Paixão, drogas e rock

Paixão, drogas e rock'n'roll Daniela Niziotek




Resenhas - Paixão, drogas e rock'n'roll


51 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Vanessa Vieira 29/09/2019

Paixão, Drogas e Rock N'Roll - Daniela Niziotek
O livro Paixão, Drogas e Rock N' Roll, romance de estreia de Daniela Niziotek, nos traz uma história de amor conturbada entre dois jovens, regada de sexo, bebida, drogas e claro, o rock n' roll. A temática proposta pela autora foi bem interessante e ela discorreu sobre o assunto com propriedade, entretanto, o relacionamento de Brian e Vicky não me causou empatia devido a inúmeros fatores, especialmente por ser abusivo e norteado por muita violência. Vick, mesmo sendo uma garota inteligente e cosmopolita, carece de amor próprio e personalidade e esse tipo de comportamento me irritou bastante ao longo da história.

Brian Blue é vocalista de uma das maiores bandas de hard rock dos anos 90 e Vick, uma adolescente brasileira, que se apaixona pelo astro do rock durante uma viagem para o exterior. Deste encontro improvável, nasce um amor intenso e avassalador, que passa por uma trágica provação que irá mudar as suas vidas para sempre.

Em Paixão, Drogas e Rock N' Roll, Daniela Niziotek fala sobre uma temática atual e que assola uma grande parcela da população ao redor do mundo, com propriedade, coesão e lucidez. Não vou entrar em maiores detalhes para não estragar a surpresa do livro, mas o que posso salientar é que a autora é psicóloga, o que a ajudou a discorrer sobre o assunto de forma rica e ampla, a ponto de jogar luz em alguns tabus um pouco sombrios. Infelizmente, os personagens não foram tão bem desenvolvidos como eu gostaria e o romance deixou bastante a desejar, visto que foi se deteriorando vorazmente à medida que os problemas entre o casal se ampliavam, assumindo matizes doentias e até mesmo, tenebrosas. Narrado em terceira pessoa de forma bem coloquial e clara, o livro trata de um tema espinhoso que foi amplamente discutido no enredo, mas infelizmente os protagonistas e a sua história de amor não conseguiram me encantar.

Brian não foge do estereótipo de um astro do rock, ou seja, quando não está nos palcos, se encontra mergulhado em bebedeiras, sexo e, infelizmente, muitas drogas. Quando conhece Vick, ele percebe que a jovem é diferente de todas as mulheres que um dia já teve e a trata com amor, paixão e uma série de cuidados. Entretanto, quando ele descobre que sua vida desregrada acabou acarretando em terríveis consequências, tem um comportamento doentio e medonho com a moça. Ao mesmo tempo em que parece que ele quer afastá-la de seus problemas, ele a arrasta cada vez mais para o meio deles, tornando o relacionamento abusivo, conflituoso e até mesmo ponteado por violência.

Vick, por sua vez, surge na história como uma jovem inteligente, sonhadora e dona de si, mas essas características vão sendo minadas pouco a pouco. Brian não esconde nada dela e mesmo assim, a moça não contesta nenhuma das atitudes do amado, se doando de uma forma quase que doentia para ele. O astro do rock chega ao ponto de falar que teve os mais diferentes e exóticos tipos de relacionamentos, a agride constantemente no meio de suas bebedeiras e alucinações e, mesmo assim, ela segue ao seu lado, sem um pingo de identidade própria e amor por si mesma.

Em síntese, Paixão, Drogas e Rock N' Roll é um livro forte, de temática espinhosa e que se mostra necessário nos dias atuais, principalmente para os jovens que estão ingressando em seus primeiros relacionamentos amorosos. Daniela Niziotek fala das belezas e dores humanas com percepção e propriedade, trazendo um relacionamento conflituoso, cheio de caprichos e contradições e norteado por insensatez. Confesso que o romance e os personagens não me atraíram e que, em alguns momentos, me causaram até mesmo repulsa perante os seus temperamentos, entretanto o tema tratado pela autora é de suma importância na época em que vivemos e acaba descrevendo também um pouco dos relacionamentos que acontecem ao nosso redor. A capa do livro é simples e nos traz um pôr-do-sol e a diagramação está favorável, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Apesar das ressalvas, não deixo de recomendar.


site: http://www.newsnessa.com/2019/09/resenha-paixao-drogas-e-rock-n-roll.html
comentários(0)comente



Meninas que Leem 24/12/2016

Blog As meninas que leem livros
Surpreendente! Eu já tinha lido resenha positiva desse livro em outros blogs e quando surgiu a oportunidade de lê-lo não hesitei em aceitar. O enredo da história não é o que podemos chamar de original, mas a forma como a autora conduz......

site: http://www.asmeninasqueleemlivros.com/2011/07/paixao-drogas-e-rock-daniela-niziotek.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jess 16/10/2015

De tirar o folego ...
Brian Blue, é bem o tipo rock star, front man de uma banda de hard rock nos anos 90, O Fears. Com um passado triste e uma vida em meio as drogas e tudo o que sabemos sobre as estrelas do rock, Brian não é diferente nesse ponto. De forma inusitada Blue se apaixona pela Brasileira Vitoria, e é ai que a historia fica intensa e é moldada. Tive aquele tipico sentimento de amor e ódio por Brian e Vitoria.

Continue lendo no blog ...

site: http://jehssyandbooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-paixao-drogas-rock-n-roll.html
comentários(0)comente



Silvânia Alves 04/09/2015

Literalmente sem palavras
Paixão, Drogas e Rock 'n' Roll, foi um livro que me deixou sem palavras.
Literalmente sem palavras!
Ao finalizar a leitura, eu simplesmente não sabia o que escrever, o final do livro, me deixou chocada ( no bom sentido da palavra) foi surpreendente, foi imensamente mais do que eu esperava.
Eu confesso que eu queria outro final, eu queria poder falar o por quê, mas ai eu daria spoiller e vocês me matariam!
O livro que conta a história do astro do rock americano Brian, vocalista da banda Fear, a maior da década de 90 e da jovem estudante brasileira Vick, que vê sua vida virar de ponta a cabeça ao conhecer o cantor, é uma história que vai muito além do cenário musical.
Daniela consegue com um livro cheio de humor e diversão tocar a alma humana de uma forma tão profunda que é impossível, não querer ir lá e dar um abraço nos personagens.
Ao lado dos amigos Carol, Ricardo, James, Kevin, Italo, Mônica e Verônica, Vick conhecerá todas as angustias que um amor de adolescência pode acarretar, mas esta história vai muito além disso, por que Brian descobre que tem aids e que não quer que Vick enfrente a doença ao seu lado.

Leia a resenha na integra no blog:

site: http://www.detudopouco.com.br/2015/05/resenha-do-livro-paixao-drogas-e-rock.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente

Caroline 24/08/2014minha estante
Marca seu comentario como Spoiler pore favor, vc contou tudo do livro...




Samy Rabelo 07/07/2013

Resenha do blog Livros com Resenhas
Vicky é uma adolescente que acaba de entrar na faculdade, irá cursar filosofia e nem imagina que sua vida irá mudar após ir a um show de Rock'n'roll com sua amiga Carol. Nos bastidores da banda Fers, Vicky conhece o vocalista, Brian Blue, um cara já vivido e com um passado meio perturbado.

Suas vidas não são nada parecidas, mas o simples fato deles se encontrarem por um acaso no camarim do vocalista fará com que suas vidas mudem e ao mesmo tempo entrem num dilema complicado e cruel.

Uma decisão difícil afeta o relacionamento do casal, que logo que se conheceram passaram a viver uma história de amor e paixão intensa.



"Você é tão frágil. Parece feita de porcelana ou cristal. Faz com que eu queira tocar você com suavidade, com reverência. Você é tão estupidamente rara. Eu nunca pensei que pudesse amar alguém como eu amo você, Vicky. Você não tem ideia do que significa para mim."



Não quero dar spoiler e nem vou contar muito dos acontecimentos desse romance. Quero que você leitor que, assim como eu, se surpreenda como me surpreendi com o que a autora fez com os protagonistas. Vicky e Brian é típico daquele casal que logo à primeira vez que se vêem já sentem o coração acelerar. Bom, falando assim, vocês podem até parar de ler a resenha por aqui e me dizer: iiii mais um romance clichê!! Não, não é bem isso. Conhecemos um casal que se apaixona à primeira vista, mas que irá sofrer com o destino cruel que lhes é reservado.

A vida dos dois tinha tudo para ser perfeita. Amor, dinheiro, luxo e paixão era tudo que eles poderiam ter. Mas como nada é perfeito, uma "bomba" cairá na vida dos dois.

Pessoal, não quero estragar o prazer dessa leitura para vocês contando mais do que deveria, portanto, quero enfatizar que esse romance está cheio de tensão.



"Tudo na vida é mesmo relativo"



Uma história extremamente cativante e comovente, que te faz ficar preso a cada capítulo. Paixão, Drogas e Rock'n'roll é o tipo de leitura que sem dúvida irá fazer você refletir após ler a última frase do livro e fechá-lo.

A autora nos apresenta um sentimento lindo de amor e respeito entre os personagens e ao mesmo tempo a tristeza de um ser indefeso cheio de dúvidas e agonia.

Os personagens mesmo sendo bem irritantes às vezes, gostei bastante deles. Um casal bem diferente e que mostrou bastante maturidade.



"Não adianta passar pelas mais diversas situações se não se pode aprender nada com elas."



Fiquei muito surpreendida com o desfecho da história, a autora soube conduzir a situação dos personagens da melhor forma possível. Não é aquela história que podemos classificar como perfeita. É e não ao mesmo tempo. Viu pessoal?! Até agora fazendo essa resenha fico com um nó na garganta.

Após terminar a minha leitura, fiquei com ódio da autora. Fiquei falando com meus botões: Por quê a Daniela fez issoooooooo? Como ela é maldosa!!! Essas coisas de quem está passada com a história sabe?

Fiquei com tanto ódio que parei pra pensar um pouco e vi que era a melhor solução a ser tomada.

Vou parar por aqui para não dar nenhum spoiler! Vocês precisam ler esse livro!




site: http://livroscomresenhas.blogspot.com.br/2013/07/resenha-premiada-paixao-drogas-e.html
comentários(0)comente



Suellen 26/01/2013

http://www.bempramente.com.br/2012/09/resenha-bpm-paixao-drogas-e-rocknroll.html
Minha opinião
O livro possui um tema forte e adulto. A história é curta, mas a cada parte provoca um coquetel de sensações que vai de alegria à agonia, passando pela raiva (às vezes, muita!). Os personagens formam um casal muito apaixonado, mas devidos aos problemas de Brian, acaba rolando muita violência. Essa história faz o leitor rir, chorar e ficar com o coração “saindo pela boca”.
A diagramação é simples, as páginas são brancas e as letras são de um tamanho ótimo. Porém não gostei muito da capa. A linguagem é simples; possui termos vulgares, mas, na minha opinião, condizem com o tema e com a situação dos personagens.
Confesso que eu não estava preparada para este livro; senti raiva e revolta pelos acontecimentos e dos próprios personagens. Porém o que acontece na vida deles acontece na vida real. Revoltei-me com o Brian pelo modo como acabava tratando a Vicky, mesmo a amando muito. Foi até um pouco traumatizante. O livro é bom e a história emocionante, mas não fez meu tipo; quase tive um “chilique” rsrsrs.
comentários(0)comente



Luciane 04/10/2012

Eu resumo este livro em uma palavra: INTENSO.
Retrata fielmente os bastidores do mundo do Rock, no meio a um romance desesperado.
Gostei muito e recomendo.
Este livro é do Grupo Livro Viajante: http://www.skoob.com.br/topico/grupo/1284
comentários(0)comente



Vanessa Sueroz 25/09/2012

O livro traz a história de Brian e Vicky. Brian é um americano, vocalista de uma grande e famosa banda de Hard Rock (Fears) dos anos 90. Vicky é uma jovem brasileira que cursa Filosofia em São Paulo. Essas duas pessoas nada comuns acabam vivendo uma grande história de amor.

Brian vive em turnês pelo mundo, esta no auge da sua carreira, tem tudo que quer. Vive na mídia e gosta de vida que leva. Muitas festas, álcool, dinheiro e mulheres, porém as coisas não vão muito bem para ele, sua vida esta um lixo, recentemente descobriu que sua esposa o estava traindo com seu companheiro de banda e com isso Brian começou a beber e se drogar ainda mais.

Em uma de suas turnês com a banda Fears ele conhece Vicky e se que pode ter um novo começo em sua vida, ele volta a compor, começa a beber menos e se vê completamente apaixonado.

Para Vicky a coisa é um pouco diferente, ela vai ao show que o irmão da sua amiga, Ricardo, consegue os ingressos porque esta trabalhando com um dos caras da banda, e se apaixona pelo vocalista, o que deve ser um sonho, e o sonho se torna realidade quando percebe que ela também gosta dela. O problema agora é conciliar sua vida acadêmica, sua família, amigos e as turnês malucas de Brian.

Infelizmente não tudo é um conto de fadas e a vida dos dois que estava perfeita e romântica teve um grande balde de água fria. Como eles vão lidar com os obstáculos? O amor é forte o suficiente para aguentar qualquer coisa?

Resenha completa: http://blog.vanessasueroz.com.br/paixao-drogas-e-rocknroll/
comentários(0)comente



Mari 19/05/2012

PD&RR conta a história de Brian Blue, americano e vocalista de uma banda de Hard Rock do início dos anos 90 e Vicky, uma adolescente brasileira doce e cheia de sonhos que cursava Filosofia em São Paulo. Vocês imaginam que à primeira vista os dois não tinham nada em comum. Sim, é verdade. Entretanto, o caminhos deles se cruza de uma forma improvável e arrebatadora nascendo assim uma linda história de amor.
Brian liderava a banda Fears e vivia o auge de sua carreira ao fazer várias turnês mundiais e arrancava suspiros por onde passava. Mesmo sendo o alvo constante dos holofotes, sua reputação vivia marcada pelas intrigas, confusões e festas regadas a muito álcool e drogas pesadas. Ele parecia se afundar cada vez mais mesmo sendo tão querido e aclamado pelo público, e a situação só piorou quando descobriu que a sua esposa o havia traído com um dos integrantes da banda. Era só o começo para uma sequência de atos imprudentes e nocivos contra si mesmo que pareciam não ter mais fim.
Entretanto, ao visitar o Brasil na turnê do Fears, ele conheceu Vicky e começou a imaginar um novo começo para a sua vida, onde poderia se dedicar mais a compor já que se sentia inspirado e completamente apaixonado por ela. Através do irmão da sua melhor amiga, Ricardo, Vicky teve a oportunidade de acompanhar a carreira de Brian e mesmo cursando Filosofia na USP, teve que conciliar os estudos e às contantes idas aos Estados Unidos. Ela tinha apenas 18 anos e tudo parecia ser novo e irreal, por isso não conseguia se acostumar aos excessos cometidos por Brian e seus amigos que não tinham mais limites.
O começo da relação entre ambos foi intensa e profunda, mas um fato trágico se interpõe para mudar completamente a vida deles, e a crise que enfrentariam seria inevitável. Será que o amor deles era forte demais para suportar tantos dilemas e obstáculos?
Paixão, drogas e rock'n roll é um livro forte e impactante, voltado para todos que apreciam um romance imprevisível e que mostra o viés da natureza humana, com seus defeitos e qualidades em um universo repleto de contradições. Preparem o seu coração, eu garanto que virão emoções fortes e contraditórias sobre a vida dos personagens. Se você, leitor, não está preparado para uma história densa e polêmica, sugiro que pense duas vezes antes de começar a leitura deste livro. Ou depois, não diga que não avisei!
Em relação ao personagens, vale ressaltar que eu particularmente não me envolvi em seus dramas e acabei ficando aborrecida com as constantes oscilações de humor e mudanças repentinas de comportamento que a meu ver ficaram repetitivas e enfadonhas na história. O fato é que o casal contribuiu para que a minha avaliação geral do livro não fosse tão positiva assim. Brian Blue e Vicky passaram a viver uma relação de plena dependência um do outro, os altos e baixos vividos na relação acabariam por desgastar e comprometer o que ambos construíram juntos. Me incomodou também o fato de algumas questões não terem sido esclarecidas na história e também pela velocidade esmagadora dos acontecimentos, mas nem posso falar mais a respeito por causa de spoilers. rs
Eu confesso que fiquei martirizada após ler o desfecho final e chorei tanto que tive vontade de conversar seriamente com a autora para demonstrar a minha frustração, mas entendo que por um lado a decisão tomada por ela era o mais adequado a se fazer apesar das circunstâncias. Percebi alguns erros de digitação, mas nada que atrapalhasse a leitura e a parte gráfica é bem satisfatória. :)
PD&RR é um livro tocante que fala do amor mais sublime cercado por um ambiente de incerteza e contradição, mas que traz à tona questões importantes que nos faz refletir em suas mais de 190 páginas. É mesmo comovente a luta dos personagens pelo amadurecimento e uma chance de redenção e recomeço, que fica impossível não se emocionar e torcer por um final feliz. Eu recomendo a sua leitura para todos!

Postado em: http://confissoesliterarias.blogspot.com/2011/11/resenha-paixao-drogas-e-rockn-roll-por.html
comentários(0)comente



Evellyn 14/05/2012

O livro de estréia de Daniela Niziotek é forte. E quando eu digo forte, me refiro a algo realmente pesado, não de forma dramática, mas de forma extremamente tensa e emocional. Como o nome sugere, o livro fala sobre rock, drogas e paixão acrescente sexo e você saberá onde está se metendo. PDRR, se passa nos anos 90 e narra a história de paixão entre Vicky, uma garota de 18 anos que acaba de entrar na universidade e um rockstar por seu comportamento destrutivo, Brian Blue, líder da banda Fears – aproximadamente 10 anos mais velho. Os assuntos abordados no livro são 'polêmicos' (vamos chamar assim) e tudo é tratado de forma muito explicita, sem rodeios, visceral.

Os dois se conhecem quando a banda vem fazer um show no Brasil e logo surge uma paixão intensa, que os leva a extremos inimagináveis. Brian é um cara excêntrico, com um comportamento típico dos astros do rock dos anos 90 – e tenha em mente a época em que se passa o livro. Ele tem uma historia de vida bem tensa e isso se reflete na forma que ele lida com a fama e as situações vividas. Ele parece arrogante a principio, mas é só porque nunca teve alguém que o contrariasse...

Vicky, embora nova, enfrenta as coisas de forma tão madura que você pensaria que ela já teve muitas experiências de vida – e ela não teve. Eu a compreendi completamente, mas me peguei pensando se no lugar dela eu teria espirito para suportar o que ela passou. Se bem que, considerando o estado em que ela se encontra (paixão, amor – acho que denominações aqui não fazem diferença), talvez eu fizesse exatamente o mesmo. Realmente gostei muito dela, ela é surpreendentemente forte e perspicaz pra alguém tão jovem e não acostumada a vida louca de um astro do rock.

A relação entre os dois é extremamente conturbada e passa por muitos altos e baixos – muitos. Eu gostei muito deles e realmente torci pelo casal. Também gostei de todos os outros personagens – tão problemáticos! – e o livro me prendeu do começo ao fim (Comecei a ler o livro às 2 da manhã e quase não dormi para terminar – e acredite, isso NUNCA acontece comigo. Eu iria ler só um capitulo, e acabei lendo ate a metade!). Fiquei realmente sensibilizada com todas as situações e angustiada junto com Vicky e Brian. Também achei os diálogos tão... dinâmicos. O livro todo deixa aquela sensação de apreensão! Mas também há os momentos de descontração e humor (sim).

Esse não é o tipo de livro que eu recomendaria para você emprestar para sua prima pré-adolescente ou para sua avó (certamente ela ficaria chocada). Embora eu super recomende o livro por ser uma leitura muito interessante, você precisa ter a mente muito aberta e uma cabeça muito boa para entender o livro e não julgá-lo mal. Você precisa entrar na história e viver o contexto dos personagens, a realidade deles, para conseguir compreender tudo o que acontece sem ficar apavorado.

PDRR não é um livro 'fácil de digerir', aceitar ou compreender, mas se você se adaptar a esses pontos poderá gostar tanto quando eu. A minha dica é não ficar impressionada com as cenas fortes que você lerá. E também acredito que se você tem convicções religiosas ou morais muito restritas e inflexíveis, não será seu melhor tipo de leitura, pois o livro é bem contraditório. Ele é denso, tenso, despudorado e até um pouco depressivo. Incrivelmente, isso só me fez admirá-lo mais (embora eu não seja uma tresloucada). Acho que a autora conseguiu ser de uma sensibilidade – minha opinião – incrível, retratando algo tão forte. Eu consegui me colocar nas situação mesmo sem viver – nem de perto – situações parecidas (e nem gostaria, pra ser sincera).

Eu já sabia o que me esperava ao começar a leitura, mas fui surpreendida por um enredo diferente de tudo o que já li. Achava o assunto interessante, mas ler sobre isso de uma forma tão explicita me deixou realmente aflita, ansiosa, curiosa! Para muitos, pode incomodar a aparente rapidez com que as coisas acontecem, mas como eu expliquei, é um livro intenso e a velocidade da narrativa serve para mostrar o quanto as coisas são agitadas na vida dos protagonistas. Acho também que a diagramação pode deixar os mais exigentes um pouco confusos, já que muitas vezes os cenários mudam sem ter uma 'separação' certinha. É tudo rápido e de um parágrafo para outro tudo pode se transformar.

Terminar a leitura foi um choque. Eu já estava esperando por tudo (e você deve esperar), mas a tensão final foi tão forte que eu quase me descabelei. Na verdade, apesar do fim ter me deixado desolada, eu acredito que tenha sido o final perfeito, perante tudo o que aconteceu. O livro me deixou de uma forma que eu penso em relê-lo e omitir o fim, só pra poder fazer o meu happy ending, pois em muitos momentos eu tive vontade de mudar o que estava acontecendo!

Sinto muito galera, acho que minha resenha não passou nem 10 % do que eu realmente senti com essa leitura, mas eu fiz o máximo para tal. Se tiverem coragem e/ou curiosidade leiam, é interessantíssimo!

Com quotes: http://heyevellyn.blogspot.com.br/2011/07/eu-li-paixao-drogas-e-rocknroll.html
comentários(0)comente



House of Chick 06/05/2012

''Brian Blue é vocalista e líder de uma das maiores bandas de hard rock do início dos anos 90 e Vicky, uma adolescente brasileira. Desse encontro improvável, nasce uma história de amor com todos os ingredientes dos tempos modernos. Com rara sensibilidade, Daniela Niziotek envolve o leitor ao abordar as dificuldades e concessões enfrentadas para a c
oncretização dessa relação quando um fato trágico se interpõe, mudando para sempre a vida dos personagens. De modo delicado e comovente, mas com aguda percepção, Daniela fala das belezas e dores humanas, trazendo à tona, em meio a uma torrente de sentimentos, os bastidores do mundo do rock. Um mundo de muito glamour, mas também de desencanto e impossibilidades extremas. Brian e Vicky vivem e sofrem os dilemas do amor e da paixão, da insensatez e da lucidez, da luta para fazer prevalecer a razão em um universo cheio de contradições. Dessa mistura de emoções, nasce uma trama muito bem urdida que nos faz pensar sobre a essência do amor e suas nuances mais caprichosas e imprevisíveis.''

Forte. Impactante. Realista. Esmagador.

Rock n' roll extremado com um tempero aguçado de uma paixão doentia e enlouquecedora, e uma cobertura de violência e insanidad
e poderosas são os principais ingredientes dessa, definitivamente penetrante, maratona de sentimentos que 'Paixão, drogas e rock n' roll' certamente é.

Quando Vicky, uma paulista, estudante de Filosofia, conhece Brian Blue - o famoso vocalista da banda de rock internacionalmente conhecida Fears, da qual ela estranhamente nunca ouvira falar até então, o encontro não é marcado por palavras carinhosas ou trocas de olhares românticos, mas por insultos e grosserias e a promessa de que um não cruzaria mais o caminho do outro. O mais inusitado, porém, é quando a mão do destino resolve intervir no caminho dos dois. Então ulálá... Sai de baixo!

Quando mergulhei na história, na mesma hora pensei comigo mesma e afirmei: "Vicky está vivendo o sonho da maioria das garotas de sua idade. Sério. Quero dizer, qual adolescente nunca sonhou com uma coisa dessas? Um romance com um popstar? Por favor!" Acho que todo mundo já passou por essa fase...

Continuação: http://www.houseofchick.com/2011/10/paixao-drogas-e-rock-n-roll.html
comentários(0)comente



Amanda Nery 05/05/2012

Mais resenhas em: http://leituraentreamigas.blogspot.com.br/

Essa resenha vai ser bem difícil de escrever, e eu nem posso ser muito clara nos meus motivos para não correr o risco de soltar spoiler, mas vamos lá.

Vicky é uma garota normal, responsável e esforçada, ela acaba de se mudar para São Paulo, onde vai cursar a faculdade de Filosofia na USP. Ela está super feliz e entusiasmada com sua nova vida e cheia de expectativas, mas tudo vai mudar quando ela conhece Brian Blue o vocalista de uma banda de rock que está no auge da fama.

Brian acabou de terminar um breve casamento, e esta levando uma vida cheio de todos os exageros que a fama e o dinheiro permitem, ele esta trabalhando em uma turnê quando passando pelo Brasil para fazer dois shows ele conhece Vicky que o ajuda no momento em que ele esta totalmente descontrolado por causa do seus excessos, depois desse encontro eles acabam se apaixonando perdidamente e dai em diante eles vão enfrentar uma barra para poderem ficar juntos.

É um amor impossível, isso já é bem claro desde o começo, Vicky é muito jovem tem apenas 18 anos e Brian é bem mais velho que ela, ela tem um futuro inteiro pela frente e o Brian vive a vida sem se importar com nada nem ninguém, ele tem problemas com drogas e com o álcool, é inconstante e explosivo. A Vicky é super pé no chão, dá muita força para o Brian, mas a atitude mais difícil no relacionamento deles e que infelizmente foi a melhor a ser tomada vem da parte do Brian.

Apesar de o livro contar a história de uma garota brasileira que tem um romance com um astro de rock americano, a abordagem da autora é bem realista, crua, e forte. Nada é fantasiado, o Brian é incrível e como a própria Vicky fala no livro ele é um sobrevivente, ele sofreu tanto durante toda a vida, mas ainda assim ele é capaz de amar intensamente e você percebe o quanto ele ama à Vicky de verdade e ela também o ama, o amor deles é muito forte, mas será que o amor é capaz de enfrentar tudo? Quando eles estão juntos tudo é perfeito, e eles começam a fazer planos para o futuro, para ficarem juntos para sempre, mas uma notícia muda tudo, a relação deles, os planos, as suas vidas para sempre.

Não costumo questionar os autores, eu respeito sempre o rumo que eles dão para a história que estão escrevendo e seus personagens, mas admito que esse livro mexeu comigo, acho que teria sim feito algumas coisas diferentes, e não digo só pela notícia que mudou a vida deles, o que aconteceu não dá para dizer que seria uma surpresa, levando em consideração a vida de Brian, mas como tudo se desenrolou depois é bem complicado. Eu entendo o Brian perfeitamente, mas também entendo à Vicky, e acho que de acordo com a época em que o livro ocorre não tem como discordar do Brian, mas algumas atitudes dele são questionáveis se você olha o quanto ele ama à Vicky, mas a culpa deve ser da veracidade que a autora deu durante todo o livro.

O livro é viciante, quando você começa a ler só tem vontade de largar quando terminar, fazia tempo que eu não lia um livro que me prendeu tanto, gostei demais do livro, mas devo admitir que o final da história não me agradou, Brian tem uma atitude no final que foi muito difícil de acreditar, mas eu sou compreensiva, e aceitei. Porém o posfácio ainda esta na minha garganta, pois por mais difícil que sejam as coisas a gente sempre fica com uma pontada de esperança, mas acho que já falei demais.

Paixão, Drogas e Rock’in’Rol é emocionante, foi uma boa leitura com certeza, e bem diferente do que eu costumo ler, acho que por isso estou com algumas dificuldades de aceitação, nada que tire o mérito e qualidade do livro.
comentários(0)comente



Jeh 21/04/2012

Paixão demais, rock de menos!
Confesso que comprei esse livro sem ao menos saber do que tratava a história, somente pelo fato do título ser interessante e a capa bastante agradável. Quando resolvi que estava na vez de lê-lo, ao dar uma passadinha rápida na sinopse fiquei empolgada, mas essa empolgação foi caindo ao longo do livro. Andei olhando as outras resenhas e me sinto uma E.T. por ser a única a dar uma nota menor que 3.0!

As páginas foram passando e cada vez mais eu ficava incomodada com a personagem principal Vicky (deve ser mal do nome Vitória, ser insuportável) e seu par romântico Brian. Achei que o relacionamento deles forçou muito a barra: doentio e sem pés no chão. Ok, uma garota de 18 anos não tem muita maturidade e que se apaixona da noite para o dia, mas a forma abordada ficou muito fake! NENHUM personagem me conquistou, os diálogos eram chatos com vários 'baby' bem ridículos e uma série de repetição de palavras da mesma frase. Bem, isso sem mencionar uma penca de palavrão e palavras como 'trepar' e 'masturbar'. Tudo bem, isso 'não é nada demais', mas acho que deveria mencionar de alguma forma que o livro é de tema forte e contém palavras de baixo calão, pois sinceramente não acho que esse seja um livro indicado para menores de 12 anos? o.o

o destrinchar da história não teve muito sentido para mim, na verdade achei bem ridículo, não sou fã desses romances com falta de amor próprio, respeito e bom senso. Até precipitação e amor à primeira vista têm limites! Gostei das poucas referências à música, mas achei que faltou um pouco mais de rock'n'roll de verdade!

Juntando ao fato que achei vários errinhos de português, inclusive letra faltando nas palavras (alou, revisão?) o livro é bem amador, no maior estilo fanfic de menininha de 15 anos que quer falar de coisa de gente grande. O roteiro tinha tudo para ser fantástico, mas a autora se perdeu nas palavras e não acertou em várias escolhas. Particularmente, eu não recomendo a leitura :/
comentários(0)comente



51 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4