A Vida Invisível de Addie LaRue

A Vida Invisível de Addie LaRue Victoria Schwab
V.E. Schwab




Resenhas - A Vida Invisivel de Addie Larue


315 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Queria Estar Lendo 10/07/2021

Resenha: A Vida Invisível de Addie LaRue
Mais um livro que me coloca num beco sem saída, porque eu simplesmente não sei como explicar em palavras o que foi a leitura de A Vida Invisível de Addie LaRue. É, definitivamente, o trabalho da vida da V.E. Schwab e nota-se desde a primeira até a última linha.

Na história, estamos na França durante os anos 1700, em uma pequena vila no meio do nada. Adeline LaRue confronta o finito em uma crise de pânico, forçada a se casar jovem, e foge para a floresta a fim de oferecer qualquer coisa em troca de liberdade. Só que, quando ela pede para um deus, é a escuridão que responde, e eles selam um acordo: Addie dá sua alma em troca da imortalidade.

O preço? Ninguém além da escuridão vai se lembrar dela. Addie é imortal, mas seu rosto, seu nome, sua história - tudo isso se apaga assim que a pessoa que a conhece vira de costas para ela. O livro transita, então, entre os primeiros anos de imortalidade e seu presente, trezentos anos depois, em Nova York - com uma Addie mais madura e ciente de sua maldição.

É em meio a esse marasmo que ela conhece Henry e, para seu completo choque, percebe que o rapaz se lembra dela. Trezentos anos depois, Addie deixou de ser invisível para alguém.

"Livros, ela descobriu, são uma maneira de viver milhares de vidas - ou de encontrar forças para aguentar uma vida muito longa."

Eu... Nem sei por onde começar? A Vida Invisível de Addie LaRue me atraiu desde que a Schwab anunciou que estava finalizando o arquivo; ela demorou dez anos para escrever esse livro, e dá para perceber isso em cada frase, palavra e cena. É um trabalho impecável - mas não sem falhas - e emocionante e melancólico do começo ao fim.

ESSE LIVRO TEM UMA DAS NARRATIVAS MAIS BONITAS QUE JÁ LI NA VIDA! É uma poesia tão triste e solitária e desesperançosa, mas cheia de amor pelo mundo e pela infinidade de coisas que surgem no caminho da Addie com o passar dos anos e com seu amadurecimento a respeito da maldição que carrega.

Sim, ela é esquecível - mas pode deixar seu legado através da arte, da literatura, da música. Sim, quem se apaixona por ela esquece esse sentimento - mas Addie guarda consigo as memórias e os momentos dos quais jamais vai se esquecer.

"Como você anda até o fim do mundo?
Um passo de cada vez."

E ao mesmo tempo em que isso é bonito, é tão, tão triste. Com exceção de Luc - o deus da escuridão que tomou sua alma - Addie está sempre sozinha. E os primeiros anos de sua solidão são desesperadores porque ela não tem mais uma família, amigos, não tem mais um espaço em seu antigo lar; ela foi completamente apagada do mundo, mas precisa sobreviver nele.

Eu amei como a autora construiu seus rompantes de absoluto terror e desamparo no passado para, com a quebra dos capítulos, mostrar a figura amadurecida e consciente e concisa que é Addie no presente; em Nova York, ela sabe o que fazer e quando fazer. Ela sabe quando virar as costas - até que, ao virar as costas para Henry em uma livraria, ele não se esquece dela.

E todo o seu mundo vira de ponta cabeça, porque existe alguém, em trezentos anos, com que ela pode existir. Ser. Alguém com quem Addie pode dividir sua história, seu passado e presente, sua maldição.

"Sete sardas. Uma para cada amor que ela teve."

Eu não quero falar muito do Henry porque a graça do personagem está justamente no mistério. Quem é ele? Por que ele se lembra da Addie? Por que ele carrega uma aura tão triste e soturna? As respostas chegam com o tempo, construindo tensão e suspense, e são arrasadoras. E importantes para o desenvolvimento da trama, principalmente para o seu final.

Esse é um livro total e completamente dedicado a Addie LaRue. À sua memória, à sua existência, mesmo que completamente apagada do resto da história; ao que ela viveu e confrontou e temeu. Aos seus piores e melhores momentos e ao caminho que trilhou porque seguiu seu desejo. Egoísta e imaturo, sim, mas que ganhou tons mais conscientes com o tempo. Um desejo doloroso e impetuoso de viver para sempre - distorcido por uma escuridão debochada que resolveu apagá-la dessa eternidade, mas que não conseguiu apagar sua marca no para sempre.

"O que é uma pessoa, se não as marcas que ela deixa?"

Luc, aliás, tem grande destaque da metade do livro para sempre - e eu já estou preparada para revirar os olhos com comentários de que ele e Addie se apaixonaram e nasceram um para o outro e ela é a luz para a escuridão dele e toda essa baboseira sem sentido (mesma coisa que eu vivo quando escuto alguém dizendo que gosta de Darkling e Alina juntos).

Personagens com o Luc e o Darkling manipulam, abusam (física e psicologicamente) e querem destruir a personagem até não sobrar nada além de uma sombra dela mesma.

A ideia do Luc na história, pelo menos para mim, é o peso de um relacionamento abusivo sem fim. Ele é aterrorizante em alguns momentos e doce em outros, é tentador, sedutor, é belo e apaixonante, e então é furioso e perigoso; ele é um peso determinado a quebrar Addie para arrastá-la até a escuridão eterna, e ela se recusa a quebrar. Ela é forte, ela é teimosa e é incrível por isso. Ela sabe o quanto ele é nocivo, mas também sabe que não tem como se livrar dele a seus termos.

"Adeline LaRue não pode ser uma estranha aqui, para essas pessoas que ela sempre conheceu. Dói demais assistir enquanto se esquecem dela."

A jornada de Addie LaRue fala, principalmente, sobre legado. Sobre a marca que você deixa no mundo. Para citar Hamilton, "o que é um legado? É plantar sementes em um jardim que você nunca vai ver florescer?"; eu me lembrei muito desse trecho enquanto lia, enquanto via Addie lutando contra a maldição para sussurrar inspirações em músicas e pinturas e esculturas, para deixar pequenos lembretes de que esteve ali. Viveu ali. Será lembrada ali.

Quanto a mim, eu só posso dizer que todo esse livro vai ficar guardado no meu coração para todo o sempre. A história de uma garota que implorou por infinidade para a escuridão e, em meio a terrores e felicidades, trilhou sua história através de uma maldição.

site: https://www.queriaestarlendo.com.br/2020/11/resenha-invisible-life-of-addie-larue.html
comentários(0)comente



felsher 09/08/2021

nunca ore aos deuses que respondem após o anoitecer
Addie não consegue deixar uma marca no mundo, mas com certeza deixou uma em mim.

"Meu nome é Addie LaRue. Nasci em Villon no ano de 1691, meus pais eram Jean e Marthe, e morávamos em uma casa de pedra logo depois de um velho teixo ..."

Esse livro é significativo de tantas maneiras que não consigo por em palavras tudo que sentir ao ler.

"As idéias são muito mais selvagens do que as memórias, que desejam e procuram maneiras de criar raízes"

O livro vai alternando entre passado e presente. É literalmente a vida de Addie LaRue. Não tem um plot tipo UAU, achei "monótono" e cansativo em algumas partes por não ter uma "ação", mas entendo. É sobre uma vida. É a vida de Addie LaRue.

"Eu não queria viver para sempre. Eu só queria viver"

As partes em que o Luc aparece trás um peso e significado que me fizeram refletir sobre muitas coisas. Devemos tomar cuidado com o que queremos, pedimos e para quem pedimos. Tudo tem um preço.

"E não importa o quão desesperado ou terrível seja, nunca ore aos deuses que respondem após o anoitecer."

Henry é o único que consegue se lembrar de Addie, mas pq? o que faz dele diferente das outras pessoas?

Addie LaRue é um livro triste e melancólico. Alguns pontos não me agradaram, mas acho que o que mais me deixou "marcada" nessa leitura foi o significado e intensidade de toda história e as reflexões que me proporcionaram.

Nunca parei pra pensar o quanto um nome pode ser tão importante. Eles trazem significado e poder.

Addie LaRue, você é inesquecível.

"você não pode fazer as pessoas te amarem. Se não for uma escolha, não é real"
comentários(0)comente



Let 24/09/2021

Eu nunca vou esquecer da Addie LaRue
Sabe aquele tipo de livro que você termina e fica encarando o teto? Pois é! Que livro!

Achei o começo um pouco arrastado. Muitos capítulos explicando a maldição da Addie, com ela viajando e só. Empaquei um pouco porque ficou cansativo, eu já tinha entendido. Mas quando ela finalmente conhece o Henry e ele se lembra dela? AI SIM! Eu devorei!

A história tem muitos gatilhos como prostituição, abuso, violência, etc, mas é aquela dura realidade que precisamos ler! O livro é uma viagem histórica, já que acompanhamos a Addie ao longo dos seus mais de 300 anos!

A melhor parte: muita representatividade: gay, lésbica e pan! Acho que ninguém é hétero nesse livro! E a sexualidade é tratada com muita naturalidade pela autora!

O plot do livro é previsível. Tanto o motivo do Henry lembrar dela como o final, mas não deixa de ser emocionante! Chorei horrores! Amei o livro! Amei a Addie e o Henry!
comentários(0)comente



Graciela Reis 31/08/2021

Adeline LaRue deixou sua marca em mim.
Eu nunca vou conseguir fazer uma resenha digna desse livro. Foi uma das melhores experiências literárias que já tive na vida. Addie LaRue conseguiu roubar o meu coração, que até então pertencia a Evelyn Hugo, mas agora Addie é a minha personagem favorita da vida. Se ela queria deixar sua marca, ela com certeza conseguiu.

Nesse livro fantástico a gente vai conhecer a Adeline LaRue, uma jovem francesa de 23 anos que está cansada de se sentir presa a sua pequena vila. No dia do seu casamento ela foge e faz um pacto com a escuridão para não pertencer a ninguém ou a lugar nenhum. Ela se torna imortal, mas seu pedido tem um custo alto e ela passa a ser esquecida por todos. Uma virada de costas e Addie é apagada da memória das pessoas, é assim que ela vive por 300 anos até parar num sebo e encontrar um rapaz que se lembra dela.

Já na sinopse do livro a gente descobre que a Addie não queria pertencer a ninguém, e ela não pertenceu a ninguém. Ela só pertenceu a ela mesma até a última palavra do livro. E essa foi uma das coisas que mais mexeu comigo durante a leitura, esse ?não querer pertencer?, essa liberdade e curiosidade incrível. Em diversos momentos me vi na Addie, me identifiquei com suas decisões, sua persistência e seu jeito desconfiado. No livro acompanhamos a jornada dessa personagem maravilhosa sendo alternada entre o passado e o presente. Muitas coisas acontecem no decorrer dos séculos, ela sobreviveu a revoluções e as guerras, atravessou continentes e viveu. Apenas isso: Viveu.

?Às vezes, a vida pode parecer muito longa, mas, no fim das contas, passa rápido demais.?

A construção que a autora da pra personagem é PERFEITA. Se apaixonar por Addie foi como cair no sono, aconteceu devagarzinho e sem que eu percebesse. No começo do livro me senti um pouco entediada, quase devolvi o ebook (que não foi barato) pra Amazon, mas não tive coragem e continuei a ler. Conforme os capítulos passam a história se torna mais interessante, conhecemos mais os personagens, eles vão ganhando forma e tudo vai fazendo mais sentido. Quando você percebe já está submerso e não consegue parar de ler.

A escrita da Schwab é sensacional, muito madura e de muitíssima qualidade. Mesmo o livro sendo um pouco lento, sem cenas de ação e reviravoltas chocantes, a escrita fluida te mantém preso a narrativa. A leitura se torna mais ágil no final, quando segredos vão sendo revelados e as decisões tomadas. Depois dessa experiência maravilhosa eu pretendo ler tudo que a Schwabinha escrever/escreveu.

O livro é simplesmente uma obra de arte. Eu terminei ele e quis começar a ler novamente assim que acabei. Marcante, sensível, intenso e extraordinário. Leiam! ?
Cleber 01/09/2021minha estante
Adorei a resenha :)


Roberio Mendes 01/09/2021minha estante
???


Clara Azevedo 02/09/2021minha estante
É livro único?


Graciela Reis 02/09/2021minha estante
Sim, Clara. ??




teentitans 11/09/2021

ainda bem que td mundo se esquece da addie pq eu também vou
@outraleitura

Eu tenho uma relação de ?ame ou odeie? com os livros da Schwab: alguns eu amo, outros eu odeio, até hoje não consegui encontrar um meio termo - um livro dela que eu possa classificar como mais ou menos.

A história de Addie Larue tinha tudo pra se tornar uma das minhas favoritas, mas todo o lance de pacto com o demônio, séculos de vida, e uma única pessoa conseguindo se lembrar da Addie acabou se mostrando muito decepcionante.

Addie Larue não precisa de um pacto pra ser esquecida. A chatice faz isso por ela.
Sendo uma personagem que não acrescenta em nada, apesar dos muitos anos vividos, Addie tá na mesma categoria ?eu não sou como as outras garotas? das personagens de um young adult qualquer. É a protagonista básica, que se torna uma musa inspiradora em que o maior traço da personalidade é ter sardas no rosto.

E tudo no livro é básico, não tem outra palavra. Desde Addie até o Henry, o mocinho sem personalidade que consegue se lembrar dela, e Luc, o demônio que não segura a peteca de ser um demônio perdendo até pras assombrações de filmes meia boca.

O texto, então, foi provavelmente o que mais me irritou. Cheio de metáforas e repetitivo (sardas como estrelas), V.E. Schwab, que alguém me disse que levou 10 anos pra escrever o livro, deve ter tido a intenção de que os leitores também demorassem 10 anos pra ler. São 504 páginas de um amontoado de acontecimentos idênticos (sardas como estrelas), o uso desenfreado da palavra palimpsesto e metáforas forçadas.

(Eu já disse que as sardas são como estrelas?)

Resumindo: Addie Larue é uma chata que queria viver. Viveu 300 anos e não tem o mínimo de bagagem que uma pessoa dessa idade teria, só aprendeu a roubar.

Foi uma luta pra chegar ao final. Com certeza um dos piores livros que eu já li.

(Mas ela tem sardas como estrelas!!!)
Mari 11/09/2021minha estante
O título KKKKKKKKKKK


quel 11/09/2021minha estante
nossa amg não me desanima assim


Beatriz 11/09/2021minha estante
cara eu tô gostando, tô na metade?. mas isso aí eh muito real. ela não tem nada mais além de sardas e sabe roubar. Nem dá pra dizer que foi esquecimento pq ela se lembra de tudo, mas o que ela aprendeu? ela só passou passiva, parte pela maldição, mas dentro dela não dá pra ver mudança além de um amontoado de fatos que não se tornam nada mais


Carla Aires 11/09/2021minha estante
Kkkkkkkk socorro, eu tô gritando! Acabei de ler o livro e te entendo. Que livro cansativo!!! Puta potencial desperdiçado... A Addie e o Henry são dois pombos. Realmente, ela não parece ter bagagem nenhuma desses 300 anos além de ficar se lamentando e culpando o Luc por um pacto que ela mesma fez e admite que faria de novo!! Isso da autora ter levado 10 anos pra escrever só pode ser piada!!!


pedro máximo 12/09/2021minha estante
KKKKKKKKKKKSOCORRO




Taty 13/09/2021

Incrível perfeito
O skoob não tá deixando eu avaliar essa obra de arte com 5 estrelas, mas assim que eu conseguir venho aqui mudar essa nota.
Um absurdo poder avaliar isso com apenas 2 estrelas, o ápice do absurdo.
Nunca fiquei tão feliz por não ter adivinhado o final de um livro, foi o melhor possível
comentários(0)comente



Denise 29/08/2021

Não tem como não se apaixonar por Addie. Amei a escrita, a trajetória criada pela autora e todos os momentos vividos por nossa protagonista. O livro só não se tornou um favorito por que achei Addie muito limitada com relação aos lugares que ia e seu tempo de permanência, achei que ela podia ter feito mais para burlar sua maldição, ela não pode ser lembrada mas poderia ter feito muito mais por si mesma (eu acho). Adorei Henry e achei ele um amorzinho, porém uma boa terapia teria resolvido muito. Eu torci pela escuridão, personagem apaixonante e deturpado ( não sei o quanto isso me faz parecer louca) mas ele era por quem eu sempre esperava.
comentários(0)comente



Thayse 23/09/2021

Primeiramente, eu amei a escrita da autora. Um livro bem gostoso de ler. Addie é uma personagem que conquista e deixa a pessoa na curiosidade de saber tudo que ela viveu.
Sobre o final, eu gosto de finais como o desse livro, deixa um ?ar? de não finalizado e faz com que o leitor continue pensando no livro.
Eu amei e super recomendo
Raquel 23/09/2021minha estante
Eu adoro a escrita da Schwab, e todos os que li dela tem esse estilo de finalização aberta; ainda não terminei esse, mas recomendo ela, Tons de Magia é uma das minhas trilogias favoritas!


hevs 23/09/2021minha estante
addie e luc sao perfeitos ne


Thayse 25/09/2021minha estante
Já está na minha lista o Tons de magia ?




feehsousa5 12/09/2021

maravilhoso
esse livro é maravilhoso, história boa demaaaaaais, eu amei ele e muito mais esse final que é a cara da addie. sendo sincera teve momentos que eu não aguentava mais e ficava de saco cheio da história, nada que me fizesse ter vontade de largar o livro de vez, mas em alguns momentos toda a trama descarrilhava, ficava lento e parecia uma grande encheção de linguiça pro livro ficar maior
Ingrid 12/09/2021minha estante
medo de ler agora, tenho pavor de livros parados demais




@Livros_magia1 30/08/2021

“ As idéias são mais indomáveis do que as lembranças."
Pois é, terminei o livro que mais queria ler no ano. Dessa vez criei muitas expectativas, por isso no começo não consegui me conectar com a historia. (Odeio criar expectativas pq sempre dá nisso) Mas, depois da parte 2 (O livro é dividido em 7 partes) a coisa engrenou e ai não consegui parar de ler. Esse livro é com certeza o meu favorito desse ano e entrou para lista da favoritos da vida.
A historia mostra os sentimentos e conflitos internos das pessoas, acho que é isso que toca mais.Perguntas fundamentais como: O que você quer da sua vida? Você não é suficiente para as pessoas? ( Essa doeu em mim). Quanto custa sua liberdade? Vale a pena viver? – Enfim, um livro para fazer você ficar reflexivo sobre a vida. AMEI. Recomendo sempre.
Trecho: “ Nada é só bom ou só ruim. A vida é muito mais complicada. ”
comentários(0)comente



Maria 16/09/2021

livro absurdo de bom
leitura fluída, que te prende muito, não fica chato mesmo!! vc sente um misto de emoções a cada capítulo. muito poético, vc viaja entre as décadas, tudo muito leve e bonito. addie é maravilhosa e todos os personagens te cativam. simplesmente perfeito.
Carol 17/09/2021minha estante
Oi, eu queria saber se tem romance ou o romance fica em segundo plano? Tô curiosa pra ler principalmente por tantas resenhas positivas ...


Maria 17/09/2021minha estante
Oie, então, mesmo não sendo totalmente o foco tem romance simmm! Vale muito a pena ler!!!


Carol 17/09/2021minha estante
Ah legal! Obrigada




Vivs | vivsbookshelf 16/09/2021

Para ser lembrada: poética, reflexiva e gatilhos mentais
Precisei respirar para conseguir escrever alguma coisa por aqui. Terminei o livro e não consegui parar de sentir como se tivesse perdido algo. Essa história me trouxe reflexões tão profundas, realmente se tornou um favoritado para mim. Não posso recomendar e dizer que será para você também.

É uma leitura que não será igual para todos. Não vou dar valor ao hype, mesmo gostando muito. Porque sei o quanto a história tem uma narrativa específica que pode não agradar alguns. Os capítulos que se intercalam entre o presente e o passado, pode te incentivar a ler, como também te travar. E está tudo bem!

Além disso, a história tem diversos gatilhos sensíveis, entre eles, relacionamento abusivo, depressão, morte, tentativa de suicídio, consumo excessivo de álcool, drogas, entre outras. Se tiver interesse na leitura, mas está receoso, procure saber de todos. Ainda assim, digo que foi uma experiência incrível. Estou ainda aceitando esse sentimento.
likeblueyes 16/09/2021minha estante
Um livro muuuuito 8 ou 80




Rodolfo.Ferreira 06/09/2021

Melhor leitura de 2021 sem exagero
Finalmente tive a melhor leitura de 2021. O desenvolvimento dos personagens, narrativa, reviravolta etc. Tudo feito com muita maestria pela autora. É um livro que precisa ser apreciado. Cada palavra, frase tem um significado (sempre leve em consideração o quê essa autora escreve, pois nada é por acaso). Uma sutileza sem igual. Um livro que gostaria de ler novamente porque quando chega no final você não quer acabar. Esse foi o primeiro livro que li da Autora por conta de todo o hype e digo de coração que o hype faz sentido porque não é qualquer Autora que tem o dom da narrativa. Indico muito!
Debora Iaria 06/09/2021minha estante
Vou ler com toda certeza?. Ansiosa para chegar o meu.




spoiler visualizar
Mari 24/09/2021minha estante
Eu amo o fato de eu ter lido esse livro sem expectativa, olhei, comprei, li e amei. Mas não diria para pessoas irem com altas expectativas pois, como você disse, é um começo tãoooo devagar.


Keii. 24/09/2021minha estante
slk todo mundo lendo esse livro ??? qro ler, só me falta dinheiro pra poder comprar


Rhayssa.Kelly 24/09/2021minha estante
Acho que se eu não estivesse esperando tanto dele, provavelmente teria curtido bastante :/




lotfi 14/09/2021

novo favorito da vida??
obra prima. quando li a sinopse ja sabia que ia amar, tinha certeza? e eu estava certa. como eu me identifiquei com o henry tlg, caralhoo e a addie que mulher perfeita pqp eu me apeguei mt a eles, me emocionei demais com tudo e todos. a relação dela com o luc meu deus que foda, mt complexa e bem desenvolvida. da pra sentir o cuidado da autora com o livro sabe, cada referência, cada ponta que se fecha e o final?. MEU DEUS DO CÉU!!! vai virar classico, tenho certeza absoluta, LEIAM LEIAM LEIAM

obs; eu nunca chorei tanto com um livro NA VIDA e olha que eu li evelyn hugo
Gabrielle maio 14/09/2021minha estante
meu Deus do ansiosa demais para esse livro mas meu medo são os capítulos longos e por ser fantasia (pq tenho bloqueio com esse gênero )


lotfi 14/09/2021minha estante
amigaa os capitulos são super curtinhos, se joga que é PERFEITO!! e não é tão fantasia assim? sla, n sei descrever. tipo, tem elementos sobrenaturais mas não é fantasia tipo acotar, por exemplo, kkk vale muito a pena ler sério mesmo




315 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR