O Assassinato de Roger Ackroyd

O Assassinato de Roger Ackroyd Agatha Christie
Agatha Christie




Resenhas - O Assassinato de Roger Ackroyd


198 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


devidal 07/06/2018

Legal
Definitivamente romance policial não é meu forte, não tenho paciência para pescar os detalhes, só queria chegar ao final do livro para saber quem matou o Roger. O livro não é ruim, percebi que não é meu gênero literário favorito.
comentários(0)comente



Amigas da Literatura 06/06/2018

Maravilhoso!
Agatha Christie desenvolveu um fantástico romance policial, com a narrativa envolvente desde o primeiro momento, num tom amigável de quem conta um caso a um amigo, e acabamos envolvidos na resolução de um assassinato. A pequena King's Abbot é pitoresca e o livro nos ambienta de tal forma que até podemos nos ver andando por suas ruas, conversando com seus ótimos personagens. Agatha Christie apresentou um de seus melhores casos, com camadas mais densas do que pode julgar o leitor desapercebido e entrelinhas perspicazes. Recomendado a todos que procuram um livro de trama policial inteligente e - melhor parte: imprevisível!.

site: https://www.instagram.com/p/BhutMEJH4dV/?taken-by=amigasdaliteratura
comentários(0)comente



Aline 15/05/2018

Esse foi fácil!
Medo de fazer resenha de um livro policial e soltar um spoiler, mas bem, vamos lá:

Uma reunião entre amigos e família e um inesperado assassinato. Aqui começa a trama que envolve várias pessoas presentes na casa no momento da tragédia. Todos são suspeitos. Mas quem será o verdadeiro culpado?

A história é narrada pelo bom e leal dr. Sheppard, médico e amigo de confiança da vítima, que junto a Poirot, o famigerado detetive, tentará desvendar os mistérios desse crime.

Ágatha nessa narrativa nos envolve completamente, nos jogando dentro do cenário onde tudo se passa. Morte, suicídio, chantagens, herança, ganância... Podemos ver claramente todos os movimentos, todas as cenas como se lá estivéssemos, acompanhando tudo de perto. Ágatha nos conduz por um enredo muito bem trabalhado e muito amarradinho. Um livro tão fluido que é quase impossível largar. Queremos logo saber o desfecho disso tudo.

E o final? Bem, esse eu desconfiei logo após o assassinato e as minhas suspeitas foram certeiras. Bem que a autora tentou me persuadir, mas dessa vez não deu. Touchê! Pela primeira vez desvendo um mistério da rainha do crime. Ainda assim, o livro não perde o brilho. Gostei muito.
Thiago 16/05/2018minha estante
E eu jurava que você não ia adivinhar, tendo em vista o modo inovador que ele foi escrito na época. Acho que a subestimei. Touché, minha cara!


Aline 16/05/2018minha estante
Acho que estou pegando a manha. Hahaha Fiquei atenta à todas as falas. Sabia que era a tal pessoa.




Priscilla 03/05/2018

Preconceituoso como toda história de Agatha Christi
Todos os livros que leio de Agatha Christi me deixam triste por pensar por que uma escritora de sucesso, já em pleno século XX, não poderia ter tido uma opinião melhor sobre seu próprio gênero? Suas histórias infelizmente são cheias de preconceito subliminar dirigido às mulheres ou às vezes bem direto e grosseiro. Apesar dos enredos serem aceitáveis, no final, seus livros são sempre sexistas e preconceituosos...
Poderia citar vários trechos em que fala das ?solteironas? com desdém e lugares comuns (até entendo que em sua época as mulheres que não se casavam eram mal vistas, mas francamente, ela deveria ser pelo menos mais inteligente que a maioria!!!), ou quando fala da estupidez femenina como algo natural e esperado. Neste livro há varios trechos péssimos que podem passar desapercebidos pelo leitor desatento. Há um trecho específico em que Um personagem comenta que as mulheres falam tantas besteiras que é comum acertarem então, algumas vezes, a verdade por pura sorte, e que isso é entendido como intuição pelo senso comum. Chocante!!
Foi o último livro que li da autora. Recuso-me a ler outros, sou muito lúcida para relevar esse tipo de mensagem.
Samuel 14/05/2018minha estante
Tem uma ilha sendo construída para pessasoa politicamente corretas como você, já vai fazendo suas malas!




Fimbrethil Call 18/04/2018

Ótimo!
Adoro Agatha Christie, e esse livro é muito bom! Não lembrava que eles achavam que o Poirot era um cabeleireiro aposentado hahhahahahahahaha
comentários(0)comente



Marcelly.Cordeiro 21/03/2018

O assassinato de Roger Ackroyd
Preciso falar... A Agatha Christie é foda!
Livro maravilhoso. Incrível como essa autora nos leva por caminhos tortuosos, eu já desisti de tentar desvendar um único mistério dessa mulher... É impossível!
Nesse livro embarcamos em mais uma aventura de Hercule Poirot, o melhor detetive de todos os tempos.
Pela visão de um médico que encontra o corpo de seu amigo assassinado, acompanhamos Poirot desvendar mais um crime de forma brilhante.
A narrativa da Agatha é simplesmente incrível, impossível não se envolver na história e embarcar de cabeça no livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Dan 14/02/2018

Para amantes de Sherlock Holmes
Deixando o resumo de lado, esse livro é um típico romance policial de investigação, onde as suspeitas caem, em algum momento, sobre TODOS os participantes da trama. Inicialmente pode-se julgar desnecessário a ênfase em alguns personagens ou determinados capítulos, mas a medida que o livro avança percebemos que absolutamente nada foi escrito nele a tôa.
É um livro cheio de reviravoltas (plot twists) que fazem com que o leitor direcione suas suspeitas para personagens distintas durante toda a história. Tem uma escrita simplista e discorrida, prendendo nossa atenção cada vez mais.
Em geral, Agatha Christie fez aqui um título digno de boas avaliações, porém não apresenta nada de novo do que já conhecemos.
comentários(0)comente



J R Corrêa 11/02/2018

O Assassinato de Roger Ackroyd
Que mistério envolve a morte de Roger Ackroyd, um dos mais ricos moradores de uma cidade rural?
Encontrado morto em sua casa, apunhalado com uma sua adaga, o personagem leva Hércules Poirot, o famoso detetive belga que se vê envolvido na resolução do crime, a lançar mão de todos seus artifícios para encontrar o culpado. Isso, porque a principal suspeita recai sobre o enteado do falecido, o qual herda uma grande soma de dinheiro.
Entretanto, por haver muitas pessoas na casa, cada qual com seus motivos para talvez ter assassinado o dono da casa, as pistas e acontecimentos se confundem, e o livro, escrito na pessoa do médico da cidade, a quem coube auxiliar na investigação, bom como foi uma das pessoas presentes na hora descoberta do corpo e também havia estado com o falecido há alguns momentos.
Apesar das dificuldades, Poirot consegue admiravelmente desvendar o mistério e acaba surpreendendo todos com o resultado de suas investigações. A pessoa que parecia a mais inocente em todo o caso era justamente aquele que havia causado todo o acontecimento.
O responsável pelo assassinato era uma pessoa muito ligada a Roger Ackroyd, e que fica sabendo que uma ex-namorada dele que se suicidou a algumas semanas, havia deixado uma carta incriminando alguém por chantageá-la. Essa mulher havia assassinado seu marido para receber a herança e seu segredo havia sido descoberto. Para se aproveitar do que havia acontecido, o assassino havia chantageado a viúva até que ela resolveu se suicidar e contar o que acontecera. Ao saber que seu segredo iria ser descoberto, ocorreu o assassinato da pessoa a quem se destinava a carta escrita.
Hercules Poirot provou sua superioridade ao fazer com que o assassino, o médico, tivesse que admitir para ele o que havia feito, e deu a ele a chance de se suicidar, vingando a sim o assassinato e zelando pela reputação de seus familiares que continuaram não sabendo sobre o que realmente acontecera.
comentários(0)comente



Michel 05/02/2018

Quem ou Por quê?
Livro inserido pelo jornal francês 'Le Monde' como um dos 100 melhores do século XX.
A autora, como de costume, não faz o leitor de bobo e joga os fatos e a solução do caso na nossa cara.
A história é narrada pelo médico da vila, Dr. Sheppard, e não pelo detetive Poirot, o que torna interessante a forma de assimilar os fatos e digerir as informações.
Todos são suspeitos, impossível não desconfiar de todos eles.
Com o decorrer da trama o mistério 'quem foi que matou?' se torna tão intrigante quanto o 'por que matou?'.
Livro fabuloso!
comentários(0)comente



Debyh 20/01/2018

Chegamos ao último livro do projeto “6 Meses com a Rainha do Crime” e tenho que dizer que fechamos muito bem. Posso afirmar que de todos os livros que eu nunca tinha lido dela, este com certeza foi meu favorito. Tinha um pouquinho de tudo: um narrador no qual você precisava acreditar, famílias com problemas e nosso detetive Poirot plantando abobrinhas (?). Não faltou nada!
Roger Ackroyd foi encontrado morto, mas a lista de suspeitos não é tão pequena quanto nos levam a acreditar, o motivo do crime muito menos. Poirot terá que sair de suas férias para resolver este crime que é cercado de segredos.
(continua no link)

site: http://euinsisto.com.br/o-assassinato-de-roger-ackroyd-agatha-christie/
comentários(0)comente



Karla Lima - @seguelendo 14/01/2018

Esse livro foi o marco zero em meu retorno aos livros da Rainha do Crime. Passei muitos anos sem pegar em uma obra sequer de Agatha Christie e, ao terminar a leitura, só pensei: que retorno maravilhoso!

O mistério do livro gira em torno da morte do milionário Roger Ackroyd, esfaqueado com uma adaga na mansão Fernly Park na pacata vila de King’s Abbott. O assassinato do fidalgo industrial é a terceira de uma misteriosa sequência de crimes, iniciada com a de Ashley Ferrars, que pode ter sido causada ou por uma ingestão acidental de soníferos ou envenenamento articulado por sua esposa – esta, aliás, completa a sequência de mortes, num provável suicídio.

A história se passa através do ponto de vista do doutor Sheppard, médico e amigo do morto, que acaba participando das investigações ajudando o nosso já conhecido Hercule Poirot, agora aposentado, disposto a realizar mais um trabalho.

A trama é interessante e, como sempre, ficamos tentando adivinhar quem foi o responsável. Além disso, mentiras e crimes paralelos nos confundem a ponto de pensar que qualquer um poderia ter cometido o crime. É um livro instigante, de leitura fácil e rápida, apesar de ter sido publicado pela primeira vez em 1926. Agatha tem essa magia: seus livros possuem uma linguagem que é acessível e muito gostosa de acompanhar.

Recomento "O assassinato de Roger Ackroyd" e afirmo que, dentre tudo que já li da autora, é uma das minhas obras favoritas.


site: https://www.instagram.com/seguelendo/
comentários(0)comente



Vickie 14/01/2018

Ótimo livro!
Gente, que final maravilhoso! Único livro da Agatha que eu não formulei nenhuma teoria durante o desenrolar da trama. Revelação totalmente surpreendente. 5 estrelas com certeza!
comentários(0)comente



Luiz 05/01/2018

De tirar o fôlego
A leitura vai se estreitando meticulosamente até o desfecho sensacional. É o segundo livro que leio da autora, sendo o primeiro E Não Sobrou Nenhum.
Depois disso, pretendo ler mais e mais da Agatha!
comentários(0)comente



Taináh Alves 31/12/2017

Surpreendente!
Como lidar com esse livro impressionante? Simplesmente aturdida. A rainha do crime, como sempre, nos surpreendendo. Em momento algum imaginei esse final. Estou completamente chocada!
comentários(0)comente



198 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |