Auto da Compadecida

Auto da Compadecida Ariano Suassuna




Resenhas - Auto Da Compadecida


190 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Maria 04/09/2019

?Pobre lá tem senhoria, só tem desgraça?
PERFEIÇÃO! ?Não sei, só sei que foi assim!? Estou sem palavras! Li em dia só e fiquei o tempo todo (mesmo no trabalho) pensando no livro e rindo igual boba!! Um presentão do @cg.deoliveira ?? sem dúvidas top5 da vida! #AutoDaCompadecida #ArianoSuassuna #Books
comentários(0)comente



Carol 15/08/2019

Religião, lógica e cultura.
Difícil encontrar quem não tenha ouvido falar de Chicó, João Grilo e suas peripécias. Muito por conta do extraordinário filme de Guel Arraes. E o livro??? O livro é um apanhado de histórias de cordel meticulosamente organizado em uma peça simples. Personagens fortes se desenvolvendo em uma peça bastante curta, mas bastante reflexiva. O João Grilo do livro é engraçado, mas menos, é sombrio, é duro, é cruel...traços de quem tem uma vida sofrida de verdade. Fica a piada que você se constrange de rir no instante seguinte em que começou. A lógica do julgamento é sensacional, uma lógica religiosa bem diferente da lógica eclesiástica que vemos no começo do livro. É um livro espetacular, sem dúvida!
comentários(0)comente



LuizaSH 05/08/2019

Conheci "Auto da Compadecida" através da minissérie/filme. E é umas das melhores produções que eu já vi, perdi a conta de quantas vezes já assisti e simplesmente nunca perde a graça.
Agora, lendo o livro, percebi algumas diferenças em relação à série, de personagens e tal. E o livro também é escrito em forma de peça de teatro, indicando as falas de cada personagem, mudanças de cenário, essas coisas.
Mas nada atrapalha a fluidez da narração, que é super engraçada, João Grilo é um figuraça! Mas têm uns pontos bem interessantes sobre questões comportamentais, relações humanas, e por aí vai, que te fazem questionar o indivíduo, como cada um se comporta, enfim.
E essa edição é muito bonita, toda trabalhada com ilustrações da famosa literatura de cordel, o texto, aliás, é escrito com esse estilo. Para conhecer literatura brasileira e, em particular, a literatura nordestina, muito bom mesmo.
comentários(0)comente



Nicolas 22/07/2019

~ * ~ Não sei, só sei que foi assim! ~ * ~
Um grande contador de história não precisa criar uma história nova. Ele também pode se apropriar de histórias que já existem e as ressignificar, mostrando ao público a beleza e o poder que elas têm. Assim como muitos, conheci Ariano Suassuna assistindo o filme “O auto da compadecida” há muitos anos atrás. Mas, só agora li a peça que é diferente da adaptação cinematográfica. Apesar das diferenças, o filme conseguiu mostrar a beleza na história de Ariano, pois tem uma fotografia bastante realista, uma trilha sonora cativante, eliminou elementos e criou novos personagens que contribuíram ainda mais para a história.
Tanto na peça quanto no filme, o ponto forte é a dinâmica entre João Grilo e Chicó. Enquanto o primeiro é o típico malandro, que engana todos para conseguir compensar a vida difícil e explorada que leva; o segundo conta histórias mirabolantes, extremamente engraçadas porque são difíceis de acreditar. Quando confrontado, Chicó responde: “Não sei, só sei que foi assim!”. Ariano, assim como Shakespeare em algumas peças, criou o enredo a partir de histórias que já existiam. Como grandes contadores de histórias que são, eles não estão preocupados com a fidelidade das histórias originais, mas em recontá-las para que as pessoas vejam a beleza e o poder que essas histórias têm.

site: https://www.instagram.com/literatotti/
comentários(0)comente



Michele 19/07/2019

Auto da Compadecida
O livro traz as artimanhas de João Grilo e Chicó para sobreviver em meio à miséria. Apesar de algumas diferenças em relação ao filme (um dos meus filmes nacionais preferidos) apresenta alguns diálogos idênticos. Dei boas risadas com esta leitura.
comentários(0)comente



Valério 25/06/2019

Divertidíssimo
Além de ser a grande obra de Ariano Suassuna, "O auto da compadecida" tornou-se famoso pela série produzida pela Rede Globo.
Em uma rara exceção, aconselho a ver a série primeiro (ou filme - uma versão reduzida da série). E, só então, ler o livro.
Se surpreenderá lendo o livro "ouvindo" as vozes e sotaques dos personagens representados por Matheus Nachtergaele e Selton Mello no excelente trabalho feito na versão para as telas.
João Grilo e Chicó são os personagens principais, que dão nó até em pingo d'água.
Uma comédia como poucas em produções nacionais. Reproduz fielmente o livro, com pequenas adaptações.
Livro este que foi feito para montagem de peça de teatro (particularmente, sou fã de livros escritos como peça teatral).
Por fim, é um livro que se lê com celeridade. Portanto, tente ler devagar, desfrutando o estilo e a comicidade dos personagens, bem como as lições morais/religiosas do fim do livro, em uma discussão entre Jesus, Maria e o demônio pela alma dos personagens do livro.
Aproveite, é sensacional.
comentários(0)comente



Rafito 31/03/2019

Uma obra prima de Suassuna!
Não quero descrever nada da história, porque acho que muitos já fizeram. Contudo, penso que todo mundo deveria ler esse livro pelo menos uma vez na vida. É impossível não se emocionar e não lembrar da adaptação feita para o cinema e TV. Contudo, a imaginação pode ir mais longe ao ler a obra que a inspirou. Algo lúdico, divertido, do nosso Brasil.
comentários(0)comente



Jéssica.Marins 27/02/2019

"Não sei, só sei que foi assim"
Primeiro livro que leio do Ariano Suassuna e não poderia ter começado melhor. É incrível, lindo, sarcástico e de uma inteligência infinita. E termino dizendo que João Grilo é um dos melhores personagens já inventados.
comentários(0)comente



Júlia 15/02/2019

O nome que eu dou à isso é obra de arte.
Um dos melhores livros que já li. Já entrou pros preferidos. Claro que o filme também é perfeito, tanto que a gente le a história com a voz dos atores na cabeça kkkk. Mas a gente percebe muitas partes ou detalhes não presentes no filme que enriquece mt a história. Ariano agora mora no meu coração. Tolkien até ontem era meu preferido, ele que se cuide kkk. A parte ruim é que peguei o livro da biblioteca, mas estou muuuito triste em ter que devolver. Snif.
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 11/01/2019

O "Auto da Compadecida" consegue o equilíbrio perfeito entre a tradição popular e a elaboração literária ao recriar para o teatro episódios registrados na tradição popular do cordel. É uma peça teatral em forma de Auto em 3 atos, escrita em 1955 pelo autor paraibano Ariano Suassuna. Sendo um drama do Nordeste
site: https://www.amazon.com.br/Auto-Compadecida-Ariano-Suassuna/dp/8520937829

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788599896433
comentários(0)comente



Dandara 07/01/2019

#desafioliteraturese
#1

Reli o livro O Auto da Compadecida para o desafio do blog Literature-se, do mês de janeiro/2019, que consistiu em ler um livro com uma história muito conhecida - não necessariamente pelo livro. Sendo assim, minha escolha é esta obra teatral que se passa em Taperoá, na Paraíba, do ilustre escritor paraibano, Ariano Suassuna. O livro conta a história de João Grilo e Chicó, dois sertanejos lutando para sobreviver. Os dois se envolvem em diversas peraltices ao longo da história, que sustentam uma crítica social mordaz. O elenco eclesiástico também chama atenção, pois escancara toda a corrupção e hipocrisia na igreja. O ápice da história caracteriza-se justamente na morte de alguns habitantes da cidade que precisam antes serem julgados por Cristo e pelo diabo, é nesse momento também a aparição de Nossa Senhora com o auto proclamado por João Grilo, um auto extraído de um conto popular. É uma literatura leve, engraçada e de um valor cultural inestimável.
comentários(0)comente



will (IG: amigos_de_paginas) 16/12/2018

Um clássico brasileiro
Provavelmente o último livro finalizado do ano!

O auto da compadecida!
De: Ariano Suassuna.

O livro é uma peça teatral em forma de auto. Um drama nordestino apresentado em três atos. A obra está inserida no gênero comédia com elementos de literatura de cordel, com traços fortes do barroco católico, além claro de apresentar o regionalismo característico do nordeste.

A peça foi escrita em 1955 e encenada pela primeira vez em 1956. Depois de muitos anos foi adaptado para a televisão e para o cinema, respectivamente em 1999 e 2000.

A peça trata de maneira bem leve e humorada, vivido o drama do povo nordestino, a seca e a fome. Perfil característico dessa gente que são subjugados por famílias de coronéis e donos de terra, nesse contexto João grilo, representa muito bem o povo pobre e oprimido que tenta sobreviver no sertão usando a inteligência como arma.

A peça é escrita para ser encenada em forma de teatro de rua, logo um palhaço atua como apresentador, entrando e saindo da trama e conversando com o público.

O livro é lindo, faz parte da nossa literatura de forma brilhante e não fica desatualizado, é peça importante para quem gosta de um bom livro. Engraçado e melancólico na medida certa.

Nota 5 de 5.
comentários(0)comente



Valdeir 11/12/2018

Ótimo livro
Assim como a maioria das pessoas, conheço o trabalho do Ariano Suassuna através do filme O Auto da Compadecida. Desde então eu passei a admirar seu trabalho, principalmente suas palestras.

O livro é muito gostoso de ler e o Ariano consegue transmitir de forma divertida vários aspectos do nordestino, especialmente do sertanejo.

Apesar de ser bastante leve e, por vezes, engraçado, o autor faz bastantes críticas sutis, por exemplo, ao coronelismo.

“Os donos de terras é que perderam hoje em dia o senso de sua autoridade. Veem-se senhores trabalhando em suas terras como qualquer foreiro. Mas comigo as coisas são como antigamente, a velha ociosidade senhorial!” — Antônio Moraes (O Auto da Compadecida)
comentários(0)comente



Fernanda Sleiman 03/12/2018

?Porque tudo que é vivo morre? menos Suassuna que viverá sempre...
Ariano, ô Ariano só você consegue dar tanta vida as figuras tão nordestinas! Não sei como, ?só sei que foi assim?! Obrigada Suassuna! Serei um nordestina eternamente grata
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Regi 13/06/2019minha estante
Concordo com a sua resenha.




190 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |