Renascença

Renascença Oliver Bowden




Resenhas - Renascença


264 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |


Finho XP 16/10/2012

é a narração do Jogo
não gostei e nem indico.
Shiro Nicolette 05/11/2012minha estante
Obviamente é a narração do jogo. Sabe a dobra das capas que a gente usa para marcar a página que estamos? Lá está escrito que o autor utilizou de tudo o que acontece no jogo para escrever o livro. Ler um livro não é apenas ler as páginas de sua história, mas sim a capa, os versos, tudo que há de escrito ali.




Davi 09/10/2012

O livro conta a história do Jovem Ezio Auditore, filho de um banqueiro de Florença, e vítima de uma conspiração que afetará totalmente a vida da Família de Ezio. Tudo se passa em uma Itália medieval do século XIV, uma época dominada pela Igreja Católica. Porém Ezio descobrirá que a conspiração por trás da destruição de sua família vai muito além de fins políticos ou religiosos. Trata-se de um rixa muito mais antiga e misteriosa, envolvendo a lendária ordem dos Templários e o desconhecido Credo dos Assassinos.
comentários(0)comente



Gi 26/04/2012

Fiel ao Jogo
Assassin's Creed Renascença é fiel ao jogo, tanto na qualidade, quanto na fidelidade. Na realidade o livro mostra a história do jogo mais a fundo.Voce se sente as emoções de Ezio, a raiva, o amor por Cristina, e a sede de justiça que ele tem. A linguagem italiana as vezes aparece, dando mais enfase ao cenário italiano - que pra mim é perfeito.Aprende sobre Leonardo da Vinci e o quanto ele era dedicado aos seus estudos. O livro te mostra muita coisa sobre a Renascença, é um bom ensinamento. Perfeito!
comentários(0)comente



Gy 15/10/2013

Assassin´s Creed - Renascença
Depois de ver a morte de seu pai e seus irmão, Ezio o segundo filho da casa que escapa por pouco do mesmo destino dos outros membros da família, sai em basca de vingança.
Só que ele se vê no meio de uma briga muito maior e mais antiga do que ele imaginava.
Com seu tio Mario e algum aliados importantes, Ezio cumpre sua missão e descobre coisas importantes sobre o passado de seu pai.
O livro é legal, mas acho que falta mais emoção na história, que acontece muito rápida e eu confesso tinha hora que eu ficava meia perdida...
comentários(0)comente



Ana 16/05/2012

Bom, vamos lá. Não joguei nenhum jogo da série, então minha opinião será puramente baseada na leitura do livro.

1. O livro começou beeem bacana, com dinâmica, um adolescente tornado adulto à força em razão de uma tragédia familiar, a busca por vingança, eu estava adorando, mas em algum ponto depois as coisas ficaram muito monótonas.
2. A trama principal é até bem interessante, Templários x Assassinos, mas achei que pouquíssima explicação foi dada sobre isso.
3. A passagem de tempo é extremamente mal pontuada. Parece que o treinamento do Ezio durou 2 semanas e lá na frente o autor fala que ele ficou 2 anos fora, entre outros trechos (o livro se passa ao longo de 27 anos)
4. Com exceção talvez de Mario, tio de Ezio e de Leonardo Da Vinci, seu amigo, os demais personagens foram bem pouco desenvolvidos e mal notamos sua importância na história.
5. E afinal, qual é o Credo dos Assassinos? Você não sabe? Nem eu!

Lembrando que eu NÃO joguei os jogos! Mas em nenhum lugar estava escrito que este era um livro interativo e que seria melhor aproveitado com um conhecimento prévio da história.

Se vou ler os próximos? Provavelmente sim, porque sou curiosa e porque tenho esperança que as coisas melhorem e se desenrolem melhor nos próximos livros, mas achei que este deixou a desejar!
Menndie 29/07/2012minha estante
Super concordo com o 1, 2, 3, 4 e 5.




Pâm Possani 12/01/2013

Tinha tudo pra dar certo. Só que não.
Livros são uma ótima fonte de entretenimento e conhecimento, alguns a gente ama, outros a gente não curte tanto assim. Minha relação com Assassin's Creed - Renascença foi a segunda opção.
Assassin's Creed é um jogo de Playstation 3/PC que tem uma história muito boa e é ótimo para se jogar, te prende do começo ao fim com uma trama surpreendente e incrível.
O livro é quase...Nada disso.
Oliver Bowden nos traz a história de Ezio Auditore, um jovem de 17 anos que vive na farra - até se apaixonar, uma atitude diferente do jogo porque ele não tem uma namorada,claro - e é um garoto como qualquer um de sua idade. Como no jogo, ele no início, tem várias missões - eu pelo menos, me senti em missões, uma vez que Ezio tinha que ir pra lá e pra cá - levando recados de seu pai e para seu pai, que é um dos poderosos da cidade, eles tem até um palácio e tudo o mais. Um dia, porém, seu pai e seu irmão são presos e enforcados em plena praça central (e sim, estamos na Itália renascentista ;) e Ezio, como forma de vingança, resolve ir atrás dos homens que fizeram isso. Ezio conseguirá vingar seu pai e seu irmão, e também a dor de sua mãe e de sua irmã? E ele conseguirá ficar com o amor de sua vida, que acaba sendo deixada para trás? Essa são algumas dúvidas que podem assolar, certo?
Pois bem. Você se sente como se estivesse jogando o livro com todas as descrições de ação e guerra e coisas que o Ezio faz como se fossem missões. Mas o livro não me convenceu. Acho que uma das reclamações mais constantes que eu pude ver em outras resenhas foi a passagem de tempo. A única coisa que o autor comenta é que "meses se passaram", e quando você se dá conta, se passaram mais de dez anos.Outra coisa que eu achei cansativa, foi o tamanho dos capítulos - relativamente grandes - e a narrativa - em certas partes sonolentas. Não sei se fui eu, mas eu não acredito que aproveitei a leitura como gostaria de ter aproveitado. Apesar de ter amado a obra da capa, o livro foi um tanto quanto regular. Pensei em abandoná-lo várias vezes, mas como odeio fazer isso, continuei a leitura aos poucos. O final eu achei interessante, um ponto de partida para um próximo livro , que espero eu, tenha algo melhor. Nesse volume "Renascença, para mim, apesar de Oliver Bowden ser um estudioso muito renomado da Renascença, pecou em muitos pontos.
As passagens mais legais foram aquelas em que Leonardo Da Vinci e Nicolau Maquiavel apareceram - e houve até alusão às suas obras, o que achei muito positivo.
Espero que, apesar de ter lido minha resenha, não se sinta totalmente influenciado para não ler. Só a minha experiência não fui muito agradável, às vezes a sua pode ser. Quem sabe? É só ler ;)
comentários(0)comente



Agneli 31/12/2012

Decepção
Achei um bom livro até 90%, mas me decepcionei muito no final. Parece que o autor simplesmente desistiu de terminar a história e inventou um monte de merda.

O livro inteiro fala de batalhas, viagens, sangue, morte e coisas reais, mas no final.. coisas sobrenaturais acontecem. Ridículo.
Tenho o resto dos livros mas estou pensando seriamente se vou lê-los.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Larissa 30/01/2013

http://vitaminadepimenta.blogspot.com.br/2013/01/resenhas-renascenca-oliver-bowden.html#more
O livro foi baseado em um dos jogos de vídeo-game mais famosos e legais de todos os tempos "Assassin's Creed". Ele começa contando a história de Ezio Auditore, um garoto de 17 anos, morador de Florença, que assiste a sua família ser assassinada por ter sido acusada de traição, traídos por outras famílias de onde morava. Então, toma uma decisão que mudará a sua vida dali para frente: se vingar de todos os que traíram a sua família.

A história é rápida, ou seja, meses em algumas páginas ou até mesmo linhas. Isso pode ser visto como algo bom ou ruim, porque nunca conseguiríamos saber toda a história de Ezio se fosse contada de forma lenta.
No fim do livro ele está com uns 40 anos.

Nas primeiras páginas, o jovem era movido por vingança, mas após deixar sua mãe e irmã em um convento, e ao conhecer seu tio e alguns outros personagens, passa a descobrir um pouco mais sobre os segredos que seu pai guardava e vê que algo muito maior está em seu destino, não apenas o desejo de vingança que sente, mas também o de fazer parde da "Ordem dos Assassinos" (O Credo dos Assassinos).

Ele liberta cidades das mãos de pessoas falsas, perigosas e tudo com muito sangue. Sim, as lutas do livro são bem detalhadas, sem poupar nem ao menos uma gotinha. Ele mata quem quer que seja o alvo que passa por seu caminho, sem ter nenhuma dó.

Durante sua jornara, em grande parte, conta com a ajuda de seu grande amigo, Leonardo da Vinci ou Leo(o que eu amei, por ser um dos meus Renascentistas favoritos) que monta suas armas através de páginas de um códex que o Ezio encontra com algumas vítimas. Gosto das cenas entre os dois, e podemos notar quando a amizade entre eles surge e se desenvolve. Uma das minhas partes preferidas do livro.

É uma leitura rápida, repleta de vingança, traição, ação... Eu indico, principalmente aos fãs do jogo.
comentários(0)comente



Thais 15/02/2018

Esse livro é realmente surpreendente, tem uma pegada realista com a exposição dos cenários , da época e dos locais citados . Além disso, a incorporação de personagens importante para o período, na vida real , como Leonardo Da Vinci e Nicolau Maquiavel são aderidos a obra e, de forma fictícia , tonam-se um deleite á imaginação e nos faz questionar e encaixar essas vidas na história.
O livro não segue a linhagem comum, pois há diversos pontos de clímax o que deixa a trama ainda mais cheio de ações !

A única ressalva , talvez ,é que as passagens de tempo são , em alguns momentos , bem bruscas, o que uma hora o personagem principal está dialogando no momento seguinte já está no meio de uma guerra o que deixa certos vácuos no imaginário de quem lê ! Mas , são apenas detalhes se comparando com todo o conjunto

Oliver Bronte brilhantemente criou essa ficção que ao mesmo tempo apresenta uma história mais real com conspirações, mortes, vinganças , criações científicas , romances , frustrações e em outro momento tende a apresentar certas magias.

Um ótimo livro , recomendo !
Lucas Alexandre 23/08/2018minha estante
Assassins Creed # 1 Não gostei muito, apesar de que o jogo é muito bom, livro ficou um pouco abaixo das minhas expectativas, o início do livro é muito bom, mas chegando perto do fim, percebemos que Ezio apesar de estar bem definido na história, mostra-se de forma muito simples. O filme o oposto ocorre o início é ruim, mas no desenvolver da história o filme vai ficando bom.




Paula 28/07/2012

Assassin's Creed - Renascença
A história de 'Assassin's Creed - Renascença' em si é muito boa, pautada em mortes, mistérios e segredos antigos. Confesso que, quando li o resumo, me interessei bastante, e isso me fez comprar o livro.

O começo do livro é realmente muito brilhante, tudo o que eu esperava, ainda mais porque era baseado num jogo e porque eu simplesmente amo livros iniciais de séries.

No entanto, isso mudou conforme eu avançava as páginas. Achei que as descobertas de Ezio foram incríveis, mas a leitura se tornou muito maçante para mim porque focava mais as mortes do que a história. Ficou muito claro quais eram os objetivos de Ezio, mas não sei, não gostei muito. Os capítulos pareciam meio avulsos.

Talvez isso se deva ao fato do livro ser baseado no jogo. Eu visualizei muito isso durante a leitura, e olha que eu nunca joguei (mas parece ser muito legal!). Sou suspeita para falar porque também amo jogos de ação... mas enfim.

Na minha opinião, deixou a desejar, e eu realmente não sei se lerei os próximos livros da série.
comentários(0)comente



Lidiane 22/03/2012

Muito bom.
O primeiro livro dessa série que narrar a história do jogo de mesmo nome foi muito bem escrita. Ainda não joguei, mas já assisti algumas cenas do jogo, e em algumas partes podemos notar como foi feita a adaptação do jogo para o livro, e ficou bom, foi feito de forma coerente, permitindo para que a história fosse bem entendida, mesmo para quem, feito eu, não jogou.
Com muita ação, e contextualizada historicamente, esse livro é uma aventura maravilhosa.
comentários(0)comente



Matheus 01/10/2012

Grande admirador da história e do jogo produzido pela ubsoft - um dos melhores que já joguei, sem dúvida - comprei o livro muito esperançoso e com um certo frenesi para consegui-lo e lê-lo. O livro, contudo, oscila muito... Em certas partes me vi preso a história, vivendo a época, tendo sucesso nas missões e encontrando com diversos personagens interessantíssimos - como Leonardo, diga-se de passagem; porém, em outros momentos, a história ia de forma violentamente desconstruída, cheia de bordões e tudo se conspirava à favor de Ezio - mesmo que de forma singela. A adaptação de jogo para livro não foi tão bem sucedida ao meu ver, mas a história continua inegavelmente interessante. Recomendado à quem gostou do jogo e quem curti o gênero.
comentários(0)comente



adrien. 16/12/2012

Assassin’s Creed: do jogo para o livro
Vale a pena ou não ler a versão escrita de Assassin’s Creed? A princípio, o livro pode parecer uma maneira a mais da Ubisoft ganhar dinheiro, e talvez o objetivo tenha sido esse mesmo. Além disso, ter passado a série para livros deve ter trazido mais fãs, uns que talvez nem tenham o interesse em jogos, já que história é tão excepcional.

Para quem não sabe, o primeiro livro é Assassin’s Creed: Renascença. Ele conta a história de Ezio (Sim, Ezio. A história do Altair é do terceiro livro, por um motivo que eu não entendo), que depois do assassinato de membros de sua família pelos governadores das cidades-estado italiana, ele busca por sua vingança. Com o objetivo de acabar com a corrupção e ir atrás dos culpados, Ezio descobre que ele precisa continuar com a “profissão” do pai e ser um Assassino. Escalando prédios com agilidade e com armas especiais, Ezio descobre que a Ordem dos Assassinos está atrás da mesma coisa que seus inimigos templários, algo que possui tanto poder que nas mãos erradas pode destruir o mundo.

Uma das coisas mais importantes que as pessoas devem se perguntar é: é fiel ao jogo? Sim, com certeza. Com direito a diálogos idênticos. Porém, ele não segue a mesma linha e isso é uma coisa boa. É em ordem cronológica, enquanto nos jogos as memórias vem aos poucos. Ou seja, é um jeito mais fácil de entender toda a história, já que é escrito de uma forma única e não é necessário interromper com pequenas missõezinhas, coisa que nós nos prendemos durante o jogo, simplesmente porque é a maneira mais jogável.

O livro é bem “curto e grosso”. Quando eu disse fiel, significa que ele é uma cópia do que acontece no jogo. O autor deve ter tido o roteiro das cenas e a história não se desenvolve muito bem. Não há aquela grande expectativa do que vai acontecer, aquela ansiedade de continuar lendo. Ezio, assim como jogo, não para. Está sempre salvando ou matando alguém. Mas enquanto o original tem um ritmo mais rápido e excitante, o livro ganha qualidade nos sentimentos. O mais claro que fica é o amor entre Ezio e Cristina, o tempo todo se percebe que ele é apaixonado por ela, apesar de suas más escolhas (POR FAVOR, NÉ EZIO). Não há realmente uma explicação adicional, a história é unicamente do jogo. Quando eu li, o imaginei exatamente. Além disso, para quem espera ver o Desmond entrando no Animus, pode esquecer. Essa é a história do Ezio, assim como A Cruzada Secreta é do Altair. Não tenho a mínima ideia se o Desmond vai aparecer um dia, porque do jeito que os jogos tão dando certo, talvez demore mais do que o esperado para termos uma série sobre o personagem atual (Se bem que a vida do Desmond não parece ser tão acelerada quanto ao dos Assassinos antigos, até porque ficam falando de iogurte por email em Brotherhood, mas enfim).

Infelizmente, não é bem escrito quanto era esperado e nem bem editado. Fiquei meio revoltada enquanto lia e via erros bobos. Simplesmente odeio perceber erros em livros. Isso não deveria existir, deveriam ser muito bem revisados. Porém, enquanto eu lia, percebi em diversos momentos a falta de pontuação, ou, o pior erro de todos, que passou dos limites: “Ézio“. Isso mesmo, com acento. Mais uma vez me faz parecer que o autor sentou na frente de uma tela, escutou Ézio e escreveu Ézio. Ouch.

http://incantatem.com.br/inerd/assassins-creed-do-jogo-para-o-livro/
comentários(0)comente



Joyce 13/10/2011

É sem dúvida um dos piores livros que eu já li!!!
comentários(0)comente



264 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |