eu sempre morro (nova edição)

eu sempre morro (nova edição) kaio bruno dias




Resenhas - Eu sempre morro


101 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Lorena329 08/02/2022

É importante estar vivo
?é só na vida que todas as instabilidades são possíveis. mas eu sempre morro.?

O livro é simples e curto, tão profundo. Contém pequenos poemas e textos sobre o cotidiano, com ilustrações maravilhosas. São ditos de maneira tão simples e ao mesmo tempo tão profunda. Fala sobre situações que todos nós em algum momento da vida passamos e que não conseguimos explicar de maneira tão clara quanto o kaio consegue. Um dos livros que guardarei com carinho e que irei ler muitas outras vezes por saber que me mostrará com mais clareza o que eu senti ou sinto.

Obrigada kaio.
Guilherme 08/02/2022minha estante
Que resenha maravilhosa??


Kamila 08/02/2022minha estante
tem no kindle?


Lorena329 08/02/2022minha estante
Acho que não Kamila : /




Alanna Fernandes 18/06/2021

O melhor deste livro de poesia são as ilustrações. Comprei o combo de livros do Kaio por entrar em seu perfil no Instagram, ver seu número de seguidores (114mil) e ver feedbacks positivos nos comentários. Entretanto, com a leitura, estou extremamente decepcionada. Vejo que o mercado literário brasileiro está impulsionando escritores a escreverem coisas sem profundidade, sem objetivo, coisas sem sal e curtas, efêmeras para poderem entrar na lógica da modernidade líquida, na leitura imediata que gere algum tipo de identificação e que pode-se passar para a próxima página sem ao menos se lembrar do que acabara de ler. Um livro escrito no estilo "redes sociais".
Luriam 03/07/2021minha estante
Gente, eu estava muito animada para ler, agora me deu uma pausa reflexiva.


Alanna Fernandes 03/07/2021minha estante
eu sou muito chata com poesia ? quem sabe você gosta? mas dos 3 livros do autor, eu achei mais maduro e entregue o primeiro "Respeite a Solidão"


Igor 15/07/2021minha estante
O Kaio tem uma escrita muito comercial mas no fim nada mais são do que trechos postáveis no feed e que dão engajamento por demonstrarem fragilidade mas não necessariamente profundidade, é uma pena, eu amo tanto o Kaio e vejo potencial.




Romeu Felix 29/07/2023

Fiz o fichamento sobre esta obra, a quem interessar:
"Eu sempre morro" é uma obra intrigante e reflexiva escrita por Kaio Bruno Dias, publicada em uma nova edição pela editora América em 2023. Com suas 84 páginas, o livro nos conduz a uma jornada existencial e filosófica que desafia nossa percepção sobre a vida e a morte.

Através de uma escrita poética e intensa, o autor explora temas profundos como a efemeridade da existência, a fragilidade da condição humana e a inevitabilidade da morte. Cada página revela reflexões sobre o sentido da vida e nossa relação com o tempo, convidando o leitor a contemplar a finitude e a transitoriedade da vida.

A narrativa é entrelaçada por uma atmosfera melancólica e contemplativa, que nos conduz a uma busca por significado e propósito em meio à efemeridade da existência. Kaio Bruno Dias apresenta uma prosa poética que captura os sentimentos mais profundos e íntimos do ser humano, tocando em temas universais e atemporais.

A edição da editora América é cuidadosa, valorizando a beleza da escrita do autor e sua mensagem impactante. As 84 páginas são uma leitura intensa e imersiva, que nos desafia a confrontar nossas próprias angústias e reflexões sobre a vida e a morte.

Em resumo, "Eu sempre morro" é uma leitura tocante e profunda que nos leva a uma jornada de autoconhecimento e reflexão sobre a efemeridade da vida. Kaio Bruno Dias nos presenteia com uma obra filosófica e poética que ressoa com o leitor, provocando reflexões sobre a existência e a impermanência da vida. Com 84 páginas, o livro é uma experiência literária que nos convida a confrontar nossa própria mortalidade e a apreciar cada momento da vida com mais intensidade e significado. Uma leitura emocionante e transformadora, que deixa uma marca profunda em nossos corações e mentes.
Por: Romeu Felix Menin Junior.

site: https://www.instagram.com/reflexoes.paginasadentro/
comentários(0)comente



S2sev_ 07/02/2024

Eu sempre morro
Porque que eu sempre pioro à noite
Parece que as dores do cotidiano
Encontram a minha carne mais frágil e cansada
E os meus fantasmas ficam mais confortáveis
Para darem passeios por dentro de mim
comentários(0)comente



Lady Death 27/08/2022

Algo da Idade Contemporânea que se encaixa no contexto do que é juventude
Não sei como pude me identificar tão fortemente por aquelas estrofes e versos em poucas páginas. Imagino que é um efeito da poesia, principalmente da atual, como o livro de Amanda Lovelace em que passei a madrugada chorando com seus "conselhos".
Kaio, o autor, acerta ao adicionar em seu livro desenhos que tem tanta profundidade quanto o próprio texto. Ainda assim, tenho que dizer que foi uma leitura prazerosa e reflexiva, ou seja, indico sim essa obra sem remorso, vale a pena.
comentários(0)comente



nanda588 21/09/2023

?você não sabe
mas te amei em pânico
te amei em ansiedade
te amei nos dias tristes
e mesmo desacreditando
te amei
e ainda te amo?
comentários(0)comente



raii :)) 23/07/2023

Eu sempre morro (por sentimentos)
Eu sempre morro, realmente, sempre morremos.
e lendo essa obra incrível só penso, que maravilha.
todos os sentimentos, palavras não ditas, e emoções que esse livro pequeno, simples, passa é de outro mundo
comentários(0)comente



Cami 27/06/2021

Esse livro é muito bom! Textos que você se identifica. Textos em que conseguem passar um sentimento através das palavras
comentários(0)comente



Karen612 13/10/2023

No fim, eu sempre morro mesmo.
Poesias poéticas são perfeitas quando se trata de penetrar na alma e trazer reflexões.
Kaio Bruno Dias colocou bem em poucas palavras o profundo do cotidiano, quando sentimos que estamos morrendo ou que algo vai nos matar. Isso, parcialmente de maneira metafórica. Ou realista.
Muito gostosinho de ler, com muitos desenhos (que eu pintei, julgue quem quiser KKKKKKK mas eu não me contive) e reflexões sobre a vida cotidiana.

Tenho certeza que irei procurar ler os outros livros deste autor, gostei bastante do conteúdo do livro e da cartinha que vem junto. Nada a reclamar!
comentários(0)comente



Jessica.Lopes 14/05/2021

Intenso
O kaio em todos os seus livros consegue levar o leitor a euforia e a tristeza com uma facilidade. Sempre muito leve e intenso
comentários(0)comente



amanda 04/07/2021

Eu sempre morro é um convite para refletir sobre si mesma
Comprei os três livros do autor, e apesar de ter gostado mais do "de surto em surto", a minha leitura de "eu sempre morro" foi, digamos, reflexiva. O Kaio consegue fazer você repensar situações cotidianas que muitas vezes passam despercebidas, acho que esse é o grande êxito desse livro. Ele começa com o seguinte texto

"a existência humana em sociedade é complexa, incerta, confusa. viver é uma continua experiência. apesar da idade, dos anos vividos, dos amores perdidos, das frustrações, das conquistas e dos sonhos realizados, há sempre algo por vir, quer queira ou não, há sempre um mistério. o movimento do universo é indiferente a nossa tomada de fôlego. as possibilidades não se esgotam. estamos suscetíveis a uma vastidão de sentimentos e sensações, somos atravessados pela linguagem, significamos e somos significados por ela. nos sentimos inseguros, pois começamos a medir o mundo a partir de nossos umbigos, consequentemente, nos colocamos no centro de um caos que está além de nossa frágil existência. somos perecíveis, um risco de insignificância e instabilidade na imensidão do espaço-tempo. mas para além disso tudo, para além de qualquer pensamento crítico ou reflexão existencial, é importante estar vivo. é só na vida que todas as instabilidades são possíveis. mas eu sempre morro."

E dentro do livro, os textos existenciais e reflexivos se misturam com uns desenhos fofos, mas também reflexivos, meio que eles se complementam.

O livro tem uns texto pequenos, mas muito reflexivos, tipo esses

1.
"tinha pensamentos suicidas
deixava tudo para a último hora
morreu aos 88 anos de idade."

2.
"a gente acabou assim
na base da indiferença
te mandei algo
você não respondeu
por medo ou ansiedade
não busquei saber o porquê
não busquei saber
talvez quiséssemos mesmo sumir
desaparecer um do outro
nada fizemos
não responder era mais fácil
nos omitimos
desaparecemos."

e tem textos maiores, estilo crônica

1.
"sentia-se cansado, mas ao mesmo tempo, sentia culpa, pois o seu cansaço era estrutural, interno, injustificável do ponto de vista lógico. como explicaria que passou os últimos quatro dias à toa, sem nem colocar os pés para fora de casa, mas que mesmo assim sentia-se pesado, inerte, como quem fora atropelado pelas próprias reflexões e incertezas. como confessar isso tudo e ainda poder dizer, hoje não, estou cansado. não dizia nada, não respondia."

2.
"era domingo, acordou cedo. estava cheio de vontades, queria fazer exercícios, ler mais um pouco dos livros que se propôs a ler naquela semana, só consegue ler assim, em pausas, muitos livros de uma vez, mas um pouquinho de cada. queria tomar café, ver o dia crescer pela janela, ouvir música enquanto isso, e quem sabe depois ir à casa dos pais, visita-los, fazia dias que fugia dessa conveniência familiar. era domingo e estava cheio de vontades, inclusive, sentiu falta de acordar e ter alguém ao lado, para quem pudesse olhar e sentir algo de bom, um sentimento do tipo, olha só, alguém realmente conseguiu gostar de mim, e ainda mais, está aqui ao meu lado. mas era domingo, e aos domingos dormia até mais tarde. estava só, permaneceu assim, voltou a dormir."

Enfim, achei a leitura muito interessante, porque apesar de ter um jeito de escrever mais simples, o conteúdo é interessante, deixa a gente pensativa.

Observação: de início me incomodou como o autor não utiliza letras maiúscula no início das frases.
comentários(0)comente



Lucas 30/11/2021

Uma conversa profunda
Livro de poesias voltado para o nosso cotidiano e falando dos nossos sentimentos em meio de um mundo tão confuso.
Textos simples, mas tão profundos que parece que estamos mergulhando em um oceano.
Há textos que precisam ser lidos, parar, refletir e olhar para dentro, outros parecem que foram escritos para você e há aqueles que descrevem exatamente como você se sente.

Um livro que você se perde e se acha ao mesmo tempo.
comentários(0)comente



Ju de asgard 12/06/2022

De todos os livros dele com certeza esse de longe eo melhor mais visceral, tão real, tão sentimental e diversos momentos podemos ver e sentir nossas dores, mágoas, feridas e vivências nas entrelinhas
comentários(0)comente



Pereira 24/08/2022

Eu sempre morro
Já li a algum tempo mas esqueci de fazer resenha então bora lá.
Apesar de ser um livro curto ele tem uma profundidade imensa, é quase como se jogar naquela toca do Coelho Branco de Alice no país das maravilhas, você entra numa brisa sem fim e se identifica com tanta coisa porque é tudo muito do nosso cotidiano.
Além disso quero agradecer por essas ilustrações perfeitas, achei incrível mesmo.
comentários(0)comente



Atlasantos 27/03/2023

Se eu sempre morro, quantas vezes eu morri?!
Perdi as contas de quantos poemas refletiam oq senti/sinto, apesar disso, esse livro trás uma leveza incrível...
Uma leveza nas palavras apesar do conteúdo, o livro aborda dores comuns, dores que todo mundo conheceu ou vai conhecer ainda, momentos que a gente se perde um pouco ou morre um pouco.

Quantas vezes é preciso morrer até se perder por inteiro? Ou até ser engolido pelo vazio que vai ficando?

Obs: adorei os desenhos
Lumuzetã 28/03/2023minha estante
Perfeito




101 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR