Morte na Mesopotâmia

Morte na Mesopotâmia Agatha Christie
Agatha Christie




Resenhas - Morte na Mesopotâmia


99 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Estrella 03/06/2019

Maravilhoso!!!!!
Mais uma vez uma história de Agatha Christie me encantou! Em Morte na Mesopotâmia, todos os personagens nos cativam, até a belíssima Louise Leidner, em volta de quem a trama gira. O que mais surpreende aqui é a "atuação" de cada elemento da expedição do dr. Leidner, pois todos são, claramente, considerados suspeitos do primeiro assassinato.
À partir deste princípio, nós somos colocados no lugar do detetive Poirot e acabamos mergulhando fundo nessa investigação. Cada um dos personagens ganha seu espaço como principal culpado e isso que nos deixa quase loucos de curiosidade, porque o enredo fica interessante a cada linha, a cada página. Agatha Christie escreve de forma crescente e evolui sempre nos levando a crermos nas nossas suspeitas.
O final, nem preciso comentar, é incrivelmente magnífico e brilhante. Acreditem quando eu digo que se o leitor for bem sagaz e de raciocínio rápido, consegue captar e entender o culpado pelas minúcias do texto e ao ser revelado pode se sentir um verdadeiro detetive amigo de Hercule Poirot.
comentários(0)comente



@alephbookworm 28/05/2019

Ê Agathaaaaa maravilhosa: não há risco de ler e não gostar dos seus livros!!!! Que grand finalle meus amigos!!!!!! Pessoalmente amo o Hércules Poirot!
comentários(0)comente



Pedro | @LeitorCasual 22/05/2019

Morte na Mesopotâmia
Morte na mesopotâmia foi meu primeiro contato com um título da autora Agatha Christie. O interesse me veio através de um amigo que estava lendo vários livros em sequência da rainha do crime, e que afirmava serem muito bons.

A história é contada através do ponto de vista de uma enfermeira chamada Amy Leatheran, uma mulher muito íntegra, correta e por vezes ingênua; que relata com detalhes tudo o que viu durante o tempo que passou ali.

A enfermeira, recém-chegada à expedição, narra sua experiência com a paciente Louise Leidner, uma mulher que sofria de angústia nervosa e era casada com o famoso arqueólogo Eric Leidner, que com o apoio de sua equipe, comandava uma escavação. Nós nos perguntamos o tempo inteiro, querendo saber porque Louise sofria tantas angústias e por qual motivo o clima entre as pessoas da escavação estava tão estranho.

Os personagens são extremamente educados. Todos se preocupam em tentar parecer uma boa pessoa. Portanto, todo mundo que sai um pouco da linha ou age com sinceridade, aos olhos da enfermeira, é um indivíduo rude e grosseiro.

A equipe de Leidner é composta por um grupo de pessoas, todas agindo de forma estranha e de repente, ocorre um assassinato. Ninguém sabe como reagir. Hercule Poirot, o detetive belga que aparece em boa parte das obras da autora, entra em cena para resolver o caso fazendo perguntas indiscretas e análises minuciosas de cada detalhe do dia do assassinato, a fim de entender o ocorrido.

Durante a narrativa, desconfiamos de vários personagens sem notar o verdadeiro assassino, que é geralmente aquela pessoa que todo mundo descarta logo de primeira.

O desfecho me surpreendeu sobremaneira. Indico aos amantes do tema de ficção-policial, que certamente se agradarão com este título.

Siga o @Leitor Casual no Facebook!
comentários(0)comente



Priih 15/04/2019

Bom passatempo
Esse foi meu 3º livro da Agatha (1º lido foi "Assassinato no Expresso do Oriente" e o 2º "Os elefantes não esquecem"). Nesse livro eu não suspeitei quem seria o assassino, ao contrário de "os elefantes..." que eu já tinha sacado. Mais uma vez Agatha nos surpreendendo apesar de não ter achado muito bom.
comentários(0)comente



Marcus @marksandes 27/03/2019

Ah, Agatha...
Estou feliz por começar a ler Agatha e ver o quão submerso é sua escrita, me fazendo mergulhar de cabeça nesse crime oriental e presenciar sua genialidade por compor histórias de deixar qualquer um perplexo. E triste por demorar tanto a lê-la. Estou com uma breve sensação de que esse amor platônico se tornará um casamento de ?até a morte nos separe?.
comentários(0)comente



Camis Morket 13/03/2019

Morte na Mesopotâmia
Morte na Mesopotâmia, de Agatha Christie foi uma leitura excelente, o começo foi um pouco mais cansativo e Agatha da muitos nomes ao mesmo tempo, fiquei um pouco perdida nos nomes dos personagens por serem em grande quantidade.
O livro começa com a enfermeira Amy Leatheran indo para uma expedição arqueológica no Iraque, para vigiar Louise Leidner, que está tendo crises de nervoso por achar que seu ex-marido ainda está vivo e que quer matá-la.
O livro começa ficar mais interessante e te prende mais quando Louise é assassinada, seu marido Mr. Leidner a descobre morta em seu quarto e com isso Hercule Poirot chega no local para descobrir quem foi o assassino e seus motivos.
Poirot então começa conversar com os membros da expedição pois ao que tudo indica o assassino está entre eles, nisso ele vai descobrindo o que cada pessoa pensava a respeito de Mrs. Leidner para assim chegar a uma conclusão do crime.
É incrível ver como Poirot chega em tais conclusões e o método que usa para tal, no final ele explica desde antes do crime ser acontecido, como aconteceu, o que cada membro da equipe estava fazendo no momento do assassinato, o real assassino e seus motivos, tudo muito bem detalhado.
comentários(0)comente



Carlos 02/03/2019

Minha opinião sobre o livro:
Nunca passei tão perto de descobrir o assassino de uma história da Agatha Christie. A minha linha de raciocínio cruzou com ele e a hora da morte me tirou da rota. Eu pensei na possibilidade! Eu pensei! Mas enfim... Grrrrr!

A trama é bem complexa, a leitura flui muito bem, a narrativa é boa pra variar... Cinco estrelas.
comentários(0)comente



Jess 20/02/2019

Eu li o livro praticamente em um só dia
Olha! Eu estou ficando apaixonada por Agatha Christie! Esse livro é simplesmente sensacional! Assim como eu AMO, o suspense é mantido até o final. Você simplesmente formula 1000 teorias com a ajuda (ou não) de um mapa que existe dentro do livro. Eu estou completamente em êxtase ao terminar de ler essa obra magnífica. Vocês que amam suspense e investigação, por favor, ajudem a vocês mesmos, e leiam essa perfeição!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Carlos 02/03/2019minha estante
Entendo seu ponto de vista. Acho realmente estranho ela não ter reconhecido. Mas eu vi um motivo pra ele ter feito o que fez da mesma forma mesmo que não fosse o ex-marido dela. Dei um desconto. Achei muito bom. : )




Beatriz Kath 30/01/2019

Muito bom
Este foi o primeiro livro que li da autora Agatha Christie e acredito que tenha sido um excelente ponto de partida para mim.

Por mais que, no início, eu tenha precisado de um certo tempo para me acostumar com a escrita da autora, bem diferente daquelas com as quais eu estava acostumada, assim como com o ritmo um tanto lento, a partir do momento em que o crime ocorre, de fato, e a investigação tem início, tudo se torna bem mais interessante.

Com cada nova pista levantando suspeitas para alguém diferente, o trajeto até a resolução final foi, para mim, bastante instigante e muito cativante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Thai Zavadzki (@meowbooksblog) 13/01/2019

Meu primeiro livro da Agatha Christie e antes qualquer coisa preciso dizer que EU ACERTEI A IDENTIDADE DO ASSASSINO!! Errei as circunstâncias e todo o resto, mas acertei quem matou, me deixem, hahaha.
Começando a falar do livro agora, eu amei. Começou em um ritmo lento e eu estranhei bastante o fato de ser narrado em primeira pessoa por alguém nada a ver, mas no final das contas acaba sendo o melhor caminho, realmente, para manter o mistério. Mrs. Leidner, a vítima, foi sem dúvidas a grande figura desse livro. Você não consegue formar uma opinião exata sobre ela, não tem tempo suficiente com ela viva e as opiniões em cima de sua personalidade variam drasticamente. É uma personagem intrigante, apenas.
A partir do momento do assassinato o livro te prende de um jeito que olha... Você quer saber mais, todos ali são suspeitos e fazem coisas erradas, dando aquela vontade de descobrir não só o assassino, mas também os segredos dos outros, e tudo é revelado num final surpreendente.
Mesmo tendo acertado o assassino, eu nunca teria deduzido as outras coisas. É brilhante, simplesmente. E o discurso final de Poirot, revelando todo o mistério foi a melhor parte do livro, de longe a minha favorita, porque não tinha como tirar os olhos das folhas, eu precisava saber mais e mais até ter tudo revelado.
Foi uma ótima primeira experiência. Já quero ler os próximos livro da Agatha Christie.

MAIS RESENHAS EM:

site: https://meowbookblog.wordpress.com/
Fabiost 14/01/2019minha estante
Eu suspeitei do marido e da própria enfermeira. Cheguei perto!


Thai Zavadzki (@meowbooksblog) 14/01/2019minha estante
Achei que o Coleman estivesse envolvido de alguma forma, errei feio, mas pelo menos acertei que era o marido, hahaha. Ninguém apontava pra ele, estava achando isso muito suspeito.


Fabiost 15/01/2019minha estante
Sim sim. Por um momento pensei na enfermeira. Mas vc acertou na mosca


Camila Bento 30/01/2019minha estante
Desconfiava muito do Coleman (pelo fato da caligrafia) e do padre, sabia que tinha algo de errado com ele, e que estava envolvido com o lance da Sala dos achados e com o sujeito que rondava, então pensei que poderia ser ele também. Mas ainda apostava mais no Coleman.
O final não me surpreendeu muito, pois essa ideia já havia passado pela minha cabeça, tanto quem assassinou quanto a razão. Fiquei surpresa apenas com a segunda morte...




Leka 12/11/2018

Dos melhores da A.C. que já li
Que livro viciante!!!Esse livro não tem partes que tais,e muito dinâmico ,do início ao fim!!!
comentários(0)comente



Rah 26/10/2018

Amor não é posse, nunca será!
Um livro sobre machismo, sobre o sentimento de posse que o homem tem sobre a mulher.
Um livro sobre como um homem se sente no poder sobre a vida da mulher, que decide até quando está na hora dela morrer.
Um livro sobre como uma mulher livre e independente pode afetar a masculinidade do homem.
Um livro triste, pela morte de duas mulheres por um homem que se sente dono delas.
Um livro antigo, de 1936, mas que a história se repete até hoje, infelizmente.
Kristine Albuquerque 13/11/2018minha estante
Concordo com tudo, é uma realidade triste e que precisa ser mudada. Mas você poderia marcar o comentário como spoiler. ;)




99 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7