito o fato de UM ANO ter se passado entre o segundo e o terceiro livro. Nós perdemos toda a luta que o Robin Hood estava planejando e, sinceramente, eu queria ter visto, ou melhor, lido, essa história.

Eu amei o livro porque li os outros dois em uma semana basicamente (isso é um ritmo muito rápido para mim) e simplesmente amei todos os personagens, o que tornou impossível não gostar deste livro. Eu leria qualquer coisa onde pudesse sentir mais a relação da Ariane com o João (eu amo muito os dois) então com certeza a minha opinião vai ser tendenciosa. Mas fazer o quê? Mais do que gostar do livro, eu me encantei pelo universo e pelos relacionamentos, pessoas que eu conheci por meio dessas páginas. Houveram cenas incríveis, emocionantes, épicas. Momentos memoráveis, a escrita do Raphael Draccon só melhora.

Eu só queria uma despedida descente dos personagens. Foi um capitulozinho para fechar tudo, alguem realmente espera que eu não fique órfã só com isso??? Toda a parte antes da guerra foi incrivel, mas quando ela começou, tomou muito tempo da narrativa (isso não é ruim) e quando ela termina, precisava que um tempo para apaziguar nossos corações e colocar tudo nos eichos novamente, mas não houve esse tempo. O final foi resumido em 3 páginas e jogado, como se não pudesse passar daquele número de páginas.

Mesmo assim, eu amei. Fazer o que ne? Seria muito difícil me fazer desgostar de algo dessa serie

>>Ouvi que ainda pode sair um quarto livro, apesar de estarmos na espera desde 2012. Enquanto nós, semideuses, mantivermos Nova Éter viva, vai haver esperança de esse livro ser lançado
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jeferson 24/07/2020

Círculos e círculos e círculos....
Finalizando a trilogia Dragões de Éter, uma série cheia de referências, persongens de histórias clássicas, jogos, entre outras coisas, com dramas, guerras, tramas e reviravoltas, tudo o que uma boa fantasia pode ter.
Mesmo assim não me agradou, não funcionou.

O tipo de narrativa do autor tenta te aproximar mais do enredo de uma forma que particularmente não foi boa para mim. Na minha opinião o segundo livro é o melhor dos três, mas o terceiro me decepcionou bastante.

Achei certas passagens confusas e com descrições exageradas, adicionando elementos e outras personagens que não foram relevantes no desenrolar da história. O autor cria diversos suspenses nos fins dos curtos capítulos tentando te prender, mas nem sempre isso funciona. Além de repetições e trechos que soaram forçados e sem sentido.

Esperava um final mais épico e realmente emocionante e que de certa forma unisse todos o pontos de vista dos personagens, ou que ligassem uns aos outros de certa forma; isso infelizmente não aconteceu, deixando lacunas e brechas que poderiam ter sido preenchidas para uma harmonia final.

Como ponto positivo, gostei das capas e do acabamento da série. Espero gostar dos outros livros do Raphael Draccon, mas esse infelizmente não deu certo para mim.
comentários(0)comente



96 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7