A cartomante

A cartomante Machado de Assis




Resenhas - A Cartomante


342 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Renata CCS 01/02/2013

Vilela, que amava Rita, que amava Camilo, que amava Rita...
A CARTOMANTE é a historia de Vilela, Camilo e Rita envolvidos em um triângulo amoroso. Rita é esposa de Vilela e vive um caso com Camilo, um amigo de infância do marido. A história começa com um diálogo entre Rita e Camilo, em novembro de 1869. Rita, uma mulher insegura e sonhadora, crê que uma cartomante recentemente consultada pode resolver os problemas e as angústias do casal (já que o que ela disse se assemelha muito com a realidade) e Camilo se nega a acreditar na cartomante e desaconselha Rita a acreditar e procurar essa mulher. Neste conto, a cartomante está caracterizada como uma charlatã, destas que falam tudo o que serve para qualquer pessoa, e assim ludibria os personagens principais. Já no fim do conto, quando estão prestes a serem desmascarados por Vilela, Camilo decide num momento de desespero procurar a cartomante, que o ilude com falsas promessas de felicidade, usando frases de efeito e metáforas a fim de parecer sábia. E assim se dá a sequência ao final trágico da história. Machado de Assis faz uma crítica a sociedade, com uma visão objetiva e pessimista da vida, e mostrando as contradições humanas através de seus personagens, ele nos envolve e surpreende. Machado de Assis é sempre uma leitura recomendada!
comentários(0)comente



Samantha 17/03/2012

Samantha M. - Word in my bag - http://wordinmybag.blogspot.com
O conto A Cartomante de Machado de Assis foi primeiramente publicado na Gazeta de Notícias - Rio de Janeiro, em 1884. Neste texto, Machado apresenta uma visão pessimista e irônica de um triângulo amoroso entre Vilela, Rita e Camilo. Aproveitando-se de uma linguagem envolvente o autor nos trás citações de Shakespeare e críticas sociais em uma estória, que mescla máximas do romantismo e personagens pitorescos do realismo. A Cartomante nos traz, em sete páginas, alguns minutos de deleite, excitação e angústias nessa sexta-feira de novembro de 1869.
Rita andava meio angustiada devido à ausência repentina do seu amante, Camilo, então resolve visitar uma cartomante para saber o que tenha motivado esse súbito sumiço. Camilo a repreende por julgar imprudente visitar essas casas, pois Vilela poderia descobrir, mas Rita diz ter tido cuidado ao visitar a ‘paranormal’ e ainda a defende as coisas misteriosas da vida. Mesmo achando insensato, Camilo sente-se feliz pela preocupação da amada sobre seus sentimentos.
Mal sabia Rita que Camilo ainda a amava como sempre amou e que deixou de freqüentar sua casa por ter recebido uma carta anônima o chamando de imoral e pérfido e que todos já sabiam de seu caso com Rita. Temendo essa estória chegasse aos ouvidos de Vilela, preferiu se distanciar do casal para não levantar suspeitas. Mesmo depois de ter se afastados da casa de Rita, Camilo ainda andava angustiado pelo medo de que o autor da carta contasse para o marido traído sobre o caso que sua esposa tinha o que seria um choque terrível para Vilela, uma vez que além da dor da traição vindo da esposa, ainda teria uma apunhalada maior: Camilo era seu amigo de infância.
Certo dia Camilo recebe um recado de Vilela pedindo para que ele fosse com urgência à sua casa, pois precisava falar come ele. O amante logo se vê em mais desastrosa angústia, sem saber ao certo o motivo que fizera o amigo traído ter mandado um recado de tão extrema urgência, temendo que fosse sobre seu caso com Rita, Camilo pensou até mesmo em ir armado, mas logo mudou de idéia, resolveu ir sem demora à casa de Vilela. No meio do caminho, por contratempos do destino, Camilo resolve entrar na casa da cartomante para tentar aliviar sua angústia e saber de vez sobre o quê Vilela quer tratar com ele. A cartomante então ganha a confiança de seu cliente com uma frase clichê inicial e se aproveita da resposta dele para desenvolver um limiar de supostas adivinhações, assim como fez com Rita, inicialmente. Então a charlatã deu sua sentença, que ele fosse depressa e não temesse, pois nada seria assim tão grave o tal assunto.
Despreocupado, sentindo-se mais leve, Camilo segue para a casa de Vilela pensando até em reatar os antigos laços de amizade que tinha antes de deixar de freqüentar sua residência. Ao chegar à casa de Vilela, este tinha um semblante desfigurado e sem responder às saudações do amigo traidor, o pega pelo colarinho e dá fim de maneira fria à segunda vítima desse acerto de contas, uma vez que a primeira vítima, Rita, encontrava-se estirada sobre um canapé, ensangüentada.
Arquitetado de maneira ímpar, A Cartomante aborda temas um tanto polêmicos e viaja entre o sobrenatural, o romântico e o realista de maneira leve e fluente. A presença da cartomante como uma figura pitoresca, como charlatã, se aproveita das respostas dos seus clientes para desenvolver uma adivinhação inventada. Também podemos notar a critica às pessoas que julgam antes de analisar as condições, aqui Camilo repreende Rita por ter ido visitar cartomante, mas em um momento futuro, não hesitou em fazer uma consulta.
O conto começa de maneira sobrenatural com uma citação de Shakespeare e logo em seguida viaja para uma atmosfera romântica ao descrever o início do romance de Camilo com Rita e das provas que ele está passando ao trair a confiança do amigo. Terminando com mortes realistas, mas não descartando as máximas do romantismo.
O enriquecimento do conto dá-se com o fluxo das características marcantes do autor, desde as metáforas constantes até a complexidade dos personagens e seus ensinamentos aos leitores.
A Cartomante tem uma leitura leve, envolvente e descontraída, leva o leitor a se tornar cúmplice daquele triângulo amoroso. Considerando as afirmações de Ítalo Calvino, em sua obra Por que ler os clássicos? , ler o conto A Cartomante não seria de suma importância para alguém, mas se gastar 40 minutos em uma leitura te acrescentará as riquezas Machadianas à sua carga cultural, é melhor lê-lo do que desperdiçar esse tempo lendo algumas páginas de Chick Lit.
Machado de Assis reconhecido com maestria como um dos maiores nomes na Literatura Brasileira escreveu em quase todos os gêneros literários. Suas obras dividem-se em nove romances, 200 contos, cinco coletâneas de poemas e mais de 600 crônicas. Machado é considerado um dos grandes gênios da Literatura Nacional e reconhecido no mundo inteiro.
comentários(0)comente



Bruno Leandro 13/07/2011

O que mais me impressiona neste conto é a cara-de-pau da cartomante...
Este é um conto de Machado de Assis sobre um triângulo amoroso. O triângulo, apesar de motivador da história, não é o mais importante. O importante é a dinâmica dos personagens e suas características psicológicas, além, é claro da narrativa única que caracteriza Machado. Rita é uma mulher que Machado considera vulgar e ignorante. Nota-se isso pela maneira como se refere a ela no primeiro parágrafo. Camilo, seu amante, é ao mesmo tempo ingênuo e incrédulo, mas passa por uma grande transformação dentro do conto. Vilela, o marido e corno é uma figura apagada, mas não isenta de ações. Agora, a cartomante, ah a cartomante...
A cartomante não tem características psicológicas. Na verdade, ela não é tão bem descrita. Mas é por sua causa que as situações acontecem. Não fosse ela dizer uma palavra aqui, outra ali, convencer as pessoas de que suas palavras significam a verdade, o final deste conto poderia ser bem outro.
Mas, rapaz, eu juro que estou até agora impressionado, não com o final, mas com a car-de-pau da cartomante...
comentários(0)comente



Livia.Oliveira 23/02/2018

Instigante
Não há quem tenha lido este conto e que não se chocara com o estrondoso final realizado por Machado de Assis. A princípio, pensa-se que que será um conto sobre traição, onde haveria uma consulta à uma cartomante, que asseguraria a existência do amor entre Rita e Camilo e que Vilela poderia descobrir, mas não faria nada além de aceitar o fim do seu casamento. No entanto, uma das mais importantes características de Machado de Assis é o fato de sempre nos surpreender, tornando a leitura algo instigante e estimulando o leitor a desbravá-la cada vez mais, quase sem parar. Quem começa esse conto, não é capaz de imaginar como seria o último parágrafo da história, e devo enfatizar que isso faz falta nos dias de hoje. Escrita numa linguagem inspiradora, esse conto vale cada crítica positiva e elogios. Encontrei um pouco de dificuldade para entender a história em si, pois às vezes pareceu-me confusa e sem nexo, mas precisou-me apenas reler para compreender os fatos expostos ali. Esse realmente é um ótimo triângulo amoroso, porém um tanto complicado por envolver uma amizade de infância. Desde o recebimento da carta de Vilela, até a ida de Camilo à cartomante, são parágrafos de puro suspense para um leitor inquieto, pois a curiosidade era demasiada grande. Após cessar o momento de ansiedade, apenas resta um queixo caído ao ler a última palavra e dar de cara com um velho inimigo, o "Fim." Esse conto merece ser lido, relido e lido outra vez; e ainda sim, é capaz de ainda surpreender-se com o final.
Ana Paula Paim 01/03/2018minha estante
Olá, Livia
Fico muito feliz com suas observações! A Cartomante é mesmo um texto instigante, Machado utiliza elementos típicos da realidade humana, relacionamento conjugal, amizade, superstição, charlatanismo, traição, violência e tragédia. Esses elementos reafirmam a contemporaneidade do texto e aproxima-o da realidade humana. A única personagem que não recebe um nome no conto é a personagem principal, a Cartomante estrangeira, que engana, ludibria e manipula os personagens Camilo e Rita, ela apenas ?revela? o que os personagens desejam ouvir. E nós, quantas vezes ouvimos apenas o que queremos ouvir?
Continue suas leituras!! Abraços,




Angel 22/02/2011

A Cartomante – Machado de Assis.
“Hamlet observa a Horácio que há mais cousas no céu e na terra do que sonha a nossa filosofia”. Assim começa A Cartomante, conto de Machado de Assis. Conta a estória de um triângulo amoroso, composto por Camilo, Vilela e Rita. Esses dois últimos eram casados, Vilela e Camilo eram grandes amigos de infância e suas vidas tomaram rumos diferentes, Camilo tinha um emprego público conseguido pela mãe e Vilela tornou-se advogado após sair da cidade. Quanto retornou da província, já casado com Rita, Vilela apresentou a esposa para Camilo, e este se deixou seduzir pelos encantos de Rita e tornaram-se amantes. A partir de então Camilo tem que lidar com o medo de ser descoberto, começa a receber cartas anônimas, sente culpa por trair seu melhor amigo, e vive sua paixão por Rita que não pode ser revelada. Machado mantém o suspense até o desfecho do conto, que me surpreendeu e agradou.
comentários(0)comente



Ana Luiza Borges 23/02/2018

A Cartomante
A obra trata-se de mentiras e traições, que acabam com um final trágico de duas personagens. A Cartomante serviu para enganar os personagens principais da trama, o conto mostra uma triste realidade que acontece no nosso cotidiano, em relação a desonestidade entre os personagens. A trama é contada na terceira pessoa, e mostra algumas metáforas durante o conto.
Ana Paula Paim 20/03/2018minha estante
Em A Cartomante, Machado utiliza elementos típicos da realidade humana, relacionamento conjugal, amizade, superstição, charlatanismo, traição, violência e tragédia. Esses elementos reafirmam a contemporaneidade do texto e aproxima-o da realidade humana. A Cartomante engana, ludibria e manipula os personagens ou ela apenas ?revela? o que os personagens desejam ouvir. E nós, quantas vezes ouvimos apenas o que queremos ouvir?




spoiler visualizar
Ana Paula Paim 28/02/2018minha estante
Machado cursou apenas o primário em uma escola pública, mas conseguiu alçar um lugar de grande reconhecimento na Literatura Brasileira. Além do seu autodidatismo é perceptível a paixão do escritor pela leitura. Ao iniciar o conto A cartomante ele cita William Shakespeare ?há mais coisas no céu e na terra, do que sonha a nossa vã filosofia? demonstrando como a leitura é importante para a construção intelectual e acadêmica. Que sigamos seu exemplo e mergulhemos nas leituras dos contos machadianos.





Luiza.Lima 23/02/2018

O conto mostra uma visão realista da vida,usando características humanas e seus sentimentos. É bem humorado e ironiza as relações humanas e seus padrões de comportamento.
E retrata também o pessimismo com as situações do dia a dia e a capacidade que as pessoas tem de querer mudar a forma de pensar do outro, querendo impor a sua própria teoria.
Ana Paula Paim 27/02/2018minha estante
Muito bem! Quando lemos histórias tão humanas, com a presença de sentimentos tão universais, muitas vezes a identificação é imediata, afinal traição, mentiras, vilania, ingenuidade são atitudes e sentimentos atemporais. A personagem Rita é ardilosa, envolvente, perspicaz e ao mesmo tempo supersticiosa e se deixa levar pelas "previsões" vagas da Cartomante.
E que final é esse?! Um final trágico e surpreendente. Realmente é perceptível o pessimismo, dando uma coloração de desesperança e desencanto com a humanidade. Esse é um tipo de texto que deve ser visitado e lido sempre para descobrimos novas nuances. Prossigamos nossas leituras! Abraços





Railane Martins 23/02/2018

A cartomante é um conto muito pessimista. O conto fala sobre a história de Vilela,sua esposa e o seu amigo, Com as ironias e metáforas, malícia e ingenuidade o conto fica mais interessante e envolvente criando um suspense, o conto nos engana com muitas emoções.
Ana Paula Paim 27/02/2018minha estante
Olá, Railane
Machado consegue (presente histórico, por conta da atemporalidade da sua obra) discutir essa temática com sutileza e simplicidade! Ele conseguia imprimir no papel questões tão profundas e relevantes com elegância e requinte. Só ele conseguia e consegue falar conosco de temas tão subjetivos dessa forma, ampliando nossa percepção das verdades "irrevogáveis", só depende do nosso ponto de vista e do nosso lugar. E viva Machado de Assis! Abraços




Bruno.Santana 23/02/2018

Vilela,Rita,Camilo e a cartomante são os personagens que compõem o livro "A Cartomante",uma obra do escritor Machado de Assis.A historia conta um triangulo amoroso entre Camilo,Rita e Vilela,onde Rita era casada com Vilela,mas mantinha um amor escondido com Camilo,que era amigo de infância de Vilela. Um outro personagem era a cartomante, uma mulher misteriosa que enganava os personagens.
Esse conto de Machado relata bem o comportamento do homem,traição,enganos, e mentiras,que terminam da maneira mais trágica possível.
Ana Paula Paim 27/03/2018minha estante
A única personagem que não recebe um nome no conto é a personagem principal, a Cartomante estrangeira, que engana, ludibria e manipula os personagens Camilo e Rita ou ela apenas ?revela? o que os personagens desejam ouvir?




spoiler visualizar
Ana Paula Paim 05/04/2018minha estante
Olá, Dai
Machado cursou apenas o primário em uma escola pública, mas conseguiu alçar um lugar de grande reconhecimento na Literatura Brasileira. Além do seu autodidatismo, é perceptível a paixão do escritor pela leitura. Ao iniciar o conto A cartomante ele cita William Shakespeare ?há mais coisas no céu e na terra, do que sonha a nossa vã filosofia? demonstrando como a leitura é importante para a construção intelectual e acadêmica. Que sigamos seu exemplo e mergulhemos nas leituras dos contos machadianos.




Day Jones 19/03/2018

Amizade, amor, paixão e ódio
É um conto bem instigante, onde nos mostra um romance intenso e proibido entre três personagens – Rita, Vilela e Camilo - envolvendo amizade, amor, paixão e ódio.

Neste conto foi mostrado que uma paixão avassaladora é capaz de passar por cima de uma amizade e de um casamento, e que o amor pode ser transformado em raiva e ódio. Tem um enredo psicológico, que faz com que o narrador expõe os personagens, os medos de Rita em relação aos sentimentos de Camilo, o medo de Camilo em relação ao seu amigo de infância, Vilela, descobrir seu caso com Rita...

Machado de Assis utiliza durante todo o desenrolar da história, flashbacks, ironias e metáforas, o que faz o texto envolvente e interessante, criando um ar de suspense que deixa o leitor grudado à história dos três.
Ana Paula Paim 04/04/2018minha estante
Olá, Dai

Excelente análise! Os sentimentos amizade, amor, paixão e ódio são tipicamente humanos. Quando lemos histórias tão humanas, com a presença de sentimentos tão universais muitas vezes a identificação é imediata. Um dos meus favoritos!




spoiler visualizar
Ana Paula Paim 28/02/2018minha estante
Perdoar é para os iluminados!
A Cartomante é mesmo surpreendente e instigante! Amo a passagem: "Não tardou que o sapato se acomodasse ao pé, e aí foram ambos, estrada fora, braços dados, pisando folgadamente por cima de ervas e pedregulhos..." Essa passagem é tão própria da natureza humana, não é verdade? Me faz lembrar de um texto de Marina Colasanti: "Eu sei, mas não devia"
Abraços,




Davi.Melo 26/02/2018

A cartomante
Esse livro conta a história de um amor com Vilela e Rita, que são casados, mas após a morte da mãe de Vilela, Rita se aproximou muito dele e virou uma grande médica moral. O livro contém: paixão, infidelidade, amor e ódio, esse livro que contém muitas partes de ódio no final é um livro esplêndido que é muito viciante.
Ana Paula Paim 28/02/2018minha estante
Olá, Davi

É verdade, A Cartomante é um conto que deve ser lido muitas vezes! Amo o trecho: "Não tardou que o sapato se acomodasse ao pé, e aí foram ambos, estrada fora, braços dados, pisando folgadamente por cima de ervas e pedregulhos..." Essa passagem é tão própria da natureza humana, não é verdade? Abraços




spoiler visualizar
Ana Paula Paim 03/04/2018minha estante
Olá, Ana
Em A Cartomante, Machado utiliza elementos típicos da realidade humana, relacionamento conjugal, amizade, superstição, charlatanismo, traição, violência e tragédia. Esses elementos reafirmam a contemporaneidade do texto e aproxima-o da realidade humana. A única personagem que não recebe um nome no conto é a personagem principal, a Cartomante estrangeira, que engana, ludibria e manipula as personagens.




342 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |