A Vida Intelectual

A Vida Intelectual A.-D. Sertillanges




Resenhas - A Vida Intelectual


101 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Rodrigo 23/10/2016

Quando falamos em um intelectual nos vem a mente a idéia de alguém que estuda e se dedica por um momento e com uma finalidade. É desconstruindo essa idéia errônea que o Padre A. –D. Sertillanges inicia seu livro que começou a ser escrito em 1920. Intelectual é aquele que mesmo que ainda comprometido com ocupações profissionais reservam o seu precioso tempo ao estudo e pretendem fazer do trabalho intelectual a sua vida e como recompensa o profundo desenvolvimento de espírito. Essa vida exige penetração, continuidade, empenho e disciplina. Diante de nossa cultura brasileira onde somos ensinados a estudar para se formar tão somente com um fim profissional não é de se admirar quão poucos intelectuais há em nosso meio. Muitos desses trabalham mas não sabem quem são e nem para onde querem ir. E quantos não desperdiçam seus tempos em coisas fúteis e banais?

É diante desse quadro estarrecedor que se encontra o homem, que o autor desse livro nos convida a entender, iniciar, cultivar e manter uma vida intelectual. Suas dicas são valiosas como o cuidado do corpo, o ambiente, as especialidades, o fervor e a concentração. Também nos concede valiosas orientações sobre o preparo da vida intelectual como a leitura: o que ler, as espécies de leitura e a escolha dos autores; a organização da memória: o que é preciso memorizar, a ordem e como memorizar; as anotações: como anotar, classificação das anotações e como se utilizar delas; escrever: a arte de escrever, a verdade, a individualidade e a simplicidade.

Os não-iniciados em filosofia poderão ter algumas dificuldades na linguagem e em alguns termos e pressupostos filosóficos que o autor usa, pois o mesmo parte de um pressuposto filosófico de Tomás de Aquino. Mais se lido com atenção e devidas ressalvas essa obra nos concede tesouros preciosos para nossa vida intelectual.

Mais do que nunca nossa sociedade precisa de pessoas de que entendam que a vida intelectual não está restrita somente a algumas pessoas. A vida intelectual é um estilo de vida. Para isso é necessário sair do comodismo, ter coragem, determinação e perseverança. A ininteligência é inimiga do saber e isso é uma afronta a Deus que é a fonte de toda sabedoria e ao homem criado a Sua imagem e semelhança. Mude seus hábitos, cultive uma vida intelectual para a Glória de Deus.
comentários(0)comente



Polliana 27/03/2021

Eu não me cansaria de tecer elogios a este livro, é um dos meus preferidos com toda a certeza. Não por causa do conteúdo apenas, que é maravilhoso, mas principalmente por causa de todas as mudanças que ocorreram em minha vida após a primeira vez que o li. Já nem me reconheço mais.
Sem mais delongas, vamos ao conteúdo:
Sertillanges trata da Vida Intelectual, óbvio. Porém, para a nossa sociedade, não sei se está muito claro a noção de um "Intelectual". Eu por exemplo, há um ano não fazia ideia de que bicho era esse. E não tenho a menor vergonha de dizer isso.
Talvez eu tentasse definir como uma pessoa que sente uma forte atração em conhecer a verdade. Não uso a palavra filósofo pois ela está, em nossos dias, com um significado muito vulgarizado e até pejorativo.
Enfim, neste livro, Sertillanges descreve o Intelectual ideal (para ele). Como deve ser, como deve agir, o que deve buscar... O livro é completamente baseado em uma carta de Santo Tomás sobre o modo de estudar. O autor destrincha, de modo formidável, cada um dos 16 conselhos que Santo Tomás dá nessa carta.
Por fim, devo dizer que o livro não serve apenas para quem considere ter uma vocação intelectual (eu nunca considerei isto antes de lê-lo). Os conselhos dados servirão para qualquer pessoa, cristãos ainda mais. Pois para além de conselhos para intelectuais, nos são dados conselhos de como ser gente.
comentários(0)comente



Elielson.Lima 16/11/2020

Além de seus métodos de estudo que serão ensinados aqui, Sertillanges coloca a questão no que diz respeito à vocação intelectual: é o compromisso do indivíduo consigo mesmo, com a sua alma, colocando uma grande parte do tempo para o estudo, ou reservando uma pequena, mas, eficiente parte, para tal ato. É o profundo desenvolvimento do espírito, que não se satisfaz com leituras soltas, aponta Sertillanges.

A intelectualidade não passa de uma ferramenta, que na qual, não deve ser balizada por vícios, e sim, pelo amor na virtude que desaguará na verdade. Feliz aquele que, por meio da virtude, trabalha a vida intelectual para se chegar na mais pura e limpa verdade.

É o guia pra qualquer iniciante que queira entrar nessa empreitada intelectual.

"A pureza do pensamento exige a pureza da alma: eis uma verdade geral que nada poderá abalar."
comentários(0)comente



Natalie 18/06/2017

Em 1920, o padre Sertillanges escreveu A Vida Intelectual, uma pequena obra-prima que propunha ser um destrinchamento dos Dezesseis Preceitos de São Tomás, mas que ganhou corpo prático para a preparação, o durante e o momento posterior ao estudo. O objetivo da obra é mostrar ao pretenso intelectual métodos eficazes para a aprendizagem e despertar a maior virtude: a estudiosidade, aliada da temperança. O ato de estudar não deve ser vão, disperso. Por isso, conhecer-nos, saber quais são nossos propósitos, é uma das melhores formas de adquirir essa qualidade.


O intelectual é um consagrado, possui uma vocação. Estudar é cooperar pelo Bem e tudo deve elevar para Deus, pois tudo Dele procede. A leitura desordenada é tara, como outra qualquer. Dessa forma, após definir o objeto, devemos cuidar do corpo, já que é a partir dele que é feita a passagem da ignorância para a ciência. O autor chama a atenção à observação, silêncio, absorção e repulsa a maus comportamentos, características básicas do estudioso.


A prudência exerce grande papel nessa tarefa, pois é escusado abrir mão da vida em sociedade para viver em teoria, correndo o risco de cair em mera abstração. O conhecimento deve ter aplicação na vida prática. A disciplina é a chave para o bom desempenho. O ideal é manter a concentração durante algumas horas e depois levar o resultado aos outros, sem ambição ou soberba. Levar conhecimento é levar Deus. Há quatro espécies de leitura: de fundo, de ocasião, de estímulo ou de edificação e de repouso. Cada uma tem uma exigência e um objetivo. Cabe a nós distingui-la e fazer uso da interligação de conteúdos. Seria o que hoje chamamos de interdisciplinariedade. Um conhecimento isolado é vazio.


O autor fala que é primordial filtrar os livros e nos livros. Apesar de, à primeira vista, parecerem coisas iguais, não são. Filtrar os livros significa diferenciar as fontes de formação das fontes de informação. Aquelas são a base de quem somos. Estas, os fatos que podem ser descartados e devem ser selecionados. Já filtrar nos livros é filtrar a leitura stricto sensu, requer experiência e orientação, o que nos leva ao problema de se tomar uma vida intelectual sem o devido norte. Para isto, o padre aconselha que estejamos reunidos sempre que possível com pessoas com objetivo em comum.


A Vida Intelectual vai além de observações para os estudos. São métodos completamente perenes e fundamentais para o desenvolvimento do humano enquanto ser dotado de inteligência.
comentários(0)comente



Nicodemos 03/06/2020

Necessário.
Aquele que se entrega à vida intelectual não deve fazer isso pela metade,se entregar em parte.A vida intelectual não aceita divórcio,não pode ser dissociada da carne e do corpo,está além da mente,ela preenche e completa todo o nosso ser,ela é quem somos e precisamos ser quem ela é.Devemos,buscá-la em tempo e fora de tempo,e dedicar-nos à ela completa e inteiramente.Esse livro é magnifico,livro de cabeceira para aqueles que adentram no mundo intelectual.Já estou pronto para releitura. Desculpem por não resenhar o livro.Não leiam resenhas , caiam dentro - é um tesouro.
comentários(0)comente



Penna 26/06/2020

Divisor de águas
Difícil expressar o quanto essa leitura me enriqueceu. A partir de hoje, terei uma nova visão nas leituras, nas contemplações, nas orações, no trabalho, enfim, Deus seja louvado!
Edson 26/06/2020minha estante
Esse livro é uma graça na vida de muitas pessoas. Integração de fé e razão na vida intelectual orientada para a busca da Verdade.




Caio.Lobo 30/05/2020

Essencial para os estudos
Com dicas simples de como organizar suas anotações e prioridade das leituras, até com instruções inusitadas como a de aproveitar inclusive nosso nosso para aprender, este livro deveria ser lido por todos que buscam aprender, ensinar ou criar. Mesmo sendo escrito por um padre no século passado, todos podem tirar proveito, e quem não é cristão pode substituir, ao meu ver, a oração pela meditação ou pela contemplação da natureza. Em suas citações de outros autores, Sertillanges dá suas recomendações veladas de intelectuais que devem ser lidos e estudados: Tomás de Aquino (este de maior influência sobre o autor), Leibniz, Aristóteles, Francis Bacon, Goethe, Pascal, Boecio,Nietzsche, Schopenhauer, Zoroastro, Beethoven, Darwin, Balzac, Pasteur e muitíssimos outros. Então é um livro essencial para tentar recuperar a intelectualidade dentro da modernidade.
comentários(0)comente



Letícia Vincenzi 31/12/2020

Última leitura de 2020
Eu que não sou religiosa, me aventurei pelo livro do padre.
É uma leitura densa, mas isso eu já esperava.
A presente obra traz dicas valiosíssimas para quem está percorrendo o caminho dos estudos, é atemporal para quem gosta de conectar os estudos com a espiritualidade.
No entanto, tive a impressão que o autor estava se comunicando o tempo todo com um homem (Por que o intelectual não poderia ser mulher?), e ainda, há um capítulo em que o autor condena quem possui paixão por ler, afirmando que o intelectual jamais poderia se envenenar com romances e que somente poderia ler poucos e bons livros ? nessa parte em questão, tive que fazer uma leitura seletiva tentando encaixar o aspecto histórico e cultural de 1944 para conseguir prosseguir.
No mais, é um excelente livro.
comentários(0)comente



Danielle.Almeida 10/02/2020

Essencial
Sertillanges baseia-se nos dezesseis conselhos de São Tomas de Aquino para escrever sobre a vida intelectual.
Para Sertillanges a vida intelectual é uma vocação dada por Deus e desta forma, o intelectual deve dedicar-se ao estudo com a devoção devida, sempre em busca da Verdade.
Apesar de ter sido publicado pela primeira vez em 1921 é um livro atual com conselhos práticos, uma obra envolvente pela maestria e devoção de Sertillanges.
comentários(0)comente



cristianobtavares 02/02/2021

Sê útil!
Todos, sem nenhuma exceção, deveriam ler este livro. É um livro simplesmente maravilhoso, um pequeno manual de como se tornar alguém. Lendo-o, vinha constantemente em minha mente duas frases:
"Sê útil. Deixa rastro!" (São Josemaría Escrivá)
"Conheça-te! Aceita-te! Supera-te!" (Santo Agostinho)
Estas resumem o quão precioso é este livro. Repito o que disse em meu histórico de leitura passado, foi providência de Deus! Não assino o "Minha Biblioteca Católica", nunca ouvi falar deste livro, nem muito menos de nenhum "Padre Sertillanges"; inclusive, quando li o título do livro eu fiquei totalmente perdido: "do que se trata afinal?" Agora, consigo responder: este livro vai lhe ensinar a como sair de um estado de "inércia" e colocar-se em movimento.
SÊ ÚTIL!! DEIXA RASTRO!
comentários(0)comente



Rafaela de Kássia 17/02/2020

Direção nos estudos
Conselhos valiosos para quem deseja levar os estudos a sério e com maior proveito.

O autor aborda não somente como estudar, mas também como repousar e se divertir sem prejudicar o trabalho intelectual, as virtudes necessárias, como organizar a vida, preparar o trabalho e muitos outros pontos essenciais para quem deseja se dedicar à vida de estudos.

O autor adverte que não é uma vida fácil, mas que proporciona frutos que vale a pena colher.
comentários(0)comente



Matheus 18/06/2020

O ponto de partida para qualquer um que queira verdadeiramente estudar
Não são poucas as obras que hoje em dia buscam ensinar o leitor sobre como proceder nos estudos. No entanto, todas elas falham num ponto em comum: o da palavra estudo. Do latim, "studium" significa "amor, afeição, devotamento, atitude de quem se dedica a algo porque ama". Ou seja, o "studium" não é, de modo algum, um fardo ou simplesmente um meio de adquirir senso crítico, tirar boas notas, formar a cidadania ou ser aprovado num vestibular. Em verdade, ele o conhecimento da realidade, que é una - e não compartimentada, como hoje em dia, pelas especialidades que não dialogam entre si - e é a realização do próprio ser humano. Dessa forma, o que aquelas obras fazem nada mais é do que dar alguns bons conselhos (úteis, diga-se de passagem) para que o leitor desenvolva bons hábitos acerca do "estudo", com o objetivo de ser aprovado em provas e concursos.

Nesse sentido, não quero que se engane, caro leitor, com a obra que estás prestes a ler. Ela não vai te ensinar a ser aprovado no concurso dos sonhos - embora possua conselhos que certamente enriquecerão a sua preparação. O padre Sertillanges pretende ajudar a formação de intelectuais e não meros estudantes com boas notas na faculdade. O que se quer é conhecer o verdadeiro, que permeia toda a nossa realidade. Não é pelo dinheiro ou pela fama, não é em busca do Nobel ou de um curso de alto nível numa instituição renomada, é simplesmente a submissão, por amor, à verdade.

“O contato com os gênios é uma das graças de escolha que Deus concede aos pensadores modestos.” - A. D. Sertillanges
comentários(0)comente



Rodrigo Celestino Menezes 31/12/2020

Precursor de outras obras!
O que mais me chamou a atenção no livro foram as valorosas dicas para manutenção do foco na leitura e manter-se motivado na atividade intelectual sem que o autor dispusesse, na época da elaboração do livro, do arsenal de pesquisas neourocientíficas e similares que os atuais "coaches" motivacionais dispõem.
comentários(0)comente



Matheus.Araujo 27/06/2020

A Instrução do Conhecimento
Infelizmente, a vida intelectual brasileira está tão inexistente que há uma sombra sob a atividade intelectual: é vista praticamente como nicho universitário e não como um verdadeiro fim em si mesma, já que buscar a Verdade é buscar a Deus e, consequentemente, o preenchimento do espírito. Pe. Sertillanges mostra, numa retórica absolutamente inspiradora, a vida intelectual não como ocupação social, profissional ou muito menos um passatempo (que deveria ser seguida sem disciplina), mas como um estilo de vida, um verdadeiro corpo de virtudes que devem moldar sua personalidade. Aconselha sobre leitura, local de estudo, notas, memória, entre tantos outros. Livro de cabeceira, deve ser indispensável como ponto de partida de qualquer vida de estudos.
Douglas 30/09/2020minha estante
Ótima resenha




Angerson 21/01/2021

Pensa em um livro bom!
De início pode parecer uma leitura densa e difícil, porém, a medida que vamos avançando ele se torna totalmente prático e começa a entrar literalmente na nossa vida (pelo menos de quem lê), parece que o autor nos fala diretamente.

Para aqueles que ainda têm dúvidas sobre como ler, como melhorar a prática da leitura, como se aprofundar mais, como estudar melhor, como memorizar o que lê, como começar escrever, entre outros; o livro consegue abranger e esgotar todas as dúvidas que temos e outras que nem imaginamos mas que nos encaixamos.

Definitivamente, ótimo livro! Todos devem lê-lo!
comentários(0)comente



101 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7