Reencontro Mortal

Reencontro Mortal J. D. Robb




Resenhas - Reencontro Mortal


25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Barbara Sant 30/10/2010

Oie Gente,

Antes de ler essa resenha, tenha em mente que vou imaginar que você já leu, pelo menos, até o quarto livro da série.
Se não leu, pare aqui mesmo e vá para a resenha anterior. Alguns spoilers dos três primeiros livros serão inevitáveis.
Se não se importa com spoilers ou já leu os quatro primeiros livros da série, divirta-se!

Depois de meses sem comprar um livrinho da Nora, esse mês fiz uma farra de compras. Uma das aquisições foi Reencontro Mortal, recentemente lançado pelo Bertrand.

Poderia dizer que Reencontro Mortal é um daqueles livros que te prende do início ao fim. Mas ele é um livro da série Mortal, então dizer isso é redundante.
Poderia dizer que a busca pela assassina é eletrizante, cheia de revira-voltas, de artimanhas e de terror psicológico. Mas é um livro da série Mortal, o que torna isso também redundante.
Assim como dizer que as cenas de ação são incríveis, que o suspense é de arrepiar, os personagens novos são m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o-s, que ela consegue misturar cenas de incrível doçura com de absoluto terror. Tudo isso se torna óbvio, já que em quase todos os livros da série Mortal temos essas características.

Então, tenho que dizer que Reencontro Mortal é um dos livros mais violentamente românticos, elucidadores e apaixonantes de toda a série Mortal.
Eve e Roarke completam um ano de casados e a J.D. nos dá de presente uma das cenas mais românticas de toda a série. Não vou contar o que acontece aqui, mas tanto o presente dele quanto o presente dela farão aquelas almas apaixonadas e/ou românticas suspirarem de contentamento.

A assassina desse livro também é descoberta logo de cara, tornando as cenas de assassinato desesperadoras. A vontade de gritar "Não! Não faça isso! Ela vai te matar!!" é quase incontrolável.
Julianna Dunne é uma das melhores vilãs já escritas pela Nora. Ela é culta, bem educada e uma assassina em série que é de uma maldade sem limites.
Foi presa quase nove anos antes por uma força tarefa e fixou sua atenção na Eve por ela ser a única mulher que participou de sua prisão.
Para o desespero de todos aqueles que acreditam na justiça, ela foi solta novamente e imediatamente começou a matar.
Nossa querida Tenente começa uma corrida contra o tempo para tentar prendê-la e impedir que uma das pessoas mais importantes da sua vida seja a próxima vítima.

Deixando um pouco de lado a parte violenta da estória, temos alguns personagens novos, algumas revelações incríveis (quem sempre quis saber mais sobre o passado da Eve vai se se fartar de informações e vai chorar, xingar e sofrer com elas) nesse livro. Temos os pais da Peabody, que garantem cenas absurdamente divertidas, o marido da Dra Mira, adoravelmente atrapalhado (e nossa Tenente Docinho fica encantada com ele).

Reencontro Mortal é um divisor de águas na série, desvendando o que aconteceu com a Eve naquele maldito quarto de Dallas.
Mais pra frente teremos um livro que vai fazer com que todas as cenas do passado dela se tornem ainda mais horrorosas, doentias e desesperadoras. Então prestem muita atenção em tudo que ela contar. Ou terão que voltar a Reencontro e sofrer duas vezes ao ler tudo aquilo.
Acompanhar o sofrimento do Roarke enquanto a Eve revive tudo o que aconteceu não é fácil. Assim como ele, o desejo de voltar e poder matar o pai dela vai se manifestar em todos os apaixonados pela Eve.
O sofrimento dela na infância e a maneira em que a J.D. põe isso no papel farão vocês se emocionarem como nunca: raiva, compaixão, nojo, repúdio... todos os sentimentos mais fortes do ser humano serão explorados nessa incrível viagem ao passado.

Acho que poderia ficar falando horas e horas sobre o quão incrível acho esse livro, já que ele é um dos meus cinco preferidos de todos os 37 da série. Mas como isso só deixaria vocês curiosos e eu correria o risco de soltar um spoiler, vou só dizer que o livro é: um suspense cheio de ação, um romance cheio de amor e uma comédia pastelão ao mesmo tempo, fazendo de Reencontro Mortal a pedida perfeita pra quem gosta dos gêneros!
Recomendadíssimo!!

Se quiser conhecer minhas opiniões sobre outros livros da série e da autora, fique a vontade!
www.indeath.com.br
Semiramis 10/11/2010minha estante
Amoooooooo essa série...
Estou lendo agora Reencontro e vou seguir sua dica direitinho. Além do quê, concordo em gênero, número e grau com as "redundâncias", kkkkkk
Abraços


Barbara Sant 10/11/2010minha estante
hahahaha
Depois quero saber o que você achou do livro!
Me avisa se fizer resenha pra ele!


Bibi 30/11/2010minha estante
adorei sua resenha...tambem achei esse uns dos melhores da série...


Aileen 27/12/2010minha estante
Eu já tô com preguiça da melação entre o Roarke e a Eve, e sei lá, acho que os livros estão meio previsíveis... depois do Vingança Mortal não teve nenhum da série q eu tenha pensado "nossa, esse é excelente". Vingança Mortal é o meu favorito até agora.

Mas bom saber q tem mais coisas sobre a Eve... acho que até animo a continuar lendo a série, mesmo com o tanto de clichês.


Barbara Sant 02/01/2011minha estante
Ah, eu gosto da melação rsrs mas não desiste que os próximos vão te deixar de cabelo em pé. Palavra de viciada!!!




Rose 25/06/2013

Está fazendo um ano que este explosivo casal juntou os trapinhos. Eve e Roarke tiveram um ano cheio de perseguições, tiros, chutes, socos e muita morte. Mas também tiveram muito amor e cumplicidade.
Um completa o outro e conhece os medos e sofrimentos passados por seu companheiro.
Em "Reencontro Mortal" eles estão voltando de merecidas férias, e nem tiveram tempo para se readaptar à realidade quando um cadáver encontra Eve.
Mas a assassina fria e calculista é conhecida da polícia e principalmente de Eve. Foi a Tenente que anos atrás foi a responsável por sua prisão.
Julianna Dunne estava de volta. Solta pelo sistema que a considerou recuperada, ela não esperou muito para voltar a matar. (Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência...)
Se antes de sua prisão Julianna se mostrava ria e calculista, agora ela teve anos de preparo e estudo para sua volta. Ela iria fazer sua adversária, a Tenente Eve Dallas, pagar muito caro pelos anos que ficou presa.
A única adversária que considerava à sua altura iria chorar sangue por todos os dias em que não pode usufruir do que tinha direito. Ela seria atingida pelo seu ponto fraco: Roarke.
Mas Eve era Eve e Roarke era Roarke, e depois de um ano juntos, e por passarem por muitos obstáculos, eles não se entregariam fácil. Eles poderiam ser o ponto fraco um do outro, mas também era a fortaleza e a certeza de que valia a pena lutar até o fim.
Eve X Julianna, uma luta mortal, onde apenas uma vai sair ganhando. Um reencontro com o passado para que possam continuar tendo um futuro...
comentários(0)comente



Thaís Averaldo 28/01/2011

Esse foi o presente que comprei para mim por ter me comportado como uma boa menina estando a 24 horas sem dormir quando voltei ida a terra do meu avô, o Piauí. Lá eu comprei outro presente, digamos que fiz jus a dobradinha do cromossomo X; mas no aeroporto de Guarulhos ao passar pela livraria com o livro na vitrine não me segurei e paguei cinquenta reais num livro que poderia ter pago 30 e alguma coisa na Saraiva, mas o que vale é que já li o último volume da Série Mortal lançado em terras Tupiniquins.

Esse livro assim como o anterior, Sedução Mortal (resenha na tag), você descobre o assassino logo no começo; o diferente é que Eve também sabe quem é a assassina e principalmente qual seu verdadeiro alvo: Roarke. Não eu não falei spoiler você encontra na contra capa do livro (lá fala quem a tenente mais ama e aí fica lógico), é bastante óbvio que o motivo de Dunne é vingança e está cometendo outros crimes para direcionar Eve no sentido errado e fazer com que pense que os crimes não são pessoais.
Eve como sempre não perde tempo e entende logo de cara que ela quer vingança e para isso vai atacar no que a tenente mais preza.

A tenente voltou a me irritar nesse livro, ela quer tudo do jeito dela. Deus do céu! Isso realmente me irrita, não Roarke faz o mesmo mas ele não me irrita; bom mas Eve me irritou menos nesse dois últimos volumes, acho que tive uma overdose já que li 12 volumes seguidos da série.

Nesse livro temos Peabody investigando seu primeiro caso, um caso arquivado. Eu adoro a policial e McNab e portanto senti falta do casal mais presente e com suas 'tiradas' sarcásticas e irônicas.

Não posso deixar de falar da ida de Eve a Dallas enfrentar seu passado, me deixou toda agoniada lendo tudo pelo que ela passou aos 8 anos; e reviver aquilo não só a destroçou como também a Roarke. Ahhh e é claro não posso esquecer que nesse livro eles comemoram 1 ano de casados e Roarke é sempre Roarke e não faria menos do que uma super romântica comemoração, tudo lembrando a noite um ano antes.

O livro num todo eu gostei, achei a mudança interessante; ao invés de correr contra o tempo para descobrir o assassino vemos a corrida contra o tempo para agarrar um que se conhece, e isso pode ser ainda mais complicado que descobrir quem é o psicopata. Mas o fim foi corrido, ela do nada vê, corre, explode, luta, cai, bate, prende (isso é óbvio também). Achei que o fim poderia ter sido melhor elaborado, simplesmente isso. Sem mais o que reclamar ou dizer a respeito do livro. Agora é aguardar o lançamento de Pureza Mortal.
PolyFlores 01/03/2011minha estante
Oi, Tata... sabe que eu concordo com vc? É que em dois volumes seguidos a gente leu histórias um pouco parecidas, com o assassino sendo descoberto logo no início e querendo atacar Roarke. Ainda bem que os personagens são tão legais (e nós tão viciadas) que não conseguimos ficar desanimadas. Já comprei o Pureza Mortal, mas vou dar um tempinho. Gosto de provocar minha vontade de ler essa série e evitar essa over dose que vc relatou aí! Bjs!


Thaís Averaldo 02/03/2011minha estante
Único personagem que consegue me irritar na série é a protagonista! A Eve me irrita tem horas, gostei de Pureza Mortal não é o melhor da série mas é legal e é uma trama nova; mas essa é uma série que se você ler muitos livros seguidos ficar saturados (eu pelo menos me irrito ainda mais com a Eve). Bjs.




Juliana Vicente 11/11/2010

Resenha no blog As meninas que leem livros
Desde que tive o prazer de descobrir essa série sempre fico ansiosa para ler as continuações. Esse é o décimo quarto livro da chamada série mortal da autora Nora Roberts que escreve com o pseudônimo J.D RoBB.

O que mais me agrada nessa série é a continuidade da relação entre o casal Eve e Roarke. Em cada livro somos apresentados a uma nova nuance da relação dos dois. Tanto Eve quanto Roarke são personagens fortes e ativos então o que não falta nessa série e principalmente nesse livro são discussões acirradas entre duas cabeças duras que mais que qualquer coisa se amam muito.

Neste livro não temos suspense sobre quem é a assassina. Após sair da prisão ela só tem um objetivo: Destruir Eve Dallas e sabe que a melhor forma de fazer isso é matando o amor da sua vida. A parte policial do livro é fantástica, tão bem construída e detalhada que é impossível largar o livro até chegar ao fim.

Quando a Barbara do blog In Death me disse que esse é um dos melhores entre os trinta e sete que compõe a série (até agora) fiquei ainda mais ansiosa para ler, após ter lido tenho que concordar com ela.

Agora fica a ansiedade para o próximo livro que infelizmente ainda não tem previsão de lançamento (rezando para sair ainda esse ano), mas assim que sair irei comprar em seguida.

Se você gosta de romance policial e ainda não conhece essa série não sabe o que está perdendo.

Nota 1000.
comentários(0)comente



Carol Galvão 21/11/2010

Mais uma historia fantastica da detetive Dallas e seu gatissimo Marido.

Dessa vez uma das prisões efetudas de por Eve sai da prisão e volta a comenter assassinatos e preparar um vingança para Eve: "Matar seu precioso marido." Esso faz com que Eve tente antecipar os passaos dessa assassina pra salvar seu amor.

No meio disso tudu, ainda temos a participação dos pais de Peabody vem para cidade e ficam na casa de Dallas mostrando um lado diferente de familia para Eve.

Eve ainda enfrenta o passado visitando finalmente seu local de renascimento.

Muito bom e é sempre ver ela desvendando casos e o crescimento do casamento que faz um ano nesse livro.

E a primeira vez que Peabody resolve um caso sozinha. O primeiro passo para se tornar detetive.
comentários(0)comente



Erica Martins 20/08/2012

Reencontro Mortal - Resenha por EriCa MarTins
É PROIBIDA A CÓPIA TOTAL OU PARCIAL DESTA RESENHA.

No 14° livro da série Mortal, Eve dessa vez enfrenta uma assassina que prendeu anos atrás no começo de sua carreira. Julianna Dunne está determinada a se vingar de Eve.

O símbolo na capa desse livro é uma caveira com ossos cruzados. Eu na minha imaginação hiperativa achei que se relaciona ao fato dos assassinatos que acontecem na história serem com veneno e nos esqueletos que estão no passado da Eve e da Julianna.

Eu gosto de ver serial killers mulheres nas histórias. As mulheres têm um jeito todo especial de fazer as coisas, até mesmo para matar. Julianna se mostra uma assassina inteligente, que faz Eve comer poeira às vezes.

O título do livro faz menção não somente ao reencontro dessas duas adversárias, mas também a um reencontro de Eve com o seu passado terrível.

Como sempre ela pode contar com o tudo de ótimo marido/ajudante/amante/amigo Roarke (quero um marido assim...).

Mesmo com Roarke se preocupando com os perigos da profissão da esposa, Eve deixa claro sempre está preparada pra se defender, e a seu homem também se for preciso:

“—Estou bem protegida, viu só? E se alguma piranha tentar atacar meu homem, eu a derrubo na porrada. Simples Assim.” [Eve Dallas]

Página 418.

Uma das coisas mais interessantes do livro foi conhecer os pais de Peabody. Como seriam os pais da policial que se tornou o braço direito de Eve, partidários da Família Livre (que no meu entender, são os hippies de 2059...)?
Vale a pena conferir.

Na série Mortal pode-se ver o crescimento dos personagens. A cada volume da série os personagens evoluem para enfrentarem novas situações que aparecem.

Altamente recomendado. Nora Roberts não só escreve bem romances leves, moderados, mas também uma série policial maravilhosa.

Érica Martins - Bookalolic Ontem, Bookalolic Hoje, Bookalolic Pra Sempre!!!
comentários(0)comente



PolyFlores 26/02/2011

14º da série.
Alguém aqui economiza livros?

Ah, gente... Aposto que sim! E é exatamente isso que acontece comigo quando estou lendo os livros da série Mortal. Sem condições... Leio devagarzinho, com dó de acabar!


Estamos no 14º título e eu ainda sou apaixonada por Roarke, adoro Eve, choro emocionada e morro de rir com ela.

Claro que as histórias policiais não são lá as mais fantasticamente elaboradas, mas são gostosas de serem lidas e misturadas num enredo divertido, com esses personagens cativantes.

Ainda bem que eu já tenho o Pureza Mortal, vou saboreá-lo logo, logo!

Nesse número, a nossa tenente durona tem que acertar as contas com uma assassina fria e calculista, que ela já colocou atrás das grades uma vez mas que o sistema libertou.
comentários(0)comente



Camila 13/10/2010

Reencontro Mortal
Esse décimo quarto livro da Série Mortal me deixou muito tensa!! Além de toda a investigação e riscos que a Eve e o Roarke correm, a autora ainda explorou bastante a questão do passado de Eve!! Adorei!! Que venham os próximos!!

www.leitoracompulsiva.com.br
comentários(0)comente



Lydi 22/11/2010

Inrolei pra ler, porque o livro é tão bom que não queria terminar nunca!

Já tinha lido o 'Reunion in death', mas tinha lido em mecanês. Já tinha lido, já tinha chorado, já tinha suspirado pelo Roarke e tudo mais. Mas sabe como é né, tradução oficial é tradução oficial.

E o livro tá perfeito!
Tive vontade de matar a Julianna, de bater na Eve por ser cabeça dura e fiquei babando no Roarke .. oooown *-*

Reencontro está no meu top 10, COM CERTEZA! o/
comentários(0)comente



Déborah 03/12/2010

Reencontro
O reencontro mortal despertou em mim a vontade de continuar lendo a série, já que eu tinha meio que decidido dar um bom tempo de ler os outros livros. Adorei a estória, a assasina, as partes com os personagens coadjuvantes e principalmente as cenas fofas entre a Eve e o Roarke, que estavam mais juntos do que nunca.
Teve algumas coisas que eu não gostei no livro. Uma caracteristica de um familiar da policial Peabody me irritou porque era totalmente desnecessária em um livro desse tipo. Outra coisa que eu não gostei é as cenas que sempre aparecem nos livros dessa série. A Eve e o Roarke brigando porque querem proteger um ao outro. Isso já é extremamente repetitivo.
Mesmo com esses problemas eu adorei o livro. Pelo menos para mim, ele é um dos melhores da série.
comentários(0)comente

Veronica 10/02/2011minha estante
Tb achei esse um dos melhores da série. E foi por causa de sua resenha q eu corri p ler o livro. Adorei do início ao fim, principalmente a Peabody em seu primeiro caso, fiquei toda orgulhosa hehehe




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Cris Oliveira 13/07/2012

O volume Reencontro é ação e suspense o tempo todo. Apesar de já sabermos logo de cara quem é a assassina, a busca por seu paradeiro é o que move a trama. O como Eve irá conseguir deter a louca que quer ter Roarke como alvo é a prioridade . O retorno sofrido ao passado de Eve abala Roarke tanto quanto a própria, mas juntos, como sempre, enfrentam tudo. Alguns detalhes do casamento deles é mostrado e os presentes de comemoração do primeiro ano de casados foi lindo. Muita ação, romance, suspense e muito mais.
comentários(0)comente



Samu 05/05/2016

Ótimo
Personagens cativantes e que te prender.
Narrativa simples, surpreendente e gostosa.
História boa, com uma linearidade que não te deixa se perder.
Um verdadeiro Romance Policial, com pitadas de suspense e reviravoltas, um ótimo histórico de cada personagem, mitas senas quentes e envolventes e mistérios bem interessantes!
Vale muito a pena seguir a saga, mas o bom é que cada livro pode ser lido sozinho tb (embora se perca um pouco da história dos personagens recorrentes, cada livro é um caso diferentes).
Super recomendado!
comentários(0)comente



Faby Dallas 01/05/2011

Resenha

Nota Pessoal.

O que falar de um dos meus casais preferidos???
Em mais um capítulo da longa e extensa série Mortal, Eve Dallas encara novamente uma antiga inimiga, alguém que ela colocou atrás das grades há muito tempo agora volta com sede de vingança e vai fazer de tudo para que Eve sinta muita dor por tudo que causou a ela.
Adorei, acho que não tem como eu não gostar de um livro da série mortal, a ação o suspense o mistério que envolve os casos prende a atenção até a última página, mesmo quando você já sabe quem é o assassino, ver a detetive Dallas lutando para juntar os fragmentos que a assassina deixa é muito legal, sem contar é claro, o homem mais maravilhoso da face da terra em 2059...

Para ler a resenha completa, acesse.


http://adororomancesdearacaju.blogspot.com/2011/04/serie-mortal.html
comentários(0)comente



Geovanna 09/09/2015

Depois do grande sucesso Sedução Mortal, Nora Roberts, sob o pseudônimo de J.D. Robb, lança no Brasil mais um livro da sua famosa série policial: Reencontro Mortal. A série e ótima e adoramos como a autora estabiliza a casamento de Roarke e Eve Dallas com seus autos e baixos e fatores que ameaçam a vidas deles e como enfrentam os obstáculos da da vida, e como cada um lida com o trabalho do outro. A serie como e muito grande e viciante e bom dar umas paradas de vez em quando na leitura pois vai se tornando cansativa e você tem que dar uma pausa na leitura, para a tornar mais interessante de se ler, se não depois de um tempo ela se torna muito na cabeça e vira uma misturas de historias e dificulta a compreensão do leitor.

Eve Dallas foi a responsável direta pela prisão de Julie Dockport há dez anos. Agora, solta por bom comportamento, Julie não pretende deixar a policial escapar ilesa. Um reencontro que jamais será esquecido pelas duas.

Exatamente às 19h30, Walter Pettibone chegou em casa e encontrou mais de cem amigos e familiares que gritaram em uníssono: “Surpresa!”. Era seu aniversário. Embora há várias semanas ele já suspeitasse de que uma festa estava sendo organizada, a verdadeira surpresa ainda estava por vir. Às 20h45, uma ruiva com olhos cor de esmeralda lhe entregou uma taça de champanhe. Um único gole do líquido borbulhante o fez cair morto.
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2