Para não dizer adeus

Para não dizer adeus Lya Luft




Resenhas - Para não dizer adeus


6 encontrados | exibindo 1 a 6


kassya 07/11/2009

Minhas impressões.
Poesias singelas, bucólicas, mas que tocou minha alma com energia, arrancou sorrisos e lagrimas. Me proporcionou alguns instante de inquietude e também de esperança.

Poesias são escritas para pessoas de almas sensíveis e profundas. Gostei muito!

“Uma casa tem que ter varandas para sonhar, cantos para chorar, quartos para os segredos e a ambivalência. Um amor precisa espaço de voar, liberdade para querer ficar, alegria, e algum desassossego contra o tédio. Não se esqueça os danos a cobrir, o medo de partir, e o dom de surpreender – que é a sua essência”.

“Quando perdi quase tudo, descobri que a dor não era maior que o sonho.
Quando esqueci o caminho, vi que o horizonte ficava do lado errado.
Quando só o meu rosto sobrava em cada espelho e nada do lado de cá.
Juntei desalento e desejo e me reinventei com carinho”.
comentários(0)comente



Paula 05/07/2013

Singelo e tocante; Lya Luft
Acabei de ler "Para não dizer adeus" num repente. E totalmente desproposital. Peguei o livro que tinha comprado na última Bienal e estava esquecido na estante e por algum motivo senti que devia lê-lo. Acabei com lágrimas nos olhos e com um sentimento de culpa por há tanto não pegar um livro da Lya para ler.
Da autora já li alguns títulos e desde nova sou fã. Lya escreve de maneira lúcida, sutil, poética. Esta reunião de poesias sobre qual escrevo essa resenha é um relato sobre vida, morte, infância, velhice, amores. Comecei o livro querendo, como de costume, assinalar meus versos preferidos. Então me vi marcando todas as muito bem escritas poesias.
Uma, em especial, me encheu os olhos d'água. Chama-se "Inútil espera"
Me emocionei já imaginando o contexto no qual ele tinha sido escrito (dá para deduzir que Lya fala de sua mãe, que teria tido Alzheimer) e então fui pesquisar a respeito. Econtrei este outro texto: http://veja.abril.com.br/260809/alzheimer-luz-alma-p026.shtml , que me fez mais cúmplice de sua história ainda
"Para não dizer adeus" enfim me fez recordar o porquê de minha admiração enorme pela autora. Não sei explicar minha identificação pela obra, sei que o livro me escolheu. E eu, como boa leitora e amante de literatura, acolhi-o sem arrependimento.

***
Inútil espera
O rumor de uns passos enérgicos,
a voz me chamando no jardim, na sala
rosas com nomes secretos, e um perfume
igual ao dela.
Legou-me sua alegria inesperada,
o amor à vida,
e algo do perfil. Não sua beleza:
essa ficou nos retratos.
Nada lhe significo mais:
quando me vê enxerga outros rostos,
mais reais do que eu na sua ilha.
É minha mãe e não é,
vive e não vive, na clausura da mente
adormecida.

Mas eu,
a cada visita espero o impossível:
que ainda uma vez o seu olhar me alcance,
e por um momento ame, nesta mulher, a sua filha.
comentários(0)comente



Michelle Trevisani 08/03/2016

Poesias
Este é o primeiro livro que eu leio da Lya Luft de poesia. Já li outros de crônicas dos quais gostei muito. Em sua grande maioria as poesias deste livro trazem reflexões a cerca de identidade, sobre nossas essências, de uma forma simples e pura. Não são poemas que rimam ou com métricas, Lya Luft segue um estilo mais solto, mais livre.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Taay 13/09/2012

Simples mais cativante !
Não terminei o livro ainda, mais adorei e não dispenso tais poesias singelas e ao mesmo tempo vibrantes. Recomendo a leitura em um belo dia... com a memória tranquila!
comentários(0)comente



Carol Rodrigues 13/09/2009

Muito Bonito
Livro de poesias da Lya Luft! Muito bonito, dá pra ler em um ou dois dias! há tempos não comprava um livro de poesias e gostei bastante desse!

=)
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6