A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes

A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes Suzanne Collins




Resenhas - A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes


187 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Queria Estar Lendo 05/06/2020

Resenha: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes
Na lista de séries que estão retornando em 2020, Jogos Vorazes surpreendeu muita gente. O prequel anunciado pela Suzanne Collins veio cheio de polêmicas porque, afinal, escolheu dar protagonismo ao passado do Presidente Snow. E valeu a pena essa escolha? Depois de ter lido A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, eu te garanto: não, não valeu.

Antes de começar a ler a resenha, só queria deixar uma coisa clara que parece que não tá ficando mesmo sendo uma resenha bem pessoal: essa é a MINHA opinião. Minha minha minha só minhazinha. Assinado: eu de tão minha que ela é. Se você gostou, cara, parabéns! Fico feliz por você. De verdade. Eu queria ter gostado. Queria ter tido uma boa experiência e ter saído feliz dessa leitura. Esse espaço é totalmente livre pra você argumentar comigo e expôr sua opinião sobre a sua leitura, mas não diga que a minha experiência de leitura está errada só porque você discorda dela (e se vier me atacar por causa da resenha eu vou só te ignorar bb).

Caso tenha ficado em dúvida também: eu respeito a sua opinião se você gostou. Concordo com a sua opinião se desgostou. Para mais informações sobre como fazemos nossas resenhas, favor consultar a bio do blog (porque aqui não é o NY Times nem nada do tipo, eu só sou uma fangirl desgostosa reclamando de uma leitura que foi ruim, ok? Ok).

Eu odiei esse livro. Essa história. Só isso. E eis minha resenha pra explicar os meus motivos pra isso.

A trama acompanha o jovem Coriolanus Snow em seus dezoito anos. Morador da Capital, ele foi escolhido para mentorar um dos tributos do décimo Jogos Vorazes; para Snow, uma oportunidade de ascender entre a elite e salvar sua família da falência, resultado da guerra entre os Distritos e a Capital. Para a gente? Eu sei lá que diabos de mensagem esse livro tentou passar.

Que perda de tempo sem tamanho.

Vou ser bem honesta e começar a resenha dizendo que odeio tudo a respeito dessa história. Eu odeio como a narrativa acha que eu vou me importar com qualquer coisa a respeito do Snow e da Capital depois de conhecer a fundo sobre eles na saga da Katniss. Eu odeio como enquanto os Distritos estão sofrendo coisas muito piores, a história quer mostrar que "coitadinhas das pessoas na Capital". Eu odeio como o Snow é mal trabalhado e como nada tem personalidade do início ao fim. E eu odeio o tempo perdido de vida que gastei com essa leitura.

Se eu estou soando amarga ou raivosa demais, não peço desculpas. E, mais uma vez pela milésima vez, se você gostou: tô feliz por você!

A impressão que eu tive durante as mais de 500 páginas é de que esse livro é vazio. Não passa emoção além de tédio. Não te dá aquela urgência que a trilogia Jogos Vorazes dava, de que tinha algo em risco ali; a vida da Katniss e de quem ela ama, sua liberdade, sua voz. Aqui, a Suzanne finge que tem alguma coisa triste acontecendo - e essa coisa triste não é nada demais, no fim das contas, porque o Snow é birrento e dramático. Nada realmente acontece.

Todos os problemas da Capital são ridículos. A guerra já passou e eles já ganharam e estão escravizando e subjugando os Distritos desde então; nada do que disserem ou sofrerem vai causar empatia em mim porque sei que tem gente sofrendo muito mais. A Capital é privilegiada e está no comando de tudo, escolheu ser opressora e ditatorial e punir os Distritos com os jogos vorazes. Eu nunca vou me importar com nada a respeito das pessoas ali. Não apenas o Snow, mas aqueles ao seu redor - a elite e seus problemas de gente rica.

E mesmo quando tenta mostrar a situação da família do Snow - a mais "ameaçada" em todo cenário, com a questão financeira e os avisos de despejo - não existe urgência. Nenhum traço na narrativa que te faça torcer pela família dele, ainda que não por ele.

E o Snow... Ele soou tão choramingão que estava mais para Draco Malfoy que pra sombra do homem que nos aterrorizou durante três livros.

Sim, eu sei, é a origem dele, como ele chegou onde chegou, mas nada disso é minimamente interessante. A narrativa não apresenta emoção ou riscos ou mesmo questionamentos que levem essa trama pra algum lugar. Tá, esse é o décimo Jogos Vorazes e o Snow é um mentor. E daí? Por que eu me importo em saber sobre ele, quando existem tantos tributos mais interessantes pra conhecer? Quando a história da Mags estava ali para ser contada? Por que ela escolheu o seu principal antagonista se nem pra trabalhar críticas sobre poder, traição, políticas e manipulações esse livro serviu?

O Snow não é nada e nem ninguém. Ele faz uma coisinha ali e outra aqui de moral questionável, mas não é nada surpreendente. Eu não vejo esse garoto remelento manipulando todos ao seu redor pra subir ao maior cargo de Panem - principalmente com o final, que mostra quão manipulável ele é, na verdade. Eu não vejo esse garoto birrento e indeciso se tornando o presidente que ergueu todo um império de terror sobre os Distritos já marginalizados. O mesmo cara que disse "esperança é a única coisa mais forte que o medo" e que entendeu o poder nos pequenos atos rebeldes da Katniss.

A narrativa nunca se decide a respeito do Snow e por isso tudo parece tão sem direção. Uma hora diz que ele é ambicioso, mas ele age em favor dos outros. Diz que ele é frio, mas ele toma decisões racionais. Diz que ele não se importa com nada além da ascensão ao poder, mas ele faz de tudo pra ajudar pra só pensar nos seus ganhos depois. A narrativa acha que não está justificando quem ele se tornou, mas está fazendo isso.

Ao redor do Snow, poucos dos MUITOS (e são muitos mesmo) personagens são facilmente esquecíveis. Tão facilmente esquecíveis que eu só lembro o nome de três pra citar aqui: Lucy, Sejanus e Dra. Gaul.

Lucy é a tributo do Distrito 12 que Snow deve mentorar. Sejanus é seu amigo isentão que tem alguns viéis revolucionários e humanitários mas no fim das contas fala mais do que faz. E a Dra. Gaul é a vilã suprema maléfica tomadora das piores decisões movida pura e simplesmente por MALDADE que só existe pra ser patética e caricata.

Mas são todos tão... Sem graça, sabe? Não tem a presença e o carisma do Cinna, Effie, Haymitch, Rue, Johanna, Finnick, Prim e tantos outros.

E a Lucy... Ai, cara. Eu não entendi o que a narrativa queria com ela. Não entendi seus traços e sua personalidade e sua presença além do fato de ela cantar e a história estragar músicas significativas da trilogia original dando significados merdas pra elas.

A personagem existe pelo Snow. Só isso. Ela existe por um romance estúpido e sem sentido. Ela existe pra ser a voz de nada, um eco para os pássaros do Distrito 12 e pra dar origem a algumas canções que a Katniss conhece. Lucy existe pra ser um tributo e uma sobrevivente mas suas dores e história nunca são realmente conhecidos porque estamos presos ao merda do Snow - que, e eu parafraseio, se pergunta se a Lucy está pensando nele enquanto está nos Jogos Vorazes como ele está pensando nela enquanto a assiste.

É como diz o ditado: Snow bom é Snow pisoteado por uma multidão de rebeldes furiosos.

O livro é dividido em 3 partes que não me passaram emoção, porque nada explica aquela enrolação sem tamanho e sem sentido em tantos momentos. Quem se importa com o que o Snow vai fazer num domingo, meu bom deus? Personagens rasos e alguns momentos forçados que claramente perdem a magia por estar ali. Suzanne dá origem para alguns detalhes que são bonitos na trilogia da Katniss por serem simples e estarem ali. Eu não quero saber de onde surgiram. E certamente não quero que você os arruine ligando-os ao Snow.

No mais, A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes é um desserviço às mensagens poderosas que Jogos Vorazes tão belamente conduziu. Uma história vazia que não me acrescentou em nada - e o que acrescentou não gerou questionamento ou crítica ou repercussão, porque a gente já sabe onde essa história vai acabar.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2020/06/resenha-cantiga-dos-passaros-e-das.html
Vany 06/06/2020minha estante
Obrigada, não lerei! ?


Queria Estar Lendo 06/06/2020minha estante
Gasta seu tempo com livro bom, Vany HAHAHAHA vale mais a pena!


Bia Machado 14/06/2020minha estante
Mais de 500 páginas sobre esse cara? Não, obrigada.


bre 16/06/2020minha estante
Você não fez nenhum comentário construtivo sobre a história, só falou mal dela o tempo todo baseado em gosto pessoal. O livro tem uma visão diferente da história, claramente não é outro Hunger Games, não acho que seja motivo para martirizá-lo assim, nem para desmerecer os personagens. Parece até que você tentou militar em cima do livro, que desânimo.


Queria Estar Lendo 16/06/2020minha estante
Oi, Bre. Tudo bom?
Eu falaria algo construtivo sobre a história se tivesse achado algo construtivo nela, o que não foi o caso ¯\_(?)_/¯
Apontei na resenha o que soou como falha narrativa, de construção de personagem, sobre a falta de plots e plot points e clímax e tudo que deixa uma história interessante. Já fiz resenhas negativas de livros que eram interessantes, só não tinham me conquistado. Aqui eu não achei nada interessante, então não tenho porque elogiar nada.
Minha leitura foi exatamente o que essa resenha passou. Se você gostou, que ótimo! Fico feliz por você. Mas como resenha é algo pessoal, eu tenho todo o direito de mostrar minha frustração e irritação com a totalidade da obra, e eis-me aqui fazendo isso.
Bjs!


Krous 16/06/2020minha estante
RIP todas as árvores assassinadas por causa desse livro. Seus esforços jamais serão esquecidos.


Queria Estar Lendo 16/06/2020minha estante
Bia, eu mesma procurando resenhas negativas do que quero ler pra ver se vale a pena me arriscar UHASUHASUHSUHASUH geralmente não me arrisco quando o preço tá no nível que tá o desse lançamento. Pelo amor que tenho a THG, te juro que não vale gastar tudo isso não; quando aparecer numa promo tu tenta a sorte.


Queria Estar Lendo 16/06/2020minha estante
Krous KJABNSFUIOASBUOAGBUOASG BERRO. Bravas soldadas que sempre serão lembradas por nós.


Nai 17/06/2020minha estante
Se fizessem um livro com a história de Haymitch Abernathy eu ficaria em uma longa fila, na madrugada se fosse preciso, pra comprar. Tanto personagem bom pra ser trabalhado.
Acompanho sempre suas resenhas e sempre são a balança pra eu fazer uma futura compra.
Confesso que comprei o livro. Mas a ansiedade já deu uma boa amenizada kkkkkkk


Queria Estar Lendo 17/06/2020minha estante
Oi, Nai. Meu SONHO um livro sobre o Haymitch ou a Mags. Eis histórias que valeriam a pena acompanhar e que com certeza dariam algum sentimento pra gente além de 'AI MAS QUE PERDA DE TEMPOOOO'.
Eu espero que tu não sofra tanto com esse livro quanto eu sofri UHASUHASUHASUH mas que bom que nossas resenhas te ajudam!


Jones Luna 18/06/2020minha estante
Adorei a resenha, deletado da minha lista do ano esse livro kkkk


juaopdro 19/06/2020minha estante
só sei que tô chocado agr kkkkjjkkkk pisou msm


Daniel.Oliveira 19/06/2020minha estante
Achei que o erro da Suzanne,foi fazer um livro longo com o Snow,como protagonista.Fizesse um livro de contos,com o ponto de vista de varios personagens,valeria mais a pena!É cansativo ler um livro de 500 paginas,sobre o Snow,que fez mt maldade na trilogia da Katniss,é obvio que o leitor(acredito eu,a maioria dos leitores)ñ vai curtir ler a ascenção de um vilão sanguinario,a Suzanne podia ser mais esperta e colocado a epoca dos Dias Sombrios mesmo,talvez até isso fosse mais interressante.É ruim,você sente uma falta dos personagens da trilogia,da Katniss,do Peeta,Gale,Finnick,Effie..Eu senti falta pelo menos,e não senti a mesma empatia por nenhum personagem até agora(ainda estou lendo),a Lucy é mt seca e sem personalidade,Jessup Diggs é personagem-fantasma!Acho q na sua resenha,vc focou mt no ruim do livro.Um ponto bom que eu vi do livro,é que vemos que nem sempre os Jogos Vorazes foram daquele jeito!Os Primordios nos mostrou como as pessoas da 10 edição,tinham gostos diferentes dos da 74 edição,64 anos de diferença,6 decadas!Ela soube explorar essas diferenças na Capital.É,esse livro ñ adiciona mt coisa ao que já sabemos,ele praticamente ñ explora mt os "Dias Sombrios",eu achei q faria,o que aumentou minhas expectativas.Mas ñ acho um livro tão ruim assim.É ruim,mais ñ tanto.Podia ser melhor.


Bruna 19/06/2020minha estante
Confesso que achei exagerada sua resenha mas eu respeito, afinal opinião é única e própria. Eu sempre fui muito fã da Trilogia dos Jogos Vorazes. Fiquei muito feliz com mais um lançamento da escritora e confesso que estava tão animada para voltar a aquele mundo que pouco me importava o personagem a ser escolhido. Eu devo arriscar dizer que Snow foi uma ótima escolha para ela trabalhar, é muito interessante saber o porque de uma pessoa chegar ao estado que ela chegou, principalmente de um vilão. Todos ficam curiosos para saber se o vilao já foi mocinho alguma vez o que o fez levar ao "mau". Como por exemplo a Trilogia de Guerra nas Estrelas que conta a história do Darth Vader. Acho que como verdadeira admiradora dos Jogos Vorazes, voltar para aquele mundo e ver de outra perspectiva foi muito interessante. Eu não tive minha expectativas quebradas como todo mundo por que me contive em não cria-las. E convenhamos que outro personagem seria legal saber? Gale? fala sério muito monótono. Haymitch? Hum, talvez mas seria só mais um livro sobre mais um vitorioso. Finnick? também não. O que deixo para refletir é que vale a pena ler o livro sim, por curiosidade em saber como certas coisas chegaram onde chegaram, ter o gostinho de voltar a Panem de uma perspectiva diferente e entre outras coisas. Ah é legal ressaltar que tem muito aprendizado também, a autora fala sobre contratualismo, faz menção a filosofia, caos e coisas do tipo. Enfim, quero deixar claro que respeito sua opinião e espero que também respeite a minha.


Luiz Martins 21/06/2020minha estante
E, eu adoro jogos Vorazes, mas essa prequela eu vou deixar passar. Não acho que meu dinheiro vá ser bem gasto com esse livro sobre o Coriolanus Snow.


Laeny 22/06/2020minha estante
Queria ter lido essa resenha antes de comprar o ebook


Ka Sthéfany 23/06/2020minha estante
Rapaz, eu não gostei do livro e entendo o motivo da pistolagem, mas não achei seus argumentos justos. Não ficam passando pano pro pessoal da capital, pelo contrário, mostram como eles se vitimizam. Mostra como o Snow, apesar de não ser um monstro, começa a se escorar na muleta da autoindulgência desde coisas penas até justificar assassinatos. O Sejanus tá looonge de ser um isentão, pelo contrário, ele literalmente ajuda numa revolução rebelde. Lucy Gray não está lá apenas pra ser um romance, mas pra humanizar os distritos. Por N vezes alguém da capital pensa em como ela quase poderia ser de lá, enquanto outros tantos enfatizam a política de ódio contínua do nós vs eles.

Enfim, sei que vc não está errada em estar descontente, mas esses argumentos são injustos.


Queria Estar Lendo 23/06/2020minha estante
Oi, Ká. Putz, que bom que tu conseguiu tirar tudo isso do livro, porque eu só entendi que coloquei aqui na resenha. Meus argumentos são justamente todos os pontos que soaram fracos em narrativa e desenvolvimento pra mim. Não achei absolutamente nada relevante na história inteira e é isso que eu vou criticar, né? Sobre o Snow, eu não consegui sentir que a história não estava passando pano pra ele quando colocava detalhes humanitários na maneira com que ele se portava. Sim, tinha seus momentos egoístas e birrentos e autoindulgentes como você colocou, quando ele tentava acreditar que o estava fazendo era o certo pra ele e pra ascensão dele independente do que as outras pessoas passavam, mas logo em seguida ele agia de maneira altruísta e NADA Snow da página passada. Ele me soou sim muito mais um Draco Malfoy que um presidente Snow em construção. Muito mais manipulável do que manipulador (só olhar o final que né... Bem ratinho em tudo). O Sejanus e a Lucy podem ter tido seus momentos, mas eu achei tudo vazio demais. Pra você ver o quanto me importei com eles, nem lembrava que o Sejanus tinha alguma coisa relevante a ver com qualquer coisa. De novo, não indico esse livro, mas eu não tô aqui pra mandar em ninguém. 700 páginas que não me deram nada além de raiva eu não ia falar "vai lá gente, lê sim!! hahahaha" mas é só minha sugestão. Eu não mando no que as pessoas querem ler, tooooodo mundo tá livre pra ir lá e ter outra opinião :D


Ka Sthéfany 23/06/2020minha estante
Meu conselho é pras pessoas esperarem o livro baratear e baixar as expectativas. A trilogia é um patamar muuito alto, mas pra mim, até que o livro foi ok. Melhor coisa sobre o livro é pontuar esse "nós vs eles" e a desumanização do diferente pra justificar a barbárie que tá bem evidente no mundo agora. Mas enfim, é como cê disse né, opiniões. Até mais! :)


Queria Estar Lendo 24/06/2020minha estante
Eu gosto bastante de ver como as opiniões sobre esse livro tão bem 8 ou 80. Vi pouca gente ficando no equilíbrio entre gostar e desgostar, vai pros extremos mesmo. Eu realmente queria ter encontrado toda essa profundidade na trama que funcionou pra ti, mas, de novo, a Suzanne de THG parece ter desaparecido aqui. Mesmo com o POV da Katniss eu tive muito mais reflexões sobre política e sociedade do que acompanhando o Snow no princípio de toda a guerra silenciosa opressora da Capital (ela fez bem o que a Tahereh Mafi fez ressuscitando Estilhaça-me, pra mim. Que é estragar tudo UHASUHASUHASUHASUH). Mas é aquela coisa né, quem vir a ler, espero que sofra menos que eu.


Queria Estar Lendo 25/06/2020minha estante
Oi, Maiara. Se fosse pra aceitar qualquer coisa sem comentar sobre isso eu não leria né. Quando eu não gosto de um livro, eu reclamo. Quando eu gosto, eu elogio. Que bom que gostou, mas eu não vou aceitar qualquer coisa que a autora dá só porque ela quis. Vou reclamar sim UASUHUHASASUUH vida que segue :D


Rafaela Darling 25/06/2020minha estante
Com tanto personagem bom pra explorar, gente, por que ela escolheu logo o Snow? ?????


Adria 26/06/2020minha estante
O trecho " E eu odeio o tempo perdido de vida que gastei com essa leitura." me fez ir procurar outra coisa pra ler. Não tenho tempo pra livro ruim.


Aline 28/06/2020minha estante
Obrigada pela resenha kkkkkkkk vou esperar algum amigo comprar para ver se arrisco ler ou não, mas definitivamente não vou comprar!


Babi 28/06/2020minha estante
Concordo com tudo, de menos da parte q compara o Snow com o Draco. Acho q dava para o livro ser melhor, se o Snow tivesse sido escrito de forma mais inteligente, já q é pra fazer um livro de vilão, q ele fosse pelo menos tipo Moriarty ou Artemis Fowl.


Queria Estar Lendo 28/06/2020minha estante
Sim, Babi! Se o Snow tivesse sido mais bem trabalhado, esse livro teria sido outra coisa pra mim. Mas achei ele bem fraco e vazio e sem nada além de indecisões sem sentido, então ficou um porre de acompanhar.


luquescunha 29/06/2020minha estante
Estou decepcionadissimo com esse livro, real


luizfilipe 02/07/2020minha estante
Sua resenha só mostra que você não entendeu nada de toda mensagem que a Suzanne quis passar nele e em toda a trilogia. Esse livro é um tapa na cara de muitos fãs que jamais entenderam o significado de tudo. Felizmente li o livro pra tirar minhas próprias opiniões e gostei, porque se eu fosse simplesmente levar em consideração essas resenhas odiosas de quem sequer pareceu entender a mensagem, teria me arrependido amargamente depois.


Percy 02/07/2020minha estante
Por deus que livro foi esse que tu leu??? sjdjxjzjjdjxjxk em NENHUM momento a suzanne tenta fazer o leitor ter empatia pelo snow ou pela capital. Todas as sequelas mencionadas pela capital são naturais da guerra e servem para construir a alienação sofrida por eles mesmos, é evidente que não é pra você sentir pena deles, e como vc mesma mencionou que não sentiu empatia isso significa que ela fez um ótimo trabalho. Tu perguntou o que ela tentou trazer como propósito nesse livro... bem, ela constrói todo o pensamento político da capital em contraste com o que vemos na trilogia, ela mostra debates sobre o estado da natureza humana, sobre o caos, controle e contrato. E quanto as músicas.... como ela estragou o significado de the hanging tree se o livro só reforçou o contexto no qual a música foi escrita, que PASMEM (a música é uma canção sobre execução públicas da capital).


Krous 02/07/2020minha estante
Nossa, quanta gente CHATA por aqui. Acho que se a sua experiência foi completamente diferente de tudo que está na resenha, faça a sua. Não precisa vir aqui falar "minha opinião é diferente". Ninguém liga, você está sendo apenas inconveniente. Quer aparecer? Põe uma melancia na cabeça.


Krous 02/07/2020minha estante
Nossa, quanta gente CHATA por aqui. Acho que se a sua experiência foi completamente diferente de tudo que está na resenha, faça a sua. Não precisa vir aqui falar "minha opinião é diferente". Ninguém liga, você está sendo apenas inconveniente. Sem falar na arrogância de escrever "você não entendeu a proposta da autora" Ok, só você, o alecrim dourado que compreendeu bonitinho. Quer aparecer? Põe uma melancia na cabeça.


luizfilipe 02/07/2020minha estante
Krous, a plataforma criou isso justamente para debatermos nossas opiniões.. se você não gosta, apenas não entre no debate, todo mundo tem o direito de dar sua opinião e comentar sobre as resenhas. Pelo visto quem ta querendo chamar atenção é você kk


Queria Estar Lendo 02/07/2020minha estante
oi luizfilipe, tem uma diferença entre debater opiniões e me falar que 'minha resenha só mostra que eu não entendi nada que a suzanne quis passar com esse livro' né? :) Essa resenha expressa o que EU entendi. Você ter gostado do livro não desmerece minha opinião, assim como eu ter odiado não desmerece a sua. Em momento algum na resenha eu falei que minha opinião é lei e que as pessoas devem se curvar a ela e nem nada do tipo, mas AINDA ASSIM tem muita gente vindo aqui como se ela valesse menos só porque achei o livro extremamente mal construído e desenvolvido. Então assim, que bom que tu curtiu! Como comentei ali no começo da resenha, parabéns pra você. Mas eu detestei. Odiei. E vou continuar batendo na tecla de que, pra mim, foi um desperdício de papel e de tempo. Não sei que tanto de vir comentar desmerecendo minha opinião quando tu pode gastar teu tempo comentando em resenhas que concordam com a sua :D é geralmente o que eu faço quando gosto de um livro. Porque sei que quem odiou, não vai mudar de opinião. E quem gostou, olha só, vai concordar comigo! Sei lá, só uma dica.


Queria Estar Lendo 02/07/2020minha estante
oi luizfilipe, tem uma diferença entre debater opiniões e me falar que 'minha resenha só mostra que eu não entendi nada que a suzanne quis passar com esse livro' né? :) Essa resenha expressa o que EU entendi. Você ter gostado do livro não desmerece minha opinião, assim como eu ter odiado não desmerece a sua. Em momento algum na resenha eu falei que minha opinião é lei e que as pessoas devem se curvar a ela e nem nada do tipo, mas AINDA ASSIM tem muita gente vindo aqui como se ela valesse menos só porque achei o livro extremamente mal construído e desenvolvido. Então assim, que bom que tu curtiu! Como comentei ali no começo da resenha, parabéns pra você. Mas eu detestei. Odiei. E vou continuar batendo na tecla de que, pra mim, foi um desperdício de papel e de tempo. Não sei que tanto de vir comentar desmerecendo minha opinião quando tu pode gastar teu tempo comentando em resenhas que concordam com a sua :D é geralmente o que eu faço quando gosto de um livro. Porque sei que quem odiou, não vai mudar de opinião. Tipo, tudo isso ai que você pontuou? Pra mim foi extremamente vazio e ridiculamente mal explorado pelo livro. Não adianta tu me apontar porque eu vou continuar falando 'pois é, cara, mas eu achei uma merda.' Entende? Quem gostou vai concordar! Só uma dica, sei lá. ¯\_(?)_/¯


Queria Estar Lendo 02/07/2020minha estante
E ói, a partir daqui vou parar de responder comentários porque a resenha tá aí e é minha opinião sobre essa atrocidade literária, vocês são borboletas livres pra ler ou não ler e seguir a vida. Se gostaram do que leram, fico muito feliz por vocês. Se odiaram, sintam-se abraçados e compreendidos bem-vindes ao clube. Beijos de luz pra todo mundo!


Queria Estar Lendo 02/07/2020minha estante
E ói, a partir daqui vou parar de responder comentários porque a resenha tá aí e é minha opinião sobre essa atrocidade literária, vocês são borboletas livres pra ler ou não ler e seguir a vida. Se gostaram do que leram, fico muito feliz por vocês. Se odiaram, sintam-se abraçades e compreendides e bem-vindes ao clube. Beijos de luz pra todo mundo!


Carol 02/07/2020minha estante
Engraçado ver os comentários aqui que não apresentam de forma alguma algo construtivo dessa história ou para o debate, mas vão ofender uma pessoa que está expressando sua opinião.
Galera, não concorda com a resenha? O problema é seu. Se a gente não aprender a lidar com opiniões diferentes, vamos continuar nessa merda de país extremista.
JK Rowling cagou na história da peça e em Animais Fantásticos e continua ganhando dinheiro horrivelmente. Por que a Suzanne Collins não poderia cagar na história do Snow também e levar uma graninha com isso?!
Quero deixar claro aqui meu apoio pela sinceridade da minha amiga em uma história bosta. Eu faço questão de não recomendar livro que considero ruim para quem me pergunta. Aliás, eu tenho noção de quando acabo gostando de livro ruim (já rolou com Colleen Hoover) e aviso as pessoas que eu gosto, mas não é bom. Minhas amigas aqui aceitam meu gosto ruim e ainda me ouviram falar o que tinha gostado da história, assim como eu ouvi o que elas odiaram. E a vida continua.
Nenhum livro será 100% amado. Aceitem isso e sigam em frente sem ofender só por terem uma opinião diferente da sua.


pati 03/07/2020minha estante
Esse foi de longe o pior livro do ano, pulava as páginas virando o zoinho de raiva pelo tempo gasto a toa. Não gostei de nada, queria que todos morressem, Panem inteira pegasse fogo e zerado o joguinho. Obrigada pela resenha, sei exatamente como vc se sentiu.


Lauraa Machado 03/07/2020minha estante
São resenhas como essa sua que me fazem ter orgulho de vocês! E esperanças de que mais pessoas sejam críticas, parem de abaixar suas expectativas só para gostar um pouco mais de livro ruim feito para vender! Vocês são incríveis e não precisam se justificar! Obrigada principalmente por me ajudar a não gastar dinheiro com livro ruim!


Loulou Almeida 03/07/2020minha estante
Concordo totalmente Lauraa, tenho orgulho demais dessas meninas! Tem muito livro caça-níquel por aí e elas realmente nos ajudam a economizar para gastar com histórias boas!!


Nai 03/07/2020minha estante
Vou usar um tweet da Bel Rodrigues que se encaixa muito bem aqui:

"Tem que acabar essa ideia de achar que criticar horrores um livro é sinônimo de sinceridade e/ou verdade absoluta. Literatura não é consenso. Nunca foi e nunca será".

O que deveria ser pilar de qualquer opinião é o respeito em ouvir, não precisa concordar.
Atacar o outro com falta de educação pra devolver sua opinião contrária é o que?
Você pode não gostar do livro e ofender o conteúdo do mesmo, vai em frente, se você acha que isso é pensamento crítico pra você. Mas não se fala mal do livro que você não gostou ou gostou ofendendo quem lê.


Gisele 03/07/2020minha estante
Quanta gente fresca aqui. Sim, elas não gostaram e falaram tudo o que odiaram e tá no direito delas. Se vocês gostaram do livro, ótimo, escrevam resenha que gostaram e acabou. Eu quando odeio um livro falo tudo de ruim que achei e pouco me importo com opinião de quem gostou.
Que bom que somos plurais com ideias e opiniões diferentes, certo? Agora, é bobagem vocês virem aqui quererem que elas mudem de ideia ou tentar ofendê-las quando está claro que não vai mudar nada.
Vão fazer suas resenhas e parem de encher o saco dos outros.


Loulou Almeida 03/07/2020minha estante
A todos que estão chiando.. meus gostos coincidem 98% com o das meninas.. Então levo em conta, sim, a OPINIÃO delas...


Pedro 05/07/2020minha estante
Como você mesmo falou: MINHA opinião. Você leu o livro e não entendeu nada mesmo né. Primeiro que a história é construída de uma maneira extremamente bem feita, segundo que todas suas críticas, elas estão completamente presentes no livro. Já que é um livro do ponto de vista do SNOW que tem os problemas deles, mas que na real todo mundo sabe assim como o livro deixa claro de maneira sutil o tempo todo, que os problemas do Snow são problemas de elite. Textão desnecessário de alguém que parece que nem leu o livro e só quer achar alguma coisa para criticar.


Lauraa Machado 05/07/2020minha estante
Todo dia, alguém se ofendendo com a opinião dos outros e encontrando desculpas para aceitar livro ruim. É por isso que eu amo as resenhas de vocês, sabe? Porque vocês são críticas, não aceitam livros ruins por desculpas de que "era para ser assim" e sabem analisar a escrita e o desenvolvimento do livro direitinho! Já falei? Orgulho de vocês. E nunca vou entender o que faz alguém achar que faz sentido ir reclamar na resenha dos outros! Parece que não entenderam ainda que sempre, sempre, seeeempre vai existir quem odeia e quem ama todos os livros. Não importa se foi escrito por Charles Dickens, Suzanne Collins ou o João da rua de cima, sempre alguém vai amar e sempre alguém vai odiar. E não gostar de um livro não significa não entender, muitas vezes é bem o contrário. Que tal cada um ficar com a sua opinião sobre o que leu e ninguém mais achar que discutir opinião vai mudar alguma coisa?


Rafael 06/07/2020minha estante
A pessoa que escreveu essa resenha tava bem doida nas drogas ou leu um livro completamente diferente.


Krous 06/07/2020minha estante
Será que é a pandemia que está deixando as pessoas tão desocupadas a ponto de virem aqui ensinar às meninas do Queria Estar Lendo como elas devem ler e interpretar as leituras? Será que é apenas o ego do homem cis branco? É muita dificuldade em respeitar a opinião alheia. Gostou do livro? Cria sua própria resenha. Vontade de ser inconveniente também e ir comentar lá "você gostou do livro porque não entendeu. Você gostou do livro porque estava drogado" para ver se os alecrins dourados insuportáveis gostam disso também


Percy 06/07/2020minha estante
Krous, é super compreensível a pessoa não gostar do livro, e tá tudo bem. Ele realmente tem problemas de ritmo e a história pode não agradar todo mundo, e o personagem principal é um personagem pelo qual nós não conseguimos sentir empatia ou até mesmo torcer pra ele. Porém eu não vejo problema em pontuar que a Suzanne Collins não teve a intenção de romantizar o Snow ou a Capital, pq de fato ela não romantizou. A pessoa que escreveu a review disse ?nada do que disserem ou sofrerem vai causar empatia em mim porque sei que tem gente sofrendo muito mais? e de fato tem gente sofrendo mais, e ela deixa isso evidente no livro quando a capital prende eles em gaiolas, tratam eles como animais, enforcam eles por cantar músicas, colocam eles dentro da arena, etc. Em nenhum momento ela quis fazer o leitor sentir pena da capital. Ela apenas mostrou as sequelas que a guerra deixou neles. Então faltou interpretação sim.


Lauraa Machado 06/07/2020minha estante
EXATAMENTE KROUS. Tudo que você disse


Rafael 06/07/2020minha estante
Pisa de um lado pisa do outro militei. Tem algumas outras resenhas de pessoas que leram e não gostaram e super respeitei. Essa em especial se tornou um pouco revoltante porque é a resenha de mais destaque ao abrir a página do livro aqui (então não foi falta de ocupação, já que a primeira que aparece), além de parecer que a pessoa estava só com vontade de detonar o livro. Chamar esse livro de vazio parece realmente que a pessoa não leu direito o livro e principalmente a trilogia original, pq por mais que esse não seja uma continuação ele completa perfeitamente a mensagem que a autora trouxe nos outros livros e várias questões que não foram debatidas de forma mais abrangente.


Rafael 06/07/2020minha estante
E afinal no momento que você faz uma resenha/crítica está sujeito sim a comentários, afinal tem essa opção aqui justamente para isso ?


Lauraa Machado 06/07/2020minha estante
Então você está basicamente falando que outras resenhas negativas, você respeitou, mas essa não?


Rafael 06/07/2020minha estante
Eu falei que é a primeira que aparece então muitas pessoas deixam de ler o livro justamente devido a essa em especial, por isso o comentário. Além das outras não parecerem que foram escritas apenas com o intuito de detonar o livro.


Lauraa Machado 06/07/2020minha estante
A primeira que aparece é aleatória e depende da pessoa também. Não se preocupe. E vocês conseguem mais pessoas para ler fazendo as próprias resenhas e explicando por que gostaram do que vindo aqui. Já eu confio mais na opinião das meninas do Queria Estar Lendo, que se parecem normalmente com a minha


Queria Estar Lendo 06/07/2020minha estante
Oi, Rafael. Eu não estava nas drogas não. Engraçado que em nenhum momento da resenha inteira eu ataquei quem gostou do livro, inclusive parabenizei quem teve uma boa experiência de leitura com ele. Mas você vir aqui me faltar com respeito quando essa é uma resenha puramente fangirl e descompromissada é uma coisa que eu infelizmente não vou aturar. TODAS as nossas resenhas negativas tendem a ser emocionadas da mesma maneira que TODAS as nossas resenhas positivas seguem o mesmo modelo. Eu odiei, eu vou surtar porque odiei. Eu amei, eu vou surtar porque eu amei. Fim de papo. Curtiu a história? Parabéns, sua escolha ler. Quer confiar na minha opinião e não ler? Sua escolha também. Quer vir aqui educadamente discordar do que eu surtei? Tem vários comentários ali em cima fazendo isso e é bem legal ver o quanto esse livro tá 8 ou 80. De novo, eu não entendo ONDE na minha crítica eu estou apontando que as pessoas NÃO PODEM LER!!!! porque aparentemente eu sou DEUS e minha opinião é lei. Mas tá né, se você quer interpretar assim em vez de ser educado e dizer que eu usei DROGAS pra não gostar da minha leitura, aí não posso fazer nada.


Queria Estar Lendo 06/07/2020minha estante
E gente, de novo, só porque a nossa resenha é a principal aqui não significa que as pessoas devem obedecê-la e nunca mais olhar pro livro. Liberdade de expressão e de opinião tá ai pra isso né? Eu confio em várias resenhistas pra saber que se elas detonarem o livro é porque eu vou detestar, então nem leio. Mas também dou o benefício da dúvida pra várias resenhas positivas que discordam. Meu deus do céu sabe? Fica de boas, irmão, vai ler outras resenhas, conversar com quem gostou, se divertir. Meu jogo favorito lançou esses dias e foi massacrado por alguns críticos. Eu fui lá falar que eles estavam nas drogas por não ter gostado? Não né :)


Queria Estar Lendo 06/07/2020minha estante
Por fim, deixo aqui outro adeus e outro lembrete de que vamos reclamar SIM quando o livro for ruim pra gente (e vocês podem continuar gostando dele a vontadeeeee) inclusive vão lá na resenha de Crescent City pra dar uma levantada no astral tá? Beijos de luz e de estrelas pra vocês, anjos.


Lauraa Machado 06/07/2020minha estante
OPA, nada melhor do que resenha criticando livro da SJM


Queria Estar Lendo 06/07/2020minha estante
VAMBORA MIGA, a nova bomba tá chegando!!!!


luquescunha 06/07/2020minha estante
Nossa, se a pessoa vem ver a resenha e só porque lê uma que é negativa e deixa de ler o livro por isso, na minha opinião ela nem queria ler pra início de conversa. Eu vi várias críticas ruins e mesmo assim quis ler pra ter minhas próprias opiniões. E realmente o livro pra mim não foi nada WoW kkkk


Debs 06/07/2020minha estante
Eu não poderia concordar mais com essa resenha.
Que livro CHATO. chato, lento, raso, insonso. Parece uma sopa de repolho mesmo, de tão insonso e ruim que é.


Pedro 06/07/2020minha estante
Vocês ficam nessa tecla de ?não aceitar a opinião dos outros? que nem robôs né?! É simples, se tem tanta gente que está amando o livro, não é legal uma página como a ?Queria estar lendo?, que influencia pessoas, ficar tentando desencorajar a leitura do livro só porque elas não gostaram. Não precisa mudar nada na resenha, essa é a opinião delas (que nós discordamos) mas dá o benefício da dúvida à obra, simples.


Pedro 06/07/2020minha estante
E Krous, você pode criticar o ?ego do homem cis branco? em qualquer lugar, mas aqui você tá errando feio... Completamente sem base nenhuma, e ainda reproduzindo visão normativa porque você tá presumindo por uma foto que uma pessoa: 1- se identifica como homem e 2- é cis... Errou feio, querida


'duarda 07/07/2020minha estante
Pedro, muito interessante a sua colocação sobre várias pessoas que gostaram do livro. Mas que tal comentar sobre todas as outras que não gostaram, muitas delas até mesmo se manifestando aqui e CONCORDANDO com a resenha? Ou você também vai querer silenciar a voz deles e negar o direito a opinião? Porque é isso que essa resenha é, um espaço de opinião. E não vamos permitir que venham até aqui e nos desrespeitem como pessoa - "estava usando drogas quando leu" - ou como leitoras. Se é da sua interpretação que ele é um bom livro e que você gostou tenho duas palavras pra ti: para béns!
E "batendo na tecla de ser opinião"? Será que é PORQUE É O CASO? Tu quer que a gente faça o quê? Entre em uma discussão filosófica ponto a ponto da história toda? Qual a parte de "odiamos, fim" você ainda não entendeu? É nosso DIREITO não termos gostado e EXPRESSAR NOSSA OPINIÃO sobre isso, desde que não estejamos ofendendo ninguém. O que, até agora, não fizemos. Diferente de muitos aqui.
No mais, não vou aceitar sob hipótese alguma que tu ao menos cogite insinuar algo com o nome do blog ou querer dizer como nós devemos agir em relação a ele e com as nossas resenhas. Você não acompanha o blog, você não conhece nosso trabalho e você definitivamente não nos conhece. Se conhecesse, entenderia o porque a resenha foi escrita da maneira que foi e como nos posicionamos de uma maneira geral. Mas, ainda que você fosse um leitor assíduo - o que não - ainda não te daria o direito de questionar a maneira como nós trabalhamos.
Estamos há mais de cinco anos com o Queria Estar Lendo, temos mais de 600 resenhas publicadas e sim, temos algumas pessoas que nos seguem e acreditam na nossa opinião. E é por essas pessoas, que concordam com nossa opinião e acreditam nela, que achamos importante sempre deixar claro como nos sentimentos em relação aos livros que lemos. É um dever para com cada uma de nós, para com o blog, e para com quem nos lê e gosta da nossa opinião.
E se você acha que graças ao nosso "poder de influência" - sério gente, se a gente é tão foda assim comecem a comprar com nosso link da Amazon porque eu quero ficar ryca logo - nós não deviamos "desencorajar leituras", então o que você está dizendo é que deveríamos postar só resenhas positivas, ou talvez nos abster de dar opinião? Pois sinto muito, meu bem, mas não vai acontecer.


'duarda 07/07/2020minha estante
E quanto aos outros "AMEI ESSE LIVRO, VOCÊS NÃO SABEM LER, AAAAH" aproveitem para comentar nas nossas outras resenhas também que é pra dar um up. A gente não tem mais de 50% das nossas resenhas como nº1 do skoob por acaso, mas sintam-se livres para ir lá dar uma forcinha!

Porque é aquele velho ditado né: nada como fazer um hater trabalhar para te dar ibope
beijos


Pedro 07/07/2020minha estante
Ah, então você é a menina que escreveu a resenha.. Só pra te explicar que a palavra hater vem de ?compartilhar hate? que é o que vocês vieram fazer com essa resenha aqui, só esculachando o livro. Beleza, sua opinião! Mas não confunde as coisas, e se olha no espelho pra você ver a verdadeira hater. Muito amor pra você, Duda. E espero que vocês tenham muito sucesso nas resenhas boas e críticas construtivas.


Pedro 07/07/2020minha estante
E obs: nem precisa responder porque nem vou perder meu tempo lendo mais. Obs2: tenta diminuir essa pose de ?sou melhor do que você? somos todos iguais e eu jamais iria detonar seu blogzinho porque li apenas essa resenha de vocês e não concordei.

?Nem perde tempo lendo esse Queria Estar Lendo, vai gastar com algo útil? ?Esse Queria Estar Lendo só compartilha post reclamando?

Entendeu a diferença? Rs, dou o benefício da dúvida pra quem quiser ler, vá e tire sua própria conclusão.


Queria Estar Lendo 07/07/2020minha estante
Oi, Pedro. Só passando por aqui pra avisar que não, a Duda não resenhou o livro. Mas te falar uma coisa: não fomos as únicas avaliando negativamente esse livro e nem seremos. Posso te mostrar pelo menos umas vinte resenhas que esculacham essa história tanto quanto fizemos aqui porque, de novo e pela última vez, é nosso direito. Paguei, odiei, vou reclamar. Você gostou, você vai elogiar. É o ciclo da vida de um leitor. De todas as resenhas aqui, essa nossa nem foi a que mais odeia uma história - se quiser dá uma olhadinha lá na de Novembro, 9. Eu fui bem gentil com o livro do Snow ;) Se fosse pra ficar quieta sobre um livro que não gostamos, não teríamos feito o blog. E eu te garanto de novo que o blog não tem alcance pra "detonar" um livro. Tem tanta gente levando nosso texto fangirl a sério que eu tô me sentindo o NY Times e, cara, menos. É só uma resenha. Segue a vida. Procura gente que gostou pra reclamar de quem não gostou, sabe? É o que eu faço, é divertido. Recomendo demais :D No mais, passar bem e espero que encontre boas resenhas que batam com a sua opinião nessa sua jornada. Beijos de luz.


Krous 07/07/2020minha estante
Pedro, acho que digo por todos quando escrevo: graça a Deus que você não perderá MAIS tempo lendo a resenha dos outros. Podia ter feito isso desde o início e nos poupado da sua soberba e do seu mansplaining. Vai pela sombra e acredita, vamos todos sobreviver ao seu silêncio. Suspeito até que o mundo continuará girando como sempre.

E de novo: não concorda com a resenha do blog Queria Estar Lendo? Não precisa vir aqui comentar, ninguém liga. Vai viver em paz sua vidinha


Krous 07/07/2020minha estante
E antes que eu me esqueça SIM, QUE LIVRO CHATO E SEM NECESSIDADE DE EXISTIR.

Livro HORRÍVEL
PERDA DE TEMPO
PÉÉÉÉÉSSIMO DEMAIS.


luquescunha 07/07/2020minha estante
Que menino chato esse Pedro puts


'duarda 07/07/2020minha estante
Ih Pedro, sou não. A guerreira sacrificada lendo chernobook foi outra. Eu nem quis tentar ler porque adoro a trilogia original e preferi nem correr o risco de macular esse sentimento. Isso não significa que eu vou negar a pessoa que leu e odiou o direito de ter lido, odiado e expressado sua opinião no blog. E eu vou, inclusive, defender esse direito E ESSA PESSOA e vou falar no meu nome e no do blog toda vez que for necessário para fazer isso. Sobre me explicar o sentindo de hater e as diferenças todas apontadas no seu argumento, realmente muito obrigada eu não teria descoberto sozinha, tô muito feliz que um homem finalmente tenho me dito como é que funciona e a partir de agora não vou mais errar. Obrigadinha mesmo, gratiluz.


'duarda 07/07/2020minha estante
Krous, vou te dar medalha de membro honorário do blog. Se quiser uma coluna lá, pode vir que é tua.


IsabellaRibeiro 07/07/2020minha estante
Acho de quem desistiu de ler por causa dessa resenha,


IsabellaRibeiro 07/07/2020minha estante
+ NAO DESISTAM!




Camila Westphal 21/06/2020

Que a sorte esteja sempre a seu favor!
01- NÃO COMECE A LER COM SETE PEDRAS NA MÃO!!!
Se dependesse da opinião dos booktubers que acompanho, eu nem teria começado a ler esse livro.

02- ESSE LIVRO CONTA A HISTÓRIA DE CORIOLANUS SNOW, PANEM E DOS JOGOS VORAZES!!!
São 576 páginas que abordam a situação de panem, os jogos vorazes e a adolescência de um jovem que sobreviveu à guerra, que sofreu com ela, teve suas perdas e traumas.

03- ESSA NÃO É A PANÉM DO 74ª EDIÇÃO DOS JOGOS VORAZES!!!
Aqui você vai encontrar Panem apenas 10 anos após a guerra e estamos falando da 10ª edição dos jogos vorazes. Tenha em mente que vai encontrar um país tentando se reestruturar.

04- DISTRITO 12!!!
Você vai saber um pouco mais sobre o distrito 12 e como viviam as pessoas dali, porém esse não é o foco principal do livro.

05- NÃO EXISTE KATNISS E PEETA!!!
Não fique comparando um casal que surgiu 64 anos depois, em uma Panem totalmente diferente com o que você vai encontrar aqui.

06- RITMO DA LEITURA!!!
Eu não devorei esse livro (não sentei e acabei de ler ele de uma vez), que foi o que aconteceu com jogos vorazes, em chamas e a esperança. Teve partes que achei que poderiam ter sido resumidas e outras que gostaria de um pouco mais de detalhes. Mesmo assim, é um bom livro.

07- SOBRE OS JOGOS VORAZES!!!
Obviamente você encontrará muitas informações sobre os jogos em si, não espere que 80% do livro seja inteiro sobre isso, lembre-se que se trata da 10ª edição dos jogos vorazes, as coisas são bem diferentes, se você acha que na 74ª edição já estava ruim, imagina no início desse pesadelo.

08- RESPOSTAS QUE SURGIRAM QUANDO LI A TRILOGIA DE JOGOS VORAZES!!!
Tem alguns detalhes nessa história que vão te remeter a acontecimentos e partes marcantes da trilogia.

09- TÍTULO DO LIVRO!!!
Inicialmente achei que era um título sem pé nem cabeça, durante o decorrer da leitura você começa a compreender a escolha do mesmo.

10- O/A GANHADOR (A) !!!
Preste bem atenção, nunca ninguém ganha os jogos vorazes, você sempre perde, a grande realidade é que não há vencedores depois de passar por essa infeliz situação, existem sobreviventes.

11- SÃO AS COISAS QUE NÓS AMAMOS QUE NOS DESTROEM!!!
Essa frase do Snow faz muito sentido nesse livro do início ao fim.

12- QUE A SORTE ESTEJA SEMPRE A SEU FAVOR!!!
Após esse livro eu não consigo mais ler a frase acima e não pensar se a sorte realmente pode estar a favor de alguém em Panem.

13- O TORDO!!!
Só relembrando que a capital criou o Gaio Tagarela que era capaz de memorizar e repetir conversas humanas inteiras, posteriormente a função do Gaio foi descoberta e a capital abandonou os passados para que morressem. O Gaio tagarela então se reproduziu com o Tordo da natureza e originaram um novo Tordo (muito mais evoluído) que se tornou o símbolo da revolução.

PS: Boa leitura pra você !!!!
Leo 21/06/2020minha estante
Agora estou com vontade de ler


Nanna 21/06/2020minha estante
Muito boom, quero muito ler


Camila Westphal 21/06/2020minha estante
Leia com calma e com a mente aberta, foi isso que eu fiz. Esqueça um pouco a trilogia e então leia esse livro. Espero que goste da leitura.


Aline 22/06/2020minha estante
Excelente resenha. Diz muito sobre o que penso também.


Jaide 24/06/2020minha estante
Comecei ler agora. Estou achando que a leitura não está fluindo como deveria. Espero que melhore no decorrer




Lolli 10/06/2020

sim, essa é uma resenha positiva.
como a única outra resenha que está aqui é uma resenha negativa (que eu entendo MESMO o ponto dela e tals), eu vim aqui trazer meu ponto de vista sobre essa história.

para começar, embora a sinopse faça parecer, isso não é a história do Snow, nem da Lucy Gray Baird, nem do romance dos dois. essa é a história dos Jogos Vorazes e como a Capital os interpreta e porque é uma coisa que durou tanto tempo a ponto de ter 75 edições antes de ser banida completamente com a revolução que ocorre no final da trilogia. é a história do CONTRATO SOCIAL criado entre Capital e Distritos e porque as pessoas viviam nas condições que viviam.

assim como capitalismo funciona atualmente, em que os donos dos meios de produção e a elite herdeira e de status têm o dinheiro e o luxo e as possibilidades de tudo, enquanto os trabalhadores pobres sofrem as consequências da exploração de seu trabalho e a miséria que a riqueza dos capitalistas traz, a Capital também funciona assim. nesse livro, descobrimos que as famílias mais ricas da Capital são as que têm negócios muito lucrativos nos distritos, que são donos das principais formas de produção dos distritos. assim sendo, a Capital tem os capitalistas. eles são ricos porque exploram os outros. isso já sabíamos.

mas ainda não tínhamos entendido o porquê dos Jogos. não é apenas sadismo, para as pessoas da Capital, embora no início tenha sido entendido assim (muitos membros da capital ODIAVAM os Jogos, e isso esse livro mostra). é algo motivado pela guerra e o cerco que os rebeldes criaram.

sim, os rebeldes criaram a guerra por causa da exploração. mas quando você está acostumado com um sistema e existe uma revolta à ele, quando não é você que vive as consequências da exploração, você não entende o que está acontecendo. esse livro mostrou isso. como os membros da Capital estão tão cegos no próprio mundo e na própria ideia de miséria, que não conseguem ver a miséria do outro.

os Jogos Vorazes eram MILHARES DE VEZES piores que eram quando rolou a edição da Katniss. eles eram jogados em jaulas, tratados como animais, colocados em zoológicos, vistos como qualquer outra coisa que não gente porque eram dos distritos. não eram alimentados. não tinha desfiles. nem mentores. nem nada. e depois de uns dias na capital, na jaula, eram jogados numa arena literal para se matar e pronto. ninguém assistia. nem mesmo na Capital.

esse livro mostra o contexto de como foi chegando lá no que conhecemos. e conta pelo ponto de vista do Snow porque é a vivência dele como mentor da Lucy Gray Baird, tributo feminino do Distrito 12, que mostra que existe algo ali que deve mudar. que existe um motivo para mostrar. que é mais do que um jogo, que é mais do que uma revolta.

como uma pessoa fascinada por política e apaixonada pela análise política da dinâmica de Panem, eu achei uma jogada de MESTRE da Suzanne Collins escrever esse livro. principalmente porque ela abre o livro com citações de TODOS os contratualistas existentes. isso é MUITO importante pra história e pra mensagem que ela está tentando passar ali.

esse livro, por trás dos acontecimentos lentos e do que parece ser um arco de tentativa de redenção do Snow e da Capital, uma vitimização dessas pessoas, é uma análise FRIA e REALISTA de como os vencedores da guerra entendem o que é CONTROLE, CAOS e CONTRATO SOCIAL. os Jogos Vorazes são mostrados, no final de tudo, como uma forma eterna de controle, um controle que é necessário de ser exercido para evitar a guerra constante que é viver em sociedade, a guerra contínua que nunca vai acabar enquanto formos seres humanos (essa é a mentalidade da Capital, pelo menos, a que o Snow carrega com ele durante todos os anos).

esse livro debate sobre POLÍTICA. embora mostre o Snow se desenvolvendo de um adolescente tentando fazer o que acha certo e se dar bem na vida, o livro tem a mensagem de que é ASSIM que os privilegiados vêem o mundo, é ASSIM que eles entendem a necessidade de controlar e oprimir e manter seus privilégios sobre os outros. é ASSIM que nossa sociedade funciona e é ASSIM que a NOSSA elite pensa.

se você for ler o livro pelo personagem ou pelo romance, se você for ler o livro pelos Jogos ou pela carnificina, se você for ler o livro achando que é uma Distopia YA tradicional, desista, porque você realmente não vai gostar. mas se você for ler o livro com a mente nas citações que a Suzanne colocou no início do livro, se você for ler o livro pensando em CONTRATO SOCIAL e querendo descobrir que tipo de contrato a Capital, com seu poder e privilégio, construiu depois da guerra, talvez você se impressione muito, como eu me impressionei.

eu achei MUITO foda.

não dei 5 estrelas porque o romance é bem chatinho MESMO. e o Snow claramente não é um personagem feito pra se gostar, já que ele é mentiroso, manipulador, gosta de poucas pessoas e finge gostar de outras por interesse, e das que ele resolve que gosta ele quer ter poder e controle.

mas a POLÍTICA!!!!!!! MWAH! *chef's kiss* A POLÍTICA É INCRÍVEL!!!! ver o desenvolvimento político dos Jogos Vorazes e o que rolou antes de serem o que eram para a Katniss foi MUITO legal.

enfim. definitivamente não foi um livro pra redimir a Capital ou Snow. mas mostram seus motivos, que, quando se está numa guerra e se tem poder, e se está falando de política, absolutamente tudo vale.
Débora 24/06/2020minha estante
resenha perfeita




zoni 23/06/2020

E indo contra a maioria das pessoas, eu gostei bastante desse livro.
Logo que A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes foi lançado vi muitas críticas negativas, inclusive de pessoas com gostos parecidos com os meus, e claro que isso me deixou desanimado, a decepção chegou em mim quase um mês antes do lançamento aqui no Brasil. Eu até fiquei alguns dias pensando se deveria mesmo ler esse livro e estragar tudo que a trilogia principal tinha construído em mim, mas decidi que deveria tomar minhas próprias opiniões, então fiz um pacto comigo mesmo que iria aproveitar a leitura da melhor maneira possível, que iria de peito aberto, e foi o que fiz, essa foi uma das melhores decisões da minha vida, pois o livro funcionou bastante pra mim. Então aqui vai uma grande dica: leia o livro para tirar as suas próprias conclusões, lembre que ninguém pensa igual, e que muitas vezes o que não foi legal para o seu amigo ou para o seu influenciador favorito pode ser legal pra você.

E antes de tudo quero parabenizar a tradução da Regiane Winarski, uma das minhas tradutoras favoritas, o trabalho que ela fez com esse livro foi genial, se no original a história está arrastada (digo isso com base em todas as resenha de quem leu em inglês) as escolhas de tradução da Regiane deixou a história muito mais fluída, em alguns momentos eu simplesmente não conseguia parar de ler, ficava totalmente imerso, e mesmo quando eu ia dormir, meus pensamentos voltavam para essa história incrível que só quem se deu a chance de apreciar conseguiu de fato entender. Essa não é uma história sobre o vilão, não é uma história sobre como o vilão se tornou vilão, está mais para uma história sobre escolhas e como essas escolhas podem mudar quem somos, ou mostrar quem verdadeiramente somos.

Logo que saíram as informações sobre o prequel de Jogos Vorazes eu pensei “não quero ler uma história sobre o Presidente Snow, isso não vai ser interessante de maneira nenhuma”, e eu estava tão errado em achar que não seria interessante, e principalmente em pensar que o livro trataria apenas sobre a vida daquele homem horrível que odiamos com todas as forças até o momento de sua morte. Mas Suzanne Collins foi tão perspicaz em suas escolhas, pois por mais que pareça que Coriolanus Snow é o único protagonista, sua história serve muito mais de pano de fundo para as verdadeiras explicações sobre como funcionou e funciona Panem e sobre a criação dos Jogos Vorazes e sua real utilidade.

Vou começar falando sobre Coriolanus Snow, ele é um jovem frio, calculista e que não se importa em usar as pessoas para atingir seus objetivos. Ele sobreviveu à guerra, sofreu desgraças horríveis com ela e tem perdas e vários traumas que moldaram e ainda moldam o seu caráter. E você deve estar pensando no momento “fala sério, devem ter romantizado o vilão e o colocado como um mocinho que re revolta e se transforma no seu pior pesadelo” e preciso dizer que você está enganado, a única coisa que a autora fez foi mostrar uma certa humanidade no homem que depois vai se tornar o maior vilão e pesadelo de Panem. Nós como leitores e também seres humanos precisamos lembrar que mesmo alguém ruim tem algo de bom em si, mesmo que essa bondade seja um pouco deturpada, como no caso do Snow. Coriolanus não nasceu mau, ele apenas teve uma vida difícil e várias influências ruins em sua vida, e não, eu não estou justificando as escolhas da personagem, ele poderia ter feito outras escolhas, escolhas boas, mas ele não quis. Eu até poderia dizer que com a sua mente jovem e traumatizada Snow foi ensinado a acreditar que ser um tirano era a solução, mas não foi isso que a autora nos mostrou durante as várias páginas, ela deixa bem claro para quem de fato entendeu o livro, que Snow escolheu ser assim.

Os Jogoz Vorazes são totalmente diferentes dos quais nós vimos Katniss participar 64 anos depois (eu não tenho certeza se essa informação sobre os anos estão corretas, mas eu acho que é isso). As pessoas não gostam e nem querem assistir ao massacre, nem mesmo os cidadãos da capital, já que eles estão desgastados e exaustos depois de viverem uma guerra que parecia não ter fim, apenas perdas. E é por essa razão que jovens são selecionados para ajudar na criação de um show que seja interessante, e não apenas com ideias, mas sendo mentores dos jovens selecionados na colheita. Snow vê nisso uma oportunidade de ganhar dinheiro, fazer uma faculdade e dar início a sua vida de sucesso, a vida do futuro Presidente de Panem, mas quando ganha a garota do Distrito 12 para mentorar, o Distrito de menor prestígio, Snow acha que seus planos irão escapar de suas mãos, mas quando ele finalmente conhece Lucy Gray, sua tributo, ele tem certeza que ganhou uma oportunidade de ouro para fazer história. Lucy Gray é uma personagem muito interessante, e por mais que ela se pareça muito com a Katniss, e isso deve ser intencional da autora, ela é tudo que a Katniss não foi, e digo isso porque por mais que a garota em chamas quisesse vencer os Jogos, ela não fazia nada para isso só era deixada se manipular e agia por impulso com medo de perder as coisas e as pessoas que amava. Gray não, ela é determinada, inteligente e quer ganhar, e vai usar as todas as armas que tem para isso. Lucy Gray já nos é apresentada na colheita fazendo um grande show, ela coloca uma cobra no vestido da filha do prefeito, ela apanha por conta de suas ações e dança e canta fazendo literalmente um show; Lucy é uma cantora e artista circense, ela sabe o que deve fazer para cativar o público, ela tem classe e personalidade e com a ajuda de um dos maiores manipuladores da história de Panem, é claro que ela teria chances de fazer sucesso e até vencer o novo show dos Jogos Vorazes que estava sendo planejado.

Há romance na trama, e sim, é do Snow, não revire os olhos, posso confirmar que eu mesmo torci muito por Lucy Gray e Snow, eles tinham química, bem mais do que Katniss com qualquer um dos dois garotos, desculpa por dizer a verdade, eu sei que às vezes ela dói. E por mais que o romance entre os pombinhos desse livro tenha surgido tão abruptamente, dava pra acreditar que eles estavam apaixonados, se era de verdade ou não, isso fica para você mesmo decidir. Eu decidi acreditar. E sei que o Snow usou a Lucy, mas ela também o usou, e foi por isso que eles terminaram do jeito que terminaram, e tá tudo bem também, pois por mais que houvessem mentiras no relacionamento, eles não enganaram um ao outro de fato, os dois sabiam o que queriam e o que deveriam fazer pra conseguir. Esse romance e o período de Lucy na arena rende boas músicas e bons momentos, os dois vão ao extremo e dão tudo para os leitores. E antes que eu esqueça, as músicas, bom, é completamente interessante conhecer as histórias por trás das canções que Katniss canta anos depois, principalmente a da árvore forca, essa mexeu muito comigo.

Uma das coisas mais legais do livro talvez seja a existência de Sejanus e amizade que ele cria com Snow, pois por mais que os dois sejam o oposto do outro e acabem se destruindo, dá pra ver que houve sentimentos verdadeiros entre eles, principalmente da parte do Snow, que teve que sacrificar algo muito importante. Não vou entrar nesse assunto para não dar spoilers. O Sejanus é um garoto que nasceu no Distrito 2, mas por conta do pai ter conseguido enriquecer e pagar pelas reformas da Capital, eles se mudam pra lá. Porém o traço mais profundo de Sejanus é sua verdadeira humanidade, e o fato de que ele nunca se esquece que não pertence verdadeiramente àquele lugar, e principalmente, que não há grandes diferença entre ele e os tributos que está ajudando a matar.

Muita gente reclama do ritmo do livro, fala que é lento, mas acredito que o livro tem o ritmo certo, se corresse muito passaria a ideia de que nada ali é de fato relevante, e por mais que tenha muita gente dizendo isso, eu discordo pra cacete, vejo muito potencial no livro e sei que tudo narrado aqui tem importância pra mundo da autora, principalmente para a trilogia. E não estou dizendo que não existam momentos que não sejam meio cansativos, é sim, eu admito, mas não vou dizer que não ter plot twist acontecendo o tempo todo deixa a história menos interessante, isso é balela. E desculpa, ninguém precisa concordar comigo, mas dizer que um livro não tem qualidade narrativa só porque não tem milhares de reviravoltas estúpidas acontecendo o tempo todo é meio desonesto.

É um livro profundo que vai além dos Jogos, e que nos mostra como nós seres humanos somos capazes de nos destruir em nome de uma moral ou de uma segurança inexistente, de como somos capazes de vender nossas próprias almas para conquistar poder. E se você sempre se perguntou como os Jogos foram criados, ou o que acontece por trás das câmeras, como os idealizadores influenciam e trapaceiam nas escolhas dos tributos e todas as muitas questão que não ficamos sabendo porque estávamos o tempo todo na cabeça da Katniss durante a trilogia, acho que você vai gostar desse livro. Para mim foi muito interessante acompanhar a criação do show e de algum modo uma parte da construção de um dos vilões mais interessantes da literatura jovem. E tem todos os pequenos detalhes que vimos na trilogia que agora parecem pesar muito mais que antes. Por exemplo, por que quase ninguém sabe sobre Lucy, por que o 12 que antes parecia um lugar menos horrível se tornou o que é? Por que Snow conhece tanto sobre o Distrito 12 e tão pouco sobre outros? Se o 12 já teve uma campeã por que ninguém fala dela? Por que Snow odeia tanto os tordos? Essas explicações estão aqui, então não diga que o livro é vazio e não acrescenta nada, pois acrescenta muito pra história inicial e abre espaço para todos as edições dos Jogos Vorazes de todos aqueles personagens favoritos que nós queremos ler.

E se você leu até aqui me desculpe pela bagunça que ficou essa resenha/opinião, pois por mais que eu tenha passando o dia inteiro pensando sobre o que iria escrever, cheguei aqui e só fui passando as coisas que fui lembrando, assim totalmente fora de ordem, sem preparação e revisão e todas essas coisas que eu deveria pensar um pouco mais antes vir até aqui, mas prometo que depois que as minhas ideias estiverem um pouco mais calmas e organizadas eu volto aqui para escrever mais alguma coisa, ou escrever uma nova resenha, é isso. E leiam o livro para tirar as suas próprias opiniões, é um bom texto, e você só precisa tentar entender que a história vai além do: quem é bom ou mau? quem vai morrer ou viver? isso é certo ou errado? Todos nós temos parcelas de humanidade, mas todos nós podemos cometer atos cruéis e horríveis. É isso.
Ian @ianmoura_ 23/06/2020minha estante
Amém, obrigado Deus, ao menos um nesse mundo aaaaaaaaaaaaahhh hihihi...


Nathalia 23/06/2020minha estante
Acho que as pessoas estão mais frustradas com o livro por acharem que a Suzanne ta passando pano pro Snow, e, por ter sido vendido como um Jogos Vorazes (e pelo que vi, o foco não é esse). Ainda to esperando o meu chegar pra ler(e terminar de reler a trilogia), mas ainda assim espero coisas positivas, apesar de todas as reviews detonando o livro. Eu gosto do Snow como vilão, não passo pano para todas as atrocidades e desumanidade causada por ele (e inconscientemente pelas pessoas da capital). Então é isso, bom ter visto que teve gente que gostou


zoni 23/06/2020minha estante
Ian, se você ainda não leu, vai de peito aberto, hahaha, é essa a minha dica. É uma história muito interessante, gostei pra caralho, e não vi essa lentidão que geral tá falando não, é claro que como MUITOS livros tem umas informações que a gente fica pensando que são irrelevantes isso normal. Gostei muito do livro e não vejo a hora de poder/ter alguém pra falar dele com todos os spoilers possíveis, pois tem muita coisa pra pensar/falar.


zoni 23/06/2020minha estante
Então, Nathalia, concordo muito com você, a maioria das pessoas estão indo para o livro achando que vão ler só mais uma edição dos Jogos com uma percepção de primeira pessoa, e não é bem assim, o buraco é bem mais embaixo. E vi também umas resenhas que são completamente EU NÃO GOSTO DO SNOW, NOTA 1 POIS NÃO GOSTO DO SNOW, e acho essa decisão bem desonesta, pois além de criar ódio/ranço em outros leitores, é como se a pessoa não tivesse lido nem 50% de tudo que a história tem, o protagonista é o Snow, mas a história contada é mais sobre o que são os jogos e por quais razões ele existe.

Eu gostei muito do Snow como protagonista, ele tem várias camadas, vários pensamentos ambíguos, e por mais que ele tenha toda uma inclinação para o lado egoísta e mau caráter dele, ele se importa com as coisas no começo, tem várias questões antes dele sentir o desejo de se tornar o tirano controlador, sabe? É muito bom ir vendo todas essas faces da personagem.

E a Suzanne deixa claro desde o começo, ele é um bosto e ele é perigoso, olha alguns dos pensamentos que ele tem... Ela não passa pano e muito menos suaviza as maldades dele, ela só deixa claro que ele não é só um monstro sabe? E eu não sei se você tá entendendo porque eu não posso falar muito sem dar spoilers, mas vale a pena, espero que você goste da leitura quando o seu chegar.


Steph 11/07/2020minha estante
aí eu amei muito sua resenha, estou na metade do livro e to completamente envolvida a leitura tá fluindo demais e acredito que vou gostar muito desse livro, já concordo com muitas coisas que disse, a Suzanne é genial demais




Pucca.Farion 13/06/2020

Voltamos ao mundo de Panem, mas ele é bem diferente do que Panem que nós conhecemos. A guerra acabou há 10 anos, a Capital ainda está tentando se reerguer, e os Jogos Vorazes são um fracasso de audiência.

Para tentar alterar aumentar a audiência do 10º Jogos Vorazes, foi decidido que um grupo de alunos da Capital atuaria como mentor dos tributos, detre os quais o nosso conhecido Coriolanus Snow, mas agora com 18 anos.

O sobrenome Snow, antes poderoso, agora está na completa ruína financeira, mantendo-se apenas de aparência. Assim como os tributos, Coriolanus vê nos Jogos sua única chance de sobrevivência. Se ganhar os jogos poderá ingressar na Faculdade e assim manter sua casa e sua família. Mas qual não é a sua surpresa dele ao descobrir que ele será o mentor da garota do 13º distrito, considerada a concorrente mais fraca.

Para que leu a trilogia Jogos Vorazes, é interessante fazer um paralelo entre a Katniss e Coriolanus. Ambos estão em uma situação difícil, são colocados numa situação ainda pior, e fazem coisas que não imaginariam tudo em nome da sobrevivência. Neste livros temos o lado dos mentores,e ele é quase tão perigoso como o dos tributos.

Sobre Coriolanus Snow, nosos protagonista, você sabe quem ele se tornou nos Jogos Vorazes. Neste livro, no entanto, a autora conseguiu a façanha de o tornar real e alguém por quem você torce. Ele é o Jaime Lannister na série Game of Thrones. Você lembra como se sentiu sobre Jaime na primeira temporada, e no meio da série, e no final? Meus sentimentos sobre Snow se alteraram durante todo o livro da mesma forma.

Lucy Grey, a tributo do distrito 12, também se destaca por sua inteligência e forma de se portar. Ela é uma cantora, e por isso acostumada a encantar a platéia, o que a torna bem diferente de Katniss. Como o livro é contato sobre o ponto de vista de Coriolanus, e isso reflete nos demais personagens. Nós conhecemos Lucy pela lente de Snow, então fica difícil saber quem ela realmente é.

Temos outros personagens importantes, os quais não item mencionar para não estragar a leitura.

Achei uma leitura maravilhosa, que me prendeu até o final com suas reviravoltas. Você sabe onde ele vai terminar, mas mesmo assim torce ao contrário. A autora conseguiu manter a estrutura do mundo que havia criado, com alterações que ficaram naturais em razão dos períodos diversos.

Existem várias canções descritas no livro, dentre elas algumas velhas conhecidas. também temos alguns easter eggs, que são jogados na sua cara descaradamente, mas nada que prejudique a leitura.

Para quem gostou de Jogos Vorazes, é uma leitura essencial.





comentários(0)comente



nala 05/07/2020

Acho que a decepção de muitas pessoas com esse livro vem da diferença entre a narração com muita ação e sobrevivência dos livros anteriores quando esse aborda tudo de forma mais calma. Se você não gosta de observar a construção e crescimento de personagens, talvez essa não seja uma leitura muito adequada, mas, na minha opinião, dizer que é uma perda de tempo e que outras pessoas não deveriam ler é ser extremamente ignorante.

Pra mim foi interessante ver o Snow como um ser humano e entender seus propósitos, mas obviamente não consigo gostar dele, e em momento nenhum o livro tentar te forçar a enxergar ele como vítima das circunstâncias ou injustiçado, apenas te dá uma perspectiva diferente e muito boa de se ler porque apesar de odiar o Snow não consegui deixar de ficar curiosa durante a leitura.

O livro teve alguns pontos baixos e momentos que você teve vontade de socar o protagonista mas acho que é normal de toda leitura.

Não posso dizer que fiquei chocada com o final porque de uma forma ou outra você sabe como acaba, mas foi um pouco surpreendente sim.

Também amei o fato de o livro trazer a origem de várias coisas dos livros anteriores e Lucy Gray é meu amor todinho :)
Leitura e . 05/07/2020minha estante
Oii... Boa noitee...Tudo bem?... Desculpa por interromper sua leitura, mas gostaria de te convidar a me seguir no Instagram para acompanhar minhas leituras... te espero lá...?
Obrigado.
@leituraeponto




Percy 02/07/2020

Um complemento PERFEITO para a trilogia Jogos Vorazes
A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes é com toda certeza um dos melhores livros lançados esse ano e tem potencial para se manter como um dos melhores livros da década.

O prelúdio da trilogia Jogos Vorazes dispensa a glamorizarão dos jogos para focar em feridas mais profundas. Suzanne Collins aborda as sequelas da guerra civil que originou os jogos e aqui ela mostra as circunstâncias que levaram os jogos a se tornarem o que conhecemos 64 anos depois quando somos apresentados a Katniss Everdeen.

O livro levanta debates profundos sobre o estado da natureza humana e utiliza os personagens como uma forma de colocar as ideias dos contratualistas em conflito.

O personagem principal (Snow) NÃO é romantizado e como o livro é narrado em terceira pessoa fica mais fácil se distanciar do personagem, sem que haja a vontade de criar empatia. A decisão de utilizar o Snow como protagonista dessa história causou muita polêmica porém fica claro que de todos os outros personagens ele é o mais apropriado para contar essa história. Parece quase proposital a ideia de utilizar um personagem que o público não gosta, assim o foco sai do personagem e vai para a história em si.

Mesmo com tanta filosofia política o livro não dispensa as cenas de ação e continua com a mesma essência da trilogia original. As referências à trilogia são muito bem amarradas e mostram que a Suzanne Collins tem o domínio total do universo que ela criou. Em alguns momentos tive a sensação de que ela realmente escreveu esse livro antes da trilogia original pois as peças se encaixam perfeitamente. Outro detalhe muito bacana sobre esse livro é que ele consegue agregar um valor ENORME pra história original. Algumas passagens dos livros originais possuem coisas das quais nós nunca demos importância, e depois de ler esse prequel nós conseguimos ver como a história ganha mais valor.

As referências são perfeitas, a escrita é maravilhosa, os temas abordados são geniais e os novos personagens são muito interessantes.

Eu estou extremamente ansioso pra adaptação cinematográfica do livro e espero um trabalho tão fantástico quanto essa história.

?O show só acaba quando o tordo canta?
Lendo Blu 02/07/2020minha estante
Primeira pessoa que eu vejo elogiando o livto ahhahaha


Percy 02/07/2020minha estante
Eu li quando foi publicado mundialmente e reli ele em português pra apreciar o trabalho da Regiane Winarski (Tradutora) e a releitura foi ainda mais satisfatória. É um livro incrível. A Suzanne Collins segue sendo uma das escritoras mais geniais da literatura infanto-juvenil.


Baird 02/07/2020minha estante
Há várias resenhas positivas aqui no Skoob, Lendo Blu, dá uma olhada. É uma leitura que depende muito do que você quer e do que você apreender da história. Quer vai ler só pelo entretenimento, vai se frustar. A história é rica de referências filosóficas, sociológicas e políticas, como o Percy citou, mas é preciso ter interesse nesses temas para conseguir adentrar mergulhar nessa história. Considero o livro o mais maduro da série, parece que a Suzanne queria falar com os fãs mais velhos e mais atentos a questões sociais do nosso mundo. Uma pena que muitas das pessoas que fazem resenhas negativas do livro pontuam e dão ênfase maior a elementos que funcionam mais em segundo plano da história.


Baird 02/07/2020minha estante
Quem vai ler*




Lissa - @leiturasdalissa 20/06/2020

para bom entendedor
não. esse não é um livro sobre a revolução. a intenção de Suzanne Collins ao escolher Coriolanus Snow como protagonista dessa prequel é clara logo nos trechos escolhidos para introduzir a história: a sociedade corrompe o homem.

mas e se ele já nascer corrompido, como Snow? há quem reclame que o protagonista não gera empatia e identificação, mas deveria? todo mundo já sabe o que ele se tornou e qual foi seu fim, e aqui pode descobrir porque isso aconteceu. ele sempre foi ruim. pessoas naturalmente assim existem, mas ninguém fala sobre elas: são relegadas a um papel de antagonistas. quando ganham os holofotes, são rejeitadas porque as pessoas querem heróis.

quem não curtiu esse livro certamente esperava um novo episódio como o de Katniss, algo que jamais foi prometido. o repúdio, pelo que vi, ainda inclui o fato dessa ser uma narrativa em terceira pessoa. mas o que vocês esperavam? enquanto Katniss é uma personagem profunda em camadas, Snow se limita a ser ruim, e descrever isso cabe a qualquer narrador externo. estar na cabeça dele poderia ser um perigo para a construção de seu (mau) caráter.

a proposta dessa cantiga não é fazer com que sintamos pena ou que pensemos que as circunstâncias da vida de Snow o levaram a ser o que era. muito pelo contrário. é para mostrar que, muitas vezes, nem essas circunstâncias são suficientes para que uma mudança significativa ocorra por dentro. somos o que somos, o que a sociedade no faz ser é apenas a cereja do bolo.

pena que muita gente não entendeu isso.
Susu 23/06/2020minha estante
Já dizia Durkheim! O meio social molda o sujeito. E se ele já for uma lâmina, a sociedade impulsiona.


Lissa - @leiturasdalissa 23/06/2020minha estante
perfeita colocação, Susu! resumiu perfeitamente bem o que eu quis passar com meus comentários.


Débora 24/06/2020minha estante
arrasou na resenha


Lissa - @leiturasdalissa 27/06/2020minha estante
obrigada, Débora!




Esthefany 10/07/2020

Quem não gostou leu errado
Mais uma vez suzanne trazendo conceito, coesão e aclamação.

Em nenhum momento passa a mão na cabeça do Snow e faz questão de expor o absurdo que é a capital, cheia de simbologias e respostas para questões do futuro do série.
comentários(0)comente



Duds 03/07/2020

Desde que foi anunciado que haveria um prequel de THG, eu estava sedenta por um livro que narrasse os jogos do Haymitch (como boa parte dos fãs). Ontem, já no final de A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, compreendi o porquê da Suzanne não o fazer. Acho que seria um tanto repetitivo, gostando ou não, ver outra narrativa onde o protagonista é sorteado para os Jogos como foi com a Katniss (mas eu não reclamaria, pode mandar, Suzanne!!!). Nesse livro descobrimos muito sobre a história de Panem e dos Jogos, bem como de Snow, que se prova um grandessíssimo filha da p*ta o livro inteiro.
Eu estava com medo de que fosse um daqueles livros que justifica as atrocidades do vilão, mas não foi o caso. O livro só prova como ele sempre foi uma pessoa odiável - e ainda assim eu amei a história! Temos várias referências à trilogia principal; as canções cantadas por Katniss, os tordos, a planta "katniss"... Foi muito legal ver tudo isso!
Não vejo o casal como romance, uma vez que para mim é claro que Snow não ama Lucy, mas quer controlá-la, então acho que foi uma boa forma de mostrar quem ele é. Ainda não decidi se gostei ou não dela, acho que sua história pareceu meio... resumida? Ela merecia mais, bem mais.
No fim, acho que é uma ótima história e vale a pena ser lida! Há muitas discussões filosóficas sobre liberdade e controle, sobre a essência humana... Sempre vi Jogos Vorazes como mais que uma mera ficção adolescente - a trilogia principal traz discussões sobre política muito interessantes e com grande potencial para reflexão. Um dos melhores livros do ano, com certeza.
comentários(0)comente



Naty 04/07/2020

O que foi isso que acabei de ler???
Gente não consigo entender como tem gente falando mal desse livro, claro que se você for com a cabeça fechada pensando que Snow é um tirano, que todo mundo da Capital tem que morrer, talvez você não aprecie esse livro. Tem que ler com a mente aberta. Muito interessante ver como Snow tinha seus valores e como ele era mais jovem. Ele sempre foi calculista, mas não completamente sangue-frio. Ele faz o que for necessário para manter a sobrevivência humana.

"Snow cai como a neve, sempre por cima de tudo"
Mayara Souza 04/07/2020minha estante
Concordo com você, achei esse livro fantástico.


Naty 04/07/2020minha estante
Fantástico mesmo,só queria saber mais de Lucy Gray


Mayara Souza 04/07/2020minha estante
Eu também, fiquei um mistério no fim sobre isso.


Mayara Souza 04/07/2020minha estante
Ficou**


Naty 04/07/2020minha estante
sim




Ster 24/06/2020

Eu pensei seriamente em não ler esse livro por causa das críticas negativas, e fiquei muito feliz que acabei lendo. Preciso dizer que recomendo mais pra quem é fã ou gosta muito de jogos vorazes. É um livro longo e se você não estiver muito interessado na história, pode ficar sim entediante. Mas, como sou totalmente apaixonada por Panem e sua história, li o livro em dois dias e simplesmente amei. É super interessante saber mais sobre o passado desse mundo, como funcionava nos primeiros jogos, além personalidade do Snow desde quando era adolescente. Achei um acréscimo ótimo pra série de livros, amei a narrativa/vários personagens e a escrita da Suzanne está incrível como sempre.
Kennedy 24/06/2020minha estante
Concordo e estou amando também. Por enquanto sem negativas.




Eduardo 19/06/2020

De Volta a Panem
Eu gostei muito desse livro. Ele é bem diferente da trilogia Jogos Vorazes, o que pode ser algo um pouco negativo para aqueles mais apegados a história da Katniss. Aqui conhecemos o início da glamourização dos Jogos Vorazes e como a Capital passou a enxergar tudo isso como um show de entretenimento. Não é um livro para nos "divertir", tem ação é claro, porém é mais sobre as questões humanas e de como nós - fãs da Saga ou não - as vezes enxergamos as coisas da mesma forma que Capital.

Sei que muitos tinham medo de Snow ser romantizado, mas fiquem tranquilos, isso não acontece. Nesse livro percebemos que Snow sempre foi Snow.

Suzanne Collins não decepcionou.
comentários(0)comente



Carol 29/06/2020

Um pouco do mesmo
Com uma história intrigante e um enredo elaborado, prendeu-me desde o primeiro capítulo. Porém, a repetição de alguns elementos do distrito 12 me pareceu desnecessária, eu pessoalmente preferiria conhecer um distrito novo.
comentários(0)comente



pedro 23/06/2020

"Snow cai como neve, sempre por cima de tudo"
Vou logo começar admitindo que eu tinha expectativas baixíssimas pra esse livro principalmente pelos comentários que vi de quem o leu e se decepcionou, e talvez em parte por isso que eu tenha me surpreendido tanto com o que eu recebi.
Gostei muito que esse livro conseguiu criar uma relação entre essa história e a da trilogia original, mesmo que fazendo alguns paralelos diretos (que vou comentar já já) não ficou forçado o tempo todo e foi capaz de explicar a história da Capital, dos distritos e da relação dos cidadãos com os jogos naturalmente.
Primeiro paralelo que eu percebi foi como o 1 capítulo meio que "repete" o primeiro de Jogos Vorazes em 4 pontos principalmente, 1) estabelecendo a pobreza dos personagens; 2) a relação deles com a família e como eles fazem de tudo por eles; 3) mostrando como a cidade foi marcada pela guerra, a Capital ainda não está a todo vapor como conhecemos; 4) ambos terminam com a tributo do Distrito 12 sendo sorteada na Colheita. Mas o que difere desde o começo Coriolanus da Katniss e consequentemente as duas histórias é a personalidade do Snow, como ele tem vergonha da condição atual da família dele, ele é arrogante e a maior preocupação que ele tem é trazer de volta o reconhecimento e poder que o nome da família carregava independente dos meios para chegar a isso.
Existe sim um "romance" nesse livro porém o relacionamento não é o ponto mais importante do livro (ainda bem) especialmente porque não tenta romantizar ou humanizar demais o Snow através disso, nem usa como desculpa "uma desilução amorosa" para explicar como ele virou o tirano que conhecemos na trilogia original.
Este livro não é apenas uma história sobre como Coriolanus foi se tornando mau pelo que aconteceu com ele é muito mais sobre o caminho que ele escolheu traçar motivado pela ambição dele e a Suzanne Collins consegue muito bem retratar isso mostrando de forma gradual como ele passa por cima de muita gente para conseguir o que quer.
Jaide 24/06/2020minha estante
Comecei ler agora. Estou achando que a leitura não está fluindo como deveria. Espero que melhore no decorrer.




187 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |