O Assassinato de Roger Ackroyd

O Assassinato de Roger Ackroyd Agatha Christie
Agatha Christie


Compartilhe


Resenhas - O Assassinato de Roger Ackroyd


214 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


May 17/09/2018

Mais uma vez eu fui feita de besta
Em primeiro lugar: Parabéns Agatha Christie pelos 128 anos, em segundo: eu já não aguento mais ser feita de idiota por essa mulher.

O milionário Roger Ackroyd foi apunhalado pelas costas com sua própria adaga tunisiana, esse crime se juntou a outro que tinha ocorrido no mesmo dia. Hercule Poirot está passando férias na cidade quando recebe um pedido de ajuda para auxiliar a polícia no caso. Ele vai contar com a ajuda do médico James Sheppard para descobrir quem matou Ackroyd. Esse caso pode parecer muito fácil já que as evidências apontam para um suspeito de em potencial, mas as coisas não acontecem exatamente como é esperado.

Esse foi o meu quinto livro da Agatha Christie e eu sinceramente gostaria de dizer que descobri quem era o assassino mas a coisa definitivamente não foi assim. A Agatha passa o livro todo jogando a suspeita para determinado personagem, mas eu como uma pessoa desconfiada não acreditei muito nisso. Só que o personagem que eu achava que tinha cometido o crime também não foi.

Durante toda a leitura Poirot vai descobrindo alguns segredos que os personagens estavam guardando, mas mesmo com esses segredos sendo revelados não ajuda muito para a descoberta do mistério. Na verdade isso só serve para confundir a cabeça da pessoa.

A leitura flui muito rápida, o ritmo é acelerado, durante os capítulos a Agatha vai colocando soluções que as vezes tem efeitos e outras só servem pra deixar o leitor louco.

O final do livro deixa as pessoas completamente doidas. Eu duvido, D-U-V-I-D-O que alguém consiga descobrir quem é o assassino. É completamente impossível, quando eu descobri o que tinha acontecido fiquei olhando pra frente tentando entender o que tinha lido. Esse livro é a prova de que não se pode confiar em ninguém, absolutamente ninguém.

Foi um livro incrível, um dos meus preferidos da Agatha com toda certeza. Se vocês querem brincar de detetives e errar recomendo muito esse livro. A rainha do crime não está para brincadeiras.

site: instagram.com/meperdinoslivros
comentários(0)comente



Lucas 16/09/2018

Agatha Christie é sempre excepcional. Esse foi um dos raros casos em que li um livro dela já sabendo quem era o assassino, e isso foi bom para eu dar uma analisada no seu método de escrita e ver se existia alguma possibilidade de o leitor adivinhar o assassino. E não, não há.

Como é comum em seus livros, todas as personagens da trama possuem seus segredos, o que faz com que sejam todas suspeitas. Dessa forma, obviamente, o assassino sempre será uma surpresa (e, aqui, é uma surpresa ainda maior!), já que, para o leitor, qualquer pessoa ali possui motivos e oportunidades para cometer o crime. Esse é um método narrativo interessante (e típico da autora), porém um pouco decepcionante, já que nos priva de "investigar" o crime em conjunto com o detetive.

De qualquer forma, no geral, a leitura foi muito agradável. Saber quem era o assassino desde o início não atrapalhou em nada a minha experiência. A única coisa que me incomodou bastante foi a necessidade de o capítulo final mostrar que existiam, sim, dicas de quem era o assassino, como se nos dissesse "ei, veja só, você poderia ter adivinhado tudo logo no começo".

Além de ser algo semelhante com o que os filmes hollywoodianos fazem ao apresentar flashbacks nas cenas finais para explicar seus plot twists, as dicas são tão superficiais que não fazem diferença nenhuma (principalmente quando comparadas aos misdirection's para outros suspeitos). Acho que, no final das contas, esses artifícios são uma ofensa à inteligência do leitor/espectador.
comentários(0)comente



Deia 13/09/2018

Poirot volta
Neste livro Poirot esta de volta e aposentado,pode?
Bem, como sempre Agatha me deixou surpreendida, quem eu menos esperava foi o gênio do mau.
Incrível como ela leva a narrativa solta, sem excessos de palavras, flui tão bem quem mal sentimos o tempo passar.
Os personagens são profundos, dá para imaginar suas vidas antes do acontecimento fatídico.
O gênio do mau premeditou o crime, não foi um assassinato de ocasião, fez tudo minuciosamente, poderia ser um crime perfeito se Poirot não estivesse por perto.
Otimo!!!!!
comentários(0)comente



Andreika 02/09/2018

Surpreendente!!
Como sempre Agatha nos pega desprevenidos e joga aquele final duplo twist carpado na nossa cara!! Em certas horas eu até levantei algumas teorias, mas eram tantas pistas que fiquei perdida, confesso. O único porém são alguns detalhes da trama que achei levemente previsíveis, mas nada que atrapalhe a leitura. Com certeza um dos melhores dela!
comentários(0)comente



Victorrodriw 21/08/2018

21/08/2018 - data do término
comentários(0)comente



Vanessa 03/08/2018

QUE FINAL
Uma das obras primas da autora. Um assassinato, um mistério, um romance policial normal, como sempre ela escreve muito bem, e o tempo todo vc fica imaginado quem é e o final é simplesmente maravilhoso, surpreendente; quem gosta do estilo deve ler com certeza.
comentários(0)comente



Marina 30/07/2018

Surpreendente mesmo!
Que livro é esse, minha gente?! Já tinha lido vários da Agatha Christie, mas esse foi o único que realmente me deixou de queixo caído. Eu não tinha ideia de quem seria o culpado e fiquei muito surpresa com o final. Mas a melhor parte é ler uma história toda amarradinha, onde todos os detalhes vão pouco a pouco se encaixando até você descobrir a verdade. Adorei!
comentários(0)comente



arantex 29/07/2018

Agatha e seu talento
Sempre existem mistérios que te tornam um detetive ao ler os livros de Agatha Christie.
Leitorapaixonada 02/09/2018minha estante
undefined




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marieliton 27/07/2018

O assassino pode ser quem menos se espera
O milionário Roger Ackroyd foi assassinado apunhalado pelas costas por uma adaga tunisiana de sua coleção pessoal. Essa morte misteriosa se junta a outras duas ocorridas um pouco antes, na até então pacata vila de King’s Abbott. Para solucionar esse caso em que as evidências parecem apontar para vários suspeitos, a polícia local conta com ajuda do famoso detetive belga Hercule Poirot, que coincidentemente havia se mudado para aquela vila há pouco tempo. Em quem registrará as ações do famoso detetive para encontrar o assassino será o médico James Sheppard, que ao lado de Poirot, será uma presença essencial para elucidar o caso.

Esse foi o segundo livro da Agatha Christie que eu li, e no caso, foi o primeiro que conta com o seu famoso detetive Hercule Poirot. E devo admitir que ela realmente sabe como escrever um excelente romance policial. A cada capítulo um pedaço do quebra-cabeça pra solucionar o crime vai sendo descoberto e mesmo assim tudo ainda fica confuso. A todo momento o leitor fica com um novo suspeito e mais confuso fica a solução do crime. Mas não se deixe enganar, tudo, absolutamente TUDO, fará sentido no fim.

Aliás, que “fim” foi esse. Quando é revelado o(a) assassino(a) eu literalmente parei de ler e fiquei olhando pra o teto pensando “c-a-r-a-l-h-o nem vi chegando essa! Que foda!” 8)

Agatha Christie costura tão bem a trama que é difícil parar de ler. A todo momento você fica instigado a querer descobrir mais sobre o caso. Foi assim também quando li O Caso dos Dez Negrinhos. Manter aquele objetivo de ler “só mais um capítulo depois eu paro”, é bem difícil. Hahahah

Como foi o primeiro livro que li envolvendo Hercule Poirot, confesso que tinha uma certa expectativa quanto ao personagem. Já havia visto ele em dois filmes e tinha a impressão que ele era mais ou menos daquele jeito que era interpretado nos filmes, mas como eu me enganei. O cara se acha demais! Sério, não foram poucas as vezes que torcia pra alguém mandar ele parar de se sentir o último biscoito do pacote quando ele se gabava de alguma coisa. Mas apesar dessa minha “birra”, ele funciona muito bem na trama. Outra personagem que me chamou muito a atenção foi a irmã do Dr. Sheppard, Caroline. Se ela investisse na carreira, ela seria uma ótima detetive. 8P
comentários(0)comente



Natália | @tracandolivros 14/07/2018

Um dos melhores da autora!
James Sheppard é um médico em um lugarejo chamado King’s Abbot, naquela manhã, logo cedo, ele é chamado para ver a Sra. Ferrar, porém ele não podia fazer mais nada, ela havia morrido há várias horas, e diagnosticada por suicídio com os remédios de dormir. Durante o dia vai visitar o Sr. Ackroyd, um homem viúvo, que mora com o filho adotivo, sua irmã e sua sobrinha, mais os empregados.

Na visita Sheppard descobre que Ackroyd realmente tinha um romance com a Sra. Ferrars como muitos da vila suspeitavam, e que ela confessou-lhe na noite anterior que havia matado seu próprio marido, e que neste ano de luto ela estava sofrendo por extorsão, porém ela não revela de quem. Durante a entrevista de Sheppard e Ackroyd, o segundo recebe uma carta da Sra. Ferrars, que provavelmente conteria o nome da pessoa que estava lhe chantageando, e decide que deve ler sozinho.

Quando Sheppard volta para casa, recebe uma ligação de Parker, um empregado de Ackroyd, dizendo que encontrou o patrão morto em seu escritório. Sheppard vai correndo até a casa, e assim começam as investigações.

Durante toda a trama existem mais ou menos uns sete suspeitos, e quando mais se lê, mais em mais se engrandece. A Agatha foi extremamente genial nesse livro, todas as ideias que tive durante a leitura foram completamente erradas, isso que na maior parte dos livros de suspense atuais eu acerto boa parte das suposições, já com Agatha isso nunca funciona. No final do livro eu estava de cara no chão sem saber o que dizer e me sentindo a pessoa mais tonta do universo, se eu recomendo a autora e esse livro? Com toda a certeza!

site: https://www.instagram.com/p/BZwANTJgQQc/?taken-by=tracandolivros
comentários(0)comente



leila.goncalves 13/07/2018

O Excêntrico Vizinho
Três mortes seguidas, todas suspeitas e envolvendo os protagonistas de um suposto triângulo amoroso, é um assunto que vem tirando o sossego de Miss Sheppard, uma solteirona especializada na arte de bisbilhotar a vida alheia. Aliás, irmã do único médico de um pacato vilarejo, os pacientes e suas famílias são uma boa oportunidade para mantê-la a par de qualquer notícia.

Nem o novo vizinho escapa de sua curiosidade. Trata-se de um tipo excêntrico com um elegante bigode que, recém-aposentado, vem se dedicando ao cultivo de abóboras. Talvez você o conheça, seu nome é Hercule Poirot...

Publicado em 1926, "The Murder Of Roger Ackroyd" é o sétimo livro e o primeiro grande sucesso de Agatha Christie. Também é a narrativa mais controversa da literatura policial graças a ousadia e ineditismo. Afinal, foi ela quem primeiro abdicou do tradicional "fair play" que caracterizava o gênero.

Aliás, por pouco a Rainha do Crime não foi expulsa do seleto "Detection Club", uma entidade que congrega escritores do gênero cujo código de ética, bem mais severo na época, deve ser respeitado pelos seus membros. Sua acusação: não jogar limpo com o leitor. De uma longa lista, sem dúvida, essa foi uma de suas maiores travessuras.

Enfim, seja bem-vindo a pequena King's Abbot! Com inúmeros suspeitos e pistas falsas, tome cuidado, pois entre seus moradores vive uma das mais dissimuladas personagens que já conheci, um lobo ou uma loba em pele de cordeiro. Você vai se surpreender...
comentários(0)comente



João Pedro 09/07/2018

Précisément, meu caro James
O Assassinato de Roger Ackroyd é o sexto livro que leio da magistral Agatha Christie, e, como sempre, não me decepcionei. Mesmo assim, não sei se algum livro da autora ultrapassará a grandiosidade de E Não Sobrou Nenhum, o melhor livro de mistério que já li.

Na história, o milionário da vila de King?s Abbott, Roger Ackroyd é misteriosamente encontrado morto, esfaqueado por um objeto que o próprio possuía. Tal crime sucedeu outros dois crimes, o que, por uma série de fatores, acaba chegando aos ouvidos do nosso amado detetive Poirot, que se prontifica para investigar o mistério.

Como esse é apenas o segundo livro que leio com Poirot no posto de detetive, ainda não consegui simpatizar muito com ele. Mas acredito que seja apenas questão de tempo.

Enfim, a leitura é envolvente, fácil e flui muito bem. E no decorrer da história fui feito de bobo pela Agatha, já que mudei de opinião sobre a identidade do assassino inúmeras vezes, o que no final acaba sendo divertido. Em relação aos personagens, ouso dizer que minha preferida é Caroline, irmã de James.

Quanto ao final do livro, não me decepcionou nem um pouco, e mesmo que após a leitura vi que algumas pessoas, ao ler o livro, já desconfiavam da identidade do assassino, fui pego de surpresa e fiquei muito satisfeito com a conclusão. Por enquanto o único livro da Agatha em que descobri o assassino foi Nêmesis.
comentários(0)comente



Ana @minhacolecao.livros 06/07/2018

Muito bom!!
? #resenhadaana?????
?????????
Olá meus amores e minhas amoras, tudo bem com vocês? Terminei de ler o meu primeiro livro da minha TBR de junho e agora vou compartilhar com vocês a minha resenha!!
?????????
? O assassinato de Roger Ackroyd - Agatha Christie
?????????
Esse livro faz parte do meu projeto da Agatha Christie onde estou fazendo a leitura cronológica dos livros dela. Ele foi o sétimo livro publicado pela autora. Foi lançado no ano de 1926.
?????????
????? Roger Ackroyd é um homem muito rico, ele mora na casa Fernly Park, uma das casas mais importantes da cidade.
?????????
????? Ele tem um enteado chamado Ralph Paton que vive endividado e sempre vem lhe pedir empréstimos. Em sua casa, vive a irmã de Roger, Sra. Ackroyd, e sua sobrinha a Flora.
?????????
????? Além dos familiares, vivem na casa os empregados, o Secretário Particular de Roger Ackroyd, a Governanta Miss Russel e um amigo Major Blunt.
?????????
????? Uma noite Roger chama seu melhor amigo, o Dr. Sheppard e lhe faz uma confissão, dizendo que uma amiga estava sendo chantageada e acabou se suicidando, pois não aguentou a pressão do chantagista. Só que ela havia escrito uma carta dizendo quem era o homem que lhe estava tirando o sono.
?????????
????? Mais tarde, naquela mesma noite, Dr. Sheppard estava em casa com sua irmã e recebe um telefonema dizendo que seu amigo havia sido assassinado.
?????????
????? Ele vai para Fernly Park e junto com os detetives observa o corpo para dizer mais ou menos a hora que Roger morreu. Então começam as investigações, e todos da casa tem seus motivos para cometer o crime. Seu enteado é o principal suspeito e como está foragido, tudo indica que ele tenha cometido o assassinato, porém a Flora, sobrinha de Roger, contrata o famoso Hercule Poirot para investigar esse caso.
?????????
????? Poirot junto com o Dr. Sheppard começam a seguir as pistas e fazer muitas descobertas. Até que o cerco vai se fechando e um final surpreendente e impensável acontece!!
?????????
Que livro heim!! Sabe quando estamos lendo e de repente nos pegamos incrédulos e de queixo caído, foi assim quando descobri quem era o assassino e os motivos que levaram essa pessoa a cometer o crime!! ?
?????????
Agatha Christie, como sempre, nos instiga com suas histórias e mistérios!!! Livro bom demais!!! Espero que tenha gostado da resenha!!!
comentários(0)comente



Heloise.Schiavini 02/07/2018

Final ao estilo Agatha Christie
A escrita da autora não é das mais fáceis, não flui naturalmente, exige um leitor paciente e experiente. Todos são suspeitos e as pistas se encaixam perfeitamente no desfecho final ao estilo da Rainha do Crime, Agatha Christie. Surpreendente.
comentários(0)comente



214 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |